You are on page 1of 11

PROGRAMA DE AÇÃO

EE: DR FÁBIO BARRETO


NOME: Viviani Cláudia Aparecida Ricardo Florêncio

Diretor: Roseli Quiroga


FUNÇÃO: PROFESSOR Vice-Diretor: Tadeu José da Cunha
DISCIPLINAS: HISTÓRIA E SOCIOLOGIA
PCG: Rodrigo Chiamulera

VIGÊNCIA: 2017 ÚLTIMA REVISÃO:__/__/2017


1- RELATO SOBRE A ESCOLA E A COMUNIDADE EM QUE ESTÁ INSERIDA
A EE DR. FÁBIO BARRETO é uma escola central, já foi considerada referência no Vale do Ribeira.Com espaço físico privilegiado, refeitório, terreno para horta,
quadra coberta, descoberta, dois laboratórios, auditório, mini auditório e outros espaços que podem ser adaptados para atividades pedagógicas, conta
ainda com 25 salas de aulas, sendo que cinco delas são destinadas ao Centro de Estudos de Línguas. Em 2017 a escola tornou-se parte do Programa de
Ensino Integral (PEI) após um longo período de baixos índices e com grandes problemas de indisciplina por trazer consigo alunos vindos de uma realidade
em que a educação não é fundamental em sua formação, desprovidos do interesse pelo saber onde predominava a falta de perspectiva de futuro embasada
em sua formação acadêmica. Além disso, houve muita rotatividade de professores, pois muitos docentes efetivos encontravam-se afastados da U.E..Neste
ano, com esse novo modelo de escola, há 9 turmas em período integral entre 1ª e 3ª séries do E.M. e contamos ainda com ensino regular no período
noturno com mais 06 salas em funcionamento, todas de Ensino Médio. Com a adesão ao programa pretendemos alterar o quadro de baixos resultados no
IDESP e resgatar o prestigio perante a comunidade.

2-RELATO INDIVIDUAL SOBRE O EXERCÍCIO DA SUA FUNÇÃO


Atuo na EE DR. FÁBIO BARRETO há 6 anos e no PEI este ano como professora de História e Sociologiapossuo o objetivo e o compromisso de desenvolver
plenamente o currículo oficial. Pretendo em minhas aulas construir e desenvolver em nossos alunos à reflexão e o senso crítico acerca do mundo em que
estão inseridos e dos processos de cognição de si mesmo.No que se refere aos resultados da aprendizagem dos alunos, juntamente com a equipe escolar,
tenho o compromisso e a responsabilidade de diminuir sensivelmente os índices dos alunos que estão abaixo do básico, e atingir os resultados estabelecidos
no Idesp de 2,03, e trabalhar de forma colaborativa e efetiva com outros professores da escola, e assimobter resultados satisfatórios nas avaliações internas
e externas, superando resultados e metas pré-estabelecidos. Contribuir como professora e Coordenadora de Área para a construção de uma escola de
qualidade que essa seja referência e a família, a comunidade estejam inseridas nesse processo e participem de maneira efetiva dentro da escola.

3- PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DA FUNÇÃO


I - elaborar o seu programa de ação com os objetivos, metas e resultados de aprendizagem a serem atingidos; dada pela Lei Complementar n° 1.191,
de 28 de dezembro de 2012.
Página 1 de 11
II - organizar, planejar e executar sua tarefa institucional de forma colaborativa e cooperativa visando ao cumprimento do plano de ação das Escolas;
III - planejar, desenvolver e atuar na parte diversificada do currículo e nas atividades complementares; dada pela Lei Complementar n° 1.191, de 28
de dezembro de 2012.
IV - incentivar e apoiar as atividades de protagonismo juvenil, na forma da lei; dada pela Lei Complementar n° 1.191, de 28 de dezembro de 2012.
V - realizar, obrigatoriamente, a totalidade das atividades de trabalho pedagógico coletivas e individuais no recinto da respectiva escola; dada pela
Lei Complementar n° 1.191, de 28 de dezembro de 2012.
VI - atuar em atividades de tutoria aos alunos;
VII - participar das orientações técnico-pedagógicas relativas à sua atuação na Escola e de cursos de formação continuada;
VIII - auxiliar, a critério do Diretor e conforme as diretrizes dos órgãos centrais, nas atividades de orientação técnico-pedagógicas desenvolvidas nas
Escolas;
IX - elaborar Plano Bimestral e Guias de Aprendizagem, sob a orientação do Professor Coordenador de Área; dada pela Lei Complementar n° 1.191,
de 28 de dezembro de 2012.
X - produzir material didático-pedagógico em sua área de atuação e na conformidade do modelo pedagógico próprio da Escola;
XI - substituir, na própria área de conhecimento, sempre que necessário, os professores da Escola em suas ausências e impedimentos legais.
Parágrafo único - As atividades de trabalho pedagógico de que trata o inciso V deste artigo, poderão ser utilizadas para ações formativas, conforme
regulamentação específica. (Incluído pela Lei Complementar n° 1.191, de 28 de dezembro de 2012).

4 – ALINHAMENTOS ENTRE ATRIBUIÇÕES PROFESSOR /PROFESSOR; PROFESSOR /PCA; PROFESSOR /PCA/ PCG
Considerarei as atribuições dos profissionais que atuam na escola (professor, PCA, PCG, vice, diretor, PCNP e Supervisor de Ensino), seguindo um perfeito
alinhamento entre as funções de cada um no desempenho das suas atribuições para se atingir as metas definidas no Plano de Ação da Escola.
Garantirei minha participação no alinhamento entre as atribuições, atividades e ações dos professores da área, com os demais Professores Coordenadores
de Área e com o Professor Coordenador Geral em relação às disciplinas da Base Nacional Comum e a interagirei com as inovações, principalmente com as
disciplinas e atividades da Parte Diversificada e das Atividades Complementares. Garantirei meu pleno entendimento do Plano de Ação da escola com toda a
equipe, principalmente da relação existente entre os resultados a serem alcançados e as estratégias e ações a serem implementadas. Lembrando sempre
que o Plano de Ação da Escola é desdobrado no Programa de Ação dos componentes da Equipe Escolar.
Garantirei o meu entendimento e a prática do PDCA como instrumento rotineiro na vida escolar tanto nas questões de ordem administrativa como das ações
pedagógicas. Priorizarei a implantação do Programa, introduzindo e mantendo o funcionamento da Escola no padrão planejado, para que se tenha clareza
na definição das ações, solicitando o apoio necessário, fixando prazos, acompanhando e informando os interessados sobre o andamento das aulas.
Apoiarei a atuação dos Professores Coordenadores de Área e incentivarei, apoiarei e monitorarei as práticas e vivências em Protagonismo Juvenil na escola.

Página 2 de 11
5 - COMPETÊNCIAS E HABILIDADES NECESSÁRIAS PARA DESEMPENHAR AS ATRIBUIÇÕES

PREMISSAS COMPETÊNCIAS Descrever as competências a serem desenvolvidas por premissa


PROTAGONISMO JUVENIL 1. PROTAGONISMO:

2. DOMÍNIO DO CONHECIMENTO E CONTEXTUALIZAÇÃO: Identificar quais são as principais habilidades que os alunos precisam
FORMAÇAO CONTINUADA desenvolver em cada turma.
1. DISPOSIÇÃO AO AUTODESENVOLVIMENTO CONTÍNUO:

EXCELÊNCIA EM GESTÃO 2. COMPROMETIMENTO COM O PROCESSO E RESULTADO:


3. RELACIONAMENTO E CORRESPONSABILIDADE: Criar vínculos positivos e conhece-las melhor é capaz de criar
vínculos positivos e desenvolver relacionamentos positivos. Colabora
CORRESPONSABILIDADE para um bom clima de trabalho. Apresenta disponibilidade para
ajudar outras pessoas.

