Sie sind auf Seite 1von 16

11 PÁGINA

1 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

27
POTÁVE
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
ATIVIDADE: 1) MOLHAMENTO NAS VIAS DO PORTO ÁREA/EQUIPAMENTO: PORTO DO AÇÚ
2) ENCHIMENTO DE CAIXA D´ ÁGUA
EMPRESA CONTRATADA: MARPEM CONSTRUTORA E LOGÍSTICA SUB-CONTRATADA: N/A

PERÍODO DE VALIDADE APROVAÇÃO SUPERVISOR OU DESIGNADO HORARIO DA ATIVIDADE


Data Inicial:
NOME: ASSINATURA:

Data Final: WANDERSON SANTOS – LEONARDO


De: 07:00 às 17:00
PESSANHA ASSINATURA:

FATORES DE RISCO
ACLIVE E DECLIVE ACENTUADOS X INTEMPERISMO (AÇÕES DA NATUREZA)
ANIMAIS PEÇONHENTOS INUNDAÇÃO
ARMAZENAGEM ESTOCAGEM MANUSEIO E TRANSPORTE X FALTA DE ISOLAMENTO E SINALIZAÇÃO
X ATAQUE DE ANIMAIS/ INSETOS MATERIAIS FORA DE USO NO LOCAL
X ATOLAR X MÁ VISIBILIDADE
X ATROPELAMENTO X ORDEM ARRUMAÇÃO E LIMPEZA
X BATER CONTRA OBJETO OU PESSOA X PISO IRREGULAR/ESCORREGADIO
X CALOR X PRENSAMENTO
CARGA SUSPENSA X PREVENÇÃO DE INCÊNDIO / EXPLOSÃO
CILINDROS E VASOS SOB PRESSÃO PROJEÇÃO DE MATERIAIS/PARTÍCULA
X COLISÃO DE VEÍCULOS/EQUIPAMENTO X PROTEÇÃO DE MÁQUINAS
X CONTAMINAÇÃO ÁGUA, SOLO E AR QUEDAS DE MESMO NÍVEL
CONTATO COM MATERIAL PERF. CORTANTE QUEDAS DE NÍVEL DIFERENCIADO
CONTROLE DE FONTES DE ENERGIA X QUEDA DE OBJETOS/PESSOAS
DESLOCAMENTO DE EQUIPAMENTOS RADIAÇÕES IONIZANTES / NÃO IONIZANTES
DESMORONAMENTO/SOTERRAMENTO RISCO DE QUEDA NA ÁGUA
X EQUIP. IÇAMENTO/MOVIMENTAÇÃO X RISCOS ELÉTRICOS
EQUIPAMENTOS MÓVEIS E VEÍCULOS INDUSTRIAIS X RISCOS NO PROCESSO OPERACIONAL
ESCAVAÇÃO, DEMOLIÇÃO, PERFURAÇÃO E FUNDAÇÃO ROMPIMENTO CABO/CINTA/CORRENTE
11 PÁGINA
2 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
ERGONOMIA (POSTURA INADEQUADA, ESFORÇO EXCESSIVO
X X TOMBAMENTO
ETC.)
ESPAÇO CONFINADO X TRABALHO EM ALTURA
X EXPOSIÇÃO A RUÍDO TUBULAÇÃO SOBRE PRESSÃO
FALTA DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL VENTILAÇÃO DEFICIENTE
FALTA DE TREINAMENTO E ORIENTAÇÃO (GERAIS E
X VIBRAÇÃO
ESPECÍFICOS)
FERRAMENTAS (MANUAIS, ELÉTRICAS, PNEUMÁTICA, PÓLVORA) X FALHA NO SISTEMA DE FREIOS
GERAÇÃO DE RESÍDUOS INALAÇÃO (GASES, VAPORES, POEIRAS E FUMOS)
ILUMINAÇÃO DEFICIENTE OUTROS: Condições Adversas nas Vias (Ultrapassagens Forçadas)
ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS
1 – Somente poderão adentrar a frente de serviços pessoas treinadas e
1 – FALTA DE TREINAMENTO qualificadas a atividade.
E ORIENTAÇÃO (GERAIS E 1.2 – Todos os colaboradores deverão estar integrados com as atividades
ESPECIFICOS) e prestação de serviços da empresa.
1.3 – Somente poderão ser mobilizados os colaboradores familiarizados
01 MOBILIZAÇÃO DE PESSOAL com as atividades e os riscos nelas presentes, e habilitados de acordo
com as classificações de categorias do DETRAN, além de realizar o Curso
de Direção Preventiva de acordo com o PO. SSO. 18
1.4 - De acordo com o CTB / Código de Trânsito Brasileiro, uso de cinto de
segurança é obrigatório na condução de todo e qualquer veículo
automotor estendendo – se a obrigatoriedade de seu uso a todo e
qualquer passageiro
02 EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 2 - É dever de todos os operadores zelarem pelos veículos, máquinas e
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS 2 - RISCOS NO PROCESSO equipamentos realizando check – list diariamente a fim de detectando toda
(Deslocamento do Equipamento) OPERACIONAL. e qualquer falha que venha interromper a atividade.
MOBILIZAÇÃO DE VEÍCULOS 2.1 - Os equipamentos considerados aptos á realização de suas
UMECTAÇÃO NAS VIAS DO PORTO. atividades serão identificados com a COR DO MÊS (Verde, Amarelo, Azul
e Vermelho) de acordo com o Procedimento Prumo.
11 PÁGINA
3 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
2.2 – Caso seja constatada toda e qualquer falha o condutor deverá
comunicar de imediato ao seu encarregado e TST, de modo a acionar a
equipe de manutenção mecânica da empresa.

