Sie sind auf Seite 1von 44

Controle ambiental

PROFESSOR: GERALDO DOS REIS LEAL


Conscientização
Ambiental
• OBJETIVOS DE APRENDIZAGEM:
• Considerando o histórico dos principais
• acidentes ambientais, reconhecer problemas
que podem ser gerados pela degradação
ambiental.
• Compreender as necessidades de implantação
de um sistema de gestão ambiental.
• Empregar o conhecimento adquirido nesta
área em outras situações.
1.1 Mudança perceptível

• O propósito desta aula é apresentar um


resumo histórico com os principais fatos que
têm conduzido governos, empresas e a
sociedade em geral a uma mudança de
postura motivada por acidentes ambientais.
O que é controle ambiental?

• Controle ambiental são agrupamentos de


regras destinados à fiscalização dos impactos
ambientais negativos de intervenção física
(antrópica), como emissões atmosféricas ,
resíduos sólidos gerados pela atividade
instalada e efluentes líquidos, de modo a
corrigir ou reduzir os seus impactos sobre a
qualidade ambiental.
Os objetivos de sua apresentação estão ligados
ao conhecimento do passado, de forma a
perceber as tendências para o futuro, bem
como à motivação que deve existir na
empresa para a realização das mudanças
necessárias ao sucesso da implantação de um
Sistema de Gestão Ambiental (SGA).
1.2 Histórico

• A percepção de que a degradação ambiental


poderia causar graves problemas de saúde,
ficou evidenciada em diversas situações como
a inversão térmica ocorrida na região de
Londres, entre 4 e 13 de dezembro de 1952
• . Nessa época, grande parte das indústrias,
sobretudo as de geração de energia elétrica, e
residências, usavam carvão para produção de
energia que, em sua queima, sem posterior
tratamento dos gases, emitia grande
quantidade de enxofre e material particulado
na atmosfera, ocasionando um fenômeno
denominado “smog”.
• O Ministério da Saúde britânico realizou
profundo estudo, inventariando as causas das
mortes nessa região (aproximadamente o
dobro de mortes em relação ao mesmo
período do ano anterior). Cerca de 8000
pessoas faleceram como consequência direta
do smog.
• . As principais causas dessas mortes foram
gripe, pneumonia e ataques cardíacos. Foi a
primeira constatação científica relacionando
um determinado tipo de poluição a perdas de
vidas humanas em grande escala, pois
somente no dia 13 de dezembro ocorreram
cerca de 4000 mortes
1.3 Fenômenos que marcaram as mudanças
climáticas no planeta entre as décadas
de 60 a 90
Década de 60
• Foi a partir da década de 60 que começou a
mudar a situação de descaso às emissões de
poluentes. Nessa época, na Inglaterra
buscavam-se soluções tecnológicas para evitar
a repetição dos eventos de 1952.
• Nessa década, alguns recursos passaram a ser
mais valorizados, devido à preocupação com o
aumento da população e do consumo,
vislumbrando-se seu esgotamento futuro
(petróleo, madeira, água, etc.), e da
ocorrência de grandes acidentes
• que alertaram a humanidade para a
magnitude das agressões à natureza e suas
repercussões sobre a vida.
1.3.2 Década de 70

• No início dos anos 70, ocorreu uma


contaminação ambiental com sérias
• repercussões na Baía de Minamata, no Japão. O
acidente foi provocado pelo despejo de efluentes
industriais, sobretudo mercúrio, na Baía de
Minamata.Um dos piores casos de intoxicação
relatados saiu numa coluna intitulada “Morte
pela Boca”. Conta o artigo que o mercúrio
presente em resíduos industriais despejados
durante anos, contaminou o pescado da região.
• De 1953 a 1997, 12500 pessoas haviam sido
diagnosticadas com o “Mal de Minamata”. A
repercussão só se deu em 1972, quando, por
força de decisão judicial inédita no mundo, as
vítimas passaram a recebe indenizações pelos
males sofridos.
• O denominado “Mal de Minamata” provocava
tonteiras, paralisias, cegueiras, deformações
físicas e mortes de familiares de pescadores
(total de 50 mortes e cerca de 2200 pessoas
oficialmente reconhecidas como vítimas de
envenenamento) com repercussões em
descendentes.
• A década de 70 caracterizou-se como aquela
em que aumentaram as atividades de
regulamentação e de controle ambiental.
1.3.3 Década de 80

• A década de 80 foi marcada como aquela em


que surgiram, em grande parte dos países, leis
regulamentando a atividade industrial no
tocante à poluição. Também nessa década
teve impulso o formalismo da realização de
Estudos de Impacto Ambiental e Relatórios de
Impactos sobre o Meio Ambiente (EIA-RIMA),
com audiências públicas e aprovações dos
licenciamentos ambientais em diferentes
níveis de organizações do governo.
• Nesta década (1986) ocorreu em Chernobyl, a
explosão de um reator da usina, que espalhou
radioatividade em quantidade superior a 10
bombas atômicas do tipo lançado em
Hiroshima. Foram contabilizadas mortes de 10
mil pessoas e retiradas da região pelo governo
200 mil pessoas.
Atividades de aprendizagem

