Sie sind auf Seite 1von 108

OBSERVAÇÕES

Nesta atual fase em que estamos vivendo, com a obsessão atingindo níveis
alarmantes, o que para nós Jaguares, não é novidade, vejo a necessidade de termos
uma alimentação doutrinária oriunda do nosso saudoso Executivo, pois, sei que está
nos faltando uma sustentação espiritual, que talvez por motivos deexcessivos
compromissos da manutenção dos nossos próprios rituais, não está sendo possível.
Por isso, mesmo que alguns não concordem, pois acham que o conteúdo desses
cursos só deveria ser passado ou repassado para Centuriões ou Sétimos Raios
cursados e, que a nível de internet, qualquer um poderá ter acesso, penso ser viável,
uma vez que é notável a necessidade dessa reciclagem.
Sabemos que a Doutrina do Amanhecer é FÉ E CIÊNCIA, e em sendo assim, não teria
problema algum qualquer pessoa acessar esse conteúdo, porque ele só terá efeito a
nível de plexos para os Mestres cursistas quando estão assistindo essas aulas em
ambiente próprio, com a EMISSÃO DO INSTRUTOR ABERTA e com a assistência dos
Mentores para esse fim. A nível de leitura, esses assuntos não farão mal a ninguém e
só terão a acrescentar para aqueles que já são Centuriões ou Sétimos, porque podem
dar ênfase às suas consciências que, como sabemos, diminui o nível com o passar
dos tempos. Daí vem o nome RECICLAGEM; rever os ensinamentos para manter a
consciência em dia.
Edson Rodrigues-Adj. Valexo.

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(1ª aula 21/02/1991)

Salve Deus!

Quis a vontade de Deus Pai Todo Poderoso, nos unir no dia


de hoje. Para muitos de nós, é quase um reencontro.
Muitas fisionomias que eu não via há tantos anos, estão
aqui hoje.

Vamos formar uma sintonia, uma harmonia em Cristo Jesus


e, na individualidade, vamos em busca das forças
necessárias para este nosso trabalho. Vamos neste instante
elevar o nosso pensamento a Jesus Divino e Amado Mestre
e ao Simiromba de Deus, nosso Pai Seta Branca. Vamos
mentalizar também a Legião do Divino Mestre Lázaro. A
emissão do mestre é a chave para abrir o seu Aledá, para
ser ouvido na Legião. Vamos, assim, sintonizar com a
Legião, os Cavaleiros de Oxosse, nossos Ministros, nossos
Cavaleiros e nossas Guias Missionárias, para que
tenhamos uma perfeita harmonia, uma perfeita sintonia.
Salve Deus !

Mestres, sejam bem vindos e vibrem conosco nesta


jornada. Vamos explicar o funcionamento do nosso curso.
Não tem previsão de duração. Nós vamos desenvolver um
trabalho sem programação. Vão surgindo os assuntos e
iremos desenvolvê-los no decorrer do curso. Procurem
vibrar porque tudo que nós iremos fazer é para a nossa vida
missionária, bem diferente da vida de outras doutrinas que
não pertencem a este Amanhecer, porque ela é iniciática. A
vida do espiritualista exige muito do indivíduo porque este
indivíduo é um iniciado. O mestre que está na condição em
que vocês estão, ele é um privilegiado aqui e no mundo
etérico, desde que esteja dentro de sua lei, das normas e
na Conduta Doutrinária. Exatamente por isso, Pai Seta
Branca exige do iniciado a condição de espiritualista o que
nos torna cientistas dos mundos etéricos. Vejam bem, nós
somos muito exigidos porque, à medida em que vamos
vencendo nossas etapas, vamos adquirindo grandes
conquistas para o espírito encarnado a caminho da
evolução.

Mestres, prestem bem atenção aos objetivos deste curso.

Primeiro objetivo – Nós Jaguares, estamos atravessando


uma faixa cármica muito difícil, que ainda não nos atingiu
em cheio. È uma jornada, é uma prova. A nossa Doutrina é
intocável, porque ela é a Doutrina de Jesus, mas a nossa
Corrente é cármica, porque ela é formada por nós e nós
estamos sujeitos à lei do carma. Em determinadas faixas
nós temos um acerto de contas. Dependendo da condição
de cada um de nós, dependendo do seu preparo, dos seus
bônus e de sua Conduta Doutrinária, dos seus desejos e de
suas aspirações, quando chega uma faixa como a que
estamos vivendo, é exatamente aí que ou temos estrutura
ou sofremos, não há meio termo. O mundo espiritual está
nos olhando, ou vocês pensam que nós estamos
conversando e eles não estão nos ouvindo? É claro que
estão. Mas eles se interessam também com a forma de
como estamos reagindo, porque, na verdade, isto é como
se fosse uma prova. Quando que nós conseguiríamos
exteriorizar aquilo que estamos sentindo na realidade,
nossas frustrações e nossos erros? Nesta hora cada
individualidade começa a externar o que sente.

O mundo espiritual fez um planejamento para mil anos e,


dentro da evolução destes espíritos, não há erros. O erro
surge porque as reações são imprevisíveis. A Tia dizia:
“Filho, arma-te contra ti mesmo porque as reações são
imprevisíveis”. De uma hora para outra podemos jogar fora
uma encarnação.

Então, vejam bem, o primeiro objetivo deste nosso trabalho


é que estamos passando uma faixa difícil e alguns
Jaguares estão inseguros, perdendo a fé. Outros acham
que aqui é uma casa aonde chegam e fazem o que querem.
Muitos irmãos estão perdendo o objetivo principal da nossa
missão, que é a nossa Doutrina e a cura desobsessiva,
passando-a para segundo ou terceiro plano, para dar vazão
às vaidades, às frustrações, enfim, a todas estas
mesquinharias cármicas nossas.

Por tudo isso, o principal objetivo é nos unirmos como


estamos agora em Cristo Jesus, para recebermos estas
forças nos mundos espirituais e manipularmos estas
energias para que possamos, gradativa e vagarosamente, ir
nos limpando e quebrando estas correntes e acendendo
esta chama que está dentro de nós, missionários, e tenho
certeza de que todos que aqui estão, estão se sentindo
melhor e querem se evoluir nesta Doutrina. Mas, também,
tenho certeza de que muitos que estão me ouvindo estão
encontrando uma série de perguntas, estão se deixando
levar por uma série de coisas, estão dificultando sua própria
vida no seu lar, na sua vida material junto à família e na sua
vida cármica.

Mestres, muitos de vocês não têm mais caminho de volta.


Pai Seta Branca diz a seus filhos que, se perderem a sua
fé, entreguem as suas armas que nada lhes acontecerá.
Mas acontece que vocês estão com os chacras dilatados
através de suas consagrações, estão com os espíritos
sofredores em suas auras e acham que eles vão sair só
porque entregaram suas armas? Não, mestres, na faixa que
vocês se encontram já sabem que ninguém fecha a
mediunidade de ninguém. Isso não existe. Imaginem um
mestre não querer seguir a Doutrina Crística Evolutiva para
seguir a doutrina de espírito sofredor. Sai e, lá fora, se
arrebenta, se estraga, se perde e destrói tudo o que tem.

Mestres, como executivo desta Corrente, eu tenho


responsabilidade direta sobre vocês, responsabilidade por
suas vidas espirituais e é por isso que eu preciso alertá-los,
fazendo a minha parte, mas cabe a cada um de vocês fazer
a sua parte. Perante o mundo espiritual eu tenho que
prestar contas um dia das minhas ações, porque Pai Seta
Branca vai me dar todas as condições para que eu faça a
minha parte.

Segundo objetivo – É que de quinze em quinze dias nós


tenhamos no Templo um ponto de força em pleno
funcionamento. Vocês não podem imaginar o poder que
este ponto de força exerce no Templo para que possamos
realizar este trabalho, no sentido de que, se não pudermos
evitar, pelo menos amenizar um pouco as dificuldades que
estão nos envolvendo.

Terceiro objetivo – Mestres, para muitos de vocês que


estão me ouvindo, já faz mais de dez anos que estão nesta
Corrente e de lá para cá se evoluíram e não tivemos
oportunidade de manipular e conversar para que
pudéssemos segurar muitos dos nossos trabalhos, tendo
em vista a dificuldade que estamos enfrentando pela
pressão das correntes negativas. Vamos vibrar, porque
somos responsáveis por todos aqueles que Jesus colocou
em nosso caminho para serem ajudados.

Meus mestres, prestem bem atenção. Os senhores


entenderam o que é cabalístico? Os trabalhos feitos dentro
de um ritual, dentro dos estilos iniciáticos, estão contidos na
seguinte carta: A FORÇA DA CABALA.

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(2ª aula 07/03/1991)

Salve Deus!

Na reunião passada conversamos sobre o que é esta


Corrente, sobre o poder cabalístico. É necessário que cada
um se conscientize de que, se quiser ser um mestre deste
Amanhecer, precisa trilhar passo a passo, degrau por
degrau. Não há limite para cada um de nós aqui dentro,
mas depende daqueles tijolinhos que vamos colocando
para construir o nosso alicerce. Um tijolinho fora do lugar
vai apresentar um defeito no alicerce. Nós estamos
construindo algo para a nossa individualidade que é
transcendental, estamos construindo algo que Deus Pai
Todo Poderoso, em sua bondade infinita nos deu e
levaremos para a eternidade. Precisamos assim, fazer tudo
corretamente, bem feito, irmanados em nossas vibrações
para que, vagarosamente, possamos cumprir nosso
compromisso transcendental. De nada vale fazer nossos
trabalhos por apenas por desencargo de consciência, para
satisfazer nosso ego, nossa vaidade, porque estamos nos
enganando a nós mesmos. A grande esperança destas
nossas reuniões é despertar em cada um lá no fundo do
seu coração, do seu ser, de que tudo que se faz é para nós
mesmos. Nada o que fazemos é de graça, nem para os
outros. Todos nós assumimos compromissos com Jesus na
individualidade.

O missionário não substitui ninguém. O missionário desce


na Terra, vem com sua missão e só cumpre a sua missão, o
seu sacerdócio. Ninguém substitui ninguém. Somos seres
interplanetários e, pela graça Divina, estamos aqui na Terra
e muitos até bem velhinhos. Somos inquilinos da Terra, não
pertencemos a ela. Pertence o nosso corpo físico, que é
composto de todas as energias da Terra. O nosso espírito é
um ser divino. É hora de darmos oportunidade a esta
chama divina que existe em nós para que ela venha
iluminar o nosso reino. Não estamos mais para delongas
nem discussões porque o tempo está esgotado. Aqueles
mestres que fizeram Centúria comigo, desde o começo
sabem que estávamos nos preparando para uma missão.
Agora o tempo acabou para brincadeiras e para
experiências. A missão está começando e é bom que
saibamos que será exigido muito de nós e em Cristo Jesus
temos muito o que dar.

Vamos, portanto, pedir a Jesus esta força direta que nos


assiste aqui na Terra, que dê forças a cada um para que
possamos transpor as dificuldades. Quando nossa querida
mãe Tia Neiva dizia “Meu filho não te preocupes com teu
vizinho, arma-te contra ti mesmo”, ela queria dizer que o
nosso maior inimigo está dentro de cada um de nós.
Precisamos compreender e entender, de uma vez por
todas, que não conseguiremos enganar ninguém, tampouco
enganar a nós mesmos. Somos seres privilegiados, filhos
escolhidos para esta missão. Milhares e milhares de
espíritos gostariam de estar em nosso lugar, de terem o
privilégio que nós temos de sermos seres encantados e
podermos, simultaneamente, trabalhar em dois planos – o
físico e o etérico. Temos o privilégio de, como físicos ainda,
já construirmos, dando os primeiros passos de nossa
jornada no plano espiritual. Mas, para que isso aconteça, é
necessário a consciência, a fé e a convicção das leis físicas
que nos cercam. O amor de um missionário, meus irmãos,
não é medido por palavras, mas pelos seus atos. Tia falava
no homem suicida, aquele que é colocado no caminho do
Bem e da Moral e da Lei do Auxílio, e ele usa este caminho
para fazer tudo aquilo que não deveria fazer. Aquele que dá
um tiro no ouvido, às vezes é movido por uma cobrança.
Mas nós tivemos o privilégio de sermos colocados na
ciência dos mundos crísticos, dos mundos etéricos e
quando agimos contra os ensinamentos, contra as normas,
não sei o que será de nós. Meus irmãos, seria bom se,
quando nós transgredíssemos, nós mesmos pagássemos,
mas nós nos esquecemos de que em torno de nós estão
missionários que Jesus nos confiou para que nascessem,
crescessem e estivessem conosco como irmãos.

Imaginem o preço que isto vai custar, porque desde o


primeiro dia que cada um colocou o pé aqui neste
Amanhecer, lhe foi ensinado, lhe foi explicado como fazer
para caminhar nesta Doutrina e muitos de nós estamos nos
arriscando, estamos brincando com a nossa vida e com o
nosso destino. Só para exemplificar, nestes dias, foi um
mestre que já recebeu todas as honrarias deste Amanhecer,
no Aledá do Sudálio, embriagado. Imaginem o preço que
este mestre terá que pagar, porque ali não está um
Cavaleiro de Oxosse, nem um Preto Velho. Ali está um
convidado de Pai Seta Branca. O álcool, para nós, é
veneno, faz mal porque nosso plexo está sendo preparado
para acura desobsessiva. Não seja suicida! Se gosta de
bebida, graças a Deus, venha para cá como paciente. Não
coloque o uniforme, para o seu próprio bem. Tenha respeito
por esta Doutrina. Aqui é um pronto socorro universal e,
para milhares de espíritos, é a última oportunidade, a última
esperança, e ele vai encontrar um mestre encharcado! Pai
Seta Branca não movimentou este Universo todo para ver
seus filhos aqui na Terra se destruírem, e o preço pode
custar esta encarnação. É necessário que haja esta
consciência.

Vamos começar a bem amar, porque a maioria deste corpo


mediúnico está perdendo o sentido do que é este
Amanhecer. Pai Seta Branca, na sua divina bondade, com
permissão de Jesus, nos deu o trabalho de libertação e nos
disse que Jesus prescreverá nossos restos cármicos para
melhor cumprirmos nossa missão simétrica.

Somos uma tribo, uma família, e estamos nos evoluindo


rapidamente. Somos uma família com dívidas enormes,
mas que sempre que necessário, estamos presentes na
Terra. Temos muitos cobradores que não terão mais
oportunidade de nos cobrar, por falta de tempo e pelas suas
próprias condições, que não nos alcançam mais. Quando
passarmos para o outro lado seremos os espíritos de luz,
recebendo as vibrações de cobradores. Na sua divina
sabedoria, Pai Seta Branca nos deu a libertação no
Trabalho de Prisioneiro, porque dependendo da roupagem
que estivermos vivendo naquela faixa, vamos em busca do
que deixamos para trás. Demonstrando humildade, pelo
Trabalho de Prisioneiro conseguimos bônus e conseguimos,
também, o perdão destes espíritos e, em conseqüência, a
nossa libertação, para que cada um possa seguir o caminho
da evolução.

Mas, o que nós temos observado no Trabalho de


Prisioneiro, são brincadeiras, tem mestres colocando até
palavrões nos cadernos de prisioneiros. Mestre, não seja o
veículo da destruição e da mesquinharia. Tem mestre que
enche o caderno de prisioneiro de rabiscos. Para o
prisioneiro, aquele caderno é sagrado. Ali ele está
registrando exatamente quantos contatos ele teve, porque o
bônus não fica naquele papel, nem quem dá o bônus, o faz
de graça, porque não há nada de graça. Enquanto o mestre
está assinando aquele caderno, o plexo dele esta emitindo
bônus, energia em favor daquele prisioneiro e,
simultaneamente, está recebendo. Faça uma experiência:
não seja prisioneiro no dia em que não estiver bem, mas
fique na praça e dê alguns bônus com amor e veja se não
melhora, não porque você deu o bônus, mas porque o plexo
daquele prisioneiro a quem você deu o bônus forneceu o
bônus para sua melhora.

O respeito é adquirido na caminhada que empreendemos e,


se não tivermos respeito por nós, não vamos ter por nossos
semelhantes. Tia Neiva fez este uniforme de prisioneiro,
uma indumentária bonita, o Exê, a rosa, uniforme completo,
até com cinto de pano. Mas tem prisioneira que parece que
vai para uma festa de carnaval.
Costumamos ver mestres preocupados com a vida material,
discutindo guerra, política, culpando o nosso presidente,
mas ele não tem culpa de nada do que acontece a nós.
Vamos voltar um pouco atrás e analisar a nossa parte, a
nossa caminhada, Tia nos disse: “Meu filho não te
preocupes com a tua vida material. Preocupa-te com
aqueles que te chamam para o auxílio”. Ela diz assim
porque Pai Seta Branca não vai nos dar nada que não for
nosso, como também não vai tirar nada do que for nosso.
Se nós estivermos caminhando como mestres deste
Amanhecer, nossa mãe em Cristo Jesus, hoje tem muito
mais condições de nos ajudar do que quando estava na
Terra, porque aqui ela estava presa a um corpo pesado e
praticamente acabado, destruído pela enfermidade. Hoje,
ela tem um corpo astral iluminado e pode atender a todos
nós. Nossos mentores sabem do que nós precisamos.
Vamos vencer as preocupações, arregaçar as mangas e
vamos trabalhar, ajudando os nossos governantes e a
nossa nação, ajudando o povo brasileiro que vive conosco.
Nós temos condições porque temos poder cabalístico e
cada um vai receber tudo que precisa materialmente. Vão
observando, no decorrer destas reuniões, que aqueles
nozinhos vão sendo desatados, porque estamos aqui por
amor, movimentando forças, sempre em benefício de
alguém.

Muitos grandes mestres deste Amanhecer estão em


desequilíbrio, caindo, porque todos que estão aqui hoje se
preparam para receber poderosas forças. Mas estas forças
não servem para nós! Elas foram confiadas a nós para
serem manipuladas em favor dos menos favorecidos. Nós
somos missionários e, se não manipularmos essa força, ela
irá nos destruir. Procurem assumir um compromisso e as
forças estarão à sua mercê, para serem manipuladas para
todos nós. De nada vale conversarmos sobre mundos,
sobre poderes, se na maioria não sabemos fazer sequer um
Pai Nosso.

Nossa Mãe, quando começou a descortinar sua


mediunidade, dentro do desequilíbrio de um médium, ela
tinha uma revolta muito grande, porque todo aquele castelo
que ela construiu, estava ruindo. Um espírito se apresentou
numa cadeira de rodas. Era uma mulher, e Tia a chamava
de Senhora do Espaço. E ela lhe disse: “Neiva, tira um
pouco dessa ira do teu coração! Vamos rezar juntas!”, e
começava a emitir o Pai Nosso. Mais tarde ela veio a saber
que esta Senhora era Mãe Yara.

Mestres, o Pai Nosso quando emitido corretamente, acalma


o espírito mais enfurecido que seja. Quando um
comandante está emitindo o Pai Nosso, só ele deve emitir,
os demais mestres entram em sintonia com ele, emitindo
silenciosamente. São poucos os mantras que fazemos
coletivamente. Simiromba, o mantra dos três horários, na
Estrela é emitido coletivamente. Estes assuntos foram
dados no início da nossa vida no Amanhecer, mas nossas
fundações estão abaladas por algum tijolinho fora do
alicerce. É por isto que estamos revendo tudo. Se o assunto
é cabalístico, aí , é ser ou não ser, não há meio termo.

Desde os primeiros dias foi ensinado ao médium de


incorporação que no paciente não se toca e o que vemos
hoje em dia? Os Mentores, Pretos Velhos, antes de virem
trabalhar aqui, passam por uma escola em Mayante e
recebem todas as técnicas de Amanto. A entidade faz uma
triangulação de forças do doutrinador, do apará e do
paciente, emitindo a energia luminosa do seu plexo. É uma
grandeza, aqui na Terra, o que nos deu o Trono. Ele
harmoniza e coordena o trabalho.
No trabalho oficial, para equilíbrio da Corrente Mestra,
enquanto houver trabalho sendo realizado, por exemplo,
Leito Magnético ou Trono Milenar, etc. deve haver sempre
um trono com mestre incorporado. Somente quando todos
os trabalhos estiverem encerrados é que se libera para
encerramento os Tronos e a Mesa Evangélica
simultaneamente.

Mestres, houve uma época em que nós, quando estivemos


encarnados como Mayas, tínhamos um grande poder em
nossas mãos, tínhamos voz direta, tínhamos o controle do
átomo, éramos homens-pássaros voadores, tínhamos a
ciência à nossa mercê, mas nos esquecemos de que átomo
por átomo por Deus fomos constituídos. Alguns mestres
dessa tribo não se contentavam de ter a luz das Amacês
que iluminavam a Terra, nossas festas, e queriam aprisionar
uma Amacê para ver o que tinha dentro. Fomos alertados
para não o fazermos, mas de nada adiantou. Foi feita uma
armadilha. A Amacê veio e, em vez de ser aprisionada,
desintegrou todos os corpos daquela tribo e nós
procurávamos nossos corpos e não os encontrávamos.
Esta é uma das grandes vergonhas da nossa tribo!

Hoje, temos os mesmos poderes, só que funcionamos


dentro daquele juramento da Pira, aquela espada contra o
peito, “fira-me quando me afastar de Ti”, etc.

Somos muito poderosos do outro lado mas, aqui, só nos é


dado o mínimo necessário para desenvolver nossa tarefa.
Imaginem se tivéssemos o nosso poder total, o que
teríamos aprontado neste Amanhecer? O que nos foi dado
tem que ser guardado sob sete chaves, como uma relíquia,
porque é a chave do Céu. Por esse pouco que nos foi
confiado é que nós vamos encontrar o caminho de volta
para nossa casa, perdido ha trinta e dois mil anos.

Vejam bem que o nosso compromisso, o grande


compromisso que a tribo Espartana assumiu com Jesus,
que foi exatamente o de limpar a Terra, elevar todos os
espíritos arraigados a esta Terra, que chegarem ao nosso
encontro, para o mundo etérico. Tudo o que nós temos, o
que nós recebemos e iremos receber tem um único
objetivo: alcançar aqueles irmãos que ainda vão sair do
fundo do mar e do fundo da terra. É esse o nosso
compromisso e só nós, em Cristo Jesus, temos condições
para executar essa missão. É por isso que estamos
recebendo todos esses poderes. Realmente, não nos é
permitido ter consciência de tudo o que fazemos nem de
tudo de que somos capazes, nem da força que realmente
nós temos, para não acontecer como aconteceu com os
Mayas mas, no além túmulo, cada um poderá admirar a
grande obra que realizou ou a oportunidade que perdeu.
Esta é a grande verdade.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(3ª aula 21/03/1991)

Salve Deus !

Mestres, vamos procurar o que é nosso e o que por nós


mesmos está sendo relegado a um segundo plano. Nunca
chegamos perto de um mentor, não importa em que
roupagem ele esteja, Preto Velho ou Caboclo, para dizer
“boa noite”. Não, nós dizemos é “Salve Deus!”, que é a
chave de abertura dele e é a nossa também. Vocês já
imaginaram que se nós continuarmos assim, o que será
daqui a uns cinqüenta anos, ou o que irá sobrar do que nós
recebemos com tanto amor?