3 - FALHA NO SISTEMA DE 3 - Havendo panes eletromecânicas em vias e rodovias seguir os


FREIOS E COMPONENTES seguintes passos;
ELETROMECÂNICOS.  Posicionar o veículo no acostamento ou local que não ofereça risco de
03 acidente, acionando o pisca alerta do veículo.
 Sinalizar aos demais condutores através do triângulo de sinalização.
 Manter – se afastado do veículo à espera do socorro.

ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS
EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 4 -Em vias vicinais e estrada de terra, o condutor deverá conduzir em
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS velocidade reduzida e atento as irregularidades do terreno de modo a
(Deslocamento do Equipamento) minimizar as vibrações decorrentes do trajeto aos demais ocupantes,
04 ABASTECIMENTO 4 - PISO IRREGULAR reduzindo assim o risco de derrapagem do veículo.
4.1 – Os colaboradores deverão realizar levantamento sobre as rotas e
vias e acesso ao seu destino a fim de minimizar os riscos de acidentes e
incidentes em seu trajeto.
5 - Em caso de atolamento, é vetada a improvisação de cintas e cabos de
5 - ATOLAMENTO aço para sua retirada, o colaborador deverá comunicar ao seu
05
encarregado para que possa acionará a equipe de manutenção mecânica
da empresa.
6 - De acordo comDe acordo Com o CTB / Código de Trânsito Brasileiro, o
uso de farol baixo é obrigatório em todas as rodovias federais do País,
6- COLISÃO estendendo – se a obrigatoriedade de seu uso em todas as vias de
06
acesso ao porto de acordo com o PO.SSO – 18.
6.1 - Os condutores deverão respeitar os limites de velocidade impostos
nas vias 30 km, 40 km, 60 km e 80 km.
07 7 - Reduzir velocidade próxima a escolas e comunidades com tráfego
7 - ATROPELAMENTO constante de pessoas.
11 PÁGINA
4 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
08 - Manter – se atento a existência de animais nas vias, caso encontre
08 - ATAQUE DE ANIMAIS acionar a brigada de emergência pelo número (22) 98123 – 5555, em
08 seguida o condutor deverá comunicar ao encarregado e Setor de SSO, a
fim de orientar ao risco os demais condutores das vias.
08.1 - É vetado afugentar e matare matar todo e qualquer animal.
9 - Os condutores deverão manter – se atentos aos desníveis em estradas
vicinais, bem como a presença de cascalhos nas vias, devido ao risco de
derrapagem e tombamento.
09 9 - TOMBAMENTO 9.1 - Em curvas Acentuadas os condutores deverão realizar – las em
velocidade reduzida de modo a reduzir o efeito da “FORÇA G”,
(aceleração lateral, gerada em uma curva ou manobra), devido a projeção
do liquido transportado realizar força contrária durante a manobra.
10 - Regular os bancos de forma ergonômica visando á prevenção de
10 - ERGONOMIA lesões na coluna e conforto durante a condução, bem como regular os
10 retrovisores de forma que o condutor não tenha que se deslocar do banco
para visualizar os pontos cegos do veículo.

ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS

EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 11 - Os Condutores deverão alinhar os retrovisores, de modo a reduzir o


11 MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS 11 - BATER CONTRA OBJETOS. ponto cego dos veículos.
(Deslocamento do Equipamento)
12.1 - É vetado o uso de celulares ou qualquer outro objeto que venha a
ABASTECIMENTO reduzir a atenção do condutor.
12 . 12 - BATER CONTRA PESSOAS 12.2 - De acordo com o procedimento P.O.SSO – 18 Todo os veículos
deverão ser estacionados de ré, de modo a facilitar sua saída e manobras.

13 13 - Caso haja má visibilidade no ambiente o colaborador deverá adotar


as seguintes medidas;
13 - MÁ VISIBILIDADE a) Acionar o limpador do para-brisa;
b) Manter - se atento ao trafego na via;
Deslocar – se em velocidade reduzida
11 PÁGINA
5 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
14 – Reduzir a velocidade a velocidade em dias de neblina, manter os
faróis acesos, utilizar o desembaçador a fim de melhorar a visibilidade
durante o percurso.
14 - INTEMPERISMO
14.1 - Em dias chuvosos o condutor deverá conduzir o veículo de forma
14 preventiva, com velocidade reduzida e limpadores de para-brisas
acionados, a fim de melhorar a sua visibilidade durante o trajeto.
14.1 - Em dias chuvosos o condutor deverá conduzir o veículo de forma
preventiva, com velocidade reduzida e limpadores de para-brisas
acionados, a fim de melhorar a sua visibilidade durante o trajeto.
15 - CONDIÇÕES ADVERSAS 15 - Durante a condução, caso demais condutores venham forçar a
(Ultrapassagens, forçadas dos ultrapassagem nas vias e rodovias de acesso o condutor deverá agir
15 -
demais condutores nas vias e preventivamente reduzindo a velocidade do veículo lhe favorecendo a
rodovias de acesso). ultrapassagem reduzindo assim o risco de acidentes.
16 - PROJEÇÕES DE MATERIAIS 16 - É vetado o transporte de materiais soltos no interior dos veículos, os
16 - mesmos deverão ser alocados em locais projetados para a sua guarda, de
modo a reduzir o risco de projeção de materiais em frenagens bruscas.
17 - Os condutores somente poderão acionar a bomba de abastecimentoo
17 – RUÍDO equipamento, estando em porte dos EPI´s contidos em suas O.S / Ordem
17 -
de serviço, (Capacete, Óculos de Proteção e, Protetor Auricular e Bota de
Segurança).
18 - Os Condutores, ao constatarem todo e qualquer vazamento em seus
18 – CONTAMINAÇÃO DE ÁGUA, equipamentos deverão solicitar ao encarregado o Kit de Mitigação, bem
18 - SOLO E AR. como a equipe de manutenção para contenção do vazamento.

ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS


19 - ABASTECIMENTO 19 - Durante a realização dos serviçosutilização de mangotes e
EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 19 - PRENSAMENTO / mangueiras, os colaboradores obrigatóriamente deverão utilizar luvas de
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PINÇAMENTO vaqueta a fim de minimizar o risco de pensamento e pinçamento de
(Deslocamento do Equipamento) membros.
11 PÁGINA
6 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
20 - Os Condutores deverão realizar o uso de protetor solar de modo a
20 - 20 - CALOR reduzir os impactos provenientes às radiações solares.

21 - É de responsabilidade dos condutores checarem diariamente a


21 -
21 - PREVENÇÃO CONTRA validade e pressurização dos extintores por meio de Chek – list, de modo
INCÊNDIO a garantir sua utilização em casos de princípios de incêndio.

22 - PROTEÇÕES DE MAQUINAS 22 – É vedada a retirada da proteção de máquinas e materiais rodantes