4. SOLUÇÃO E CRIATIVIDADE:
REPLICABILIDADE
5. DIFUSÃO E MULTIPLICAÇÃO:

6 – Prioridades, Causas, Resultado Esperado e Descrição da Atividade na Função e Premissas.

IDESP da escola 2016: 1,65 Meta simulada do IDESP da Escola para 2017: 2,03
PRIORIDADES DA ESCOLA CAUSAS RESULTADO ESPERADO DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE NA FUNÇÃO
Passar de 49,1 para 44,83 o As metodologias utilizadas Equipe gestora e Promover atividades/explicações aos alunos com dificuldades de
% de Alunos no Abaixo para análise de formação professores qualificados aprendizagem;
Básico em Matemática global não foram suficientes para a prática pedagógica
para identificar a falha do e de gestão Desenvolver práticas na sala de informática (áudio e visual).
processo.

Passar de 49,1 para 44,83 o Ausência de situações que Equipe gestora e Trabalhar de forma objetiva no domínio das habilidades.
% de Alunos no Abaixo promovam a valorização dos professores qualificados
Básico em Matemática estudos. para a prática pedagógica
Página 3 de 11
e de gestão
Passar de 49,1 para 44,83 o As metodologias utilizadas Melhoria dos resultados
% de Alunos no Abaixo para análise de formação das avaliações internas
Básico em Matemática global não foram suficientes Cumprir o Currículo (Base Nacional Comum).
para identificar a falha do
processo.
Passar de 49,1 para 44,83 o As metodologias utilizadas Equipe gestora e
% de Alunos no Abaixo para análise de formação professores qualificados
Elaboração dos Guias de Aprendizagem conforme o Currículo do
Básico em Matemática global não foram suficientes para a prática pedagógica
Estado de São Paulo.
para identificar a falha do e de gestão
processo.
Passar de 49,1 para 44,83 o Ausência de situações que Estudante
% de Alunos no Abaixo promovam a valorização dos compreendendo seu
Básico em Matemática estudos. processo de aprendizagem Trabalhar as habilidades nas áreas de Humanas no Plano de
e o percurso educativo Nivelamento
necessário para atingir sua
meta de proficiência.
Passar de 49,1 para 44,83 o Ausência de situações que Comunidade escolar e
% de Alunos no Abaixo promovam a valorização dos território (equipe escolar,
Básico em Matemática estudos. alunos, família,
Trabalho em parceria com a Sala de Leitura, incentivando a
responsáveis e instituições
leitura.
parceiras) comprometidos
com a melhoria da
qualidade da educação
Passar de 49,1 para 44,83 o Ausência de situações que Equipe gestora e
% de Alunos no Abaixo promovam a valorização dos professores qualificados Formação continuada e aprimoramento através do PIAF e
Básico em Matemática estudos. para a prática pedagógica participação em cursos.(Escola de Formação).
e de gestão
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de orientação de estudo Melhoria nas taxas de Desenvolver práticas na sala de informática (áudio e visual).
% de Alunos no Abaixo e de intervenções rendimento escolar
Básico em LP pedagógicas. (aprovação, reprovação e Promover atividades/explicações aos alunos com dificuldades de
abandono) aprendizagem;