• 1. Quando ficou evidenciado que a degradação ambiental


poderia causar graves problemas de saúde? Por quê?
• 2. O que caracteriza a inversão térmica?
• 3. A demanda pelos recursos naturais do planeta
aumentou consideravelmente nas últimas décadas. A que
se deve principalmente esse fato?
• 4. Qual é o objetivo do Protocolo de Kioto?
• 5. Considerando o efeito estufa cite os tipos de gases
responsáveis por esse processo. Quais são considerados os
mais nocivos. Por quê?
• 6. Considerando as desigualdades norte-sul, exemplifique
a interface matéria-prima/produto industrializado.
A Importância da consciência Ambiental para o Brasil
e para o Mundo

• A partir da década de 70, o mundo começou a


discutir os problemas ambientais causados ao
nosso planeta. Em 1992 aconteceu um grande
encontro no Brasil sobre Meio Ambiente e
desenvolvimento, chamado de ECO-92,
realizado pela Conferência da ONU.
• Nesse encontro ficou visível a preocupação
com as questões ambientais (Biodiversidade,
desertificação, mudanças climáticas, camada
de ozônio em perigo), reforçando os princípios
e as regras para o combate à degradação
ambiental (ambiente degradado = ambiente
desequilibrado).
• Foi a partir da Conferência de Estocolmo,
Suécia, 1972 que surgiu a Educação
Ambiental (EA) e a evolução de seus conceitos
ampliaram-se com a ECO-92, sediada no Rio
de Janeiro. Podemos dizer que EA é um
processo permanente de formação e
informação, procurando desenvolver uma
consciência crítica para identificação e busca
de soluções para os problemas ambientais.
• No Brasil a Lei Federal 9.795/99 institui a Política
Nacional de Educação Ambiental, que
entendem-se por EA os processos por meio dos
quais o indivíduo e a coletividade constroem
valores sociais, conhecimentos, habilidades,
atitudes e competências voltadas para a
conservação do meio ambiente, bem de uso
comum do povo, essencial à sadia qualidade de
vida e sua sustentabilidade (baseado no Art. 225
da Constituição Federal/88).
• A Educação Ambiental quer provocar a
mudança de comportamento e atitudes diante
do meio ambiente, de forma a possibilitar a
melhoria da qualidade de vida. Estimular o
uso dos recursos naturais de forma
sustentável e combater o desperdício é
fundamental para minimizar (diminuir) os
problemas ambientais.
• Hoje falamos em Efeito Estufa = forma que a
Terra tem para manter sua temperatura
constante. O Efeito Estufa é composto de
gases, estudos recentes, realizados por
pesquisadores e cientistas, indicam que as
ações antrópicas (ações do homem) tem
agravado esse processo por meio de emissão
de gases na atmosfera, especialmente
o CO2 (dióxido de carbono) e também
o CH4 (metano).
• Quando falamos em qualidade de vida,
devemos estabelecer critérios
ambientalmente corretos, ou seja, devemos
procurar sempre agir de forma consciente.
O lixo que produz metano, é um dos grande
problemas ambientais do mundo e a falta de
conscientização e de Educação Ambiental do
ser humano agrava cada vez mais esse
problema.
• Olhando para o lixo sem preconceito,
podemos verificar que muitas coisas não são
exatamente lixo. Para entender melhor a
questão do lixo é necessário praticar
os 3R's (Reduzir, Reutilizar e Reciclar).
• Reduzir o consumo desnecessário, consumo
consciente. Evitar o desperdício, principalmente
de água (recurso natural finito), de comida e de
alimentos, tão necessários para a nossa
sobrevivência.
• Reutilizar e reaproveitar tudo que for possível,
pois quando estamos reutilizando ou
reaproveitando, possibilitando um novo destino
para aquele material, deixamos de provocar
impactos ambientais.
• Reciclar tudo aquilo que não for possível
reutilizar ou reaproveitar. No processo de
reciclagem os resíduos podem ser
transformados em matéria prima, poupando
os recursos naturais, mas de alguma forma
provoca impactos ambientais. Os materiais
recicláveis são: papel, plástico, vidro, metal,
resíduo orgânico (óleo de fritura, restos de
comida, folhas, poda de árvores, etc.).
A educação ambiental nas empresas

• A gestão ambiental inclui uma série de atividades


que devem ser administradas para formular
estratégias de administração do meio ambiente
para assegurar que a empresa esteja em
conformidade com as leis ambientais,
implementar programas de prevenção à poluição,
gerir instrumentos de correção de danos ao meio
ambiente, adequar os produtos às especificações
ecológicas, além de monitorar o programa
ambiental na própria empresa
• A questão social também é fundamental para
as organizações porque diz respeito ao seu
impacto no sistema social onde operam. É
abordada por meio da análise do impacto da
organização sobre as suas partes interessadas:
colaboradores, fornecedores,
consumidores/clientes, comunidade, governo
e sociedade em geral – a nível local, nacional e
global.
• Uma empresa socialmente responsável vai,
assim, procurar minimizar os impactos
negativos e elevar os positivos, passando a
estabelecer e pôr em prática seus sistemas de
gestão ambiental.
Posicionamento da Empresa