22 -
dos equipamentos, devido ao risco de pensamento de membros.
23 – É dever de todo colaborador zelar pela limpeza e arrumação dos
23 - 23 – ORDEM ARRUMAÇÃO E setores e equipamentos da empresa, de modo a manter um ambiente
LIMPEZA salubre e harmônico para a realização de suas atividades laborais.
3 – Animais na Pista 3.124 – O Profissional ao se deparar com animais na Pista deverá seguir
os seguintes passos;
 Reduzir a velocidade do equipamento,
 Se dirigir ao acostamento da via
24 – ANIMAIS NA PISTA  Ligar o alerta do veículo de modo a alertar aos demais condutores da
24 -
via.
 Aguardar a travessia dos animais.
 Comunicar ao Setor de Brigada de Incêndio pelo telefone (22) 98123
– 555 de modo a conter os animais nas vias e alertar aos demais
condutores.
4.125 - O local a ser realizadas as atividades deverá ser segregada com
EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 4 - Falta de Isolamento e cones, correntes ou tela cerquite de modo a inibir o tráfego de pessoas
25
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS Sinalização25- FALTA DE que não estejam mobilizadas com a atividade.
(Patolamento do Equipamento) SINALIZAÇÃO E ISOLAMENTO.
26 6.126 – Ao estacionar o veículo para a realização das atividades o
profissional de verá alocar – lo, em local adequado de modo que
possibilite a abertura total de suas patolas que deverão ser calçadas com
26 - PISO IRREGULAR madeira resistente, sendo vetada toda e qualquer movimentação do
veículo sem estar patolado ou sem a abertura total de suas patolas.
11 PÁGINA
7 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
(Análise de Terreno Para 6.226.1 – De acordo Com o P.O.SSO – 013 - Para Patolamento de
Realização das Atividades de Guindaste/GuindautoMunck, devem ser observados os seguintes itens:
Içamento)
6 - Piso Irregular
ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS
27.- Não podem ser usadas armações de pranchas (fogueiras) sob os
extensores das patolas.;
As pranchas sob as sapatas devem ser dispostas encostadas umas nas
27 -PISO IRREGULAR outras, formando uma área pelo menos 3 vezes maior que a área de uma
(Análise de Terreno Para sapata, cobrindo totalmente a área da mesma;
Realização das Atividades de As pranchas de madeira (Espessura mínima 7,0 cm – Guindaste e 3,5 cm
Içamento) para MunckGuindauto) devendo estar niveladas, garantindo que se
6 - Piso Irregular mantenham perpendiculares ao eixo do cilindro da sapata;
Antes do Patolamento o profissional deverá possuir conhecimento da
EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E resistência do solo levando em consideração o material a ser içado e o
25 27 -
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS peso do equipamento a ser patolado.
(Patolamento do Equipamento) 27.1. As pranchas sob as sapatas devem ser dispostas encostadas umas
nas outras, formando uma área pelo menos 3 vezes maior que a área de
uma sapata, cobrindo totalmente a área da mesma;
27.2. - As pranchas de madeira (Espessura mínima 7,0 cm – Guindaste e
3,5 cm para Guindauto) devendo estar niveladas, garantindo que se
mantenham perpendiculares ao eixo do cilindro da sapata;
27.3. - Antes do Patolamento o profissional deverá possuir conhecimento
da resistência do solo levando em consideração o material a ser içado e o
peso do equipamento a ser patolado.
6.128 – Ao estacionar o veículo para a realização das atividades o
EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E profissional de verá alocar – lo, em local adequado de modo que
28 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS possibilite a abertura total de suas patolas que deverão ser calçadas com
(Patolamento do Equipamento) madeira resistente, sendo vetada toda e qualquer movimentação do
veículo sem estar patolado ou sem a abertura total de suas patolas.
11 PÁGINA
8 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
6.228 – De acordo Com o P.O.SSO – 013 - Para Patolamento de
Guindaste/GuindautoMunck, devem ser observados os seguintes itens:
28 - PISO IRREGULAR Não podem ser usadas armações de pranchas (fogueiras) sob os
(Análise de Terreno Para extensores das patolas;
Realização das Atividades de As pranchas sob as sapatas devem ser dispostas encostadas umas nas
Içamento) outras, formando uma área pelo menos 3 vezes maior que a área de uma
6 - Piso Irregular sapata, cobrindo totalmente a área da mesma;
As pranchas de madeira (Espessura mínima 7,0 cm – Guindaste e 3,5 cm
para MunckGuindauto) devendo estar niveladas, garantindo que se
mantenham perpendiculares ao eixo do cilindro da sapata;
Antes do Patolamento o profissional deverá possuir conhecimento da
resistência do solo levando em consideração o material a ser içado e o
peso do equipamento a ser patolado.
28.1 - As pranchas sob as sapatas devem ser dispostas encostadas umas
nas outras, formando uma área pelo menos 3 vezes maior que a área de
uma sapata, cobrindo totalmente a área da mesma;
28.2 - As pranchas de madeira (Espessura mínima 7,0 cm – Guindaste e
3,5 cm para Guindauto) devendo estar niveladas, garantindo que se
mantenham perpendiculares ao eixo do cilindro da sapata;
28.3 - Antes do Patolamento o profissional deverá possuir conhecimento
da resistência do solo levando em consideração o material a ser içado e o
peso do equipamento a ser patolado.

