Sie sind auf Seite 1von 7

CURSO: SEGURANÇA NO TRABALHO ACÇÃO: 4

UFCD: 3773 – TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE PREVENÇÃO DE RISCOS FORMADOR: ROSALINA MACHADO


PROFISSIONAIS
PROJECTO Nº : 037058/2010/23 SESSÃO Nº: 12
LOCAL: BRAGANÇA DURAÇÃO: 240 M

Teste de avaliação de conhecimentos

Formando(a): _____________________________ Classificação: ___________________

Formadora:
das. ____________________
das.
coloca
coloca
es
esquestõ Das questões a seguir escolha a que parece mais correcta: (nota relativa às questões de 1 a 7:
questõ
te às 1,5 valor por resposta certa)
tetamen
às
tamen
correc
correc
nder 1. Entende-se como trabalho:
nder
respo
respo a) Exercício de actividade humana, manual ou intelectual, produtiva
s de
s de
capaze b) Serviço
capaze
c) Maneira como alguém trabalha
o ser
o ser
deverã
deverã
ndos d) Todas as resposta estão correctas
ndos
forma
forma
nte os
2. A principal diferença entre risco e perigo é:
nte os
ualme
ualme
individ
individ
m: a) não existem diferenças
b) Perigo é uma combinação de
m:dizage
dizage
apren
apren
de probabilidade da ocorrência de um fenómeno
detvos
tvos perigoso com a
Objec
Objec gravidade das lesões ou danos para a saúde que
tal fenómeno pode causar, já o risco relaciona-
se com a propriedade ou capacidade intrínseca de
um componente do trabalho potencialmente
causador de danos.
c) Risco é uma combinação de probabilidade da ocorrência de um fenómeno
perigoso com a gravidade das lesões ou danos para a saúde que tal fenómeno
pode causar, já perigo relaciona-se com a propriedade ou capacidade intrínseca de um
componente do trabalho potencialmente causador de danos.
3. Em HST acidente e incidente designam:
a) Acidente entende-se como uma ocorrência inesperada, indesejada e grave que origina
danos pessoais, materiais, económicos e sociais, e por incidente (ou quase acidente) é toda e
qualquer ocorrência, de carácter inesperado, indesejado e pouco grave (com danos pessoais,
materiais, económicos e sociais pouco significativos)
b) Incidente entende-se como uma ocorrência inesperada, indesejada e grave que origina
danos pessoais, materiais, económicos e sociais, e por acidente (ou quase acidente) é toda e qualquer
ocorrência, de carácter inesperado, indesejado e pouco grave (com danos pessoais, materiais,
económicos e sociais pouco significativos)
c) As afirmações anteriores ambas estão erradas
d) As afirmações anteriores ambas estão correctas

4. Existe doença profissional sempre que:


a) O trabalhador tem estado exposto de uma forma contínua a um agente causador da doença
b) A situação resulta da sua presença no local de trabalho
c) Entre a manifestação médica da doença e a sua exposição não decorreu um período de
tempo superior ao valor previsto na legislação em vigor.
d) Sempre que as três condições que se apontam anteriormente se verifiquem
cumulativamente.

5. Prevenção consiste:
a) Na acção de aumentar a manifestação dos riscos profissionais através de um conjunto de
disposições ou medidas a adoptar em todas as fases da actividade da empresa.
b) Na acção de evitar ou diminuir a manifestação dos riscos profissionais através de um
conjunto de disposições ou medidas a adoptar em todas as fases da actividade da empresa.
c) As afirmações anteriores ambas estão erradas
d) As afirmações anteriores ambas estão correctas

6. A avaliação de risco consiste:


a) no método de contagem dos acidentes
b) Em preveir
c) No processo de detecção, identificação e quantificação dos riscos para a saúde e a
segurança dos trabalhadores decorrentes das circunstâncias em que o perigo se manifesta no local de
trabalho.
d) Todas as afirmações anteriores estão corectas

7. A Controlo de risco entende-se como:


a) O conjunto de disposições e medidas adoptadas para minimizar a probabilidade de
ocorrência de acontecimentos perigosos
b) Através de medidas preventivas
c) na impossibilidade de evitar que eles ocorram, garantir, dentro de determinados parâmetros
que as suas consequências sejam reduzidas pela adopção de medidas de protecção adequadas.
d) As afirmações anteriores estão todas correcta, completado-se entre si.

8. Complete o quadro que se segue: (0,2 valores por resposta certa)


9. Identifique as principais funções da gestão. Descreva uma delas. (2 valores)

Principais funções da gestão são: Recursos humanos, Organização do trabalho, Formação e


informação, Produção, Aprovisionamento, Manutenção, Qualidade, Ambiente, Prevenção de riscos
profissionais, Sistemas de informação e de comunicação.

