Sie sind auf Seite 1von 12

CAPÍTULO 7

DISPOSITIVOS DE EXPANSÃO

7.1 – Introdução

Os objetivos dos dispositivos de expansão são i) reduzir a pressão do fluido refrigerante e


ii) regular o fluxo de fluido refrigerante para o evaporador.

7.2 – Classificação

Tubos Capilares

Manuais
de baixa pressão
de bóia
Dispositivo de de alta pressão
Expansão
Válvulas de
Expansão pressostáticas
Automáticas
com equalização interna
termostáticas
com equalização externa

elétricas

7.3 Válvulas de expansão manuais


- São registros tipo sede (globo) com obturadores do tipo agulha (menores) ou do
tipo cônicos (maiores).
- Seu emprego se restringe à substituição das válvulas automáticas quando estas
estão em manutenção.

V. Expansão
automática

V. Expansão
manual
7.4 Tubos Capilares
- São tubos de 1 a 6 m de comprimento e diâmetro interno de 0,5 a 2,0mm.
- São utilizados em sistemas com capacidade de até 10kW.
- Diversas combinações de diâmetro e comprimento proporcionam a expansão
desejada.
- Entretanto, o tubo capilar não pode se ajustar a variações de carga e de pressão de
admissão ou descarga.
- O compressor e o dispositivo de expansão devem funcionar em determinadas
condições de admissão e descarga de forma que o fluxo de massa aspirado pelo compressor
seja igual ao fornecido pelo dispositivo de expansão.
- A perda de pressão se dá devido ao atrito e pela aceleração do fluido.
Fluxo de Massa

1, 2 e 3 pontos de equilíbrio
30ºC
40ºC Compressor
2 3 50ºC Tubo Capilar
1
50ºC
40ºC
30ºC

Pressão de Admissão

Pontos de Equilíbrio de Compressor Alternativo e Tubo Capilar


- A pressão de admissão não é dependente somente das características do tubo
capilar e do compressor, mas também da carga térmica.
- Se a troca de calor no evaporador não é satisfeita no ponto de equilíbrio, ocorrerá
uma situação de desequilíbrio que pode ocasionar uma sub ou sobre-alimentação do
evaporador.
Fluxo de Massa

A – Equilíbrio
Compressor B – Baixa alimentação
C – Sobre alimentação

Tubo capilar

C A B Pressão de Admissão

Baixa Alimentação
Quando ocorre um aumento da pressão de admissão (aumento da carga térmica) e o
tubo capilar não fornece fluido refrigerante suficiente para resfriar as superfícies do
evaporador, ocorre um superaquecimento na entrada do compressor e conseqüentemente
um aumento da temperatura de descarga. O equilíbrio é restabelecido com o acúmulo de

2
líquido no condensador o que reduz a superfície de condensação e eleva a pressão de
condensação (ver gráfico).

Sobre Alimentação
Quando há decréscimo na pressão de admissão e o compressor não tem condições
de aspirar o fluxo de massa fornecido pelo tubo capilar (redução de carga térmica), o
evaporador se enche de líquido, que poderia penetrar no compressor com resultados
desastrosos. O enchimento do compressor com líquido pode ser evitado com a limitação da
carga de fluido refrigerante no sistema (a carga deve ser rigorosamente exata). O equilíbrio
se restabelece quando gás adentra o tubo capilar reduzindo o fluxo de massa através do
tubo capilar devido ao alto volume específico do vapor. O novo ponto de equilíbrio é o
ponto D na Figura acima. Entretanto, mesmo que D represente uma condição de fluxo
equilibrado, esta não é interessante, pois a admissão de vapor reduz o efeito refrigerante.
p

QE
v = (1-x)vl+xvv
QE

Conseqüências
Baixa alimentação => Alta temperatura de descarga
Sobre alimentação => Entrada de líquido no compressor

7.4.1 Escolha de um Tubo Capilar


O diâmetro e o comprimento do tubo capilar deve tal que o funcionamento do
compressor e o tubo capilar determinem um ponto de equilíbrio na temperatura de
evaporação desejada.