Nós temos consciência de que este acervo imenso, esta


grandeza que nos foi entregue, veio do Céu, do mundo dos
espíritos evoluídos, para nos dar condição de que
possamos, cada um na sua individualidade, cumprir a sua
missão.

Estamos vendo mestres andando na rua de uniforme,


ninfas em carro com indumentária, demonstrando uma falta
de respeito muito grande, mestres de camisa preta com
morsas, fora do perímetro do Vale, com calça marrom. Pelo
menos, devemos tirar as morsas. Mestres, são nossas
armas para executarmos os nossos trabalhos. Tia Neiva
pedia que o mestre nem tirasse ou colocasse a capa dentro
do Templo, devendo fazê-lo nos castelos. Se não
aprendermos a respeitar e amar aquilo que é nosso, como
iremos saber respeitar e amar aquilo que é dos outros ou as
próprias pessoas que nos procuram?

Este é o princípio básico de uma família na qual os


ensinamentos vêm desde pequeno: o respeito a pai e mãe,
aos irmãos mais velhos, às pessoas mais velhas, etc. Uma
família que preza os princípios é, na maioria das vezes,
uma família feliz, porque ali o espírito que encarna, nos
primeiros passos do plexo físico, já começa a aprender os
primeiros passos da sua evolução. Aqui, se assim não
agirmos, como é que iremos ter condições de executar as
grandes tarefas que nos esperam? É normal observar, hoje,
muita falta de cuidado com o que nos cerca. Parece que há
um desprezo, parece que estamos dormindo. Se estamos
vendo, não conseguimos sentir aquilo que nos cerca.
A nossa evolução, tudo que nos cerca é formado de
pequenas coisas. O mundo espiritual é simples e objetivo, é
racional e sem complicações. As mensagens das entidades
são simples, porém claras e objetivas. Pela emanação da
entidade e dos mestres que ali estão trabalhando, a
entidade consegue atingir a mente e o coração daquele
paciente, daquele espírito.

Nossas grandes coisas estão na simplicidade e no respeito.


Estamos perdendo o respeito pelo próprio mestre. O Vale
está se transformando num local de mesquinharias e de
fuxicos. Quando se vê uma pessoa desequilibrada, em vez
de procurar ajudar aquela pessoa com conselhos,
exemplos, procuram exatamente, pelo contrário, alimentar
aquilo. Aquela pessoa desequilibrada que está ali, seu
mentor a trouxe para evoluir. Se alguém procura alimentá-la
pelo caminho que a leve a um sofrimento maior, qual será o
seu preço? Há algo chamado moral religiosa.

Se não respeitamos as pessoas, os mestres e se eles não


nos respeitam, qual a moral que temos para chegar num
trono, incorporar uma entidade e trabalhar na Lei do Auxílio,
ou de dar um conselho para os que nos procuram? O que
temos de bom dentro de nós é para dar para as pessoas.
Esta moral é fundamental e faz parte do trabalho, da
Conduta Doutrinária. Concordamos que haja acertos e
desacertos. Eles são necessários, são cármicos e amanhã
nós vamos para a origem e, para que todos possam ficar na
origem, é necessário que nenhum se envergonhe de olhar
para o outro.

Tia Neiva contou, em uma de suas aulas, que havia dois


mestres nesta corrente que, pela lei do carma, no dia em
que se encontrassem aqui na Terra, um teria que matar o
outro, como reajuste. Os dois vieram aqui para esta
Doutrina e nunca aconteceu nada. Eles estão se evoluindo,
criando seus filhos. Somos sacerdotes e sacerdotisas, mas
numa condição diferente e temos que suar para ganhar o
pão de cada dia. Sentimos as dores do mundo da mesma
forma que os pacientes que aqui vêm. Não ficamos
reclusos em celas, bem alimentados! Inclusive nossa vida é
um pouco mais difícil porque temos de dar provas de que
estamos realmente nos preparando para o objetivo final.

Nós não podemos continuar como estamos: médiuns


desacatando médiuns nos trabalhos, médiuns esperando
outros para brigarem em suas mesquinharias. Isto é muito
triste para as crianças, que estão aprendendo, assistirem a
isso, e, também, para os pacientes, que não estão sendo
atendidos com satisfação.

Somos espíritos de um carma muito pesado, mas para isso


estamos sob o manto de nosso Pai Seta Branca, e ele nos
diz sempre e pede a Jesus que cada dia possa ser menor
para poder caber dentro de nosso coração. Isto significa
que nossos corações estão cheios de pedra, endurecidos.

O mestre é aquele que se coloca dentro daquilo a que ele


se propôs, não importando sua condição na vida material,
mas dentro do que ele se propôs para conseguir o máximo.
É necessário que repensemos a nossa vida, a nossa
maneira de ser.

Tia Neiva dizia que esta Doutrina não está aqui para mudar
a personalidade de ninguém. Cada um de nós, no sono
cultural, recebeu a sua personalidade para que, com ela e
dentro dela, pudesse caminhar. Recebemos a força direta
de Jesus, a força decrescente de Pai Seta Branca e de
nossa mãe Tia Neiva e de tantos evoluídos mentores que
nos assistem. Precisamos nos esforçar para que nosso
coração se torne mais manso.

Este ano é o ano do Jaguar, é aquilo que vos disse na


primeira reunião. Vamos cada um, na sua individualidade,
procurar realmente se colocar à disposição da
espiritualidade, se assim o desejar. Muitos de nós irão se
machucar seriamente porque não somos mais crianças.
Perante o mundo espiritual já somos adultos, mesmo como
seres humanos.

Recebemos consagrações, recebemos iniciações,


assumimos compromissos. Está chegando a hora de o
mundo espiritual separar o joio do trigo. O castigo não vem
do Céu, vem dos nossos próprios atos. A evolução do
espírito não tem preço para o mundo espiritual. É uma
individualidade que está voltando para Deus. É algo muito
nobre. Nós alimentamos a mente destas pessoas por
palavras, por vibrações, por gestos negativos. É um passo
difícil mas precisamos tentar. Muitos de nós estão tecendo
em torno de si uma teia de ectoplasma pesado, e o que um
espírito destes pode esperar?

Se somos individualidade, vamos respeitar a


individualidade. Somos milhares procurando a evolução,
trabalhando em conjunto, com uma grande missão e temos
por dever nos respeitarmos uns aos outros, porque o direito
do outro é igual ou maior que o nosso. Posto, dentro da
hierarquia do mestrado significa muita dívida a ser paga.

É a maneira de amenizar sua dívida cármica. É o inverso da


nossa vida lá fora. Deus nos deu esta oportunidade de nos
libertarmos das nossas dívidas. Use o seu posto para tudo
menos para a Lei do Auxílio. Estou muito feliz porque vocês
Jaguares e Ninfas estão neste trabalho. Nós somos um
grupo que, a cada dia que passa, vamos limpando os
nossos carmas, vamos nos tornando sadios espiritualmente
e, na maioria, fisicamente. É muito bonito e nobre, pois
estamos sujeitos ás leis da Terra para que possamos nos
evoluir, nos libertar da Terra. Mas precisamos ter muito
cuidado, porque existem os encontros e os desencontros.

Muitas vezes Tia Neiva falava de casais que deveriam se


encontrar aqui para queimar seus restos cármicos. E muitas
vezes se destruíram duas famílias para que o encontro
cármico se processasse. É preciso ter tolerância e parar
para analisar e raciocinar. Tia Neiva dizia: “muito cuidado
meu filho, quando fores dividir o que multiplicaste com
amor”. O maior reajuste transcendental é na própria família
e nós temos por obrigação analisar tudo muito bem, dentro
do conhecimento da vinda de Jesus, das leis dos mundos
evoluídos e dos mundos negros.

Lá fora, as famílias vão se desintegrando, os princípios dos


povos vão se desintegrando. É chamada a era moderna.
Mas nós, não. Nós temos, por dever, continuar a família
porque é um princípio nosso doutrinário.

Analise o comportamento do Jaguar, se ele é equilibrado


aqui, se é a mesma coisa lá fora. Há muita mágoa, muito
ressentimento e muita inveja e, em nós, isto é o berço ideal
para que repousem as correntes negativas. É exatamente
do que elas precisam. Aqui no Templo são formados cristais
finíssimos, e do que vale tudo que nos é dado, se não
soubermos preservar? O mestre aprende a fazer certo os
trabalhos, mas daqui a pouco começa a fazer diferente.
Chega-se a ele para explicar o correto e ele se revolta.

Mestres, aqui não há mais lugares para bagunceiros e


anarquistas. Nós estamos sendo muito passivos e, se
continuar assim, vamos nos perder na certa. Repetimos
sempre: “onde não há respeito não há disciplina” e onde
não há disciplina não há evolução. O mundo da razão, no
mundo que estamos nos preparando para um dia lá chegar,
é o mundo da disciplina. Cada um de nós precisa conhecer
sua limitação. Aqui há espaço para todos, é a casa do Pai,
é a nossa casa, mas cada um de nós, pela própria lei do
carma, tem suas limitações.

Quando se sai de sua orbe, executa trabalhos mal feitos e


prejudica as pessoas, porque em todos os nossos
trabalhos, vêm encarnados e desencarnados em busca da
cura. Se o mestre não souber ler, por exemplo, não deve
ser comandante de Sandays, porque como vai ler a lei? O
trabalho mal feito é falta de respeito e falta de amor perante
os mestres que participam do trabalho, perante a
espiritualidade e principalmente perante os pacientes. E o
mestre, o que ganha com este trabalho? Somente o faz
para provar do que é capaz de fazer, mas não dá conta. Na
sua individualidade, o mestre deve se colocar dentro de
suas limitações. Se não dá conta de comandar um Randy,
ele comanda uma Mesa Evangélica. Todos os trabalhos são
grandiosos e em qualquer deles estamos servindo a Jesus,
na Lei do Auxílio.

Na reunião de escala, aparecem poucos Jaguares e depois


vêm pedir uma oportunidade. Oportunidade, mestres, não
se dá – se conquista, pelo trabalho, trabalho honesto, firme
e seguro. Dentro do princípio em que estamos caminhando,
estamos nos prejudicando e, tendo em mente que saímos
daqui com força esparsa, a levamos para casa, para o
trabalho, levando desarmonia para o lar, problemas para os
filhos, desarmonia no trabalho! E a culpa é nossa, porque já
temos consciência do que fazemos. Nosso trabalho é muito
difícil, porque sempre estamos indo em busca daqueles que
se dizem nossos inimigos. Precisamos estar preparados e
totalmente seguros da emanação. O mestre inseguro e
despreparado não tem emanação. O mestre emanado,
trabalhando, supera muitas dificuldades porque está
harmonizado, está com forças e está bem assistido.

Mestres, é necessário mudarmos o relacionamento,


primeiro entre nós. Não podemos nos divertir com a dor
alheia. Muitos de nós, se não despertarmos, vamos sofrer
muito. Muitos Jaguares vêm ao Templo e não aproveitam a
oportunidade de trabalho. Ele tem tanta coisa para fazer no
Templo que não se preocupa com o trabalho. Fica
passeando, conversando, soltando piadinhas, em resumo,
em sua mente sempre tem outra intenção e isto poderá lhe
custar muito caro.

Numa reunião como esta, com intensa manipulação de


energias, fora do Templo ficam acumuladas correntes
negativas incríveis. Imaginem aqueles mestres que não
entram e ficam lá fora, à mercê destas correntes negativas.
Estes princípios doutrinários são dados desde o
Desenvolvimento e nós os esquecemos totalmente.
Estamos sujeitos a erros e acertos, mas tudo tem limites.
Em vez do mestre sair daqui com sua aura limpa, o plexo
arrumado, ele sai daqui com força esparsa.

Nós estamos sendo preparados para atravessar faixas


muito difíceis. O que a humanidade vai atravessar nós
também vamos, talvez não na totalidade, mas vamos sentir
os efeitos. Nossas células físicas também estão sendo
preparadas. Nosso planeta está cheio de irradiação
atômica, cheio de pestes e enfermidades, epidemias de
tudo que é espécie, mas nenhum mestre pegou doenças
por aqui.
Numa de suas mensagens, Pai Seta Branca nos alerta da
deformação do homem pela irradiação atômica.
Gradativamente, a cada faixa que conseguimos superar,
nossas células estão sendo preparadas para que nós
possamos realmente, na hora da maior dor, cumprirmos
com o nosso sacerdócio. Mas isto não depende só do
mundo espiritual, depende muito de nós. Todos os mentores
estão tristes por verem seus tutelados saindo do bom
caminho.

Muitos mestres desta corrente ficarão para trás se não se


conscientizarem desta realidade. Nossa missão exige uma
caminhada dentro da nossa estrada. Vamos olhar para
dentro de nós mesmos, conscientes que somos uma
pequena esfera dentro deste universo, somos uma centelha
divina e teremos oportunidade de atravessar muitas
galáxias. Somos uma centelha inteligente e nos deram a
grande oportunidade. Na Terra não existe tranqüilidade e
felicidade. Existem, sim, momentos felizes, se nós fizermos
por merecê-los.

Não existe nada melhor do que atravessar uma fase difícil e


continuar de pé, junto a nossos entes queridos. É muito
bom para nossa individualidade porque, sempre após uma
faixa difícil, saímos fortalecidos para enfrentar outra.

A vida é uma luta constante, não existe paz. Às vezes não


conseguimos coisa alguma, mas prosseguimos lutando,
porque nossa tribo é uma tribo que luta. Se nosso irmão
tem algo melhor, é dele porque o conseguiu com seus
merecimentos. O que é nosso, é nosso.

Precisamos voltar às nossas origens, sermos mais amigos


e mais humanos, primeiro conosco mesmo. Neste plano,
somos todos iguais, todos mortais, mas, fora do corpo, cada
um será aquilo que conseguiu fazer aqui, ou para cima ou
para baixo, ou para a luz ou para a escuridão. Não tem
jeito, é cada um para si, ninguém vai conseguir fazer nada
para o outro. Nós, missionários, temos o compromisso de
ajudar às pessoas e é difícil, porque temos muito mais o
que dar do que a receber.

Somos uma tribo poderosa e valente, espíritos honestos e


guerreiros. Vamos deixar estas mesquinharias para o lado.
Vamos apertar as mãos e ser felizes um pouco. Vamos
arregaçar a manga e trabalhar com amor, que a vida
melhora em todos os sentidos.

Estamos exatamente trabalhando para facilitar o trabalho


daqueles que nos querem destruir. A Lei Crística e a Lei
Negra são duas forças que caminham paralelas, uma perto
da outra. Nossa missão é estarmos preparando a chegada
do terceiro milênio.

Somos um grupo único na Terra, que tem por missão elevar


estes espíritos a Deus. A cada dia que passa, nossas forças
se tornam mais sutis porque não é fácil passar a mão
nestes espíritos do Vale das Sombras. A esperança de
Jesus e de Pai Seta Branca foi nos chamar.

Meus irmãos, vamos ficar por aqui neste dia.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(4ª aula 04/04/1991)
Salve Deus !

Jesus nos dá esta oportunidade de nos reunirmos mais


uma vez neste Amanhecer. Somos, em Cristo Jesus,
sacerdotes e sacerdotisas, mas não estamos
enclausurados em conventos, pelo contrário, fomos
colocados na condição de um ser humano normal, na
maioria das vezes que luta com dificuldades para sua
própria sobrevivência, para criar seus filhos, educá-los,
enfim, tudo aquilo que nós desejamos, só conseguimos
com o nosso próprio esforço e ai daquele que não for
assim, porque todos nós temos consciência do que somos,
do que fazemos e do que nos espera na nossa vida física e
na vida espiritual, dependendo exatamente daquilo que aqui
em baixo fizermos.

O grande segredo do iniciado está na simplicidade de se


condicionar a aprender a ouvir mais e falar menos. Pai João
disse que: “nossa língua é o chicote do corpo”. Com isso
nós evitamos falar alto e de forma imprópria, evitamos
passar por situações ridículas, evitamos ofender as
pessoas. É fundamental, para o médium, que as pessoas
que nos procurem tenham oportunidade de desabafarem e
colocarem para fora tudo aquilo que os faz sofrer e nós,
com o nosso plexo iniciático, ajudamos a manipular aquela
energia e, sem dizermos uma só palavra, aquela pessoa sai
aliviada e feliz. Nem sempre aquele que chega junto a nós
tem condições de avaliar nossa condição e nossa força. Às
vezes, para nós, o problema daquela pessoa é um
problema fútil, mas é porque nós temos uma estrutura que
aquela pessoa não tem. O que para nós é banal, talvez
para ela seja fundamental.
O grande segredo de nós nos posicionarmos com as forças
dos nossos mentores, que vêm trabalhar conosco, é
sabermos nos mediunizar. Como estávamos falando, lá fora
nós percorremos, no nosso dia a dia, vários locais,
comércio, residências, repartições públicas e, como
médiuns, jamais devemos pensar em achar que os locais
são pesados, porque pensando assim, nós captamos as
correntes pesadas que estão ali.

Mesmo que o mestre passe alguns dias sem vir ao


Amanhecer, ele deve, quando chegar aqui, fazer sua
preparação para o trabalho. Na entrada, ele abre o plexo,
porque ali tem forças como se fossem facas de luz. A
Corrente Mestra está no Templo e, ao chegarmos,
harmonizamos nossas forças e procuramos tirar da nossa
mente tudo aquilo que trouxemos conosco, e deixamos
esse peso ali na porta e vamos fazer nossa preparação. É
fundamental, enquanto estivermos fazendo nossa
preparação, não cruzar o plexo, porque se o fizer, o mestre
fecha a sua guarda e não faz a preparação. O dia e a noite:
se cruzarmos o dia e a noite, nós fechamos a nossa guarda
e o nosso plexo e a nossa aura não são abertos para o
trabalho que iremos realizar.

Após a preparação, o ideal é passar na Mesa Evangélica,


porque ali nós manipulamos tudo aquilo que nos envolveu,
as impurezas que nós trouxemos e já começamos a
manipular na Lei do Auxílio. Muitas vezes, pelo nosso
compromisso transcendental ou pela própria missão, nós
trazemos espíritos e às vezes nossos cobradores e, na
Mesa, tanto o apará como o doutrinador, se limpam. Não é
preciso passar no Castelo do Silêncio, porque já saiu da
Mesa limpo. Vá se servir do sal e do perfume, faça a
sintonia com o seu mestre ou com a sua ninfa, e vá
trabalhar onde lhe convier, nunca se esquecendo de que
devemos estar descontraídos mas nunca desconcentrados,
porque há um mundo sobre nossas cabeças. Às vezes um
elítrio é libertado na Cura e fica ali dentro do Templo. As
energias vão envolvendo este espírito como se fossem um
lençol, e, depois, ele é colocado na Mesa. Imaginemos que
um espírito destes tenha afinidade transcendental com
algum de nós e o mestre esteja na roupagem do quadro
daquele espírito. Fora de sintonia, o mestre pode levar
aquele espírito para casa. O mestre pode pensar que tem
proteção, mas nunca esqueça de que sua proteção é dentro
dos ensinamentos da Doutrina. É por isso que Tia Neiva
dizia: “Quem desconhece as leis deste Amanhecer ou seus
ensinamentos, não se cura nem tão pouco cura ninguém”.

A grandeza, meus irmãos, está na simplicidade. Neste


plano físico não existem medalhões, somos todos iguais.
Na individualidade, a um dedo acima de nossa cabeça,
somos diferentes.

Mestres, as entidades quando aqui chegam, respeitam


perfeitamente a hierarquia deste Terceiro Sétimo. O
fundamental para nós é a grande sabedoria do iniciado, é a
disciplina, é o respeito à hierarquia, porque onde há
disciplina e respeito, há hierarquia. Não existe evolução
num mundo de baderna, de fofoca e de mesquinharias,
provocado por espíritos sofredores. Nós, graças a Deus,
somos espíritos sofredores encarnados a caminho da
evolução. Temos que agir como tal e é necessário que cada
um de nós, na sua individualidade, procure amansar a fera
que está dentro de si. A evolução não é fácil. Vejam como
este universo de Deus Pai Todo Poderoso é disciplinado.
Nenhuma esfera transgride a sua órbita. Nunca ouvimos
falar que uma estrela se chocou com outra, que o sol se
chocou com uma estrela menor, que a Terra se chocou com
a lua. Cada um tem o seu espaço e giram exatamente no
seu espaço, num perfeito sincronismo dirigido por Deus Pai
Todo Poderoso. Nenhum planeta transgride a orbe do outro.
São esferas sobre esferas, todas numa perfeita sintonia. No
mundo dos espíritos também é assim. Aqui nós temos o
privilégio de falar com Pai Seta Branca, o doutrinador tem o
privilégio de fazer uma iniciação. Mestres: milhares de
Pretos Velhos que aqui vêm trabalhar, não têm o privilégio
de ver o Pai Seta Branca. Tempos atrás, Mãe Tildes, alma
gêmea de Pai João de Enoque, não ia onde Pai João
estava. Ela não tinha evolução para ir até ele, ele precisava
ir a ela. Vejam bem o que é o mundo evoluído. Muitos
Pretos Velhos que chegam aqui arcadinhos, falando
enrolado em aparelhos simples e pobres, feios para os
nossos olhos, são Orixás poderosos, são espíritos de uma
grandeza estelar. Não se medem as nossas coisas pelos
olhos físicos e é exatamente por isso que, se nós
quisermos nos evoluir na nossa individualidade, precisamos
nos posicionar numa condição de que estes que nos
assistem naquele trabalho, naquela hora, possam realizar o
fenômeno desobsessivo com perfeição.

Nós nunca sabemos quantas entidades estão nos


assistindo e nem que forças estão sobre nós. Nós
desconhecemos as forças deste Amanhecer e, talvez,
muitos de nós, até depois da passagem feita, ainda venham
a desconhecer, porque é força direta de Jesus. Então, onde
podemos dar o melhor de nós é, exatamente, nos
posicionando de forma que, naquele fenômeno, naquela
hora precisa, naquele trabalho, possamos estar exatamente
nas condições necessárias.