• O posicionamento em relação às questões ambientais


é o ato de desenvolver atividades e a imagem da
empresa, de maneira que se ocupe uma posição em
relação aos impactos ambientais por ela causados.
Muitas se utilizam da reciclagem de materiais, outras
desenvolvimento de processos, tratamento de
resíduos, entre outros. Para uma correta avaliação de
posição da empresa devem-se levar em consideração
as seguintes variáveis:
• Ramo de Atividade;
• Produtos;
• Processos;
• Conscientização Ambiental;
• Padrões Ambientais;
• Comprometimento Gerencial (Linha e Staff);
• Capacidade do Pessoal;
• Capacidade da Área de P&D;
• Capital.
• Nesse estilo todo o grupo pode e deve
contribuir com sugestões. A responsabilidade
do líder é dirigir as opiniões para que na
prática atinjam os objetivos esperados. O
grupo passa a entender que atingir os
objetivos é responsabilidade de todos.
A interferência do homem
no equilíbrio ecológico
• O processo de desequilíbrio ecológico começou
com a urbanização. A primeira
• notícia sobre o surgimento da cidade data de
mais de 3500 anos a.C. Na sociedade moderna,
esse processo se desencadeou no séc. XVIII, em
consequência da Revolução Industrial,
beneficiando o progresso dos transportes. Desta
maneira, a cidade tem assumido um crescente
papel, já que a população mundial é
majoritariamente urbana, com tendência a
aumentar.
Problemas provocados pela
urbanização
• Quando não ocorre planejamento, o processo
de urbanização sofre vários problemas de
ordem ambiental e social; impactos
significativos no ambiente ocorrem em razão
dos moldes de produção e consumo nos
espaços urbanizados.Poluições,
engarrafamentos, violência e desemprego são
aspectoscomuns nas cidades.
As ameaças à biosfera
• A degradação ambiental pode ocorrer em:
• a) Ecossistemas vegetais – como a destruição
das florestas.
• b) Ecossistemas marinhos – como mangues,
pântanos e recifes.
• c) Ecossistemas terrestres – como a extinção
de animais e plantas.
• Você deve ter percebido que o homem, ao
avançar sobre os mais diversos ecossistemas,
gerou as mais variadas formas de impacto
sobre o equilíbrio ecológico. Isso tem gerado
um grande dilema das sociedades modernas
que é conciliar o desenvolvimento tecnológico
e a carência cada vez maior de recursos
naturais com o equilíbrio da natureza.
• Uma das propostas para o desenvolvimento
sustentável é que os investimentos
econômicos, pesquisas tecnológicas e a
exploração de matéria-prima, levem em
consideração não só o presente, mas também
as gerações futuras.
• Como exemplos pode-se citar: coleta seletiva
de lixo; tratamento de esgotos industriais e
domésticos; descarte de baterias de celulares
e outros equipamentos eletrônicos em locais
especializados; geração de energia através de
fontes não poluentes como, por exemplo,
eólica, solar e geotérmica; substituição, em
supermercados e lojas, das sacolas plásticas
pelas feitas de papel, entre outros.
• Como exemplos pode-se citar: coleta seletiva
de lixo; tratamento de esgotos industriais e
domésticos; descarte de baterias de celulares
e outros equipamentos eletrônicos em locais
especializados; geração de energia através de
fontes não poluentes como, por exemplo,
eólica, solar e geotérmica; substituição, em
supermercados e lojas, das sacolas plásticas
pelas feitas de papel, entre outros
AÇÃO ANTRÓPICA

• A ação do homem na natureza sempre


aconteceu, desde os tempos antigos.
Atualmente, esta ação tem sido devastadora,
pois a fauna e flora têm sofrido muito, o que
provoca, em geral, a extinção de plantas e
animais. Vejam a seguir algumas dessas ações
antrópicas:
• a) Aquecimento global – aumento da
temperatura média dos oceanos e do ar perto da
superfície da Terra.
• b) Derrubada de florestas – ocasiona destruição
de fauna e flora em massa. As derrubadas são
uma das causas do aquecimento global.
• c) Caça e pesca – destruição dos ecossistemas
aquáticos e terrestres.
• d) Poluição – responsável pela destruição da
biosfera.
• Atividades de aprendizagem
• 1. Relate de forma sucinta como era a sua cidade no seu início e
nos dias de
• hoje, sempre comparando a paisagem.
• 2. Quais são, no seu entender, os principais problemas ambientais
da sua
• cidade? O que poderia ser feito para melhorar?
• 3. Dos exemplos citados sobre a ação antrópica no texto acima,
quais são
• os mais comuns na sua cidade?
• 4. Acima foram citados alguns recursos naturais. Quais aqueles
que você
• considera como escasso e que existe em abundância?