5.129. - – O Profissional deverá seguir a tabela de Içamento constante no


EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 5 29 - IÇAMENTO DE CARGAS
veículo bem como obter o peso do material a ser içado de modo a
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS (Peso Superior ao Limite do
segregar as cintas e manilhas adequadas para o Içamento do objeto de
29 - (Estudo de Materiais Utilizados Para o Veículo, Cintas, Manilhas
26 -
acordo com o Procedimento P.O. SSO – 13 (Movimentação de Cargas).
Içamento de Cargas). Eslingas)– Içamento de cargas com
5.2 – O Profissional deverá realizar diariamente o Check – list no
peso superior ao limite do veículo,
equipamento bem como correntes, manilhas, cintas, eslingas e cabos de
cintas ou manilhas
aço atentando – se ao limite de desgaste e desfilamento

ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS


11 PÁGINA
9 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 30 - IÇAMENTO DE CARGAS
30 – O Profissional deverá realizar diariamente o Check – list no
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS (Peso Superior ao Limite do
30 equipamento bem como correntes, manilhas, cintas, eslingas e cabos de
(Estudo de Materiais Utilizados Para o Veículo, Cintas, Manilhas Eslingas)
aço atentando – se ao limite de desgaste e desfilamento.
Içamento de Cargas).
5.330 - Sendo contatada o desfilamento dos cabos de aços manilhas e
cintas de forma a comprometer a sua resistência durante o Içamento
essas deverão ser separadas e substituídas imediatamente de forma a
não comprometer a segurança e continuidade dos serviços.
5.431.1 - Não devem ocorrer mais de que 05 (cinco) fios rompidos
aleatoriamente entre as pernas ou mais do que 03 (três) concentrados em
uma única perna;
5.531.2 - Estado da alma do cabo: Caso esteja detectado o rompimento
31 -27 EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 31 - 5 – IÇAMENTO DE CARGAS da alma do cabo, o estropo deve ser sucateado
-
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS (Peso Superior ao Limite do 5.633.3 - Ondulação: Se existirem ondulações no cabo, deve ser
(Estudo de Materiais Utilizados Para o Veículo, Cintas, Manilhas Manilhas sucateado; Gaiolas: Se existirem gaiolas no cabo, o estropo deve ser
Içamento de Cargas). Eslingas). sucateado; Nós e dobras: Se existirem dobras ou nós, deve ser
sucateado;
5.731.4 – Todos os Equipamentos utilizados durante a movimentação e
Içamento de cargas deverá ser inspecionado por meio de Check – list,
estes sendo considerados aptos receberão a identificação da cor do mês
vigente de acordo com o Procedimento de SSO - Prumo Logística, de
modo a atestar a sua segurança e continuidade dos serviços.
29 32 - 32 - De acordo comDe acordo Com o P.O.SSO – 13 - (Içamento e
Movimentação de Cargas) os materiais deverão ser alocados de forma
32 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E organizada e amarrados com cintas, de forma a evitar seu tombamento
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS durante o trajeto.
(Armazenamento de Materiais na Carroceria)
32.1 - É vetada a alocação de matérias como madeiras, tubos, telhas
dentre outros acima do guarda corpo da carroceria ou sem que os
mesmos estejam devidamente cintados e amarrados, de modo a garantir
32 - sua estabilidade durante o trajeto.
11 PÁGINA
10 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
32.3 - É obrigatório o uso de quebra - cantos em cargas com quinas vivas;
Para acomodação da carga, deverão ser colocados calços de acordo com
as especificações e formatos das cargas (tubulações, chapas, etc.)
evitando que as mesmas tombem ou dificultem o Içamento.