Página 4 de 11
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de orientação de estudo Estudante
% de Alunos no Abaixo e de intervenções compreendendo seu
Básico em LP pedagógicas. processo de aprendizagem Trabalhar as habilidades nas áreas de Humanas no Plano de
e o percurso educativo Nivelamento
necessário para atingir sua
meta de proficiência.
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de disponibilidade de Comunidade escolar e
% de Alunos no Abaixo material didático-pedagógico; território (equipe escolar,
Básico em LP formação dentro da própria alunos, família,
SEE é falha; HTPCs que não responsáveis e instituições
formam, marcados por parceiras) comprometidos Trabalho em parceria com a Sala de Leitura incentivando a
informes, agendas, com a melhoria da leitura.
procedimentos e burocracia; qualidade da educação
tempo insuficiente para
formação individual dentro
da carga horária.
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de orientação de estudo Melhoria dos resultados
% de Alunos no Abaixo e de intervenções das avaliações internas Cumprir o Currículo.
Básico em LP pedagógicas.
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de orientação de estudo Melhoria nas taxas de
% de Alunos no Abaixo e de intervenções rendimento escolar
Elaboração dos Guias de Aprendizagem.
Básico em LP pedagógicas. (aprovação, reprovação e
abandono)
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de disponibilidade de Melhoria nas taxas de
% de Alunos no Abaixo material didático-pedagógico; rendimento escolar
Básico em LP formação dentro da própria (aprovação, reprovação e
SEE é falha; HTPCs que não abandono)
formam, marcados por Focar o trabalho nas habilidades e competências não atingidas
informes, agendas, pelos alunos.
procedimentos e burocracia;
tempo insuficiente para
formação individual dentro
da carga horária.
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de disponibilidade de Melhoria nas taxas de Trabalhar de forma colaborativa com os professores da sala
Página 5 de 11
% de Alunos no Abaixo material didático-pedagógico; rendimento escolar
Básico em LP formação dentro da própria (aprovação, reprovação e
SEE é falha; HTPCs que não abandono)
formam, marcados por
informes, agendas, Alfabetizafora.
procedimentos e burocracia;
tempo insuficiente para
formação individual dentro
da carga horária.
Passar de 42,3 para 37,93 o Falta de disponibilidade de Equipe gestora e
% de Alunos no Abaixo material didático-pedagógico; professores qualificados
Básico em LP formação dentro da própria para a prática pedagógica
SEE é falha; HTPCs que não e de gestão
formam, marcados por Formação continuada e aprimoramento através do PIAF e
informes, agendas, participação em cursos (Escola de Formação.
procedimentos e burocracia;
tempo insuficiente para
formação individual dentro
da carga horária.
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Melhoria nas taxas de
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, rendimento escolar Manter chamada atualizada na pasta de controle de frequência
gestão, funcionários, etc.) (aprovação, reprovação e e no Diário de Classe.
abandono)
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Estudantes dando
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, continuidade na sua
gestão, funcionários, etc.) formação acadêmica com
Planejar as ELETIVAS de acordo com o Projeto de Vida do Aluno.
vistas ao desenvolvimento
do seu Projeto de Vida na
terceira série do EM
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Melhoria nas taxas de
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, rendimento escolar
Manter os registros e os diários de classes atualizados.
gestão, funcionários, etc.) (aprovação, reprovação e
abandono)
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Melhoria nas taxas de Avisar os gestores semanalmente sobre os alunos faltosos.
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, rendimento escolar
Página 6 de 11
gestão, funcionários, etc.) (aprovação, reprovação e
abandono)
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Melhoria nas taxas de
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, rendimento escolar Oferecer compensação de ausências aos alunos com excesso de
gestão, funcionários, etc.) (aprovação, reprovação e faltas.
abandono)
Passar de 9,32 para 0 o % Não havia pessoa Estudantes com Projetos
Abandono 1º ano responsável para coordenar o de Vida elaborados.
trabalho de Elaborar ações referentes ao Projeto de Vida conforme PPP
acompanhamento das
ausências dos alunos.
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Estudantes dando
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, continuidade na sua
gestão, funcionários, etc.) formação acadêmica com
Fortalecimento do trabalho com os Tutores.
vistas ao desenvolvimento
do seu Projeto de Vida na
terceira série do EM
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Melhoria nas taxas de
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, rendimento escolar
Recuperação Contínua através de revisões de conteúdos.
gestão, funcionários, etc.) (aprovação, reprovação e
abandono)
Passar de 9,32 para 0 o % Dificuldades operacionais em Melhoria nas taxas de
Abandono 1º ano todos os níveis (professores, rendimento escolar Trabalhar de forma dinâmica os diferentes espaços
gestão, funcionários, etc.) (aprovação, reprovação e proporcionados pela Escola.
abandono)
Passar de 16,09 para 10,16 Falta de articulação entre a Equipe gestora e
o % Reprovação 2º ano Coordenação Pedagógica e o professores qualificados
Estudo da legislação.
grupo gestor. para a prática pedagógica
e de gestão
Passar de 16,09 para 10,16 Falta de articulação entre a Melhoria dos resultados
o % Reprovação 2º ano Coordenação Pedagógica e o das avaliações internas Definir os critérios e instrumentos de avaliação.
grupo gestor.
Passar de 16,09 para 10,16 Pela falta de articulação entre Estudantes dando Ter conhecimento do Projeto de Vida de cada tutorando com
o % Reprovação 2º ano os pares. continuidade na sua dificuldades de aprendizagem;
formação acadêmica com
Página 7 de 11
vistas ao desenvolvimento
do seu Projeto de Vida na
terceira série do EM
Passar de 16,09 para 10,16 Pela falta de articulação entre Melhoria nas taxas de
o % Reprovação 2º ano os pares. rendimento escolar
Fortalecimento do trabalho com os Tutores.
(aprovação, reprovação e
abandono)
Passar de 16,09 para 10,16 Pela falta de articulação entre Melhoria nas taxas de
o % Reprovação 2º ano os pares. rendimento escolar
Compartilhar informações entre os Tutores.
(aprovação, reprovação e
abandono)

