Sie sind auf Seite 1von 1

DALLARI, Dalmo de Abreu. Elementos da Teoria Geral do Estado. 33. Ed.

São Paulo: Saraiva,


2017.

48. (pp. 106 – 107) Estudo dos fins de estado. Dallari afirma que há uma vinculação entre os fins
do Estado e o papel por ele desempenhado. O desconhecimento das finalidades do Estado
possibilita que algumas funções sejam priorizadas em detrimento de outras. Valorização
excessiva da função econômica do Estado e da manutenção da ordem, em detrimento da
liberdade.
49. (pp. 107 – 108) Distinção entre fins objetivos e fins subjetivos do Estado.
Objetivos: Papel do Estado no desenvolvimento histórico. Fins universais e objetivos (comuns a
todos os estados a qualquer tempo) – Platão; Aristóteles; Cristianismo: o desenvolvimento não
é espontâneo. Teoria organicista – Estado é um fim em si mesmo, não há fins objetivos: os
acontecimentos da fida não podem ser controlados; cada Estado tem seus próprios fins.
Subjetivos: Relação entre estado e indivíduo. Estado somente existe porque fins particulares
foram realizados. “As instituições de Estado não são poderes cegos da natureza, mas nascem e
se transformam por influência da vontade humana e em vista de fins a atingir” (p. 108).
50. (pp. 108 – 110) É estudada a relação Estado/indivíduo. Amplitude e comportamento do
Estado em função dos objetivos. Fins expansivos, limitados e relativos.
Expansivos: Estado grande e indivíduo anulado; teoria utilitária (prima pelo desenvolvimento
material) x teoria ética (prima pelos fins éticos).
Limitados: Estado mínimo. Correntes: prover ordem social e vigilância / proteger a liberdade
individual / Estado de Direito.
Relativos: Meio-termo; controle da expansão e da limitação. Solidariedade; igualdade de
condições iniciais.
51. (pp. 110 – 111) Divide os fins do Estado em exclusivos (indisponíveis) e complementares
(buscam desenvolvimento e progresso; comuns a outras sociedades).