QUEDA DE OBJETOS
(Materiais falta de amarração e
cintamento de materiais)
ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS
32.4 - Laços para formação de olhais são feitos por trançamento ou
prensagem, .
32 - QUEDA DE OBJETOS Presi
(Materiais falta de amarração e lhasPresilhas de alumínio devem deixar a ponta à mostra para controle e
32 -
32 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E cintamento de materiais) devem ter a marca da firma que executou a prensagem, que normalmente
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS é composta por duas letras.
(Armazenamento de Materiais na Carroceria)
A Prumo adota como prática a colocação de no mínimo 3 grampos
(grampo pesado) para se fazer um laço com cabo de aço fino, quanto
maior o diâmetro do cabo mais grampos são necessários.
33 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 33 - QUEDA DE OBJETOS 33 - Laços feitos com grampos devem ser usados apenas para uma única
33 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS (Materiais falta de amarração e aplicação, devendo ser desfeitos logo após a utilização, para que não
(Armazenamento de Materiais na Carroceria) cintamento de materiais) sejam utilizadas erroneamente.
30 - 34 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E De acordo com o P.O.SSO – 13 (Içamento e Movimentação de Cargas), É
34 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS considerado trabalho em altura todo e qualquer serviço realizado em
(Trabalho em Altura) altura superior a 1,80mts,
34 - Nesta ocasião o profissional responsável pela amarração dos
materiais na carroceria, deverá possuir o curso de NR – 35, além de estar
34 - TRABALHO EM ALTURA em posse do crachá de autorização de serviços expedido pelo setor de
SSO da empresa.
11 PÁGINA
11 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
(Risco de Quedas) 34.1 - Para realização de atividades em altura o profissional deverá estar
em posse da PTE referente ao serviço, bem como ter realizado a aferição
de pressão arterial no ambulatório Prumo, sendo vetada a realização de
serviços sem a aferição da mesma, bem como sendo contatada
Hipotensão e Hipertensão Arterial (pressão baixa e pressão baixa), no
profissional mobilizado para atividade.
35 - O Profissional deverá estar em posse de cinto tipo paraquedista com
35 - TRABALHO EM ALTURA talabarte duplo Y, para acessar a carroceria do caminhão.
35 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E (Risco de Quedas) 35.1 - O Profissional deverá inspecionar as escadas de acesso, bem como
35 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS a integridade do cabo guia antes de iniciar a atracagem dos talabartes.
(Trabalho em Altura) 35.2 - É vetada a realização de serviços na carroceria de todo e qualquer
veículo, sem que o mesmo possua cabo guia, escada de acesso e o
mesmo esteja estacionado.
36 - Em movimentação de cargas próximo a redes energizadas o
profissional deverá solicitar ao setor de SSO e encarregado para que
36 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E contatar o profissional de elétrica sendo este responsável pelo
31 -
36 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS comprimento do procedimento P.O.SSO .012 BLOQUEIO DE ENERGIA.
(Riscos Elétricos) 36 - MOVIMENTAÇÃO DE
CARGAS (Próximo a Redes
Energizadas).
ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS
36.1 - Para esta atividade deverá ser Disponibilizada uma PTE – referente
36 - MOVIMENTAÇÃO DE a serviços elétricos.
36 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E CARGAS (Próximo a Redes
36 -32
MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS Energizadas). 36.2 - Ao executar trabalhos próximos a redes elétricas energizadas, os
-
(Riscos Elétricos) equipamentos deverão ser aterrados

37 - 37 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 37 - O Operador deverá verificar antes do início da atividade se a


MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS 37 - velocidade do vento está dentro do limite permitido para a configuração do
(Incidência de Ventos) guindaste na movimentação que será realizada.
11 PÁGINA
12 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
37.1 - Em nenhum momento ele deverá realizar atividades com ventos
acima do permitido pelo Manual do Equipamento.
INTEMPERISMO
(Ações da Natureza)
38 - Se os executantes sentirem que o material içado está instável em
38 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 38 - INTEMPERISMO função do vento mesmo estando dentro da velocidade permitida, a
38 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS (Ações da Natureza) atividade deverá ser interrompida imediatamente até que possa ser
(Incidência de Ventos)
realizada de maneira segura.
39 – Preparação de materiais para o Içamento de cargas;
39 - FALHA NO PROCESSO  Determinar qual eslinga adequada e se necessário preparar proteção
OPERACIONAL. para os cantos vivos;
(Descumprimento de Normas e  Verificar se a mesma possui certificado de aprovação;
39 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E
Procedimentos).
39 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS  Preparar o local de destino com caibros e cunhas se necessário.
(Falha no Processo Operacional)  Realizar a verificação junto à PTE – Movimentação de Cargas /Plano
de Içamento antes do início das atividades;
 Preencher e divulgar a APR.