Mestres, o Amanhecer, esta grandeza em que estamos, é


um portal de desintegração. Hoje, nós temos nossas
próprias naves, nossas próprias amacês, pertencentes a
esta Estrela, a decisão de uma faixa para outra. Vocês
receberam uma carta que diz que a Terra ainda não se
evoluiu. Se fosse evoluída, não viriam espíritos da nossa
condição habitá-la. Viriam espíritos de outra condição, de
uma esfera superior à nossa habitar neste planeta. Foi
confiada a nós a execução desta tarefa. Cabe a nós
transferir falanges e falanges de espíritos para o mundo
etérico, para limpar esta Terra, para ajudar estes espíritos a
voltarem para Deus. E isto só é possível se nós realmente
tivermos perfeitas condições para executarmos a nossa
tarefa. O mundo espiritual não desce para a Terra para
perder tempo ou para fazer besteira. Quando eles vêm à
Terra, vêm para executar uma missão. Por isso, é nessa
simplicidade que nós nos condicionamos para a realização
dos grandes fenômenos do Amanhecer. Grandes trabalhos
são aqui realizados, como por exemplo, o trabalho de
Sessão Branca – Xingu, onde são trazidas centenas de
espíritos encarnados, e onde incorporam sem haver
desencarne, desequilíbrio nem desobsessão. Precisamos
condicionar, em nossa mente, os valores reais que nos
cercam, olhando, não pelos olhos do corpo físico, mas
pelos olhos da alma. Nunca saberemos quem realmente
Jesus colocou diante de nós naquele dia de trabalho. Cabe
a nós atender a todos sem distinção. Mestres, nós
perdemos muito do que nós éramos. Vou dar um exemplo!
O vinho, que hoje dá impressão que é um suco, é
realmente um suco de uva em que os iniciados depositaram
a energia necessária para a realização do trabalho. Na Cruz
do Caminho, tivemos dificuldades, porque nossa mãe
colocou na lei quem deveria tomar o vinho, porque é uma
contagem, um trabalho cabalístico e os mestres que tomam
o vinho precisam se consagrar para fazer aquele trabalho.
Como terminou a distribuição do vinho para todos os
mestres, eles começaram a ir tomar vinho no Oráculo. Este
vinho, mestres, é um vinho manipulado. Se você tiver
alguém em casa bastante doente, chegue para o mestre e
peça um pouco daquele vinho consagrado e leve para
aquela pessoa. Mestres, este procedimento incorreto é uma
falta de respeito a tudo aquilo que nos deram. No ritual da
Benção do Pai Seta Branca, cada pessoa que ali passa
recebe a consagração do vinho porque ali se desenvolve
um trabalho, é projetada uma energia em cada
individualidade, dentro daquilo que ela necessita para a sua
vida espiritual, para a sua vida cármica.

No Primeiro de Maio, todos tomam vinho porque é uma


consagração. Um vinho tomado à toa pode complicar as
nossas vidas. Tia Neiva deixou registrado que somente dez
pacientes devem tomar vinho em cada trabalho no Oráculo,
para evitar o que está acontecendo hoje. Mestres, tudo
aquilo que é sagrado para nós está sendo violentado e, por
nós mesmos, desvalorizado. Sem nos apercebermos, o que
será de nós daqui a pouco? Eu tenho certeza de que todos
nós queremos o melhor para nós. Se bem fizermos,
exatamente dentro daquilo que nos deixaram, teremos um
poder imenso, que nem cabe na nossa percepção. Nos
deram rituais iniciáticos, consagrações, iniciações, para
que, dentro do ritual, nós pudéssemos nos colocar em
condições de realização destes grandes trabalhos. Se
assim não for, não será nem aqui nem no mundo espiritual,
pois o grande trabalho do mestre, se o mestre realmente se
conscientiza, é fora do corpo. Nós somos seres humanos e
temos o privilégio de trabalharmos fora do corpo, de
realizarmos muitos fenômenos fora do corpo. É necessário
que cada um, dentro da sua missão, na sua individualidade,
se coloque para aquela missão. O nosso desenvolvimento é
contínuo, ele não para. Existem iniciações no dia a dia, nas
dificuldades, que são as provas e, à medida em que as
vamos atravessando, nós vamos recebendo crédito do
mundo espiritual e, proporcionalmente, vamos recebendo
as forças necessárias. Nós temos tudo para sermos felizes
e levarmos milhares e milhares de pessoas a serem felizes.
Basta que nós nos posicionemos e nos preparemos. Não
há conhecimento do dia em que estivermos prontos no
mundo espiritual. È uma faixa de mais ou menos vinte anos
na maioria dos mestres desta corrente, porque foi tudo
planejado por nós antes de reencarnarmos na nossa
colônia.

Nossa colônia é do Segundo Ciclo e planejamos que,


depois de nossa passagem, iríamos para a nossa origem
do Terceiro Sétimo. Iríamos para Decla, ponto de partida
para Capela, nosso lar definitivo. Agora, descobrir o
caminho para ir para Decla, não é insultando, não é com
grosserias, não é com brincadeira. É uma jornada
lindíssima, mas muito séria. Cada um de nós não sabe qual
vai ser o dia da nossa passagem. Não vamos levar nada, a
não ser aquilo que fizermos aqui de bom e de ruim. Valores,
riquezas, belezas, fortuna da Terra, nada disso vale. Se a
cultura da Terra valesse, os grandes cientistas e os grandes
sacerdotes não estariam no Vale das Sombras.

Por isso, a razão destas nossas reuniões é procurar, com


esta força que nos assiste, dar uma oportunidade às forças
benditas que Pai Seta Branca está projetando sobre nós,
dar uma brechinha para que elas penetrem na nossa mente
e no nosso coração. Jesus cofiou em nós e cada um de nós
tem um compromisso, em um grande livro em que cada um
colocou a sua assinatura.

Quantos espíritos gostariam de estar em nosso lugar,


inclusive Pretos Velhos e Pretas Velhas. Vejam bem a
dificuldade que tem um Espírito de Luz para poder dar uma
mensagem a um tutelado seu. Eles dependem da nossa
boa vontade, dos nossos caprichos, das nossas vaidades,
das nossas badernas e trapalhadas que as vezes fazemos
nos Tronos. Ele se sujeita a tudo isso para se manifestar e
dar uma mensagem que, às vezes, ainda sai truncada,
porque o mestre não está sintonizado. Ele dá a mensagem
perfeita mas a mente do mestre não capta perfeitamente se
não estiver em sintonia. Mestres, nós não precisamos disto,
temos a nossa energia, o nosso plexo físico, o nosso corpo
físico e para nós é fácil. E tem mais, sempre que elevarmos
a mente, teremos a assistência dos nossos mentores. Nós
falhamos com eles, mas eles não falham conosco, porque a
consciência deles vai muito além da nossa. Neste ano de
1991, vamos pensar na nossa individualidade, pensar
dentro de nós. Vamos dar acesso a estas coisas lindas que
nos esperam, sem dar as costas para os nossos mentores.

Independente de sermos um bando de fanáticos,


supersticiosos, levamos uma vida normal, seguindo as leis
dos homens, a lei da Terra e, espontaneamente, vivendo a
lei de Deus Pai Todo Poderoso. Temos o privilégio de viver
simultaneamente em dois planos. Lindas coisas nos
esperam. Este Amanhecer vai ser cantado em versos por
todo este planeta. Está chegando a hora de separar o joio
do trigo, quando os bons serão melhores e os ruins serão
piores. Daqui para frente será assim: conforme nós nos
condicionarmos, iremos nos tornar melhores ou nos tornar
piores. Cada um de nós tem uma centelha viva dentro do
seu plexo, recebida nas iniciações e nas consagrações, e
não dependeu de ninguém, só dependeu de cada um de
nós.

Mestres, custa vir aqui no Amanhecer, entrar no Templo,


fazer sua preparação, fazer um belo trabalho, numa perfeita
harmonia, e ir embora para casa? Não custa, mestres! O
que custa é ir para o boteco bater papo, julgar e prejudicar
os outros, entrar no Templo sem sintonia, incorporar e dar
uma mensagem errada. Isto custa porque, um dia, vamos
pagar um preço muito alto por isto, vamos chorar lágrimas
de sangue por termos perdido mais uma oportunidade.

Não é a quantidade de horas trabalhadas que resolve o


problema, e sim os preciosos segundos em que realizamos
um trabalho em perfeita sintonia com Deus Pai Todo
Poderoso. Não seria preciso ninguém nos chamar para
trabalhar, porque esta responsabilidade já devia estar
dentro de nós. Nós nunca sabemos se é naquela hora em
que nós vamos passar aquele cobrador com quem, há tanto
tempo, nós precisamos nos reajustar. Quantas vezes Tia
Neiva, cansada, ia atender aos pacientes, e nós dizíamos
para ela descansar. E ela respondia: “Filho, eu não sei se é
esse com quem eu tenho que me reajustar!”

Nós temos todas as condições. Tia Neiva nos deixou tudo


pronto e temos a promessa de Pai Seta Branca de que
nada nos faltará para esta jornada. Depende de cada um de
nós. Nós só conseguiremos evoluir na individualidade
juntos, em sintonia, manipulando estas energias que vêm
de Deus. Ninguém pode ter a pretensão de querer evoluir
outras pessoas. Ninguém é bom nem mal totalmente, todos
temos algo de bom e de ruim, do contrário não estaríamos
pagando aqui, não estaríamos encarnados.

Mestres, vamos fazer a preparação com muito amor, vamos


para a Mesa Evangélica com muito amor e ali dar
oportunidade à individualidade em busca de um caminho
para voltar para Deus. Com a energia pesada que trazemos
da rua, nós manipulamos em benefício de alguém e
recebemos, em eflúvios cristalizados como bônus, como
que um pagamento.

Salve Deus!
CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM
(5ª aula 18/04/1991)

Salve Deus !

Quis a vontade de Deus Pai todo Poderoso que aqui


estivéssemos reunidos para mais este trabalho. Feliz do
Jaguar que puder participar conosco destas reuniões, não
pelo que nós falamos mas pelas forças que aqui estão
sendo manipuladas e cada um está recebendo, na
individualidade, o que necessita para sua jornada, para sua
vida cármica. Quando reunidos em Cristo Jesus, somos um
poder incalculável e com isso as correntes vão sendo
quebradas, as auras vão sendo limpas e os caminhos vão
se abrindo. Sabemos do esforço que vocês estão fazendo
para virem aqui à noite, mas estão fazendo isso é para
vocês mesmos. Nossa vida, nesta Corrente, é bastante
exigida pelos nossos mentores, porque nós recebemos
muito. Vamos caminhar neste sacerdócio e levar as
mensagens de esperança para encarnados e
desencarnados, descobrindo o caminho de volta. Muito
poucos têm esta oportunidade e milhares e milhares
gostariam de estar em nossos lugares como encarnados e
ainda sob a proteção deste sol imenso que nos ilumina, o
Sol de Simiromba Nosso Pai. Está chegando a hora em que
devemos caminhar dentro do que foi traçado. Nos últimos
sete para oito anos temos caminhado muito à vontade. Nos
dois últimos anos de vida de nossa mãe, muitas coisas
correram soltas por falta de condições dela. Ela era um
ponto convergente de todos nós e muitos, até hoje, se
ressentem de sua falta aqui na Terra. Muitos de nós
estamos confundindo as coisas, achando que o Amanhecer
é lugar de aprontar, de prazer, onde tudo está certo.
Realmente, o Amanhecer é nosso, é a nossa casa e o
nosso lar e esperamos que se comportem aqui como se
comportam em seus lares, porque não podemos permitir
mais determinadas coisas. Nós usamos um uniforme para
que sejamos todos iguais e vamos exigir um
comportamento doutrinário para podermos caminhar certo.

Este universo de Deus Pai Todo Poderoso tem milhões de


esferas, de planetas e galáxias, e elas giram em perfeita
ordem e sintonia, sem que um invada a área do outro.
Assim é no mundo espiritual. Nós somos espíritos
encarnados, individualidades universais, cada um diferente
do outro.

O mundo gira em perfeita sintonia e disciplina e nós,


encarnados a caminho da evolução, temos a obrigação de
girar, caminhar dentro do nosso espaço em perfeita
sintonia, nunca prejudicando o espaço do outro. Sem
disciplina não há respeito nem evolução. O mundo dos
espíritos sofredores é dominado pela desordem, pela
indisciplina e pelas vibrações pesadas para tirarem proveito
dele. Nossa mãe nunca nos ensinou a ser robôs. Ela queria
nos ver com liberdade, acreditando que cada um de nós
sabia até onde ia o nosso espaço. Ultimamente, temos
observado um grande número de mestres achando que o
Amanhecer é uma brincadeira. Lá fora, quando
pertencemos a um clube, se fizermos alguma baderna
somos excluídos. Aqui, nosso clube é o de Pai Seta Branca
e nossa porta está aberta para todos. Não se pergunta de
onde veio nem para onde vai e também não seguramos
ninguém para não sair. Se nós quisermos realmente nos
curar e curar aqueles que vêm a nós, precisamos agir
dentro de um comportamento de pessoas equilibradas,
normais e de responsabilidade, porque nossa
responsabilidade é muito grande. Não estamos aqui para
nos divertir. Estamos aqui para atender àquelas pessoas
que aqui chegam e que, talvez, para ela,s seja a última
esperança, a última porta em que eles vão bater. Somos
todos filhos de Pai Seta Branca e ninguém aqui é de todo
mal ou de todo bom. Precisamos aprender a aceitar as
pessoas como elas são. O respeito às pessoas e às coisas
que para nós são sagradas merecem toda a nossa
consideração. Nos Templos, devemos nos comportar como
nos comportamos em nossas casas. Com relação a
mestres e a pacientes, não é possível continuar do jeito que
estamos agindo. Precisamos muito da ajuda de cada um,
da vibração positiva, dos trabalhos, da harmonia para que
possamos quebrar estas correntes.

Para os que acham que podem ter comportamento


irregular, que isto aqui não serve, não podemos fazer nada,
como também não podemos concordar que continue assim.
É necessário revelar algumas coisas, porque determinados
quadros que acontecem, às vezes, são provocados pelos
mentores para nossos reajustes cármicos. Mas, passado o
momento, vamos analisar e nos colocamos na posição de
mestres, porque aprontar aqui dentro, brigar, procurar
brigas lá fora, qualquer um pode fazer, não precisa ser
mestre. Agora errar e assumir a responsabilidade de que
está errado, aí, sim, precisa ser um mestre. Nós somos
profissionais e não podemos nos dar ao luxo de
reclamações. Quantas vezes somos testados por espíritos
ou até mesmo por encarnados e, em Cristo Jesus, é
necessário que tenhamos o equilíbrio suficiente para
suportar estes choques, para que não se tornem casos
pessoais de vibrações, de fofocas, etc. Existem outros que
não têm respeito por nada e nem sabemos porque estão
aqui.

No mundo espiritual, se todas as vezes que errássemos


eles tomassem providências, talvez nenhum de nós
estivesse aqui hoje. Eles têm uma paciência sem limites
conosco. Como poderemos exigir que muitos tenham o
controle que nós temos?

Vamos, realmente, despertar, porque este período de


1991/1992 é o Ano do Jaguar. Nós vamos ver muita coisa
acontecer na Corrente. Vai chegar a hora em que cada um
vai ter que dar provas se vai ter condições de continuar ou
não. A minha maior preocupação em fazer reuniões como
esta é, exatamente, para que, juntos, possamos reunir a
nossa força com estes abnegados Espíritos de Luz que
estão nos assistindo, para podermos tirar a terra do coração
e despertarmos para as coisas lindas que nos cercam aqui
e lá fora. Tia Neiva dizia que o homem não veio á Terra para
sofrer mas sim para ser feliz. Pai Seta Branca diz que o
castigo não vem do Céu, ele vem dos nossos próprios
erros. Às vezes um de nós é impedido de continuar para
não se comprometer mais. Mestres, vamos pensar um
pouco sobre isso, uma vez que ninguém gostaria de ser
impedido. Não se esqueçam de que as leis físicas que nos
chamam à razão são as mesmas que nos conduzem a
Deus, e nós estamos sujeitos às leis físicas. Amanhã
poderemos chorar com lágrimas de sangue o que deixamos
de fazer. Nós todos somos operários de Jesus e de Pai
Seta Branca. Somos os trabalhadores da última hora. Não
poderemos realizar fenômenos e grandes trabalhos se não
formarmos o campo vibracional necessário. Ultimamente,
não há um trabalho em que não haja problemas com
médium por indisciplina ou falta de conduta doutrinária. Isso
não se justifica mais, sem contar ainda com o exemplo que
se está dando para os que estão chegando. Muitas
mesquinharias estão sendo praticadas aqui no Amanhecer.
Meus mestres, muitos já deram a vida por este Amanhecer,
a começar pela nossa Mãe Mentora.

Estamos há mais de dezessete anos aqui vivendo esta vida


com toda intensidade, porque nós amamos esta Corrente e
é por isso que estamos alertando a todos. Sabemos que é
pesado mas é preciso falar, para que possamos manipular
hoje para termos o Amanhecer que nossa mãe tanto
sonhou. Se nós continuarmos assim, o que iremos entregar
aos nossos sucessores? Temos que nos guiar um pouco
pela razão, deixando um pouco de lado o coração. Aqui é o
Templo do mestre e ai daquele que a espiritualidade
resolver botar o olho em cima. Mestres, como executivo
desta Corrente, eu exijo respeito aos nossos mestres, aos
nossos filhos, às nossas esposas e aos nossos pais.

Vamos, agora, falar sobre o mundo dos espíritos. Uma


época, neste planeta tinha água, árvores e animais, mas
não tinha um ser inteligente, o espírito. Nos deslocaram
para cá e chegaram à conclusão de que o espírito, na
condição de outras esferas, não teria condições de
sobreviver na Terra. Nas grandes Amacês foram feitas, em
nome de Deus Pai Todo Poderoso, as primeiras
experiências. Primeiro, vieram os Equitumans, com corpo
físico imortal, e eles ficavam aqui de duzentos a quinhentos
anos e voltavam. Havia uma desintegração daquele corpo
físico e voltavam para a individualidade. A experiência não
deu certo porque, de determinada faixa para frente, eles
começaram a se desviar da rota, não acreditavam mais na
linha traçada pelos mundos evoluídos e, como diz Pai Seta
Branca, caiu uma lágrima do Céu e todos ficaram sob as
águas do lago Titicaca, no Peru. Nossa mãe foi levada lá
por Amanto e, na sua clarividência, viu os corpos lá no
fundo. Lá existe tanta energia que os animais não
conseguem sobreviver. Depois vieram outras experiências,
até chegar a nós que estamos aqui, hoje.

O espírito não consegue colocar os pés na Terra, como


também uma Amacê não consegue pousar. Por força do
nosso carma, a Terra é o nosso presídio. Aqui nós estamos
como prisioneiros, no bom sentido, porque pedimos a Deus
Pai Todo Poderoso estas encarnações para nos libertar,
evoluir e voltarmos para casa.

O espírito é uma individualidade única, é um ser vibrante e


inteligente, é um universo. Nós somos assistidos por
espíritos que nunca tiveram nenhuma encarnação aqui na
Terra. Falanges e falanges de espíritos que nos assistem
nunca encarnaram aqui. A maneira de descobrirmos o
caminho de volta para casa é pela Lei do Auxílio. Chegou a
hora da nossa libertação e por isso fomos escolhidos pela
experiência que já temos aqui na Terra, com tantas
encarnações, tantas lutas e sofrimentos. É uma missão
árdua, e muito difícil, levar a cura desobsessiva a nossos
irmãos.

Há mais ou menos mil anos, nós estivemos presos numa


colônia, numa origem, por cem anos, porque descemos
para cumprir uma missão e nos deixamos levar pela
conquista e pelo amor, e nos perdemos. Muitos tiveram que
passar pela escravidão para tirarem um pouco a terra do
coração.

Hoje estamos aqui novamente, porque recebemos uma


chamada de Jesus. É preocupante quando percebemos
que muitos ainda não despertaram dentro de si para a
grandeza que é esse sacerdócio que nos foi entregue.
Ninguém consegue, em nenhum lugar do mundo, fazer o
que fazem o mestre Sol e o mestre Lua.
A cada dia recebemos grandes e profundas lições sobre
acontecimentos do mundo espiritual no mundo físico, pela
prática do Evangelho no dia a dia. E a única maneira que
nós temos, é o nosso trabalho, porque trabalhando,
manipulamos e manteremos o equilíbrio. Temos condições
de, à noite, realizarmos grandes jornadas nestes planos
pesados, nestes planos onde os mentores já não estão
conseguindo penetrar. Existem faixas sobre a Terra, em
determinados locais, em que mesmo o espírito na
roupagem de Preto Velho ou Caboclo, não consegue
atravessar mais, de tão denso que está. Os Luminosos
usam roupagem para poder resistir à pressão, para virem
até aqui. Mas para nós, como espíritos presos a um plexo
físico, não há limitações. Em Cristo Jesus, nós podemos
hastear a bandeira rósea do amor por todo este universo. E,
dentro desta simplicidade, nós temos condições de realizar
grandes trabalhos, desde que tenhamos consciência do que
somos e de sabermos onde pisamos.

Não poderemos mais nos deixar levar por mexericos, por


conversinhas, por vibrações. Isto já não cabe mais em nós,
porque já superamos esta faixa. Estamos sendo preparados
para uma missão muito bonita. Um dia, no futuro, nós
vamos ter condições de avaliar a grandeza do que estamos
realizando aqui. Ninguém encarnado neste universo tem
condições de falar com o Vale das Sombras e de levar uma
mensagem à mente deles. Nós temos condições, aqui no
Amanhecer, de elevar de volta para Deus os mais terríveis
membros do Vale das Sombras, desde que sigamos as
regras que nos deixaram.

Não precisamos de muito estudo. A sabedoria é muito mais


importante do que a cultura dos homens. A cultura não trás
a sabedoria mas um chacra desenvolvido e uma aura
sintonizada com as forças divinas de Deus Pai Todo
Poderoso, torna o mestre um sábio.

Vamos, em Cristo Jesus, vibrar com intensidade e com


harmonia no equilíbrio que nós vamos conseguir, porque
Pai Seta Branca movimentou poderes para que nós
tivéssemos hoje este Amanhecer. O Amanhecer hoje é um
portal de desintegração que nos liga ao mundo etérico.
Daqui sobem todas as impurezas, placas cristalizadas,
espíritos, mas também por aqui descem as nossas
necessidades.

Vários Arcanos estão se dedicando, durante a semana, ao


trabalho de Abatá. O Abatá é um trabalho completo. A
Legião do Divino Mestre Lázaro fica tão grata pelo Abatá
que praticamente eles materializam os pedidos dos
mestres. Procurem fazer o Abatá, sua Anodização e um
Retiro por mês. Não se preocupem com sua vida material
porque ela vai ser decorrência de sua realização aqui
dentro. Pai Seta Branca sabe perfeitamente o que nós
queremos e do que nós precisamos. Talvez nós não
saibamos do que precisamos, mas ele sabe.

Às vezes nós assumimos uma prisão para resolver um


problema material, sem sabermos que não é este o
caminho. A prisão é para ajudar os nossos cobradores e a
nós mesmos. Tia Neiva dizia sempre que é preciso saber
pedir. Em uma de suas cartas, Tia dizia que “quando eu te
chamar com –0-, não te preocupes com tua vida material
mas, sim, com aqueles que estão te esperando!” A tua vida
material, teus mentores vão cuidar dela. Vejam bem: dentro
da faixa cármica de cada um, Pai Seta Branca não quer
ninguém revoltado do outro lado, porque um espírito
frustrado não é um espírito liberto. Temos certeza de que
todos já receberam a mensagem dos seus mentores. Nós
temos a técnica e a ciência dos mundos etéricos e estamos
na Terra para movimentar estas forças.

