Sie sind auf Seite 1von 22

Adaptações neuroendócrinas no

trauma.

SEMANA ACADÊMICA DE MEDICINA - UNOCHAPECÓ


Prof. Me. Paula Zeni
paulazeni@unochapeco.edu.br
Mecanismos bioquímicos em resposta
à agressão:
Charles Darwin (1854): mecanismo de preservação.

Walter Cannon (1919): homeostase.

Hans Selye (1936): síndrome geral de adaptação.

Alterações PÓS-TRAUMA = Adaptações para


conservar a vida e a espécie.
Ação do trauma no organismo:
• Efeitos imediatos:
Ação do trauma no organismo:
• Efeitos Tardios:
Adaptações neuroendócrinas ao trauma:
ESTRESSOR FÍSICO OU PSICOPATOLÓGICO

REAÇÃO DE ALARME (RESPOSTA DE LUTA OU FUGA)

RESISTÊNCIA

RECUPERAÇÃO EXAUSTÃO:

Magnitude e duração da resposta endócrina e metabólica.


ESTÍMULO-RESPOSTA:
NodoSA
Estímulos do reflexo neuroendócrino

• Volemia.
• Oxigênio, dióxido de carbono e hidrogênio.
• Dor.
• Emoção.
Modulação da resposta:

• Hormônios de controle hipotalâmico-hipofisiário.


• Hormônios de controle autônomo.

CRH CATECOLAMINAS
ACTH INSULINA
GLICOCORTICÓIDES GLUCAGON
ADH ALDOSTERONA
Cortisol
ADH
•Hormônio Antidiurético (ADH) ou Vasopressina

 PA

Neurohipófise ADH

 reabsorção de água vasoconstrição

 Volume
sistólico

 Resistência
Periférica
•Sistema Renina-Angiotensina – Aldosterona
 PA
angiotensinogênio
 perfusão renina
renal angiotensina I
enzima
conversora
de angiotensina
angiotensina II (ECA)

 sede
vasoconstrição
 Aldosterona
 Volume
 Resistência (córtex adrenal)
sistólico
Periférica

 reabsorção de Na+
(osmose – água)

 Volume
sistólico
ALDOSTERONA

New Human Physiology | Paulev-Zubieta 2nd Edition


GLUCAGON
CATECOLAMINAS
REAÇÃO DE ALERTA:
CONSIDERAÇÕES:
- A resposta de cada indivíduo frente ao estresse depende, não somente da
magnitude e frequência do evento estressor, mas também da união de fatores
ambientais e genéticos. Mesmo as capacidades individuais de interpretar, avaliar e
elaborar estratégias de enfrentamento parece ser geneticamente influenciado.

- O desenvolvimento de um transtorno está diretamente relacionado à


frequência e duração de respostas de ativação.
- Para que ocorra a sobrevivência, o ser humano tem que se adaptar.

- O estresse, em si, é considerado mecanismo natural de adaptação, não


doença.

- As reações de estresse resultam, exatamente, do esforço adaptativo. O


prejuízo orgânico, o "esgotamento", surge quando o estímulo estressor for intenso
ou persistente.
CONSIDERAÇÕES:
- A resposta de cada indivíduo frente ao estresse depende, não somente da
magnitude e frequência do evento estressor, mas também da união de fatores
ambientais e genéticos. Mesmo as capacidades individuais de interpretar, avaliar e
elaborar estratégias de enfrentamento parece ser geneticamente influenciado.

- O desenvolvimento de um transtorno está diretamente relacionado à


frequência e duração de respostas de ativação.
- Para que ocorra a sobrevivência, o ser humano tem que se adaptar.

- O estresse, em si, é considerado mecanismo natural de adaptação, não


doença.

- As reações de estresse resultam, exatamente, do esforço adaptativo. O


prejuízo orgânico, o "esgotamento", surge quando o estímulo estressor for intenso
ou persistente.
Leituras sugeridas
• Sandra Gestosa; Alterações Endócrinas ao Stress, in Fundamentos de Anestesia em
Ortopedia; 2006,16; 105-110.
• Renato Mestriner Stocche, Luiz Vicente Garcia, Jyrson Guilherme Klamt; Anestesia
e Resposta Neuroendócrina e Humoral ao Stress Cirúrgico; Rev Bras Anestesiol
2001; 51: 1: 59 – 69.
• J.P. Desborough; The stress response to trauma and surgery; British Journal of
Anaesthesia 85 (1): 109-17 (2000).
• GUYTON, A. C. & HALL, J. E. (2011) Tratado de Fisiologia Médica., 12ª Ed.
• SELYE H: A Syndrome produced by diverse nocuous agents. Nature 1936;138:32
• SELYE H: The Stress of Life. New York: McGrawHill 1956. Rev. ed. 1976.
• RANK A, GENTRY, E: Traumatol 1001: Field Traumatol,Instructional Manual, Version
4:3. USF, Tampa 2002.
OBRIGADA!
SEMANA ACADÊMICA DE MEDICINA - UNOCHAPECÓ
Prof. Me. Paula Zeni
paulazeni@unochapeco.edu.br