7- Ações
ASPECTOS SUA AÇÃO
Desenvolver atividades diferenciadas que atendam aos diferentes níveis de
Respeito à compreensão das habilidades não adquiridas e as potencialidades de aprendizagem de
individualidade cada aluno.

Promover práticas que potencializam a realização dos Projetos de Vida dos alunos;
PROTAGONISMO

propiciar o espaço para que o aluno seja o sujeito e gestor de sua aprendizagem,
Promoção do
promovendo estratégias explicitas no Guia de Aprendizagem ouvindo e apoiando os
Protagonismo Juvenil
Protagonismo alunos.

Refletir sobre seu propósito de atuação de acordo com a legislação vigente, os Modelos
de Gestão e Pedagógico do PEI e com o seu PIAF; retomar o seu papel de educador
frente às demandas de cada um dos alunos; atua como modelo a serseguido por
Protagonismo Sênior alunos; profissionais da escola desenvolvendo as premissas e princípios do PEI e
transformar o espaço da sala de aula trazendo metodologias e conteúdos diferenciados
que potencializem o trabalho com o Currículo.

Página 8 de 11
Demonstrar domínio do Currículo do Estadode São Paulo em suadisciplina; conhecer
os princípiosdo Currículo do Estado deSão Paulo e sua relaçãocom o Programa Ensino
Domínio do
Integral e dominar o uso dosinstrumentosde apoio ao ensino para que a gestão de suas
Conhecimento
atividades atenda as expectativas dos alunos.

Utilizar práticas de ensino e da aprendizagem que oportunize uma aprendizagem


Domínio do significativa, permitindo a participação efetiva dos alunos em sala de aula. Realizar
conhecimento e Didática avaliações coerentes com as habilidades previstas bimestralmente de acordo com o
CONHECIMENDOMÍNIO DE

contextualização Currículo.

Relacionar os conceitos da disciplina às demandas dos alunos, em especial ao Projeto


de Vida. Desenvolver a Parte Diversificada como forma de aprofundar o Currículo.
Contextualização Relacionar o conteúdo de sua disciplina com o de outras disciplinas da Base Nacional
Comum por meio das ementas das disciplinas eletivas.
TO

Participar em cursos de formação a fim de aprimoraro exercício de suaFunção, buscar


Formação contínua proativamente aprendizados adicionais para sua prática visando a melhoria da
qualidade de suas aulas e consequente aprendizagem dos alunos.
Disposição ao Buscar devolutiva da sua atuação com os alunos,professores, coordenadores e gestores
Devolutivas
autodesenvolvimento para se desenvolver, a partir de indicadores de resultado em sua disciplina.
contínuo