Às vezes vemos mestres desanimados, caindo porque


receberam as forças e não as souberam manipular. Estas
forças que recebemos são para serem manipuladas na Lei
do Auxílio, em benefício dos outros. Temos nossas forças
recebidas nas consagrações mas é preciso manipulá-las
para não nos desequilibrarmos. Não basta só ter amor, é
preciso suar o escudo na Lei do Auxílio, na proporção em
que cada um recebeu.

Ninguém lhe exigiu que fizesse o curso de Sétimo nem que


o mestre participe dos trabalhos. Está na responsabilidade
de cada um. É ficar sentado olhando o que os outros fazem,
verem os outros caírem, só que aquele que participa, hoje
ele pode errar mas amanhã ele fará certo. Aquele que não
participa, nunca fará certo nem errado. Salve Deus!

Uma explicação do trabalho de Indução Cabalística. Deste


trabalho podem participar senhoras grávidas, prisioneiros,
portanto, diferente da outra Indução.

Os mestres quando fazem as emissões vão abrindo as


janelinhas para o mundo etérico. Quando começamos a
puxar as correntes é como se todo mundo ficasse preso de
novo, todo sujo de barro, aquele barro de banhado. As
correntes vão chegando e não se manifestam espíritos.
Quando chegam os Pretos Velhos, é feita a elevação. A
incorporação dos Pretos Velhos é uma elevação. As
energias são manipuladas e levadas e cada um recebe uma
energia cristalina toda bonitinha. Pela força da mente e pela
força do trabalho, as correntes que aqui chegam passam
sobre nossas cabeças e vão embora, lógico, porque a
espiritualidade não perde nem um pouquinho de energia,
nem uma centelha de força do Jaguar. Nosso trabalho
funciona assim. Procurem vibrar, vamos nos harmonizar
procurando penetrar no canal junto com o mestre que está
emitindo. Mentalizem o que desejam e as pessoas que
desejam ajudar e vamos vibrar com toda intensidade para a
realização do trabalho.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(6ª aula 02/05/1991)

Salve Deus !

Quis a vontade de Deus Pai Todo Poderoso nos dar esta


oportunidade feliz de estarmos hoje neste Amanhecer.

Mestres, nós estamos dando os primeiros passos na real


missão do Jaguar. Tivemos muitos anos de preparação e
também muitos anos para que cada um se conhecesse
melhor e se posicionasse dentro desta Corrente. Muitos
anos de ensinamento, muitas iniciações, muitas
consagrações, tanto no plano físico como, também, no
mundo espiritual. Nestes últimos sete anos o corpo
mediúnico andou um pouco à vontade, tanto que alguns
perderam até o sentido desta Doutrina.

Este ano é o ano do Jaguar, e está chegando a hora em


que iremos passar uma porta estreita. Não estamos aqui
para culpar ninguém, mas sim para caminhar e levantar a
bandeira rósea de Jesus por todo este universo.
Mestres, busquem dentro de sua individualidade, porque
ninguém se evolui por outro e ninguém paga a dívida dos
outros. Cada um de nós é um universo. Um filho de Deus
Pai Todo Poderoso. Um ser inteligente que tem uma
capacidade ilimitada na evolução. Basta que se
conscientize, dê uma oportunidade à sua alma, ao seu
espírito que é transcendental

Começamos, há cerca de quatro meses, a atravessar um


quadro bastante difícil e podem estar certos de que estava
na nossa jornada. É um caminho que teremos que
atravessar e aquele que realmente amar esta Doutrina,
amar a Pai Seta Branca, que estiver firme em sua conduta
doutrinária, em sua convicção, irá em frente, mas o que não
tiver estrutura não irá suportar.

Com esta preocupação foi que nós começamos a fazer este


trabalho, para chegarmos juntos do outro lado. Como
estamos caminhando será muito difícil. Precisamos entrar
na linha certa da nossa jornada. O Amanhecer precisa
renascer dentro daquilo que a espiritualidade nos deu,
dentro do que nossa mãe nos trouxe, no respeito à
hierarquia, no respeito à Doutrina, às indumentárias, ao
mestre e àqueles que nos procuram. Enfim, devemos
obrigações a todo mundo!

Nós aqui viemos por livre vontade e cada um assumiu um


compromisso perante o mundo espiritual e assinou seu
compromisso em um livro no mundo etérico. Um
compromisso no mundo espiritual é uma coisa muito séria.
O Amanhecer não foi criado por mente humana, ele veio do
mundo espiritual, veio de Jesus. Nós aprendemos no curso
de Sétimo que o Amanhecer vai fechar o ciclo que Jesus
trouxe para a Terra há quase dois mil anos.
Jesus chegou ao templo de Lhasa, no Tibet, onde ficou dos
doze aos trinta anos, junto com os Grandes Iniciados,
espíritos de altíssima hierarquia, que reencarnaram antes
de Jesus para esperá-lo. Por ter assumido a lei da Terra
recebendo um corpo físico, Jesus recebeu a sua iniciação.
Hoje nós nos encapuzamos quando fazemos nossa
iniciação porque aqueles monges, o Divino Dalai e outros
que estavam com Jesus, não resistiam à luminosidade
daquele espírito e, envergonhados, em tom de respeito, se
encapuzaram para iniciá-lo.

Ali, Jesus formou todo o Sistema Crístico e todas as casas


transitórias do Canal Vermelho, para que os espíritos que
aqui estavam, na Terra, pudessem ter uma oportunidade de
se reciclarem e se evoluir. Esta foi a grande missão de
Jesus. Os grandes segredos dos monges do Tibet estão
encerrados, até hoje, nas cavernas daquela região.

Pai Seta Branca fez um compromisso com Humahan para


que ele preparasse Tia Neiva a fim de que ela pudesse
formar o Doutrinador. Vejam a evolução de Humahan, como
encarnado: fazer um contrato com Pai Seta Branca.
Durante cinco anos, Humahan conduziu Tia Neiva para fora
do corpo ou se desdobrava e vinha para cá, e eram ambos
encarnados. Tia Neiva tinha capacidade de incorporar
encarnados. Humahan foi até criticado pelos seus pares por
ter aberto, neste caso de Tia Neiva, o ciclo fechado desta
Doutrina.

Mestres, o que nós aprendemos aqui, um monge do Tibet


tinha que ficar vinte anos enclausurado para aprender!

Meus irmãos, não brinquem com esta Doutrina se não


quiserem chorar amanhã. O Amanhecer é uma Doutrina e
nós estamos completando a mensagem de Jesus na Terra.
O nosso trabalho é a cura desobsessiva, não tem valor
material, por isso ninguém gosta. Nós estamos evoluindo
milhares e milhares de espíritos que, por nosso intermédio,
estão voltando para Deus.

O Amanhecer tem que voltar a caminhar nas suas origens,


com todo respeito à Doutrina. Não somos nós que vamos
tomar as providências, porque o mundo espiritual não tem
pressa. Mas, quando eles puxam as rédeas, a lição é
pesada. Se não mata, aleija. Para vocês que estão me
ouvindo, não tem mais caminho de volta, porque o mundo
espiritual investiu muito em nós e nós somos a única
esperança aqui na Terra. Precisamos acordar e cumprir a
nossa missão, realmente nos conscientizando da
importância dela.

Neste ano e no próximo, nós vamos ser muito


desmoralizados, como já estamos sendo, porque nós
somos um calo no Vale Negro da Incompreensão. Eles
governam, praticamente, todas as religiões, e aqui é o único
lugar que eles não conseguem dominar e não vão tomar.

Observações de Edson Rodrigues: (Analisem o conteúdo


deste parágrafo, observem o que está acontecendo com o
Amanhecer nos dias atuais e tirem suas conclusões).
Precisamos ou não precisamos de uma boa reciclagem?

Mestres, não adianta classificações, títulos, nada adianta se


não conhecermos a nossa Doutrina e não tivermos Conduta
Doutrinária. É ser ou não ser, não há meio termo. Os
espíritos com quem vamos lidar daqui para a frente são
espíritos sagazes, inteligentes e conhecedores das falhas e
fraquezas humanas. Um dia, eu fui falar para uma entidade
que as pessoas estavam achando que eu não sou humano
e a entidade disse: “você não é humano, você é um
Jaguar!”

A escola da vida não é só chegar no Templo com capinha


no braço para fazer ritual. A escola da vida é no dia a dia, é
o aprendizado, é a dor no próprio lombo. O mestre tem que
sentir a dor para entender a dor daqueles que nos cercam,
cada um dentro da sua trajetória, dentro do seu carma,
dentro do seu compromisso. Para nós a responsabilidade é
a Doutrina, tudo que acontecer junto a nós é decorrência da
Doutrina. É por isso que a nossa mãe dizia: “Meu filho,
quando eu te convocar com -0- não te preocupes com a tua
vida material! Preocupa-te com o pronto socorro universal
da cura desobsessiva, já que os teus mentores e o Pai Seta
Branca cuidarão da tua vida material”.

É necessário abrir a nossa mente para a realidade porque,


realmente, não temos mais tempo para grandes
treinamentos. Antigamente, nós falávamos, nas aulas de
Centúria, dos Sexus, dos Vales das Sombras e, hoje, nós
temos de doutriná-los com amor em Cristo Jesus, mas
sabendo dividir da direita para a esquerda o que é certo e o
que é errado, para não sermos enrolados por eles. É
preciso estar bem sintonizado e com a mente preparada.
Estes espíritos não vêm fazendo barulho, dando murros.
Não é isso! Pelo contrário, eles querem passar por santos e
começam a conversar com muita sutileza, começam a lhe
mostrar os erros e daqui a pouco você está envolvido.
Nossa mãe já nos advertia dos falsos profetas e os
Jaguares, neste aspecto, ainda estão muito ingênuos, se
deixando enrolar. Às vezes, o doutrinador tem medo de
fazer a elevação, pensando se tratar de uma entidade de
Luz. Mas, se você tiver dúvida, faça a elevação porque, se
for um Preto Velho, ele lhe agradecerá. Só o doutrinador
tem a condição de elevar estes espíritos para a evolução,
mas precisa ser, realmente, um doutrinador.

Vejam bem, o mundo evoluído é o mundo da razão, a nossa


lei do Céu. Porque os Pretos Velhos viriam aqui nos
desafiar no cumprimento da lei por eles trazida? Foi Pai
João de Enoque que nos trouxe o doutrinador, seu
ensinamento e o Obatalá. Às vezes, uma comunicação
pode destruir a encarnação de um aparelho. Por isso, a
entidade te agradecerá duas vezes.

Mestres, se estes espíritos não chegarem a nós, não serão


doutrinados, mas precisamos estar preparados para
recebê-los com amor. Em Cristo Jesus, todos eles são bem-
vindos aqui. Às vezes as mensagens são tão bonitas que,
se estivermos realmente na sintonia do trabalho, nós vamos
receber muitos ensinamentos. Nesta Doutrina, médium
incorporado não dá ordem – ele segue as ordens do
Amanhecer. Entidade incorporada é amor e razão. Não se
impressionem pela aparência dos aparelhos nem pelos
nomes das entidades, mas observem a sua mensagem.
Uma mistificação nunca poderá dar uma mensagem de um
Preto Velho. Por mais que ela tente, acabará escorregando,
porque ela é um sofredor.

É por isso que Pai João diz que “um centurião bem
preparado vale por cem”, e todos nós somos centuriões.
Todos que aqui estamos, em Cristo Jesus, temos
capacidade de desenvolver esta Doutrina com perfeição
humana, porque somos humanos.

No Trono está uma entidade manifestada, está um


doutrinador que é o testemunho, que na iniciação se
comprometeu a ser símbolo do silêncio, e muitas vezes
este doutrinador sai falando sobre a verdadeira confissão
daquele paciente.

A vinda da entidade é uma grandeza, é um prêmio aqui na


Terra, e muitos espíritos de Luz não têm esta oportunidade
de trabalhar na Lei do Auxílio. Às vezes eles precisam,
porque ainda têm parentes aqui na Terra, às vezes em
cavernas, e eles precisam faturar, porque o bônus de uma
incorporação, para o espírito de Luz, é muito valioso.

Vamos corrigir o nosso modo de trabalhar. Primeiro passo,


pedir o nome da entidade, e, se não estiver dentro dos
padrões doutrinários, fazer Obatalá, encaminhando-o para
os mundos de Deus. Não se esqueçam de que os
convidados de Pai Seta Branca, os Ministros, incorporam
no Sanday dos Tronos. Eles podem também incorporar no
Oráculo, mas nos Tronos não é permitido, porque ali é lugar
dos Pretos velhos, Pretas Velhas e Caboclos. Existem
trabalhos no Templo que não têm comunicação e onde se
manipulam grandes energias, como os Sandays. Aqui é
comum o dia em que o mestre está desequilibrado e vai
procurar os Tronos. É por isso que surgem as
interferências. O mestre tem liberdade de trabalhar em
qualquer lugar mas é preciso ter consciência desta
liberdade, porque nem todo dia ele está bem e nem todo dia
consegue um bom doutrinador que forme uma sintonia.

Mestres, a maior pressão dos sofredores é no doutrinador,


para tirar a sua sintonia e proceder à interferência. É assim
que o Vale das Sombras vai atuando nos mais inocentes. O
doutrinador tem que ser uma rocha, ele tem que decidir, em
Cristo Jesus, com amor e humildade, mas com segurança e
precisão. Os Tronos estão se tornando uma cilada, com
comunicações perigosíssimas.
As comunicações só não acabaram porque nós precisamos
das mensagens do Céu para aqueles que chegam aqui
desesperados, e ninguém melhor que as entidades, às
vezes com seu modo brejeiro de falar, para atingir o
coração das pessoas, manipulando e desobsediando, até
que o paciente saia feliz.

Tia Neiva veio à Terra para criar o doutrinador!

Vamos acordar, mestres, vamos fazer uso deste poder


imenso que cada um de nós possui. O poder é tão grande
que nem sabemos a força que temos. Nunca esqueçamos
de que as grandes coisas, os grandes ensinamentos e as
grandes realizações estão na simplicidade. Com
simplicidade, fica mais fácil realizar os trabalhos, é mais
fácil caminhar e a grande lição vem do mundo espiritual,
onde, debaixo daquelas roupagens de Pretos Velhos, vem
sempre um Grande Iniciado. Basta dar oportunidade à
nossa força para que os ensinamentos vibrem em nosso
ser, com toda a intensidade.

É necessário que nós também tenhamos fé. É a fé e a


ciência. Temos o poder e a ciência, vamos desenvolver a
nossa fé. Vamos manipular este poder em benefício destes
espíritos que nos procuram. Vamos atravessar grandes
dores, mas, também, nos chegarão grandes ensinamentos.

Vamos levantar esta Corrente, para que ela vibre por todo
este universo e possamos nós um dia, quando
desembarcarmos, não nos arrependermos por haver
perdido grandes oportunidades.

Salve Deus!
CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM
(7ª aula 16/05/1991)

Salve Deus!

Quis a vontade de Deus Pai Todo Poderoso que aqui


estivéssemos no dia de hoje para mais este trabalho.

Os ensinamentos do mestrado nos chegam pelas


vibrações. Antes de chegarmos aqui, pensávamos que os
ensinamentos vinham através dos livros, de uma história,
decorando frases feitas. Mas, aos poucos, fomos
compreendendo que o aprendizado de um mestre, da vida
iniciática, é diferente. Quando nós recebemos nossas
classificações é porque nossa aura nos deu condição de
alcançar aquele degrau, podendo alcançar outros dentro de
uma programação do nosso plexo.

O mestre faz suas iniciações até a consagração de


Centúria, quando ele completa o mestrado e recebe a
missão. A emissão para nós é como um alimento de cada
dia. Somos seres humanos que estamos sendo preparados
para decidirmos as futuras reencarnações aqui na Terra.
Somos seres preparados para compreendermos, mesmo na
inconsciência, graças a Deus, para trabalharmos
simultaneamente no plano físico e no plano etérico.

O mestrado se processa na nossa individualidade a partir


da Iniciação Dharman Oxinto, com uma energia que passa
a circular em nossa corrente sanguínea. É tanta que, se
toma um suco de uva, o mestre fica tonto. A maioria nem
sabe que é suco de uva o que toma na Iniciação. Eles
dizem que é muito forte. Mestres, eu já vi a Tia Neiva
preparar o vinho e ele ferver. Toda vez que ela ia preparar o
vinho para a Iniciação, ela sentia um grande medo, porque
não era ela que preparava, e, sim, era a força dela, o seu
compromisso. Mestres, nós tomamos algumas atitudes em
relação ao vinho para vocês sentirem o quanto é sério. Tia
Neiva, uma vez no Sanday de Cura, tomou um pouquinho
de sal e disse: “Aqui não tem nada!”. Momentos depois, ela
estava com os lábios totalmente inchados.

Tem gente comentando que tudo está mudando, que nem


vinho se pode mais tomar. Foi assim, mestres, que nos
perdemos quando houve o Cismam de Ireshim. Vocês
lembram das aulas de Centúria, quando foi ensinado que
nós perdemos a Corrente Mestra, caímos no fetichismo e
depois, pela benção de Deus, Pai João e Pai Zé Pedro,
puxaram a Corrente Iniciática e começaram a formar o
Adjunto de Jurema, na Cachoeira do Jaguar?

Nós não estamos muito longe disto que aconteceu, porque


os mestres estão perdendo totalmente o respeito por tudo
que é nosso e estão sendo instrumento do desequilíbrio dos
outros. Mestres, as forças iniciáticas quase chegam a se
materializar aqui dentro, e muitos ainda não se
conscientizaram do que vale sua classificação. Se não
fizermos por onde a merecermos realmente, não
atingiremos a faixa vibratória desta classificação.

O compromisso de cada um na individualidade, perante


Deus, é muito sério quando recebemos uma classificação.
Para recebermos uma classificação é necessário passar
por todo um caminho de preparação para atingir aquele
posto. Lá fora existem muitas maneiras de se atingir um
posto, mas no plano espiritual, é ser ou não ser. Tudo no
plano espiritual tem que ser conquistado pelo trabalho
honesto e moral religiosa, passo a passo. As iniciações que
fazemos no plano físico também se realizam no plano
espiritual. Às vezes, no momento mais difícil de nossa vida,
quando achamos que fomos abandonados por Pai Seta
Branca, por nossa mãe em Cristo Jesus, que fomos
abandonados por nossos mestres companheiros de
jornada, com problemas em todos os setores do plano
físico, inclusive familiar, às vezes até moral, nós estamos
fazendo uma iniciação. Nem tudo é carma, porque mestres
como nós, que pertencemos ao Terceiro Sétimo, temos que
provar para os nossos mestres do que somos capazes, que
merecemos receber aquela força, porque quanto mais força
tivermos, mais perigosos nos tornamos. Não é pelo fato de
estarmos sendo destruídos que vamos destruir os outros e
aqui está acontecendo muito isto. Quando o mestre não
está fazendo o bem na Lei do Auxílio ele está fazendo o mal
a alguém.

Procurem observar o quanto é perigoso, mestre Sol e


mestre Lua, se não tiverem consciência de sua
responsabilidade, se não tiverem uma moral correta e
religiosa.

Mestres, as células do espírito sofredor possuem manchas


enquanto que as dos Espíritos de Luz são limpas de
impurezas. Mas, à proporção em que vamos caminhando,
nossas células vão sendo programadas. Aqui vêm espíritos
cheios de doenças, mas nunca houve um caso de
contaminação de mestres por doenças de pacientes. Pai
Seta Branca, em uma de suas mensagens, fala na
deformação do homem pela irradiação atômica. Nós não
vamos sofrer isso, porque estamos sendo preparados para
a última hora.

De 1987 para cá, já tem havido vários acidentes com


irradiações atômicas, mas o nosso plexo está sendo
programado para a nossa missão.

Cada um, por livre arbítrio, veio ao Pai assumir seu


compromisso. Quando fizemos a nossa Elevação de
Espada, assinamos um papelzinho onde se encontra o
nosso compromisso. Então, nosso plexo está sendo
programado, e cada etapa que nós vencermos, fazemos
uma iniciação no mundo espiritual, onde recebemos mais
força, e será assim a nossa jornada até a nossa passagem.

Não se iludam, pensando que o Amanhecer vai continuar


do jeito que está. Os Jaguares do Amanhecer precisam
voltar às origens desta Doutrina, isto é, os que realmente
quiserem continuar sendo Jaguares do Amanhecer. Acabou
o tempo de brincadeira e nossa missão chegou. É a hora da
divisão. Não é suficiente dizer que ama esta Doutrina.
Temos uma tarefa árdua e dificílima, que só nós, com a
ciência que nos foi entregue e com o trabalho preciso,
poderemos resolver tudo o que nos espera.

Quem brincar, amanhã irá se arrepender desta verdade.


Muitos de nós demos nossa vida, nosso sangue e suor para
vir até aqui. Ninguém está aqui de graça e nem aqui é uma
casa de recreio. Se você perdeu sua sintonia, venha
conversar conosco, tentar se recuperar, mas não seja
instrumento da desgraça dos outros. Muitos casos estão
acontecendo entre nós, e vocês não imaginam o trabalho
que uma entidade tem que desenvolver para chegar até um
tutelado seu, porque ela não tem corpo físico.

Teve um mestre Ajanã que saiu daqui e, depois, foi ser


crente. De início, queimaram seu uniforme. Depois, ele
levou uma surra, foi assaltado e deram um pau danado
nele. Foi até à polícia fazer queixa, e lá deram outra surra
nele. Aí ele lembrou que era mestre e que tinha feito uma
iniciação. Ele voltou aqui e falou que precisava fazer uma
reciclagem. Incorporou um Preto Velho e ele disse: “É, meu
filho, eu o trouxe de volta. Só que ele queimou o escudo e
isto vai custar um pouquinho para ele!” Vejam bem, isso é
um amor de pai, um pai que quer ver seu filho feliz,
andando certo com o compromisso que assumiu na
transcendência e na individualidade.

Aqui é um chão sagrado, onde temos condições de realizar


grandes fenômenos desobsessivos, porque, na
individualidade, nós temos força para trazer tudo isso,
temos um mundo espiritual caminhando conosco, nos
dando proteção, sem exigir nada de nós, mas nos dando
tudo que precisamos para o cumprimento de nossa missão.
Pai Seta Branca é Sétimo de Obatalá, é força direta de
Jesus. Arakém é Sétimo de Simiromba, nosso pai. Nossa
força vem direta de Jesus. É um compromisso muito sério e
nós somos a última esperança, aqui na Terra, para trazer
estes nossos irmãos, Cavaleiros do Apocalipse, que
controlam tudo aqui na Terra, para fazê-los voltar para
Deus. Isto, meus irmãos, não tem preço.

Esta Doutrina não é a Doutrina do medo. O castigo não


vem do mundo espiritual, mas, sim, vem dos nossos
próprios atos e nós recebemos tudo o que há de bom aqui
dentro, no Desenvolvimento, nas aulas de Iniciação, nas
aulas de Elevação, nas aulas de Centúria e no curso de
Sétimo. Ninguém pode dizer que não sabe. Agora, o livre
arbítrio é que vai agir e a decisão é de cada um.