A técnica mais utilizada para escolha do tubo capilar é Cortar e Testar.

Inicialmente, coloca-se no sistema um tubo comprido que proporcione uma pressão


de admissão de equilíbrio correspondente a uma temperatura de evaporação mais baixa do
que a desejada. Em seguida, corta-se este tubo gradualmente até atingir a pressão de baixa
desejada.

3
Fluxo de Massa Compressor
Pressão de condensação fixa

Tubo capilar

P´A < PA Pressão de Admissão

Método Analítico

1 2 D

L

f l V 2
 p1  p2    m (V2  V1 )
2 D v

Atrito Aceleração

 V12   V22 
 h1     h2  
 2   2 
1V1 A1   2V2 A2

1 5
2 3 4
Pressão

1
Temperatura

2
Temperatura
3

4
5

Ver seções 13.4, 13.5 e 13.6 do Livro do Stoecker

4
7.4.2 Escoamento Bloqueado
3 4

2
V3 V
 gz3  h3  q  4  gz4  h4  W
2 2

Conservação da massa p3V3 A  p4V4 A

 V2 
 pv  cte;  h  cte   p  V  h
 2  Entalpia
Aceleração
p
h cte Escoamento subsônico

Desaceleração
h
Entropia

Em um escoamento adiabático, a velocidade do som não pode ser atingida no interior do


tubo. Neste caso, haveria redução de entropia, violando a 2ª Lei da Termodinâmica. Desta
forma, a velocidade sônica só será atingida na saída do tubo capilar.
Pressão crítica é a pressão correspondente à situação em que Mach=1.

Pd

Ps

m P  Pd  Ps ( Pcrit  Ps )

M=1 P  Pd  Pcrit ( Pcrit  Ps )

Ps=Pcrit Ps

5
Vantagens:
- Simplicidade;
- Ausência de partes móveis;
- Baixo Custo;
- Permitem operação em ciclo reverso;
- Permitem equalizações de pressão quando o compressor é desligado  Baixo torque de
partida.

Desvantagens:
- Não podem ajustar-se às variações de carga;
- Possibilidade de obstrução;
- Requerem que a quantidade de fluido refrigerante se mantenha dentro de uma pequena
faixa de variação;
- Compressores herméticos (pequeno risco de vazamentos).

Obs: “o tubo capilar é projetado para determinadas condições de funcionamento e qualquer


variação da carga térmica ou da pressão de condensação em relação à de projeto,
representam uma redução do COP”.
Exemplo: refrigeradores domésticos, e condicionador de ar de janela.

6
7.5 Válvula de Expansão do Tipo Bóia

Há dois tipos de válvulas de bóia: a) de alta pressão e b) de baixa pressão. A


primeira controla o nível de líquido na saída do condensador e a segunda no evaporador.
Quando o nível de líquido diminui a bóia abaixa admitindo mais refrigerante, até
que o nível adequado seja atingido, ocasião em que a válvula se fecha interrompendo o
fluxo.
Este tipo de válvula estabelece sempre condições de fluxo equilibrado entre o
compressor e a válvula.

m Compressor
B
A Abertura Grande
C
Abertura Original
Abertura Pequena
Original Abertura Grande

Pa

- Se a carga térmica aumenta   Ta,  Pe (Baixa alimentação momentânea)  válvula


abre  novo ponto de equilíbrio B. (Aumenta a razão do compressor)
- Se a carga térmica diminui   Ta,  Pe (Sobrealimentação momentânea)  válvula
fecha  Novo ponto de equilíbrio C. (diminui a vazão no compressor).
- Estas válvulas funcionam com evaporador inundados e portanto, exigem o uso de
separadores de líquidos.
(figura transparência)
- Aplicação em sistemas de refrigeração industrial que empregam NH 3 (contra indicado em
sistemas que utilizam Fluidos Refrigerantes miscíveis em óleo, devido ao problema de
retorno de óleo ao compressor).

líquido

7
Válvula de Bóia de Baixa Pressão.

Válvula de Bóia de Alta Pressão.