• Gestão de Qualidade - Gestão de qualidade envolve a definição de procedimentos apropriados


e padrões, e a verificação que eles são seguidos pelo staff

• Qualidade é um conceito multidimensional. Classicamente, qualidade é : produto deve estar


de acordo com a especificação.

10. Comente a seguinte frase:


“Uma forma correcta de avaliar a função segurança e saúde do trabalho consiste em analisar
os indicadores de sinistralidade: Índice de Frequência; Taxa de Incidência e Índice de
Gravidade, numa perspectiva integrada”.
Tradicionalmente os indicadores de sinistralidade são considerados como parâmetros de aferição das
condições de segurança instituídas.
Esta situação não pode deixar de ser considerada uma análise restrita e pouco rigorosa uma vez que
na sua essência se restringe a uma abordagem de um conjunto de indicadores que traduzem a
ocorrência de sinistros sob diferentes perspectivas:
· Índice de Frequência;
· Índice de Gravidade;
· Índice de Incidência;
· Índice de Avaliação da Gravidade.
Outros indicadores habitualmente considerados para avaliar a função segurança e saúde do trabalho,
são, entre outros, os seguintes:
a) Taxa de encargos com higiene e segurança: este parâmetro exprime o montante de euros
dispendidos em encargos com higiene e segurança por cada euro de custos gerais com o
pessoal. O seu valor traduz a importância relativa que a organização atribui ao factor
segurança e saúde dos seus trabalhadores;
b) Taxa de saúde ocupacional: este indicador relaciona o número de exames médicos
(periódicos e ocasionais) efectuados na empresa durante o ano em análise com o efectivo
médio de trabalhadores ao serviço nesse período;

c) Taxa de absentismo por acidentes de trabalho: este indicador mede o número de horas
de ausência por acidente de trabalho por cada 100 horas de trabalho potencial. Uma taxa
elevada neste indicador exprime condições de trabalho pouco cuidadosas, quer por razões
técnicas de gestão quer por origem no comportamento do pessoal.
Sem prejuízo dos indicadores apresentados, do nosso ponto de vista, a função segurança e
saúde do trabalho deve ser entendida como um sistema de gestão tal como é encarado, entre
outras referências pela Norma OHSAS 180011. Nessa perspectiva, interessa, neste âmbito,
perceber que quando se fala de indicadores de segurança e saúde do trabalho estamos
implicitamente a falar de parâmetros adequados que avaliem a eficácia desse sistema de
gestão em particular.

11. Descreva alguns dos custos directos e indirectos que estão relacionados com os acidentes de
trabalho, doenças profissionais e absentismo.
Acidentes de trabalho e doenças profissionais
Os custos directos, porque directamente associados à ocorrência do acidente, são, tradicionalmente
designados como custos seguros, na acepção de que se encontram cobertos por uma apólice de um
seguro de acidentes de trabalho. Na prática, traduzem-se em remunerações, indemnizações
directamente afectáveis e despesas médicas e ambulatórias, correspondendo, naturalmente, o seu
valor a um prémio de seguro compatível.
Os custos não seguráveis, os custos indirectos, cobrem uma multiplicidade de situações que em
virtude da sua natureza não podem ser objectivamente traduzidas em valores económicos,
designadamente os custos associados ao tempo perdido na assistência prestada ao sinistrado, os
custos devidos à paragem da linha de produção quando os operários se aperceberam do acidente, os
custos afectos ao processo de averiguação das causas que estiveram na origem do acidente, os custos
de selecção e formação de um colaborador que possa substituir o trabalhador acidentado, os custos
devidos à falta de prática desse novo elemento, os custos associados ao impacto psicológico sobre os
restantes colaboradores, as perdas das reparações do equipamento afectado pelo acidente, as
implicações nos níveis de produção e os seus efeitos ao nível mercado, entre muitas outras
consequências indirectas.
Absentismo
Os custos das ausências ao trabalho são, por natureza, indirectos, uma vez que as implicações
económicas desses acontecimentos se traduzem tipicamente nas seguintes situações que são
dificilmente quantificáveis:
a) Redução dos níveis e ritmo da produção, não só porque o trabalhador se encontra ausente,
mas também porque em determinadas situações pode perder a aptidão para o desempenho
da função com a mesma taxa de sucesso;

b) Eventual necessidade de substituir (recrutamento e selecção, formação do novo recurso


humano) a pessoa ausente, devido a ausência prolongada ou sistemática, por forma a
assegurar o desempenho da função, entre outras situações.

Os custos directos são, como se compreende, aqueles que resultam do saldo entre aquilo que a
organização economiza por ser averbada falta ao trabalhador e os custos directamente afectáveis à
não realização do trabalho em causa.
Em síntese, a falta de assiduidade constitui um importante factor de agravamento dos custos de uma
organização, o que face à gravidade da situação, deve merecer dos responsáveis pela organização a
adopção de medidas adequadas.

BOA SORTE!