Estamos reunidos, e praticamente Pai Seta Branca nos


reuniu numa mesma falange, trazendo seus filhos de tudo
que é canto deste país, depositando em nós toda a
esperança destes milhares e milhares de espíritos
sofredores, porque somente nós temos condições de fazê-
los voltar para Deus, pela ciência e pela fé. Nossos
ensinamentos, leis e disciplinas, daqui para frente vão ter
que ser cumpridos, porque onde não há respeito não há
evolução e se torna terra fértil para o sofredor.

Aqui nós temos o privilégio até de falar com Pai Seta


Branca, mas nos mundos espirituais, muitos Pretos Velhos
não vêem Pai Seta Branca. Se nós não levantarmos esta
bandeira com fé e com amor, ninguém mais vai se
entender, porque a responsabilidade é muito grande.
Imaginem, Sábado,Domingo e Segunda com Angical,
quantos espíritos passam por aqui no Amanhecer.

Precisamos receber muita força para poder equilibrar o que


nos espera e como vamos receber força se não estivermos
preparados?

Mestres, vamos respeitar os mestres escalados no trabalho.


Os três mestres escalados no Radar representam a
Corrente Mestra. A Corrente Mestra tem uma força de oito
mestres. As Cassandras são os radares dos ministros,
Aledá dos ministros, e estão nelas colocando capas,
depositando lixo e batendo papo. Tia Neiva não permitia
nem que o mestre encostasse na Cassandra, porque o
mestre que estiver na Cassandra manipulando uma força,
alguém que encostar, poderá pegar uma corrente negativa
terrível.

Qualquer setor de trabalho tem um coordenador. Se você


desejar ser feliz no trabalho, ao entrar, dirija-se ao
coordenador e diga: “Peço sua permissão para participar
deste trabalho!” O que está ali não é o coordenador
fisicamente, mas a força que ele representa. Naquela hora
você faz o seu registro naquele trabalho. Jamais um Preto
Velho vai lhe desrespeitar na Doutrina consciente, porque
ele ali é a garantia e a segurança daquele trabalho.

Mestres, nós sabemos que o peso é grande sobre todos


nós mas vamos levantar este Amanhecer, cada um na
proporção da sua responsabilidade de ter chegado aonde
chegou. Nós estamos aqui para saudar os nossos débitos
que deixamos para trás.

Muitos de nós ainda não acordaram e estão sendo usados


como instrumento das correntes negativas, entrando nas
fofocas e jogando lodo nas pessoas. Mestres, temos que
trabalhar juntos, somos guerreiros, somos uma tribo
espartana e somos comandados por um guerreiro que se
chama Pai Seta Branca. Caminhamos numa estrada larga,
se fizermos por onde, tudo estará nas nossas mãos,
dependendo única e exclusivamente de nós.

Em Cristo Jesus, leiam palavra por palavra aquela


mensagem de Pai Seta Branca, que diz: “Jesus prescreverá
vossos restos cármicos para melhor cumprimento de vossa
missão”.

Não temos idéia do que ainda nos espera, nem do que vai
acontecer neste planeta. A Terra vai tremer e muita coisa
bonita, prédios, carros, etc. serão comidos pela terra, e já
está acontecendo. À medida que isto vai ocorrendo,
falanges terríveis de espíritos vão sendo libertadas. Chegou
a hora em que precisamos realmente sermos uma rocha e
não é difícil, porque estamos preparados.

Nestes últimos oito anos, as duas forças da alta magia,


Jesus e Barrabás, vivem em conflito entre nós. Soltaram
Jesus e prenderam Barrabás, mas muitos deixaram a
cabecinha de fora e, agora, estão prendendo Jesus e
soltando Barrabás.

Estou preocupado porque o que nos espera ainda é muito


difícil e muitos, aqui, vão ter vergonha até de dizer que são
do Vale do Amanhecer. Só vai ficar aqui aquele que
realmente ama o Pai Seta Branca e a esta Doutrina, e a
peneira já começou. É a vida de cada um que está em
jogo.

Mestres, vamos despertar em nós a fé. Precisamos ter


muita fé e reviver a ciência. São dois poderes que nós
vamos precisar usar muito.

Cada um de nós tem um compromisso neste pronto socorro


final, mas nem por isso vamos deixar de lutar pela vida, por
tudo que a Terra nos oferece. Precisamos estar com o pé
no chão para que possamos quando desembarcar, não
termos frustrações. Lute pela vida material, pela vida
familiar, porque amanhã, se não conseguir, tudo bem, mas
você lutou, não estará frustrado ou arrependido no seu
desembarque.

Nós conhecemos perfeitamente nossos direitos e deveres


como seres humanos e conhecemos nossos deveres com o
mundo espiritual. Na Terra, são momentos de fidelidade, se
lutarmos por aquilo e, se não lutarmos, nem isso. Temos
energia, temos força para executarmos nossa missão.

Estas dificuldades que estamos atravessando, estão no


nosso roteiro. É como uma árvore a mercê da tempestade:
quem estiver seguro, viverá, quem não estiver, rodará. É
triste falar sobre isso, mas é necessário alertar, porque
estamos nos preparando para o mundo da razão. Vamos ter
muita dor, muito sofrimento, mas não tem jeito. Só nosso
trabalho mediúnico e nossa fé nos darão forças para a
travessia.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(8ª aula 30/05/1991)

Salve Deus!

Quis a vontade de Deus Pai Todo poderoso nos dar mais


esta feliz oportunidade de estarmos, no dia de hoje,
reunidos para este trabalho. Se soubermos nos conduzir
nestes trabalhos na nossa individualidade, cada um terá
condições de ir em busca de tudo aquilo que necessita, de
tudo aquilo que merece, abrindo seus caminhos na vida
espiritual e na vida material.

É uma concentração muito grande de forças. Todos nós que


aqui estamos recebemos iniciações e consagrações e
vamos despertar esta consciência de espartano, esta
consciência do Jaguar, para movimentar esta força em
nosso benefício, em benefício desta Corrente e em
benefício da Lei do Auxílio.

Vamos retornar a um assunto de que já falamos no início


deste nosso trabalho. Falamos que existe um ritual porque
nosso trabalho é um trabalho iniciático e cabalístico. O ritual
tem a finalidade de colocar o mestre em condição
mediúnica e espiritual para realização daquele trabalho.
Como não somos videntes, clarividentes, nem audientes,
graças a Deus, e como sabemos que nossa Doutrina é
simples no plano físico mas muito complexa no plano
espiritual, é necessário que nos coloquemos em condições
de trabalho para que ele se desenvolva com precisão.

Temos os rituais mas, no momento preciso dos trabalhos,


desconhecemos a força que iremos manipular, que está
sendo projetada em nós, desconhecemos quem está
projetando esta força, como também desconhecemos a
quantidade de força projetada e, na maioria das vezes,
desconhecemos para quem está sendo feito este trabalho.
O ritual é justamente para que, como mestres, nos
coloquemos à mercê dos nossos mentores e possamos
manipular a energia. Aqui temos a energia, mas ela está
esparsa, não está condensada. Se nós estamos em
harmonia, nosso plexo vai absorver estas energias pelo
movimento centrípeto e manipulamos, produzindo a força
iniciática, emitimos a cura desobsessiva. Se em
desarmonia, nosso plexo não vai absorver esta força nem
manipulá-la e nem vamos emitir, e até, muitas vezes, esta
energia projetada sobre nós pode nos prejudicar, porque ela
fica alimentando os elítrios e daí vêm as dores, os
desequilíbrios, etc.

Todos os nossos trabalhos são iniciáticos e cabalísticos se


realizados dentro de um ritual e das leis deste Amanhecer.
Muitos mestres trabalham sem sintonia nos rituais, com a
mente em outro plano e, às vezes até, em planos pesados.
Este mestre está se prejudicando, nem se curando nem
curando a ninguém e, às vezes, até tirando o seu vizinho de
sintonia.

Vamos começar pela Estrela Candente. Ela tem um


comandante porque não pode ter erros, é precisão. Ele
emite todos os passos daquele trabalho cabalístico.
Quando o comandante pede a harmonia dos componentes,
ali se inicia o trabalho e a amacê já está projetando as
forças. Todo o ritual é feito com uma preparação para o
trabalho. Cada mestre vai receber uma força de acordo com
suas necessidades para beneficiar o espírito que vai passar
por ali e que nós desconhecemos. Não sabemos sua
densidade, sua compleição, sua condição. É um dos
trabalhos mais poderosos que existe na Terra! A primeira
Estrela Candente foi realizada no dia 1º de maio de 1976.
Pai Seta Branca incorporou em Tia Neiva e determinou que
este trabalho fosse realizado diariamente e eu tive o
privilégio de ser o primeiro comandante daquela Estrela.
Hoje é um trabalho avinhado, graças a Deus, mas devemos
ter muito cuidado com o nosso comportamento naquela
Estrela. Iniciado o trabalho, sintonize com o que é seu na
Legião. Busque o teu canal, o pequeno Aledá na Legião, e
entregue naquela hora a Simiromba nosso Pai e a Jesus a
força que será manipulada e emitida pelo teu plexo.
Realmente, seja um mestre porque se não agir assim vai
continuar se arrastando.

O mundo espiritual nos observa silenciosamente, não exige


nada de nós porque respeitam nosso livre arbítrio. Mas nós
temos plena consciência do compromisso de cada um e
este compromisso é com Jesus. Nós não somos religiosos,
nós somos cientistas dos mundos etéricos. Nós
atravessamos o nêutron e, se estivermos em sintonia,
seremos ouvidos no mundo espiritual. Cada um de nós tem
esta capacidade quando faz a emissão. Nós poderemos
conseguir muito, sem sacrifícios, e precisamos ter cuidado
porque a projeção é tão forte que o médium fica irritado. O
mundo espiritual exige muito de nós na realização de um
trabalho e vai exigir cada vez mais, dentro da
responsabilidade e na proporção de cada um.
Mestres, não esqueçam de que somos um grupo de
espíritos encarnados, que estamos trabalhando
simultaneamente em dois planos. Muitos, ao invés de usar
a lança na cura desobsessiva, o fazem em seu próprio peito
ou no de seu irmão. Estão brincando com fogo, porque não
há mais tempo para brincadeiras. O mundo espiritual nos
deu tudo o que nós precisávamos e ninguém poderá, um
dia, se queixar. Mas também já lhes disse: ou está dentro
do ciclo ou está fora, não há outra alternativa!

Os espíritos da profecia do nosso Pai Seta Branca e de


nossa Mãe já estão aí, e ou se os doutrina, fazendo-os
voltar para Deus, ou nos tornamos seus escravos – é uma
questão de escolha, e não tem outra saída. Para isto,
estamos preparados, e já temos exemplos vivos em nosso
meio, para tirar a própria experiência e para que amanhã
não se queixe. O que está nos acontecendo não é por
acaso, uns vão atravessar, outros não, depende de cada
um.

Mestres, não estamos em um parque de diversão nem em


uma igreja de fim de semana, onde nos reunimos para um
bate papo com os amigos. Já foi, e, daqui para frente, quem
fizer isto está enganado. Aqui é um local de trabalho e
nossa missão é fazer estas terríveis legiões voltarem para
Deus. Depende da sua conduta doutrinária dentro do
princípio de mestre deste Amanhecer. A não ser pela Lei do
Carma, nenhum fio de cabelo seu será tocado, esta é a
garantia de Pai Seta Branca, mas a missão chegou e eles
estão aqui, graças a Deus, e só nós, Jaguares deste
Amanhecer, temos condições de fazê-los voltar para Deus.

Se você bebe, se você usa tóxicos, se é viciado em jogos,


trate de se corrigir ou não se queixe amanhã, porque você
foi avisado desde os primeiros dias que você colocou os
pés neste Amanhecer. O nosso plexo é preparado com todo
carinho, célula por célula.

O maior tesouro que o Jaguar possui é a força da sua


emissão, a força curadora. Se resguarde, e se notar que
não vale a pena, não gasta a sua energia em vão, porque
amanhã ela lhe fará falta. Manipule com precisão na hora
certa e, para isso, só é necessário a sua consciência.

Na entrega de energia da Escalada, cada um recebe sua


cota de bônus, se merecer. A entrega das energias é feita
atravessando o nêutron pela nossa emissão. Naquela hora,
quando inicia o ritual, acendendo a Pira Sagrada, se inicia a
entrega das energias manipuladas, naquele dia, na Estrela
Candente. Ali se inicia, também, na individualidade de cada
mestre componente, a sua contagem, aquilo que lhe
pertence e aquilo que não é seu. Esta é a hora precisa,
como se fossemos receber o pagamento por um dia de
trabalho. E nesta hora está havendo muita confusão por
parte de muitos mestres, muita conversa, muita gente fora
de sintonia, em síntese, estamos trabalhando em favor das
correntes negativas que estão ali fora. Na hora daquele
trabalho, mesmo que vocês tenham mil problemas, mesmo
que não consiga uma sintonia porque podem estar puxando
a tua mente para outro canal, mas se você estiver
concentrado em Cristo Jesus, você está recebendo, porque
ninguém vai resolver nosso problema se não nós mesmos.
Vamos levantar a cabeça, enfrentar nossa vida com
coragem, com honestidade e encontrar a nossa tarefa.

As entidades têm um grande amor incondicional conosco,


trazem as mensagens do Céu, mas não vêm aqui para
resolver o nosso problema. Podemos até receber uma
pequena ajuda, mercê do nosso trabalho até entrar em
nosso livre arbítrio, mas não para resolver problemas
porque, se fosse assim, líderes espirituais, grandes orixás
que estão hoje no mundo espiritual, não estariam aqui na
Terra penando, pois teriam resolvido os seus problemas.
Mas existe a Lei de Causa e Efeito que é imutável. Cada
individualidade precisa resolver os seus problemas. Não
adianta termos estudos e conhecimentos se a nossa base
está ruindo. Todos os mestres recebem conhecimentos que
um monge do Tibet levaria vinte anos para receber, e ainda
existe mestre que nem sabe seu número de escala, ou seja,
nunca participou do trabalho de escala.

É muito cômodo ficar sentado, vendo os outros


trabalharem, sem participar das escalas. Onde estão os
Sétimos Raios e os Ajanãs que fizeram o curso? Estão
enfrentando a dureza? Mestres, é manipulando as energias
que se evolui e isto só é possível trabalhando sério na Lei
do Auxílio. Existe os presidentes no Radar comandando o
trabalho e não devemos nos esquecer que a força daquele
trabalho é projetada através deles. Se eles não se
comportarem bem, é problema deles e será o preço que
cada um vai pagar. Mas cabe a nós o respeito e a
harmonia. Se existem os coordenadores, não importa se
somos adjuração, doutrinadores ou ajanãs, eles estão com
a força, porque naquele momento é sobre a aura deles que
estão sendo projetadas a harmonia e as necessidades
daquele trabalho.

Se você vai trabalhar nos Tronos, por exemplo, dirija-se ao


coordenador e solicite sua permissão para participar do
trabalho. Isto não é se humilhar. É porque assim você esta
registrando sua participação no cartão de trabalho. Nos
planos espirituais, nós temos sete raios que nos projetam e
não sabemos qual o raio que está projetando naquele dia,
nem quais as necessidades daquele dia, mas se estivermos
em harmonia conosco, estamos em paz com todos.
Graças a Deus estamos começando a colher alguns frutos
deste nosso trabalho, mas lembrem-se de que estamos
lidando com espíritos encarnados como nós, que gostam de
tudo do que nós gostamos, que amam tudo que nós
amamos, que lidam com espíritos que não têm a
oportunidade que nós temos, que estão ainda deformados
em cavernas e que nós seremos a Luz do caminho deles.
Não vamos virar as costas para eles para que amanhã eles
não virem as costas para nós.

Vamos nos sintonizar com os mestres Arcanos que, graças


a Deus, estão realizando um grande trabalho nos Abatás,
trazendo a força do seu ministro e do seu povo e realizando
um trabalho grandioso, porque estamos proporcionando à
Legião do Divino Mestre Lázaro a oportunidade de limpar
as cavernas.

Mestre, coloque sua individualidade a serviço de Deus Pai


Todo Poderoso. Se você chegar aqui cansado, para
participar de trabalhos mais longos, faça um Abatá e retorne
para sua casa, consciente de que realizou um grande
trabalho.

Daqui para frente temos que ter cuidado com o que


falamos, porque aqueles que se dizem nossos inimigos
sempre tentarão jogar a dúvida e a insegurança no meio do
corpo mediúnico, buscando assim o desequilíbrio.

Nós estamos com um problema que é o prisioneiro. É uma


dádiva muito grande que o Pai nos deu de termos
condições de ir em busca daqueles que estão tão longe.
Nós temos muita dúvida, temos muitos cobradores e muitos
deles não têm condição de chegar mais até nós. Estamos
arriscados de evoluir e chegarmos ao outro lado recebendo
ainda vibração de cobradores. Então, Pai Seta Branca nos
deu o trabalho de prisioneiro e, dependendo da roupagem
que o mestre estiver vivendo, da sua aura, são trazidos os
espíritos daquele charme dele e, para segurança daquele
mestre, Tia Neiva deixou determinadas instruções. Mas nós
estamos confundindo o mestre prisioneiro da espiritualidade
com o prisioneiro do plano físico, da justiça da Terra.

Existe uma Lei deixada por Tia Neiva, onde ela determina a
prisão por oito dias, podendo participar do Angical e da
Sessão Branca desde que suspenda o trabalho de
prisioneiro. Em outra mensagem, ela proíbe que o mestre
participe do ritual da benção de Pai Seta Branca como
prisioneiro, mas, se estiver escalado, tem o privilégio de
trocar sua ataca ou exê pelo escudo ou indumentária. Na
Lei diz também a quantidade de bônus que o mestre recebe
por cada trabalho que realiza.

O prisioneiro pode participar de todos os trabalhos com


exceção do Reino Central, de sentar no Radar, para os
doutrinadores, e de não poder participar dos trabalhos onde
há incorporação de sofredores, para os aparás.

O mestre escalado no trabalho e que estiver prisioneiro, ele


ganha mil bônus pela participação no trabalho. O
coordenador de trabalho ganha também mil bônus.

O diz que me disse que a Tia Neiva falou, etc. só vale se


estiver escrito. Mestres, vamos ler a Lei e trabalhar sem
dúvidas. Quando ela escreveu a Lei, foi ditada por alguém
que a fez. Vamos ser instrumentos da harmonia e não da
desarmonia, da segurança e não da insegurança.

Salve Deus!
CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM
(9ª aula 13/06/1991)

Salve Deus!

Meus irmãos, muitas coisas que nós sofremos somos nós


mesmos que as geramos. Muitas vezes isso é necessário,
porque é uma maneira de aprendermos a lição. A vida de
um mestre missionário da Corrente Indiana é um
aprendizado no dia a dia e não só aqui, mas em todos os
instantes de nossa vida, e quando cometemos grosserias,
não gostamos quando recebemos o troco.

Tudo que fazemos vem da nossa mente, das nossas mãos,


das nossas palavras e nem sempre o que é bom para nós é
bom para o nosso irmão. Quantas vezes, no mundo
espiritual, nós lutamos por algo que desejamos e não
conseguimos, porque, se conseguíssemos determinadas
coisas, poderia ser a nossa perdição. Não se esqueçam de
que o ser encarnado não tem condições de conhecer o
futuro.

Mestres, é necessário que partamos sempre da


simplicidade, sem esquecer que somos todos iguais,
médiuns, e, como médium, nós devemos exercer a nossa
mediunidade como médium.

As consagrações que recebemos por força da hierarquia


são imensas responsabilidades, e à medida em que vamos
subindo os degraus da hierarquia, nossas
responsabilidades também vão aumentando porque, da
nossa força, da nossa atitude, do nosso trabalho,
dependem outros médiuns, pacientes e espíritos, sabendo
que, no mundo espiritual, não se perde nada de energia.

Se tivermos consciência da nossa mediunidade e de que


precisamos trabalhar com trabalhávamos quando aqui
chegamos, o nosso trabalho e a nossa Corrente voltarão
para o lugar certo.

Mestres, analisem bem as mensagens que recebem de


seus mentores. Elas sempre lhes alertam para suas
responsabilidades. Para que nós chegássemos a este
mestrado, muito custou para o mundo espiritual. Quantos
acordos foram feitos com cobradores, muitos bônus às
vezes foram adiantados para que pudéssemos chegar até
aqui. Será que se estivéssemos na caminhada normal que
nós interrompemos quando viemos para cá, nós estaríamos
nesta condição?

Nada é feito de graça, nenhum Preto Velho trabalha de


graça, nem Ministro, nem Pai Seta Branca. Nós também
não estamos trabalhando de graça. Cada um está
preparando o seu lugar, como também cada um de nós, na
proporção aqui na Terra, vai receber tudo o que for seu,
para não sair daqui frustrado. Pai Seta Branca nos diz que
o espírito irrealizado é um espírito sofredor e é por isso que
existe hoje o Vale das Sombras.

Estas legiões do Vale das Sombras, como várias outras,


são compostas por espíritos hiper-inteligentes. Muitos
usaram a boa fé das pessoas, usaram a sua inteligência e o
poder, escravizando pessoas em benefício próprio. Muitos
chegaram à conclusão de que estava errado o que eles
ensinavam, mas não tiveram a coragem de interromper e
mudar o seu quadro. Chegaram do outro lado frustrados,
não aceitaram a Lei Crística e formaram o Vale Negro.

Esta legião tão poderosa, que praticamente domina a Terra


através de inventos, de religiões, de governantes, procura
manipular os encarnados em todos os setores das
atividades humanas. Eles só não conseguiram propiciar a
reencarnação. Eles têm um grande poder, conhecem a
manipulação de energias, os trabalhos da lei negra e não
entendem porque, dentro desta nossa simplicidade, desta
aparência de pobreza material, o Jaguar tem tanta fé e
tanta precisão na sua manipulação de força e todos deles
que aqui chegam não voltam mais. Este é o único lugar em
que eles chegam e não voltam.

Por que nossos mentores e nossos ministros não nos


protegem para que eles não venham aqui? Mas, se eles
aqui não vierem, como nós iremos doutriná-los? Estes
espíritos são trazidos aqui amarrados ás redes magnéticas
dos mentores, porque eles são terríveis e já foram
doutrinados pelos mentores, mas precisam da nossa
energia, energia animal, que os iluminados não possuem.
Mas é preciso que a nossa energia esteja pura, pelas
iniciações, pelas consagrações, sem tóxicos. A energia do
Jaguar é preciosíssima. Não é conversa, não é aparência,
não é posto e nem título, é o sacerdócio, a dedicação, o
amor e o respeito. O fluído magnético do doutrinador e do
apará, preparado pela manipulação da energia em seus
plexos, vai atuar sobre aquela crosta que está em volta
dele. É ali que está a força dele e, com a manipulação das
energias, a crosta vai rachando e vai caindo como a casca
de uma árvore seca. À medida que a crosta vai caindo, o
espírito vai se enfraquecendo, até que sua mente começa a
raciocinar em uma outra sintonia.
Não esqueçam de que um terrível espírito do Vale das
Sombras pode ser um nosso irmão espiritual, nosso pai ou
nosso filho espiritual. É um filho de Deus Pai Todo Poderoso
como nós, e um espírito destes se conquista pelo
convencimento das palavras.