8
7.6 Válvulas de Expansão Pressostáticas

- São válvulas que mantém constante a pressão de sucção, entretanto que durante a parada
da instalação o evaporador seja inundado.

m Sobrealimentação

Equilíbrio B
Maior Abertura
Baixa
A
Alimentação Abertura Original
C
Pequena Abertura

Pa

- Carga térmica diminui  Ta  Pe  válvula abre-se mais – compressor funciona na


condição A e a válvula na condição B.
 Sobre-alimentação (Evaporador inundado)
- Carga térmica aumenta  Ta  Pe  válvula fecha-se mais – compressor funciona na
condição A e válvula na condição C.
 Baixa alimentação (Evaporador seco)
Obs.- Uso bastante restrito, apenas para instalações de pequeno porte (30kW) (Pequenas
oscilações de temperatura).
 Emprego em casos onde a temperatura de evaporação deve manter-se em certo
ponto para controlar a umidade ou para prevenir o congelamento de líquido a ser resfriado.
Ex. Resfriadores de bares, açougues, balcões frigoríficos.

M1 Diafragma (D)
A - Agulha obturadora
 Pa
M1 - Mola fixa
 Pe
Pe M2 - Mola Ajustável
A P - Parafuso
Pc M2 D - Diafragma

9
7.7 – Válvulas de Expansão Termostática

- São válvulas de expansão automáticas controladas simultaneamente pela pressão


de sucção e pela temperatura do fluido à saída do evaporador, de modo a garantir leve
superaquecimento (5 a 8ºC) do fluido que é aspirado pelo compressor.

a) Com equalização interna de pressão.

P Fluido de
potência
 Pe
Pe
Bulbo
Pc M2

Instalação
P/ Condensador
Bulbo
Evap.

 do Condensador

- O bulbo deverá ser isolado e instalado através de braçadeiras na saída do


evaporador e em local onde não haja a possibilidade de deposição de líquido (a presença de
líquido na linha de sucção próximo ao bulbo devido ao efeito do resfriamento do líquido ao
se evaporar).
- Para que o diafragma desça (abertura da válvula) é necessário que
Pb  Pe  P ( M 2 ) , e isto só ocorre quando a temperatura de sucção for maior do que a
temperatura de saturação correspondente à pressão Pe  superaquecimento.
- O diagrama de equilíbrio para este tipo de válvula é similar ao diafragma para
válvula tipo boia.
- Mantém uma quantidade de refrigerante quase constante no evaporador, pois se:

10
- Quantidade , TA  P  Abre a válvula.
- Quantidade , TA  P  Fecha a válvula.

b) Com Equalização Externa de Pressão

P PA
 Pe

Pc M2

Parafuso

- Quando a pressão de saída do evaporador difere muito da pressão de entrada do


mesmo (devido à perda de carga elevada através do evaporador), torna-se recomendável o
uso de uma válvula termostática com equalização externa de pressão.
- Quando se aplica uma válvula com equalização interna, a pressão na parte inferior
do diafragma será muito maior do que a pressão de admissão do compressor.
Consequentemente o grau de superaquecimento será maior do que o necessário.
- Com equalizador externo faz-se com que a pressão atuante no diafragma seja
realmente a pressão de admissão.

11
7.8 – Válvulas de Expansão Termostática de Carga Cruzada

O fluido de potência é diferente do fluido refrigerante empregado no ciclo.


O fluido de potência deve ser escolhido de uma forma tal que o grau de
superaquecimento necessário para abrir a válvula seja aproximadamente constante em toda
a faixa de operação.

7.9 Válvula de Expansão Elétrica

Utiliza um termistor para detectar presença de refrigerante líquido na saída do


evaporador.
Quando não ocorre a presença de líquido, a temperatura do termistor se eleva o que
reduz a sua resistência , permitindo uma corrente maior pelo aquecedor instalado na
válvula. A válvula assim aberta permite uma maior vazão de fluido refrigerante.

12