Disposição para A partir das devolutivas, reavaliar sua atuação frente às demandas e alinhamentos
mudança colocandoem prática os aprendizados adquiridos nas formações.
Planejar ações deforma a contribuir parao alcance das metas doPlano de Ação da
EXCELÊNCIA EM GESTÃO

escola, identificando as necessidadesde aprendizagemdos alunos e os resultados para


Planejamento que se tornem autônomos, solidários e competentes.
Comprometimento
com o processo e
resultado Realizar as ações planejadas utilizando estratégias de gestão de sala de aula garantindo
Execução
a aprendizagem dos alunos.
Reavalia constantemente as ações planejadas a partir da execução das ações previstas e
Reavaliação
dos resultados observados, replanejando sempre que necessário.

Página 9 de 11
Mostra-se próximo e constrói vínculo positivo com os alunos e profissionaisda escola,
estando disponível dentro e fora da sala de aula. É capaz de ouvir e valorizar outras
Relacionamento e pessoas. Colaborar com os outrosprofissionais da escola nodia a dia (apoia e
Colaboração ofereceajuda).
CORRESPONSABI
LIDADE

Relacionamento e
Corresponsabilidade Atuar na construção de ações que atendam o PA em conjunto com alunos e outros
professores. Orientar os alunos e criar espaços para que se tornem autônomos e
responsáveis pela sua aprendizagem. Orientar pais e responsáveissobre o
Corresponsabilidade desempenhoescolar dos alunos, incentivandosua participação.
REPLICABILIDADE

Identificar avanços e pontos de melhoria dentro de suas atividades docentes e


conhecer o contexto atual para atender a comunidade a qual está inserido.
Visão crítica

Identificar um ponto de melhoria, propõe e implementa ações para melhorar os


Foco em solução resultados junto aos alunos, criando espaços colaborativos com foco na solução
proposta por ações protagonista
Solução e
Disposição para mudanças na gestão de sala de aula, implementando novas
Criatividade
metodologias, avaliação e estratégias de ensino que permitam um ensino de qualidade.
Ser protagonista sênior criando soluções alternativas e oportunizando a socialização de
Criatividade
estratégias junto aos seus pares.

Difusão e Documentar as boas práticas adotadas,possibilitando o seucompartilhamento com os


Multiplicação Registro de boas seus pares.
práticas

Difusão Compartilhar as boas práticas adotadas por elee outros professores juntoa outros
profissionais daescola.

Página 10 de 11
Disseminar as boas práticas adotadas na escola com professores de outras escolas.
Difundir positivamente o Programa Ensino Integral, sendo umembaixador para a rede e
Multiplicação acomunidade.

DIRETOR DE ESCOLA: PROFESSOR COORDENADOR GERAL: PROFESSORA COORDENADOR A DE ÁREA:


Roseli Quiroga Cristina Jacinto de Almeida Ponsone
Rodrigo Chiamulera Vania França de Souza
Viviani Cláudia Aparecida Ricardo Florêncio
DATA DA ELABORAÇÃO: ___/___/2017 DATA DA REVISÃO: ......./....../2017 anotar todas as datas em que foram feitas as revisões do Programa de Ação.

8.3- AÇÕES DE ACOMPANHAMENTO DE PROCESSO E 8.4- AÇÕES DE ACOMPANHAMENTO DE PROCESSO E MONITORAMENTO DE


MONITORAMENTO DE RESULTADOS RESULTADOS- Função e Disciplina

PROFESSORA COORDENADOR A DE ÁREA: PROFESSOR COORDENADOR GERAL: DIRETOR DE ESCOLA:


Cristina Jacinto de Almeida Ponsone Roseli Quiroga
Vania França de Souza Rodrigo Chiamulera
Viviani Cláudia Aparecida Ricardo Florêncio
DATA DA ELABORAÇÃO: ___/___/2017 DATA DA REVISÃO: ......./....../2017

Página 11 de 11