Devemos falar o mínimo e deixar que eles falem o máximo.


Esta é a perfeita doutrina. De nada adianta dizermos para
ele o que nós somos, porque a nossa consciência e a
nossa simplicidade é que são fundamentais.

Muitas vezes, vamos nos envolvendo com títulos e


grandezas, mas a grandeza está na nossa missão. Todos
nós somos missionários e Pai Seta Branca nos deu um
uniforme para que todos fôssemos iguais. É necessário
começarmos a cultivar o respeito de um pelo outro. Se você
ouvir alguém falando mal do outro, tudo bem, ele deve ter
seus motivos, mas não participe, ouça sem fazer
comentários e deixe que ele desabafe, porque nós
podemos ser o instrumento para evoluir um irmão que
precisa passar. É comum a espiritualidade provocar uma
situação para que se produza uma energia ectoplasmática
para ajudar o nosso irmão.

O Amanhecer não é fábrica de santos e nossa mãe nunca


quis o Jaguar sublimado, mas é necessário, dentro do que
nós já recebemos, particularmente o médium que atingiu a
condição de um Sétimo Raio, é necessário que se tenha
uma conduta perfeita. Nossa Doutrina não é a doutrina do
medo nem do castigo. Nós não conhecemos o nosso carma
e, apesar disso, temos que ir para a frente, mas precisamos
analisar porque, se tirarmos a proteção desta Corrente
sobre nós, não sabemos o que irá nos acontecer.
As entidades com muito jeito e muito carinho, às vezes, nos
fazem advertências e até nos dão um pequeno puxão de
orelhas porque querem o nosso bem, mas jamais eles irão
entrar no nosso livre arbítrio. Observem que sempre que
nós começamos a sair da linha, eles nos alertam, mas
muitas vezes fazemos ouvido de surdo.

Nós temos tudo para sermos felizes, e não depende de Pai


Seta Branca nem dos mentores, depende somente de nós.

Mestres, a Corrente iniciática é algo muito sensível e nós


devemos nos preparar sempre que formos atender a um
paciente. Tem que haver um perfeito atendimento entre os
médiuns em trabalho, tanto na recepção como na Lei do
Auxílio.

Nós somos uma falange de um grande privilégio, porque


Pai Seta Branca nos dá tudo o que precisamos para a
nossa jornada. Agora vejam, pessoas que andam
quilômetros para chegarem aqui em busca de um alívio
para as suas dores, e mestres chegam e furam a fila para
serem atendidos na frente destas pessoas. Pacientes
chegam aqui, recebem grosserias, ficam para trás horas e
horas e às vezes não dá tempo de passar nos trabalhos.
Analisem bem se estamos agindo corretamente, quando
nos tornamos impacientes, colocando os pacientes para
trás. Não esqueçam que o missionário está aqui, primeiro
para servir e depois para ser servido e cada vez mais o
mundo espiritual vai exigir isto de nós, porque temos muito
para dar e estamos preparados para isto.

A força que recebemos está sendo manipulada por nós e se


não o fizermos, seremos destruídos, porque ela é confiada
a cada um de nós, mas não nos pertence. O que adianta
estarmos cheios de coisas confortáveis se não temos uma
consciência tranqüila, se não podemos dormir em paz, com
a mente desequilibrada, e no dia da nossa passagem, o
que será de nós se não nos prepararmos para este
desenlace?

Não sabemos para onde iremos após a morte, mas temos


consciência de que, através de nossa Conduta Doutrinária,
de nossa consciência, poderemos preparar o nosso lugar e
só nós poderemos fazê-lo.

Nós trouxemos hoje a Lei do Prisioneiro, porque está


havendo muito comentário sobre o assunto. Diz-se que a
ninfa prisioneira não deve usar a lança e ninfa Yuricy não
pode trabalhar com Ajanã prisioneiro. Prisioneira não pode
fazer emissão, etc. e isso está gerando muita insegurança
no mestrado. Mestres, se houvessem estas proibições, Tia
Neiva não teria autorizado no Livro de Leis a quantidade de
bônus por trabalho e o que não se pode fazer. Tia Neiva
deixou escrito na Lei, não quero desmentir ninguém, mas
daqui para a frente, nós vamos considerar o que ela
escreveu e, se algum dia precisar mudar alguma coisa, nós
vamos fazer uma reunião e eu vou esclarecer ao corpo
mediúnico. Mas, até segunda ordem, salvo determinação
de Pai Seta Branca, nós vamos seguir o que está escrito.
Ninguém tem autoridade para mudar nada aqui dentro. Não
há nada mais triste do que causar insegurança aos mestres
com informações falsas. Trás intranqüilidade para o
prisioneiro, para o trabalho que o prisioneiro pretendia
participar e não foi autorizado. Tia Neiva disse e deixou
escrito que o prisioneiro pode receber até consagração com
indumentária de prisioneiro. Tudo que não estiver escrito
que não pode, poderá ser realizado no trabalho de
prisioneiro.

Mestres, é a energia do prisioneiro que os cavaleiros levam


até as cavernas para retirar espíritos de lá. O trabalho de
prisioneiro vai muito além da prisão na individualidade.
Portanto, leiam esta carta com muito amor, para que
possamos trabalhar com segurança.

Mestres, eu sou o executivo desta Corrente e não vou


permitir nada que não esteja nos princípios que foram
deixados por Tia Neiva, porque um dia, em Cristo Jesus, eu
terei que prestar contas a Pai Seta Branca e a Jesus.
Portanto, se está havendo divergências, a falha foi minha,
mas eu peço a todos ajuda para levar esta missão até o
final. Não há mais tempo para mesquinharias. Temos que
ter disciplina e respeito à hierarquia porque, se não houver
respeito e disciplina, não haverá evolução. A indisciplina e a
baderna são próprias do espírito sofredor.

Mestres, nós temos o privilégio de receber o Pai Seta


Branca e, em Cristo Jesus, a maioria dos Pretos Velhos que
aqui trabalham, não têm o privilégio de chegar perto dele.
Eles amam o Pai e a primeira coisa que eles falam no
trabalho é “Salve Pai Seta Branca!”, porque eles buscam a
força de Pai Seta Branca.

Mestres, vamos nos posicionar onde Pai Seta Branca nos


colocou, levando esta Doutrina para frente, porque temos
condições de, em pouco tempo, caminharmos em estrada
larga, saindo deste caminho estreito que estamos
percorrendo por culpa nossa.

Pai Seta Branca nunca irá cobrar nada de nós, mas cada
um tem a certeza de sua missão.

Salve Deus!
CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM
(10ª aula 27/06/1991)

Salve Deus!

Meus mestres, as forças que chegam até nós e que são


projetadas por Jesus Divino e Amado Mestre são chamadas
de forças decrescentes. Somos sabedores que formamos
um poder cabalístico iniciático. A Cabala é o leito que
recebe todas as forças projetadas pelas Estrelas e pelos
Oráculos.

Pai Seta Branca governa um poder chamado Oráculo de


Simiromba ou Oráculo de Ariano. Ariano significa raízes do
céu. O Oráculo de Simiromba é formado por sete raízes.
Uma raiz é formada aqui na Terra no decorrer da trajetória
do missionário. À medida em que uma missão é realizada,
este poder sobe e se torna raiz.

O Oráculo de Simiromba é uma conexão de poderosas


raízes. Esse poder recebe a projeção direta de Obatalá. Pai
Seta Branca governa esse poder e ele o recebe de Obatalá.
Araken é o poder que forma a Cabala do Oráculo de
Simiromba e é, também, Sétimo de Simiromba. É uma força
decrescente: Simiromba, Sétimo de Obatalá; Araken,
Sétimo de Simiromba. Nós recebemos esta força da Legião,
força decrescente que é emitida a esse poder, Adjunto
Koatay 108, que é governado por Tia Neiva, também poder
cabalístico.

Os nossos trabalhos são desenvolvidos com paciência. O


Amanhecer, no lado etérico, é muito complexo, somente
uma clarividente poderia trazer e adaptar ao mundo dos
encarnados o que se realiza do outro lado. Há momentos
em que saímos do corpo, trabalhando na Estrela, na
Indução, na Junção, etc.; só não na Mesa Evangélica e na
Linha de Passe, que são Kardecistas, e no Alabá e Abatá,
porque estes trabalhos foram trazidos do mundo espiritual.
Assim Pai Seta Branca, aqui na Terra, com experiência
milenar, inclusive nas suas encarnações, uma como
Francisco de Assis, na Itália, e outra como Seta Branca, no
Peru, há pouco mais de 400 anos, ele nos trouxe o
mestrado que foi criado dentro de uma força decrescente
desse nosso plano físico. É difícil mas necessário que todos
nós, na individualidade, saibamos separar o missionário e a
pessoa. O missionário é o espírito, é o espírito encarnado
com um carma bastante pesado, porém com força e
experiência transcendental, e que aceitou o compromisso
de vir para a Terra para desenvolver a sua missão e,
simultaneamente, se desenvolver. Como seres humanos,
ou nós santificamos ou nós odiamos uma pessoa. Na
maioria das vezes, nós não temos capacidade de analisar
uma pessoa como missionária. Quando eu cheguei neste
Amanhecer, o que mais me impressionou foi a sinceridade
com que Tia Neiva me colocou ao par de sua vida, de seus
filhos, de sua família, de suas coisas e de suas andanças.
Numa viagem que fizemos para Unaí, a mim, recém
chegado com poucos meses de corrente, ela contou sua
vida como se fosse uma confissão e eu me perguntava
porque ela me contava tudo aquilo, se eu nada tinha
perguntado, mas já existia dentro de mim um certo ranço
em relação às religiões que me ensinaram. Depois parti
para uma outra que também me decepcionou. O que eu
percebi é que se tornou claro que eu nunca confundi Tia
Neiva, uma mulher, uma pessoa humana e Tia Neiva minha
mestra. Como minha mestra, eu sempre a trazia sete
degraus acima de mim, me trazendo estas pérolas ricas do
mundo espiritual. Eu aprendi também a respeitá-la e amá-la
toda uma vida, com suas virtudes e com seus defeitos
humanos, porque, aqui na Terra, ninguém é perfeito, porque
estamos presos ao plexo, ao corpo físico, sujeitos a ações e
reações de nossa alma, receptáculo que gera dor e que
gera a evolução. Na Terra não há condições de se
santificar. Há, sim, condições de se evoluir. O Espírito de
Luz é um espírito santo, mas aqui, nós estamos em
expiação, aqui é como se fosse um presídio onde
alimentamos o plexo animal, mas somos racionais. Esta
Doutrina não é doutrina da paixão, mas na razão existe o
nosso equilíbrio.

Se nós formos dar razão só para um lado, nós estamos


dividindo porque estamos esquecendo o sentido que a
razão do outro lado tem. Nós estaremos caindo no
julgamento. Para nós, pode estar certo um ou pode estar
certo o outro, devemos achar ambos certos porque
desconhecemos as razões.

Cabe a nós ajudar sem participar. À medida que nós


aprendermos a ajudar sem participar, vamos tendo menor
dificuldade na nossa missão. Todos nós gostamos do que é
bom, mas o missionário não veio só para atender o que é
bom. Pelo contrário, ele veio para ajudar e para ajudar ele
não divide. Ele pode pensar o que é certo e o que é errado,
mas não pode exteriorizar para evitar dividir. Quando tomar
qualquer partido é porque ele teve o privilégio de ser
esclarecido. Se temos capacidade de analisar, de observar
melhor as coisas que ocorrem na vida, é dever ajudar
àqueles que ainda têm certas dificuldades.

Todos nós temos boas e más qualidades. Será que


somente os que têm boas qualidades estarão certos? Nós
temos o privilégio de recebermos forças para aos poucos
irmos corrigindo nossas más qualidades. Entretanto, isso
não nos dá o direito de humilharmos os outros. Essa
Doutrina será sempre comandada por um doutrinador
homem, cabendo aos doutrinadores a grande
responsabilidade da Doutrina, mas nem por isso nos é dado
o direito de sermos grosseiros, arrogantes e fazermos os
outros sofrerem.

O médium apará, às vezes, recebe o maior choque por falta


de cuidado do doutrinador. Cabe a nós zelar pela retidão
desta Doutrina, porque um dia iremos prestar contas. È
necessário, primeiro, raciocinar e quando nos depararmos
com um quadro que nos chama a atenção, observaremos
que está à beira de uma interferência, por ser transgredida
uma norma da Doutrina, cabe a nós nos aproximarmos,
analisar e observar para poder tomar uma atitude. Mesmo
analisando e verificando o que não está correto, devemos
tomar uma atitude dentro da nossa Doutrina. Nossa
Doutrina é humildade, tolerância e amor, não é prepotência
nem grosseria. Está havendo muito entre nós esta falta de
tolerância e precipitação e muitas vezes até a
irresponsabilidade. Isso pode provocar um choque no
mestre de incorporação e precisamos ter cuidados para não
traumatizar o médium.

Eu tenho exigido muito do Doutrinador e do Apará porque,


fora do princípio doutrinário, não vamos conseguir nada.
Aqui não é uma empresa, aqui é uma Doutrina e é pela
Doutrina que precisamos caminhar.

Graças a Deus, vocês mesmos podem analisar que, pelo


menos, já temos um novo médium e já se está visualizando
um novo quadro no Amanhecer. Mas ainda é pouco, porque
se entre nós existe dificuldade de relacionamento,
imaginem o que acontece com relação ao público. Tia Neiva
nos ensinou que quanto mais força nós temos, menos lugar
temos aqui dentro. Do que vale fazer um belo trabalho,
dedicar um dia de retiro e magoar alguém dentro do
Templo? Como pode o mentor utilizar bônus seus para
equilibrar outro que está precisando? Devemos sempre
somar aquilo que viemos buscar e não perder, porque o que
se ganha no plano físico pode ser perdido no plano
espiritual. Como irá ficar o nosso mentor, nosso ministro,
nosso cavaleiro, numa situação destas?

É necessário sempre agirmos pela razão e nunca pela


emoção, porque podemos nos machucar, nos ferindo e
ferindo pessoas a quem nós queremos bem.

Todos somos médiuns e estamos em busca da nossa


evolução, procurando cumprir o nosso sacerdócio, mas
estamos nos esquecendo disso.

Nossos ministros estão na força decrescente de Araken,


que está na força decrescente de Pai Seta Branca, que está
na força decrescente de Obatalá. É a força decrescente dos
Adjuntos e foram eles que a escolheram. Cada um de nós
escolheu o seu Adjunto pela sintonia, porque ele é o
regente aqui na Terra da força do ministro. Se ele estiver
bem equilibrado, estiver bem vibrante, todos estarão bem.

Tia Neiva sempre falava do Continente. O Continente é o


sistema em perfeita sintonia. Nós vibramos com algum
adjunto, ele vibra com o ministro e o ministro vibra com
Araken e assim sucessivamente na força decrescente.

Está se formando uma perfeita sintonia e, como exemplo,


podemos citar os Abatás, em que cada dia da semana tem
uma força decrescente de um ministro irradiando todos
estes Abatás. A Legião dos Cavaleiros Caçadores está
envolvida nesse trabalho. Um Abatá corresponde a mil
bônus, o mesmo que três consagrações da Estrela
Candente. No Abatá há uma verdadeira harmonia de
pensamento. Todos os Adjuntos participam do Abatá, e não
importando qual ministro irradia naquele dia, há uma
vibração, uma harmonia de pensamento. Não adianta
estarmos juntos, centenas de mestres, se não estivermos
em harmonia, no mesmo pensamento e na mesma
vibração. A nossa força é convergente e é isso que forma o
Continente. Não é estar junto fisicamente mas, sim, vibrar
em uma só sintonia. Tia Neiva dizia que as almas se atraem
em uma perfeita sintonia.

Sintonia é o desenvolvimento do Doutrinador. A


manifestação do desenvolvimento é o médium de
incorporação. Vocês, que estão me assistindo em sintonia
comigo, estão recebendo do mundo espiritual, não havendo
distâncias. Esta é a perfeita harmonia. Imaginemos todos
nós, às 12, às 15 e às 20 horas, emitindo nossa prece, o
poder imenso que está sendo manipulado, não importando
o lugar, por mais distante que seja, em que estejamos. Se
estivermos em desequilíbrio, não conseguiremos manipular
estas forças, e a culpa é toda nossa. Portanto, vamos nos
harmonizar, porque todos estamos sujeitos a erros. Na
Terra não existe perfeição, mas a harmonia nos permitirá
levarmos esta missão à frente, cumprindo com nosso livre
arbítrio. À medida que formos nos harmonizando, elevando
nosso padrão vibratório, este cajado que carregamos vai
ficando mais leve. Pai Seta Branca não quer ver seus filhos
sofrendo, e ele mesmo disse que “ai daquele que tocar num
só fio de cabelo de um filho seu, que não seja pela Lei
Cármica”.

Temos desgastado muita energia nos preocupando com


coisas que não têm nada a ver conosco. Nossa força só
aumentará de acordo com o nosso equilíbrio e nossa
harmonia. Temos consciência de que, a cada dia, será
exigido mais de nós, porque a nossa missão é grande e
difícil. Se nos prepararmos, nos será dado o necessário
para o cumprimento da missão. Nossa hora chegou, e cada
um terá que decidir se fica ou desiste. Se quisermos uma
vida melhor, temos que nos colocar na condição de
médium, cada um na sua formação e na sua missão.
Mestres, caminhar só é fácil, mas à medida que temos a
responsabilidade sobre outras pessoas que caminham
conosco, a coisa se torna bem difícil. Não esqueçam que
não podemos cair no padrão das religiões. Deverá
prevalecer sempre a Doutrina. Somos a última esperança
de Jesus aqui na Terra. Vamos deixar nossos vizinhos em
paz, deixar as mesquinharias, as maldades e as ciumeiras.
Vamos vibrar para que este nosso Continente cresça em
perfeita harmonia e sintonia.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(11ª aula 11/07/1991)

Salve Deus!

Quis a vontade de Deus nos dar mais esta oportunidade


feliz de estarmos reunidos neste Amanhecer.

Acredito que muitos de vocês devem se perguntar porque


tantas reuniões. Eu lhes disse, nas primeiras reuniões, que
este ano seria o ano do Jaguar. Desde que nossa mãe
partiu, nós ficamos, nestes últimos cinco anos, sentindo sua
falta, porque todos nós vibrávamos em sua aura.
Nas nossas dificuldades, vivendo nossos problemas,
mesmo que não estivéssemos perto dela, nós
mentalizávamos e vibrávamos nela. Quando ela partiu, nós
ficamos como órfãos aqui na Terra.

Paralelamente foi surgindo uma série de dificuldades entre


nós. Mas, se analisarmos, não precisaríamos passar por
isso porque ela nos dizia que, no dia em que ela se fosse,
deixaria tudo pronto, tudo arrumado como o Pai falou em
sua mensagem, que deixaria a mesa posta, inclusive as
prateleiras abastecidas. Nós recebemos tudo o que
necessitávamos para a missão.

Nossa mãe, pela força, pela prova das iniciações aqui na


Terra e no mundo espiritual, foi conseguindo levar esta
poderosa Amacê do segundo ciclo, que é o Amanhecer.
Juntaram-se aqui sete raízes, formando um poder
cabalístico.

Os médiuns gradativamente foram passando pela Iniciação


Dharman Oxinto, pela Elevação de Espadas, pela
Consagração de Centúria e pelo Curso de Sétimo, mas se
me perguntarem se cada um recebeu na proporção os
mantras, eu não posso responder, mas lhes digo que cada
um recebeu o que fez por merecer e continuará recebendo
o que fizer por merecer.

Ninguém tira nada de ninguém e ninguém dá nada para


ninguém. O Amanhecer não é lugar de oportunidades. Aqui
cada um conquista o seu espaço pela missão e pela
Doutrina.

Tia Neiva dizia que cabe a nós encaminhar o mestre para a


Iniciação. Quanto a ele, poderá receber sete mantras ou
não receber nada.

Neste plano físico somos todos iguais, mas um dedo acima


da nossa cabeça, cada um é o que conquistou na sua vida
transcendental e aqui. Pelo menos somos pessoas com
acertos e erros, mas temos a Doutrina para aprendermos a
corrigir nossos erros. Não adianta ficarmos chorando pelos
erros passados, mas vamos aprender as lições e nos
corrigir para o futuro.

Isto é uma vida iniciática, é um aprendizado. Foi por isso


que tivemos uma encarnação aqui na Terra, justamente
para termos oportunidade de desatarmos os nós que
fizemos no passado ou mesmo nesta encarnação. Ninguém
é de todo santo nem bandido, mas tivemos o privilégio de
receber uma Doutrina clara, sem superstição nem
fanatismo. É a Doutrina de Jesus, com todo este mundo
espiritual que nos assiste através destes mensageiros que
vêm na roupagem de Pretos Velhos, de Caboclos, de
Médicos, de Princesas, etc. Graças a Deus não vem
ninguém para dizer o que devemos fazer.

Nem Pai Seta Branca nem Tia Neiva vão se materializar


aqui para resolver nossos problemas. Ninguém vai fazer por
nós o que cada um tem obrigação de fazer. Quem esteve
perto dela sabe as dificuldades que ela tinha para caminhar.
A vida de Tia Neiva não foi maravilhosa assim como muitos
pensam, mas foi uma vida iniciática de exemplos e um
espelho para todos nós.

A nossa era chegou e, daqui para frente, estaremos numa


força decrescente, e é necessário que haja realmente
sintonia com esta força decrescente. Nosso compromisso e
nossa força vêm de Jesus. Os mestres que representam
esta força, os Trinos, os Arcanos, os Sétimos e os Ramas
2000, formam a estrutura desta força decrescente. No
mundo espiritual, esta força decrescente é perfeita e não
tem falhas. Ela é precisa e é pelo amor, pela sintonia e pela
vibração, porque um espírito evoluído vê a responsabilidade
e começa a trabalhar mais, porque é um ciclo evolutivo, é
esfera sobre esfera e assim por diante.

Aqui no Amanhecer, Pai Seta Branca, com experiência


milenar, revelou que sentiu certa frustração quando, na
encarnação de Francisco de Assis, na Igreja Católica, ele
tentou colocar uma nova mentalidade dentro da igreja, de
não se materializar tanto as coisas, o que, dentro da
mentalidade da época, era difícil. Ele dizia, numa
incorporação em Tia Neiva, que havia conseguido o
Capuchinho pobre, mas a ordem dos Capuchinhos é rica.

Nós somos sacerdotes missionários sem o problema do


celibato, temos a responsabilidade de criar uma família e
lutar pela sua sobrevivência, temos a Doutrina que Jesus
nos trouxe às margens do rio Jordão, e que estava presa
dentro de um círculo dos Grandes Iniciados dos Himalaias
e, através de Humahan, este Oráculo foi aberto e nós
recebemos a Doutrina de Jesus.