40 - Informar ao operador o peso da carga.
3.40.1 - Colocar o gancho do meio de elevação perpendicularmente
sobre o centro de gravidade da carga.
40.2 - . Acoplar a Linga à carga. Se não for utilizar uma das pernas da
Linga, acoplá-la ao elo de sustentação para que não possa se prender a
outros objetos ou cargas.
40 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E
40 - FALHA NO PROCESSO 40.3 - Quando necessário, pegar a eslinga por fora e deixar esticar
40 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS
OPERACIONAL. lentamente.
(Falha no Processo Operacional)
5. Sair da área de risco.
406.4 - Avisar a todos os envolvidos no processo de movimentação e a
todos que estiverem nas áreas de risco
7.40.5 - Sinalizar ao operador, a sinalização deve ser feita por uma única
pessoa.

ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS


11 PÁGINA
13 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
40.68. - Ao movimentar a carga, observar:
• se a carga não se enganchou ou prendeu;
• se a carga está nivelada ou corretamente suspensa;
• se as “pernas” da amarração têm uma carga semelhante.
9.40.7 - Se a carga pendular, mais para um lado, abaixá-la para prendê-la
corretamente.
10.40.8 - Movimentação da carga.
11.40.9 - No transporte de cargas assimétricas ou onde haja influência de
ventos deve-se usar um cabo de condução que seja longo o suficiente
para que se fique fora da área de risco.
12.40.10 - Abaixar a carga conforme indicação do movimentador.
40 - EQUIPAMENTO DE IÇAMENTO E 40 - FALHA NO PROCESSO 13.40.11 - Certificar-se de que a carga não pode se espalhar ou tombar.
40 - MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS OPERACIONAL. Itens impeditivos para movimentação de cargas
(Falha no Processo Operacional) 40.12 - Para execução de atividades de Içamento e Movimentação de
cargas nas áreas da Prumo, devem ser observados no mínimo os itens
abaixo:
40.13 - Falta de Habilitação, qualificação e autorização de toda equipe
envolvida na movimentação de cargas;
40.14 - Falta de EPI’s básicos necessários;
40.15 - Equipamento e Acessórios em condições insatisfatórias e ou
danificados;
40.16 - Solos instáveis (próximos a valas, taludes, plano inclinado, etc.).
40.17 - Falta de dispositivos para evitar que se coloque a mão na carga;
Falta do Plano de Rigging para as situações previstas no neste
procedimento;
11 PÁGINA
14 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

POTÁVE 27
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO

EPI’S BÁSICOS EPI’S ESPECÍFICOS

X CAPACETE X PROTETOR AURICULAR X LUVAS

X ÓCULOS X BOTA COM BIQUEIRA DE AÇO X RESPIRADOR

EXECUTANTES DA TAREFA
ASSINATURA DO0
DATA NOME DO MOTORISTA:
MOTORISTA
DATA NOME DO MOTORISTA: ASSINATURA DO MOTORISTA:

COMPLEMENTO DE APR

ITEM PASSOS RISCOS MEDIDAS PREVENTIVAS

REVALIDAÇÃO DIÁRIA
N: NOME DATA ASSINATURA
01 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

02 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA


11 PÁGINA
15 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

27
POTÁVE
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO

03 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

04 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

05 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

06 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

07 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

08 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

09 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

10 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

11 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

12 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

13 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

14 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

15 WANDERSON SANTOS – LEONARDO PESSANHA

Observações:
O motorista devera somente executar atividade do molhamento.
Caso for realizar outra atividade devera comunicar ao técnico de segurança.

ELABORAÇÃO DA APR (Aplicável quando a APR elaborada com apoio de Profissional Específico):
NOME: GLAUBER DA SILVA
DATA: EVALDO GAMA ASSINATURA:
TEMA DDSMS DO DIA DA ELABORAÇÃO:
11 PÁGINA
16 de 16
TRANSPORTE
APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO DE ÁGUA

27
POTÁVE
LCAMINHÃO
MUNCK /
GUINDAUTO
TELEFONES DE EMERGÊNCIA:
EMERGÊNCIAS GERAIS: (22) 98123-5555
TECNICO DE SEGURANÇA EVALDO GAMA (22) 98172-0506
SE OCORRER ACIDENTE, INFORME IMEDIATAMENTE!
“COMPROMISSO E ATITUDE POR ZERO ACIDENTE”