Somos os caminheiros da vida eterna, mas ninguém pode


fazer nada um pelo outro. Cada um tem que ir em busca do
que é seu, pela vida espiritual, pelo trabalho, pela conduta
doutrinária e pela conduta moral. Nós não estamos aqui
para ensinar bons costumes e conduta moral para ninguém.
Não se iludam se o Vale é aberto para determinadas coisas,
porque o ensinamento da Doutrina de Jesus é claro: “Ama o
teu próximo como a ti mesmo”.

E dentro deste princípio é que devemos caminhar. Aqui


ninguém é juiz de ninguém. Esta Doutrina não é doutrina do
medo. Hoje nós vemos muitos irmãos ficarem para trás e
ninguém tem culpa, porque todos somos filhos de Pai Seta
Branca, um espírito de luz e de amor incondicional, que não
impõe condições a nenhum de nós e ama tanto o
perseguido como o perseguidor, simultaneamente, porque
ambos são filhos de Deus Pai Todo Poderoso. Contudo, a
seleção vai se dar pela condição do mestre.

Nós estamos começando a lidar com determinado tipo de


espíritos diferentes de anos atrás. De quatro anos para cá,
estão chegando falanges de espíritos que nós não
conhecíamos. São falanges de espíritos que precisam da
consciência e da convicção do mestre. Não importa se ele é
doutrinador ou apará, importa é que tenha segurança e
condição para não ser enrolado.

Não se iluda com a cultura da Terra, porque ela diverge


muito da inteligência espiritual, da sabedoria dos mundos
de Jesus. Às vezes um analfabeto neste plano físico é um
grande sábio no mundo espiritual. A condição do plano
físico é condição cármica. O que importa é se a nossa
mente está realmente aberta para estas forças, para esta
Luz que nos ilumina e nos envolve, se nossa mente está
sensível a estas forças, nos irmanando, nos harmonizando,
nos desenvolvendo e nos preparando para a missão. Os
que não tiverem a mente aberta para estas forças não irão
conseguir uma sintonia e vão cair.

Daqui para frente, à medida em formos caminhando, iremos


necessitar de mais forças porque as falanges que iremos
enfrentar serão falanges de espíritos mais pesados, mais
sagazes e mais difíceis. Nossa missão é a cura
desobsessiva ou, em outra palavras, é a doutrinação destes
espíritos. Por isso fomos colocados nesta missão, na
Doutrina de Jesus. Se um mestre não se harmonizar com
estas forças, seu plexo não irá resistir à projeção destas
forças.

O objetivo destas nossas reuniões é exatamente este,


procurar fazer com que cada um procure se harmonizar e
sintonizar com aquilo que lhe pertence na missão, as suas
forças, o seu desenvolvimento, a sua consciência para o
cumprimento do seu sacerdócio. Cada um tem que se
instruir dentro da sua condição, de sua individualidade e do
seu livre arbítrio.

Não é fácil, é uma seleção porque o desenvolvimento é


penoso, é sofrido, enfrentamos correntes para que
possamos nos equilibrar e equilibrá-las. Nós só
conseguimos equilibrar as correntes pesadas porque
atingimos aquele patamar, o desenvolvimento daquela
faixa. Dali para frente é o desenvolvimento de outra faixa.

A Iniciação não é só um ritual, é preciso senti-la na carne


gradativamente. A espiritualidade vai exigir muito de nós
dentro da faixa que nós atingirmos. Muitos estão
despertando para a realidade.

Vocês receberam o curso de Sétimo e, neste curso, o que


receberam, nos Himalaias leva-se vinte anos para receber.
Será que estamos correspondendo ao que recebemos no
curso de Sétimo? Estamos assumindo a responsabilidade
de um Sétimo?

Pensem bem nisso, mestres, porque por aquilo que nos é


dado, seremos cobrados. Cada um assumiu o seu
compromisso com o plano espiritual quando fez a
Consagração de Centúria e quando fez o curso de Sétimo.
É muito sério ser um Sétimo. Na roupagem espiritual é o
máximo! Pai Seta Branca é um Sétimo de Obatalá.
Ser um Sétimo Raio é muita responsabilidade. Nós já nos
perdemos uma vez por conhecermos demais aqui no plano
físico, como Mayas. Desta vez, não nos deixaram conhecer
a nossa força no plano físico, mas vocês não imaginam a
força de um Sétimo Raio.

Será que, por este canal que foi recebido, cada um Sétimo
está manipulando esta energia em busca do que lhe
compete e a está distribuindo na Lei do Auxílio?

Somos milhares, mas estamos diminuindo por falta de


capacidade para enfrentar as forças e iremos cair mais
ainda, porque estamos presenciando dia a dia este
fenômeno. Nós estamos realizando este trabalho desde o
início com o Templo cheio de Sétimos, mas, nas escalas,
são sempre os mesmos que comparecem aos trabalhos.

Mestres, não estou aqui para cobrar dos senhores


pautarem suas vidas pela Doutrina, mas, também, não
podem continuar como estão, porque assim não iremos
conseguir.

Nosso objetivo é despertá-los, ou melhor, fazer exteriorizar


toda esta força e todo este amor que vocês têm. Nós somos
uma tribo já bem evoluída, e está realmente na hora de
começarmos a colocar tudo nos seus devidos lugares e,
também, de nos colocarmos no nosso lugar.

Já estamos conseguindo mudar a sintonia do Amanhecer,


graças a Deus, mas só iremos quebrar estas correntes que
estão aqui dentro se realmente lutarmos com toda a
intensidade e com toda a nossa força.

Nós mudamos a sintonia, mas poderemos cair no mesmo


padrão que estávamos porque estas falanges não dormem,
não descansam, porque elas querem nos arredar daqui,
porque, pelas leis delas, pelo que elas pretendem, só não
conseguem tudo porque nós não permitimos. Para esses
espíritos, nós somos os piores inimigos que eles têm aqui
na Terra. Quando eles passam por aqui, eles veêm o
contrário, que nós estamos aqui para ajudá-los. Uma
entidade nos disse que um espírito destes quando cai na
rede magnética do Cavaleiro, chega a tremer a Terra. Ele
passa no Trono Milenar aqui e, quando sai, é encaminhado
para Deus e só o Jaguar consciente e seguro é capaz de
fazer isto.

É por isso, mestres, que é preciso despertar em cada um


de nós este amor, esta força, porque é sempre bom lembrar
do que nos diz Pai João, que devemos nos preocupar com
a qualidade e não com a quantidade.

Lembrem-se sempre de que um Centurião bem preparado


vale por cem. É por isso que valendo cada um por cem, nós
seremos milhares. Vejam que com estas reuniões, com
estas vibrações, estamos nos harmonizando com os
mestres Arcanos. Manipulando esta vibração, a cada dia,
nos Trabalhos Oficiais, Retiros, Estrelas, Alabás e Abatás,
Estrela Sublimação e Turigano, ampliamos nossa força,
nossa união espiritual, esta sintonia, porque, do contrário,
não iremos levar esta missão até o fim.

Esta missão não é fácil, e é por isso que há dois mil e


quatrocentos anos estamos sendo preparados, em várias
encarnações, para esta hora final. É uma hora decisiva e
nós somos a única esperança de Jesus na Terra, porque os
Vales Negros só não dominam esta Doutrina. Eles dominam
as religiões, a ciência, eles dominam tudo e, aqui, eles
estão tentando, mas não vão conseguir.
O Jaguar que abrir sua guarda vai rolar. É por isso que eu
peço a Pai Seta Branca que registre o que estamos dizendo
para vocês hoje, porque muita coisa séria nos espera neste
caminho. Estes espíritos são hábeis e têm uma facilidade
muito grande de controlar pessoas poderosas, de
desmoralizar, de perseguir, de dividir, mas nós temos o
poder cabalístico, temos a fé e temos a ciência dos mundos
etéricos, possuímos uma técnica precisa de desintegração
e isto ninguém nos tira.

Reflitam com carinho no que acabam de ouvir, porque


vocês são grandes e poderosos mestres e o mundo
espiritual investiu muito alto em vocês.

O poder de desintegração do Amanhecer não mede


distâncias e quanto mais firmes estivermos no plano físico,
nossos trabalhos, no mundo espiritual, vão se
desenvolvendo com maior precisão e com maior força,
porque somos seres encarnados que trabalhamos no plano
físico e no plano etérico.

Nós temos condições de levar a energia do Jaguar para


qualquer destes planos pesados, doutrinar espíritos e fazê-
los voltar para Deus. Para nós não têm portas fechadas, em
Cristo Jesus.

Pelas mãos dos nossos mentores, nós vamos em busca


dos menos favorecidos. Não se esqueçam de que todos
nós temos familiares neste mundo e também em Capela, o
que nos dá a condição de podermos ajudar.

A carta anexa do Reino Central, fala do nosso maior poder


cabalístico que é a Estrela Candente. O micro-mapa
apresenta a Amacê com suas sete Cassandras e com o
nome das forças, para que tenhamos consciência quando
formos fazer uma Estrela Candente. A Amacê projeta em
volta da Elipse e as Cassandras trazem e manipulam cada
uma um tipo de energia que projeta sobre nós, desde o
coroamento até o momento de colocarmos o nosso plexo
sobre o esquife. É um trabalho pesadíssimo e os espíritos
que caem ali são seguros pela força do Jaguar.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(12ª aula 25/07/1991)

Salve Deus!

A cada dia que passamos, nosso trabalho vem sendo a


base desta conscientização que está despertando o Jaguar
para a missão. Mestres, nós filhos de Pai Seta Branca , até
há bem pouco tempo, tínhamos uma clarividente aqui
conosco, na Terra, que resolvia todas as nossas
dificuldades, que nos dava segurança, proteção e, às
vezes, até esclarecia nossas falhas com suas palavras
meigas e bondosas de mãe.

Perdemos nossa mãe querida, que fez a sua parte, dando


provas aos soberanos Arcanos e servindo, para nós, como
espelho vivo, em cada passo que ela dava nesta missão.

Porém, é chegada a hora de cada um de nós começar a dar


os primeiros passos na missão, com nossas próprias
pernas. Cada um, na proporção de sua aura, recebeu sua
missão, suas iniciações, suas consagrações e seus
mantras para se prepararem. Agora, é necessário que cada
um prove para si e para o mundo espiritual do que
realmente é capaz e que está à altura de tudo que recebeu
para exercer o seu sacerdócio. Nossa mãe, quando dava a
classificação para um mestre, ela o fazia pela experiência e
pela trajetória transcendental do espírito, não considerando
o fator santidade ou beleza, mas sim pela aura, pelo que
ele trazia. Portanto, é necessário que cada um consiga
realmente aquilo que recebeu.

Nestas últimas reuniões temos conversado sobre a


simplicidade. È pela simplicidade que o médium necessita
trabalhar, para poder manipular as energias e processar a
cura desobsessiva. Nós temos os exemplos de nossa mãe,
de Pai Seta Branca e destes divinos espíritos que aqui vêm,
Pretos Velhos, Caboclos, Médicos, etc. na sua simplicidade.
O mediunismo é uma mecânica precisa e para nós, seres
humanos, quase perfeita, mas é necessário que o aparelho,
o médium, se coloque em tal condição. Não nesta
simplicidade aparente, para que os outros vejam, porque
isto já é um sinal de falta de humildade.

Nós fomos colocados nesta missão para executá-la, e não


se a executa com palavras bonitas, com tapinhas nas
costas, mas sim com o trabalho mediúnico.

É no trabalho mediúnico que iremos em busca da perfeição


a caminho da Magia de Nosso Senhor Jesus Cristo. Temos
de despertar em nós o respeito por tudo o que nos cerca,
pelos mentores, pelos ensinamentos, pela conduta
doutrinária, pelas leis e por tudo aquilo que Pai Seta Branca
nos deu através de nossa mãe clarividente, que executou e
deixou para nós. Tia Neiva sempre nos ensinou a Doutrina
de uma mesma forma e deixou escrito tudo que era para
ser cumprido em nossa caminhada. Quando começamos a
dizer que Tia Neiva falou isso e aquilo, com o objetivo de
satisfazer nossos interesses, aí começa a vaidade e com
isso não se ganha nada e nada se constrói. Hoje uma
minoria luta e vibra para conservar tudo que ela deixou.
Grande maioria não respeita as leis, os ensinamentos, os
rituais de trabalho, seu vizinho, as entidades e assim por
diante.

Mestres, devemos nos preparar para o que nos espera.


Esta Corrente é extremamente seletiva, e quem faz a
seleção é o próprio médium. Este curso está servindo para
darmos um pequeno passo à frente, mas ainda falta muito
para chegarmos, porque muito será exigido de nós. O
mundo espiritual nos dá tudo para a missão. Às vezes, nós,
como seres reencarnados, reagimos negativamente. Mas
se conversarmos com alguém que desencarnou e aqui
dentro não cumpriu a sua missão, vocês vão ver que
tristeza, porque quando chega do outro lado a visão é
outra.

Nós aqui estamos limitados dentro de um corpo físico, pela


própria lei da encarnação, pela própria Lei do Carma.
Quando desembarcarmos, não tem lágrimas, choro nem
desculpas, não tem mais remédio. Mestres, nós estamos
em busca da evolução, e nossa consciência, nossa própria
razão, nos chama e nos responsabiliza pela nossa missão.
Mas não se esqueçam de que nenhum mentor penetra no
nosso livre arbítrio.

Na Lei Negra, os que trabalham são escravos, são


verdadeiros robôs, não têm evolução e grosseiramente são
chamados de cavalos. E muitos mestres deste Amanhecer
preferem ser cavalos a serem mestre Sol ou mestre Lua.
Nós recebemos esclarecimentos e, se nos afogarmos,
estaremos dentro do nosso livre arbítrio. Precisamos ter
muito cuidado porque, daqui para frente, sempre vamos ter
um profeta ou uma profetiza. Mestres, chegou a nossa hora
e devemos estar sempre preparados. Os portões das
legiões dos mundos negros estavam fechados para nós
porque nós precisávamos nos preparar, precisávamos
aprender e nos desenvolver. Mas agora chegou a missão,
os portões estão sendo abertos e os espíritos perigosos
estão aí em cima de nós. Se não fosse assim nós não
precisávamos estar aqui, soldados espartanos, espíritos de
grande experiência, de onde vieram o Cavaleiro Verde e o
Cavaleiro Especial e nossa proteção, nossa força, vem da
Legião do Divino Mestre Lázaro. Somos todos Sétimos
Raios e recebemos mantras poderosos. Cada um de nós
tem que ir em busca do que é seu mas tem que usar o
escudo para trabalhar. Para chegarmos à situação destes
Pretos Velhos e Caboclos, temos que trilhar os caminhos
que nos esperam. Ninguém engana a ninguém, eles nos
ajudam e às vezes nos alertam, nos emprestam bônus, mas
precisamos trabalhar. Os médiuns impacientes são os que
mais criam problemas e desrespeitam as Leis deste
Amanhecer, porque eles acham que têm direito a tudo e
privilégios e acabam se prejudicando a si mesmos. O
médium Apará ou Doutrinador que enfrenta sol e chuva
para realizar o seu trabalho, ele tem amor, diferente
daquele que fica com o chapéu na mão pedindo esmolinha
aos Pretos Velhos. O mestre está esquecendo da sua força,
de tudo aquilo que aprendeu, e fica sujeito a interferências
e, na sua vida, começa a dar tudo errado, nada dá certo.
Daqui a pouco começa a freqüentar terreiros, a beber e
acabou o Jaguar!

Mestres, está na hora de cada um assumir a sua


responsabilidade. Os Pretos Velhos poderão nos ajudar a
caminhar mas dar, jamais, porque nós temos tudo e
recebemos tudo para esta missão. Vamos despertar e
deixarmos de estar procurando mensagens de Tia Neiva ou
Pretos Velhos em qualquer Apará incorporado. Vamos, sim,
procurar Tia Neiva na vibração da força positiva do Jaguar.
Tia Neiva dizia que o céu não fica perto – ele é longe e
difícil.

Mestres, as porteiras foram abertas, os espíritos estão


chegando e eles são hábeis, sagazes e conhecem a
fraqueza do ser humano. Mas tudo é uma grandeza, pois
estes espíritos precisam vir porque só assim nós
poderemos doutriná-los e fazê-los voltar para Deus, o que é
a nossa missão. É por isso que nos foram colocados nas
mãos imensos poderes como a Estrela Candente, o Alabá e
os Abatás, etc. Do contrário só precisaria a Mesa
Evangélica, os Tronos, a Linha de Passe, etc. Pai Seta
Branca nos trouxe forças poderosas, como as Cabalas e as
Amacês, fez a confrontação dos Oráculos, tudo isto em
busca do resultado do que tem investido em nós. Nós
somos a única esperança de Jesus na Terra, porque
ninguém tem condições de encaminhar estes espíritos, a
não ser nós. Mas se estivermos em busca de
comunicações e facilidades, fatalmente seremos enrolados.
Para eles, nós somos seus maiores inimigos, porque eles
conhecem e sabem que quando vêm não voltam mais. E é
só aqui, porque em qualquer outro lugar, eles dominam tudo
aqui na Terra, as ciências, as religiões, os valores físicos e
monetários, enfim, eles não têm dificuldade para isso. E
eles precisam vir aqui e quanto mais se arriscarem melhor
para nós, porque teremos mais oportunidades de passar a
mão neles, mas não esqueçam do risco que iremos
enfrentar.

Nós temos tudo para o cumprimento desta missão, mas


cada um tem que decidir se quer caminhar nesta Doutrina,
nas suas leis e ensinamentos. É ser ou não ser, porque
somos todos médiuns conhecedores das leis desta
Doutrina. Dentro dos princípios doutrinários somos infalíveis
mas, fora deles, somos presas fáceis, porque o nosso
desenvolvimento é muito grande.

Nós estávamos em nossa colônia quando surgiram os


problemas aqui na Terra. Resolvemos descer para enfrentá-
los e aqui estamos. Não temos mais tempo para
brincadeiras. Daqui a uns quatro ou cinco anos vocês irão
ver a situação em que vai ficar o nosso planeta, não só aqui
no Brasil mas no mundo todo, porque a pressão dos
espíritos é muito grande e eles estão se desalinhando. Já
perceberam quantas vezes a Terra tremeu este ano? Só
nós, com a ciência e a fé, teremos condições de ajudar
estes espíritos. Vamos nos voltar realmente para esta
Doutrina pela razão. Vamos deixar de coisinhas e eu lhes
peço que, se tiverem algum respeito por mim, não soltem
mais nenhuma mensagem sem minha autorização, porque
estão saindo mensagens distorcidas, sem sabermos de
onde vêm, com o nome da Tia Neiva em baixo. Eu vos
peço, em Cristo Jesus e em nome de Pai Seta Branca, que
não soltem nenhuma mensagem. Guardem em sua mente,
em seu coração, mas não soltem nada por escrito sem
autorização. Mestres, esta é uma maneira de confundir o
corpo mediúnico. Se precisarem uma carta de nossa mãe,
vão ao Bálsamo, que ele possui o acervo de Tia Neiva.
Sabemos que muita coisa é feita de boa vontade com o
intuito de ajudar a nossa missão, mas está aparecendo um
outro lado, favorecendo a forças negativas. Nós vamos ser
visados por todos os lados e chegou a hora de realmente
despertar.

Vamos levantar a bandeira rósea de Jesus, que é bandeira


deste Amanhecer, a bandeira de Pai Seta Branca, de
Koatay 108, Tia Neiva. Vamos parar de procurar esta
bandeira em sítios e fundos de quintal porque isto não tem
cabimento. Quem tem um império destes não vai incorporar
em fundo de quintal. Não, mestres, isto não está certo, mas,
se quiserem ir, é seu livre arbítrio, boa sorte! Se amanhã
não der certo, não nos culpe, porque nós lhe alertamos.
Estas ciladas nos são armadas por todos os lados, são os
chamados falsos profetas e o objetivo realmente é o de nos
enfraquecer, procurando discórdia e desmoralizando o
médium desta Corrente, desvalorizando tudo que é nosso.

Vamos raciocinar, analisando e agindo mais pela razão do


que pelo coração. Se realmente tivermos convicção do que
somos, não vamos nos deixar levar pelos falsos profetas e
não vamos cair.

Mestres, o pior ainda não chegou e é uma missão difícil


para nós porque nós não sabemos como ela virá. Onde
houver discórdia, desavença, grupo dissidente e vaidade,
eles vão estar presentes, alimentando aquilo com toda
intensidade. Este é o processo deles e eles o fazem muito
bem.

Mestres, sempre que possível vamos emitir, porque emitir é


algo sublime e divino. O mestre se eleva no Retiro, no
Alabá e nos Abatás, etc. O Jaguar é farol que vai
iluminando esta escuridão. Se fizermos nossos trabalhos
com consciência, com toda a nossa força, tudo será uma
grandeza.

Há uma Legião de Cavaleiros do Divino Mestre Lázaro,


chamada de Cavaleiros Caçadores, e no horário de meio
dia até as três da tarde, é recomendado que não se faça
trabalho, nem no Templo nem fora, a não ser na Estrela,
porque neste horário se desloca a Presença Divina e, com
isso, os Cavaleiros Caçadores vão em busca dos bandidos
do espaço, sendo esta hora muito perigosa.

Com os Abatás na sintonia da força decrescente dos


mestres Arcanos, poderemos trazer para junto de nós esta
falange de espíritos, estes Caçadores da Legião. A missão
deles é trazer para cá legiões, falanges e falanges de
espíritos, para passarem nos Abatás e Alabás.

É necessário harmonia, porque cada um de nós é um poder


imenso na individualidade. Na harmonia, na força da
sintonia deixamos de ser ilhas e formamos um continente.
Nossa força está começando a se levantar e vai depender
de nós, da nossa vibração, da nossa consciência e da
nossa sintonia para nos evoluirmos. Sempre que o mestre
estiver vibrante, os que estiverem em sua sintonia também
estarão recebendo aquela vibração. Um Ministro junto a seu
representante aqui na Terra, quando este estiver no
comando de um trabalho, todos os participantes estarão
recebendo os privilégios daquele Ministro.

O dia que você tirar para o seu lazer, faça-o com seus entes
queridos e não precisa vir para o Templo, para não
prejudicar seus irmãos e para que você mesmo não venha
a se machucar. Pai Seta Branca que ver todos os Jaguares
felizes e realizados dentro daquilo que cada um merece.

Vamos pedir a Jesus que nos dê força realmente para que


possamos voltar a caminhar na estrada que Pai Seta
Branca construiu para nós, e nossa Mãe nos entregou
prontinha para nós caminharmos até o nosso desembarque,
e que o desembarque de cada um seja feliz e realizado.
Nós temos condições de realizar tudo neste Amanhecer e
nos foi dado tudo na proporção do merecimento de cada
um.
A irradiação está trazendo doenças sem cura, trazendo
problemas sérios, porque as potências já não têm mais
controle sobre as irradiações. O mundo espiritual já colocou
aparelhos no nêutron para filtrar estas irradiações e não
poluírem as casas transitórias e o Canal Vermelho. A
irradiação é átomo e nós somos partículas atômicas e o
próprio espírito é formado átomo por átomo. Nós
precisamos passar por uma reciclagem celular, e talvez até
já esteja se processando isso, para nos preservar da peste
e das formações. As células do nosso plexo físico vão ser
reprogramadas. Por isso precisamos estar em condições e
em sintonia. Paulo de Tarso é, na Legião, o Ministro
especialista neste assunto.

Salve Deus!

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(13ª aula 08/08/1991)

Salve Deus!

Mais uma vez aqui estamos, em Cristo Jesus, para unir


nossas forças na preparação para esta difícil jornada que
nos espera. Já tivemos oportunidade de caminhar juntos e
eu, como instrutor do Desenvolvimento, da Centúria e do
curso de Sétimo, tenho sempre procurado mostrar-lhes o
caminho iniciático que nossa mãe em Cristo Jesus trilhou
passo a passo, deixando os rastros para que nós
passássemos no mesmo lugar sem nos perdermos.

Ela venceu todos os obstáculos e portas estreitas que um


ser vivo pode suportar. Conscientemente, ela deixou tudo
pronto e preparado para que cada Jaguar, na sua
individualidade e nesse poderoso Continente, caminhasse
dentro do seu sacerdócio e cumprisse, na sua proporção, a
sua missão.

Muitos Jaguares abriram sua mente para esta Doutrina,


mas sentimos que muitos ainda estão dormindo no sono da
vaidade, da mesquinharia, da inveja e das intrigas. Outros
estão sublimando, enxergando coisas que não existem,
como os falsos profetas que estão entre nós, segundo
nossa mãe falava, em Cristo Jesus.

Esta Doutrina é implacável porque possui uma trajetória a


ser cumprida, que já está programada, e basta que nós
caminhemos até onde Deus Pai Todo Poderoso nos
permitir. Tivemos oportunidade de contatar com mestres
que daqui já partiram. Uns estão bem, outros não, mas eu
sinto remorso mesmo na hora em que eles choram e se
lastimam pela oportunidade perdida. Mas nós temos a
consciência tranqüila de que ensinamos e transmitimos
corretamente esta Doutrina.

Por sua vontade absoluta, Deus Pai Todo Poderoso me


colocou numa situação bastante difícil de ter que assumir a
responsabilidade por vocês neste plano físico. Sabemos
disso desde que aqui chegamos e lhes digo, caminhar só é
fácil, mas receber a missão de ajudá-los a caminhar se
torna bem mais difícil. Não me refiro à incompreensão da
pessoa humana. Falo da responsabilidade perante o mundo
espiritual.

Um dia, chegará a hora em que teremos de prestar contas


desta jornada e hoje, meus irmãos, o Amanhecer é um
poder que nós não podemos imaginar, porque a importância
desta Corrente aqui na Terra vai muito além da nossa
imaginação.

Ainda existe, entre nós, aqueles que procuram distorcer as


coisas, procurando meios para sobressair, para satisfazer o
seu egoísmo e a sua vaidade. Mestres, não podemos
permitir mais indisciplina no nosso meio, mesmo que
tenhamos que convidar alguém a se retirar deste
Amanhecer. É muito triste falar isso, mas é chegada a hora
dessa missão caminhar. O Amanhecer é a sabedoria divina
aqui na Terra, e ninguém aqui é obrigado a nada. Estamos
aqui pela vontade do missionário e pela força
transcendental da nossa missão. Em Cristo Jesus, somos
uma falange de espíritos de uma experiência muito grande
e somos a esperança da espiritualidade aqui na Terra. Não
é por causa de um ou de outro que iremos permitir que
novamente correntes terríveis invistam e impregnem o
corpo mediúnico, trazendo a desarmonia. Aquele que acha
que está correto e certo, contrariando as leis deste
Amanhecer, que procure o seu rumo, saia do Vale e vá ser
profeta em outro lugar onde se realize e possa ser feliz. A
Doutrina e as religiões da Terra são para que o homem se
sinta feliz e se ele não está feliz aqui, é porque ainda não
encontrou o seu lugar. As portas estão abertas para todos,
desde que sigam as normas e as leis deste Amanhecer.

Não vamos permitir nenhuma reunião sem a força


decrescente. A reunião de Arcanos deverá ter um Trino
Triada, se de Rama 2000 deverá ter um Arcano com seu
povo. Não vamos mais permitir a formação de ilhas aqui
dentro do Amanhecer. Vamos deixar de ser instrumento
destes espíritos que procuram realmente nos desestabilizar,
nos dividir e nos desarmonizar. Estamos falando com
mestres doutores desta Doutrina. É difícil para vocês
imaginar a força imensa que possui um Sétimo Raio.
Está chegando a hora em que devemos caminhar e sermos
humildes sob as Leis de Pai Seta Branca ou, do contrário,
devemos ir embora. Agindo assim, seremos muito mais
felizes e deixaremos também os outros felizes. Aqui o
dinheiro não compra, a conquista é feita pelo trabalho
mediúnico honesto. Não se conquista com conversa,
mesquinharias e desarmonia porque nenhuma entidade vai
se prestar a mesquinharias nossas, porque o seu amor é o
amor incondicional que não impõe condições e não vai se
submeter a caprichos de seres humanos.

Esta Doutrina tem uma disciplina e, não temos dúvida, é


muito rígida porque é um compromisso iniciático muito sério
aqui na Terra. Nós lidamos com seres humanos e com
espíritos desencarnados e somos a única esperança deles.
Não se esqueçam de que receberam tudo que um médium
precisa para desenvolver o seu sacerdócio. Vocês são
mestres, são instrumentos e, portanto, a luz para milhares e
milhares de espíritos, e jamais podem ser instrumento de
discórdia e mesquinharias.

Graças a Deus, pela sua força, na maioria estamos


conseguindo muito este ano, mas ainda é pouco para
chegarmos onde precisamos chegar. O médium que não
trabalha não percebe as maravilhas deste Amanhecer, e
passa a ser um instrumento da discórdia e da desarmonia.

A força iniciática é uma força muito sublime e muito fina. A


desarmonia de um mestre com esta força prejudica um
trabalho inteiro e desarmoniza as forças. Lembre-se de que
ninguém vai impedir de você fazer isso, mas tem a lei do
retorno, e ela é infalível.

Mestres, nós somos mortais e de átomo por átomo fomos


por Deus constituídos. Chegou a hora de acabarmos com
estas coisas e vibrarmos com toda a intensidade do nosso
ser. Fomos preparados à imagem do Caminheiro, que nos
trouxe a mensagem dos mundos iniciáticos mais evoluídos.
Nós somos mensageiros da vida eterna, mas tudo o que
fizermos errado ficará registrado.

Nossa preocupação inicial era fazer deste Amanhecer um


continente e, graças a Deus, estamos caminhando neste
sentido. Estamos vendo vocês vibrando com os mestres
Arcanos, indistintamente, sem formar ilhas, realizando
trabalhos grandiosos com a simplicidade de um Abatá, que
é uma grandeza.

Fazendo esta harmonia estamos proporcionando às


falanges dos Cavaleiros Caçadores chegarem até aqui,
espíritos que caminham na Presença Divina, nos mundos
etéricos, à caça dos bandidos do espaço. Se tivermos
nestes Abatás a presença destes Ministros de Deus, que
têm seus regentes aqui na Terra, e a cada dia estão aqui
distribuindo suas forças, para termos condições de receber
esta falange de caçadores, esta grandeza, teremos assim
condições de passar milhares e milhares de espíritos.

Nós não podemos mais viver como estávamos vivendo.


Sem dúvida, esta Corrente não vai fechar. Ela teve uma
cisão muito séria, difícil e dolorosa e cabe a nós conduzir
tudo aos seus devidos lugares, e isso não acontece só com
palavras. Temos que transformar todo este conhecimento
que está em nosso ser, e isto só acontece pelo trabalho
mediúnico, demonstrando que realmente somos mestres
Doutrinadores e Aparás na nossa condição de simplicidade,
esta simplicidade de um Preto Velho. Pai Seta Branca
sempre nos diz isso, como na mensagem do ano passado,
onde foi muito claro: “Eu peço sempre para ser cada vez
menor para caber em vossos corações!”
Nosso coração é cheio de terra, de mesquinharias, de
vaidade e estamos esquecendo tudo que aprendemos,
jogando fora o que nos foi dado. Nosso objetivo é a
evolução e só poderemos fazê-lo resgatando as nossas
dívidas, colocando os espíritos no caminho e sob a
proteção de Deus. Hoje, a maioria dos pacientes são
mestres. Não é proibido médium passar como paciente,
mas existe, inclusive, médiuns usando este uniforme em
outros trabalhos que não são da Doutrina do Amanhecer.
Isto, mestres é cuspir no prato que comeu. Se não gostou
do prato que comeu, deixe o prato, siga o seu caminho e
boa sorte.

Precisamos nos preparar e pensar um pouco mais em nós


mesmos, testados a todo instante, mas precisamos testar
também tudo aquilo que nos cerca. Mestres, por pouco não
nos perdemos. O mundo vivo é uma miragem e tem Jaguar
que está cochilando há muito tempo. Não é Pai Seta
Branca, não é ministro, não é princesa e não é o mentor
que vai excluí-lo daqui. Entretanto, fora desta Lei, nós
seremos presa muito fácil, seremos peixe fora da água. Nós
somos mestres com muitas iniciações, muitas
consagrações, e não temos escolha: temos que trabalhar
pela Lei Crística ou vai se ver. Alguns por misericórdia, com
algum merecimento, podem até chegar lá, mas outros vão
cair na velha estrada que deixaram quando vieram para cá.

Precisamos ter consciência de que nossa Lei é ser ou não


ser. É preciso andar dentro dos princípios iniciáticos, dentro
da conduta doutrinária, dentro dos conhecimentos e
ensinamentos, não importa a classificação. Vamos
aproveitar porque somos um grupo privilegiado, e quantos
milhares de espíritos gostariam de estar em nosso lugar?
Mestres, o amor do Jaguar é aquele que, quando chega
aqui, consegue desligar-se dos problemas da vida material,
se mediuniza, e trabalha para os necessitados e para si
mesmo. Pai Seta Branca nos alerta em uma de suas
mensagens “meus filhos, cuidado para não caírem no
padrão dos demais”. Ele se refere aos padrões das demais
religiões. É triste saber que mestres desta Corrente recebe
dinheiro de visitantes, não importando se é um dólar, qual o
dinheiro ou qual o grupo de caravanas ou estrangeiros.

Como lembrança, há uns dezesseis anos, um industrial de


São Paulo estava com problemas seríssimos em sua
indústria, que possuía milhares de empregados. Ele veio
em seu avião particular se consultar com Tia Neiva. Ele
trouxe uma importância grande em cheque e ofereceu a Tia
Neiva que lhe disse: “ meu filho, não faça isso, se eu
receber este dinheiro vai dar um azar muito grande em sua
vida!”. Ele saiu da Casa Grande e foi para o Templo e, na
porta do Templo, um Jaguar pegou o cheque do indústrial.
Uma semana depois, o Jaguar apareceu com um fusca.

Mestres, Tia Neiva viu tudo na clarividência mas nunca


falou nada para o Jaguar. Isto é manchar e desmoralizar o
Amanhecer. Se um Jaguar estiver apertado, eu tenho
certeza que ele terá seu problema resolvido, porque sempre
aparece um Jaguar que dá a mão ao outro. Mestres, não
abram a sua guarda, lembrem-se de que onde houver um
padrão baixo, uma vaidade, uma mesquinharia, os vales
negros estarão lá.

Jaguares, nossa missão começou e logo teremos aqui


espíritos diferentes destes que estamos acostumados a
doutrinar até agora. Chegou a hora da verdade!

A conjunção dos dois planos já está acontecendo. O mundo


espiritual e a Legião estão conosco, nós somos os
Cavaleiros Verdes e Cavaleiros Especiais, assim o
emitiremos. A Legião está conosco e inúmeros fenômenos
já aconteceram. Eles são etéricos e nós somos ainda
físicos. Os espíritos das legiões negras estão preocupados,
desalojados e desalinhados e, na Terra, são verdadeiros
chacais e nós somos a esperança de Jesus para fazer
estes espíritos retornarem para Deus, e lembrem-se de que
eles podem até ser um familiar nosso.

Outro dia, um Preto Velho disse que um espírito destes, ao


cair na rede magnética, urrou que a Terra tremeu, mas ele
já voltou para Deus.

Mestres, estamos nos aproximando do ano 2000 e estamos


avisados das profecias e cansados de saber, e muitos estão
ainda sendo envolvidos pelos falsos profetas. Vamos
procurar pisar sempre onde nossa mãe deixou rastros, por
mais difícil que seja, não importando o que venha a
acontecer, porque, sem dúvidas, estaremos pisando
corretamente.

Ela sofreu muito, mas nos deixou tudo prontinho, e tem


muito Jaguar querendo jogar tudo fora. Do que vale filosofar
se não aprendemos o beabá desta Corrente? Cada um é
uma individualidade e deve aceitar o outro como ele é. Tia
Neiva dizia: “não fala mal do teu irmão, porque ele tem uma
cruz nas costas como você”. Graças a Deus estamos
caminhando e, se continuarmos nesta sintonia que
estamos, nós vamos conseguir. Não será fácil. porque
também temos muito o que dar para chegar lá e graças a
Deus, será assim. Nós temos muito o que dar porque
somos filhos de Pai Seta Branca, temos a fé e a ciência e,
por isso, nosso espírito é uma rocha e ninguém nos tira da
caminhada certa.
Temos muito o que realizar e é para isso que
reencarnamos, é para isso que estamos aqui. Chegou a
nossa hora, temos os mantras, nossa vida está com o plexo
iniciático, forças e mente iluminada e não se deixa levar por
estas coisas. Não quero que vocês sejam santos, Salve
Deus, mas para reencarnar e viver, é preciso se
conscientizar do que somos e de que viemos a este mundo
para trabalhar. Não importa quantos e quais pacientes
passaram por aqui, o que importa é a precisão e a
harmonia do trabalho.

Se não fizermos assim, iremos cair no padrão das demais


religiões. Não teremos condições de ser uma coisa aqui e
outra lá fora. Devemos exigir mais de nós mesmos para não
desperdiçar fluído com quem não necessita. Precisamos a,
cada instante, elevar nossa sintonia e nossa vibração
porque, quanto mais nos unirmos, mais o trabalho será
honesto e sincero. Temos consciência e condições de nos
resguardar e de nos proteger, basta que queiramos.

Salve Deus!

Infelizmente não temos a 14ª aula.

CURSO DE RECICLAGEM - TRINO ARAKEM


(15ª aula 05/09/1991)

Salve Deus!

A cada dia que passa, mais se aproximam os momentos


que há dois mil e quinhentos anos nos esperam e para os
quais estamos sendo preparados.

É fundamental na nossa jornada que o mestre tenha uma


moral religiosa e que aqui, neste Amanhecer, nesta Cabala
do Adjunto Koatay 108, as forças cheguem dependendo da
sintonia, da harmonia e da força dos mestres. Nós estamos
caminhando, dia a dia, numa faixa em que temos
consciência que o mundo espiritual que nos assiste é
exigente e preciso. Tivemos o privilégio de receber
ensinamentos, que talvez, em outras condições, em vinte
anos não receberíamos. Eu mesmo fui preparado
diariamente, durante cinco anos, para que pudesse trazer a
Centúria e o Curso de Sétimo. Não tivemos hora como
agora estamos tendo. Na maioria das vezes, era após o
encerramento do trabalho oficial e, às vezes, ia até ao
amanhecer.

Para vocês, mestres, a coisa está sendo mais fácil. Os


ensinamentos desta Doutrina vão muito além das palavras
de um instrutor. O instrutor precisa, além de conhecer a
ciência do Amanhecer, estar em condições de receber a
projeção de forças e manipular com o grupo. À proporção
que manipula, ele desenvolve o plexo e os chacras
daqueles Jaguares. Não é pelo conhecimento nem pelas
palavras bonitas, mas sim pela vibração das forças
iniciáticas.

Jesus, há dois mil anos, nos trouxe os ensinamentos e, a


cada dia que passa, ele está mais vivo, mais cristalino e
intocável pela força da vibração daquele soberano mestre.

É preciso fazer a manipulação das forças em benefício


daqueles irmãos e isso tem um preço. Cada passo que o
mestre dá tem um preço compensador que é a nossa
evolução.
Se o mestre não tiver uma moral religiosa, ele faz muito
pouco ou quase nada, porque o mundo evoluído jamais vai
se prestar a mesquinharias de seres humanos da Terra. Se
o doutrinador não tiver sentimento pelo que ele está
fazendo e ensinando, pelo seu trabalho, não precisa contar
com seus Ministros, seu Cavaleiro e sua Princesa. Se ele
aqui vem com outros objetivos, o último seria exercitar sua
mediunidade, manipular na Lei do Auxílio. Nenhuma
entidade, nenhum Preto Velho virá se prestar a
procedimentos fora desta Doutrina. Mestres, é assim na
Terra como no Céu!

Mestres, se abrimos o nosso plexo e fazemos nossa


emissão, nós recebemos na hora, se estivermos com nossa
mente em sintonia. Nunca esqueçam que jamais uma
entidade irá se prestar a ser joguete de médium, a
mesquinharias e a coisas da Terra. À medida que nossa
mente vai aumentando o campo vibracional, vamos
verificando o quanto é exigente esta Doutrina. Pela
consciência que vamos adquirindo, nosso livre arbítrio vai
diminuindo, pela responsabilidade que assumimos. As
forças vão se materializando e a cada dia vão chegar mais
forças cabalísticas em nosso favor, porque a hora é
chegada mas se a nossa individualidade não estiver mais
em harmonia conosco, muito pouco poderemos fazer. O
segredo está exatamente neste ponto: o mestre se coloca
em trabalho e não sabe naquela hora quem lhe está
assistindo, que forças serão manipuladas, para onde estas
forças serão canalizadas e em benefício de quem. Mas
quem nos assiste, sabe exatamente tudo o que nós não
sabemos. Temos consciência do que está acontecendo.

Para que o trabalho seja perfeito, precisamos estar em


condições e em paz com a nossa consciência. Temos
consciência e todo respeito àqueles com quem iremos
realizar aquele trabalho e, na maioria das vezes, o médium
está ali inconsciente, mas a situação dele é outra. É como
dizemos, ele ajuda a se evoluir mas não se evolui. É a
história dos religiosos que estão no Vale das Sombras. Eles
usaram sua missão, sua sabedoria e aqueles que estavam
em outras condições se evoluíram e eles foram parar no
Vale das Sombras.

Mestres, não devemos desperdiçar um segundo de nossa


vida missionária porque irá nos fazer muita falta no futuro.
O importante não é o número horas trabalhadas mas, sim,
aquele tempo em que você se coloca conscientemente em
trabalho, à disposição do mundo divino, da sua
individualidade. Às vezes, naquele momento, se realiza um
trabalho imenso e o mestre sai de sintonia e recebe uma
corrente esparsa.

Os grandes trabalhos estão se realizando além da mente,


no mundo dos espíritos, e ali nós temos possibilidades de
realmente ajudar, mas para isto é necessário ter estrutura
no plano físico, ter equilíbrio, do contrário não tem
condições. Às vezes nós perdemos grandes oportunidades,
mas todos nós temos um dia que será decisivo na nossa
encarnação e aí vem a lembrança da história do
doutrinador. Ele teve o momento preciso de se encontrar
com sua vítima, aquela vítima que teve um preço para
trazê-lo na Terra.

Sabemos que se estivermos bem, temos condições de


ajudar os espíritos a voltarem para Deus. A evolução de
uma vítima nossa do passado, é um passo no caminho da
nossa evolução. Nosso comportamento e nossas atitudes
são um acesso direto às nossas vítimas do passado. Temos
que pensar mil vezes se for necessário antes de praticar um
ato ou tomar uma atitude. O nosso mundo é lá em cima, o
mundo dos espíritos. É ali onde o horizontal termina, que
nós começamos.

Somos cientistas dos mundos etéricos, e é bom que cada


um de nós comece a pensar nisso, porque precisamos ter
uma filosofia de vida. Se o mestre tem uma conduta, uma
norma doutrinária, seu relacionamento muda, porque passa
a haver uma consciência dentro dele. O céu está longe e
difícil, mas a evolução está justamente aí. Nós estamos
vibrando numa faixa evoluída, nossas almas se atraem por
almas evoluídas e nós aumentamos a vibração.

Muitas coisas, que nós achávamos que eram impossíveis,


acontecem em todos os sentidos, na Doutrina e na nossa
vida, porque se forma em torno de todos nós um campo
vibracional intenso e nós estamos em cima de uma Cabala.
Nós temos condições de liderar todos os nossos trabalhos.
Talvez isso não apareça do lado físico, mas teremos a
resposta no mundo espiritual.

Nós não somos contra uma comunicação, pelo contrário,


uma comunicação é muito bom desde que, realmente, seja
de uma entidade de Luz. Quando uma comunicação não
está correta, é por falta de harmonia das mentes. Uma
comunicação jamais será perfeita tecnicamente sem
harmonia. É feita a projeção, nós manipulamos a
comunicação, mas, observem, se um médium estiver em
desarmonia, a comunicação é deficiente, porque as almas
se atraem. Se ele se harmonizar, a comunicação vem
perfeita, porque jamais uma entidade vem para um mestre
em desarmonia. Se temos consciência que somos um
médium e que estamos ali como um instrumento e temos
segurança dentro da nossa consciência e do nosso
princípio, o trabalho será perfeito.
Em um grupo numeroso como o nosso, se conseguirmos
trabalhar dentro desta harmonia, realizaremos grandes
trabalhos e temos condições de melhorar cada vez mais.
Vamos nos acertar onde não estamos certos.

É muito fácil ser médium. Basta deixar um pouco de lado a


nossa vaidade, porque ela não nos leva a nada. Lembrem-
se sempre de Pai Seta branca que disse querer ser menor
para caber dentro de nossos corações. Temos consciência
de que somos missionários e que estamos aqui pela força
da missão e pela força ambiental de cada um. São grandes
Caboclos, Cavaleiros de Oxossi e Guias Missionárias que
estão levando esta Bandeira Rósea de Jesus. O tempo é
tão curto para manipular tudo que devemos chegar do outro
lado com as mãos vazias, mas limpas, felizes e conscientes
de que cada um cumpriu com o seu sacerdócio.

Mestres, o mundo pesado dos espíritos está se


desalinhando, não encontrando mais lugar. Por outro lado,
o mundo espiritual abriu as portas para que houvesse a
cobrança. São milhares de espíritos sobre as nossas
cabeças e as cobranças ocorrem de todas as formas que
possamos analisar. Da terra sairão espíritos que só a nossa
ciência poderá ajudar.

O que mais está desalinhando estas legiões do Mundo


Negro é a irradiação. O mundo já está filtrando a energia e
a irradiação. Foram os mundos pesados que criaram a
irradiação atômica, a bomba atômica, e já estão sofrendo a
consequência e agora estão se libertando.

Salve Deus

Verwandte Interessen