Sie sind auf Seite 1von 5

Superior Tribunal de Justiça

AgInt no RECURSO ESPECIAL Nº 1.192.059 - SP (2010/0077414-1)

RELATOR AGRAVANTE : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO : MARIA CRISTINA BERNARDO DE LAET ADVOGADO :
RELATOR
AGRAVANTE
: MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO
: MARIA CRISTINA BERNARDO DE LAET
ADVOGADO
: MANOEL
MARCELO
CAMARGO
DE
LAET
E
OUTRO(S)
-
SP099798
AGRAVADO
: ALEXANDRE TURRI ZEITUNE
ADVOGADO
: ALEXANDRE
TURRI
ZEITUNE
(EM
CAUSA
PRÓPRIA)
E
OUTROS - SP193765
EMENTA
AGRAVO
INTERNO
NO RECURSO ESPECIAL.
INTEMPESTIVIDADE. INOBSERVÂNCIA DO PRAZO PREVISTO NO
ART. 1.003 DO CPC/2015. APLICAÇÃO DE MULTA. 1.021, § 4º, DO
CPC/2015 . AGRAVO NÃO CONHECIDO.
1.
O prazo legal para interposição do agravo interno é de quinze dias,
contado da intimação da decisão, nos termos do art. 1.003 do
CPC/2015. Interposto fora desse prazo, o recurso não merece ser
conhecido.
2.
O presente agravo mostra-se manifestamente inadmissível a ensejar
a aplicação da multa prevista no artigo 1.021, § 4º, do CPC/2015.
3.
Agravo interno não conhecido, com aplicação de multa.
ACÓRDÃO
Vistos, relatados e discutidos estes autos, os Ministros da Quarta Turma do
Superior Tribunal de Justiça acordam, na conformidade dos votos e das notas
taquigráficas, por unanimidade, não conhecer do agravo interno, com aplicação de multa,
nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Raul Araújo, Maria Isabel
Gallotti (Presidente), Antonio Carlos Ferreira e Marco Buzzi votaram com o Sr. Ministro
Relator.

Brasília (DF), 14 de fevereiro de 2017(Data do Julgamento)

MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO

Relator

Superior Tribunal de Justiça

AgInt no RECURSO ESPECIAL Nº 1.192.059 - SP (2010/0077414-1)

AGRAVANTE : MARIA CRISTINA BERNARDO DE LAET ADVOGADO : MANOEL MARCELO CAMARGO DE LAET E OUTRO(S) -

SP099798

AGRAVADO : ALEXANDRE TURRI ZEITUNE ADVOGADO : ALEXANDRE TURRI ZEITUNE (EM CAUSA PRÓPRIA) E OUTROS - SP193765

RELATÓRIO

O SENHOR MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO (Relator):

1. do entendimento disposto na Súmula nº 283/STF. 2. a 3. Recurso especial não provido.
1.
do
entendimento disposto na Súmula nº 283/STF.
2.
a
3. Recurso especial não provido.

1. Cuida-se de agravo interno interposto por Maria Cristina Bernardo de Laet em face da decisão de fls. 914-920, assim ementada:

FALÊNCIA. EMBARGOS DE TERCEIRO. ARRECADAÇÃO. IMÓVEIS.

HIPOTECA DE BENS DE PROPRIEDADE DOS SÓCIOS. INEXISTÊNCIA DE REGISTRO. FRAUDE. INOCORRÊNCIA. SÚM 7/STJ.

A subsistência de fundamento inatacado apto a manter a conclusão do

aresto impugnado impõe o não conhecimento da pretensão recursal, a teor

Ademais, na hipótese, chegar a conclusão diversa do acórdão recorrido no

tocante a inexistência da fraude efetuada pelo comprador, de que a caução

dos imóveis não fora registrada, de que os imóveis estavam em nome dos

sócios da falida e de que a desconsideração da personalidade jurídica só veio

ocorrer anos mais tarde, demandaria o revolvimento do contexto

fático-probatório dos autos e termos contratuais, o que encontra óbice na Súmula 7 do STJ.

Aduz, em expediente avulso, que não há falar em incidência da Súm 283/STJ, uma vez que teria impugnado todos os fundamentos, além de que não haveria o óbice da súm 7, por se tratar de simples subsunção do direito ao caso concreto. No mais, repisa os fundamentos do recurso especial.

É o relatório.

Superior Tribunal de Justiça

AgInt no RECURSO ESPECIAL Nº 1.192.059 - SP (2010/0077414-1)

RELATOR

: MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO

 

AGRAVANTE

: MARIA CRISTINA BERNARDO DE LAET

 

ADVOGADO

: MANOEL

MARCELO

CAMARGO

DE

LAET

E

OUTRO(S)

-

SP099798

AGRAVADO

: ALEXANDRE TURRI ZEITUNE

 

ADVOGADO

: ALEXANDRE

TURRI

ZEITUNE

(EM

CAUSA

PRÓPRIA)

E

OUTROS - SP193765

EMENTA

AGRAVO

INTEMPESTIVIDADE. INOBSERVÂNCIA DO PRAZO PREVISTO NO ART. 1.003 DO CPC/2015. APLICAÇÃO DE MULTA. 1.021, § 4º, DO CPC/2015 . AGRAVO NÃO CONHECIDO.

NO RECURSO ESPECIAL.

INTERNO

1. 2. 3. VOTO 2. O agravo interno não merece conhecimento. O
1.
2.
3.
VOTO
2. O agravo interno não merece conhecimento.
O

O prazo legal para interposição do agravo interno é de quinze dias,

contado da intimação da decisão, nos termos do art. 1.003 do CPC/2015. Interposto fora desse prazo, o recurso não merece ser conhecido.

O presente agravo mostra-se manifestamente inadmissível a ensejar

a aplicação da multa prevista no artigo 1.021, § 4º, do CPC/2015.

Agravo interno não conhecido, com aplicação de multa.

O SENHOR MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO (Relator):

prazo legal para interposição do agravo interno é de quinze dias, contado

da intimação da decisão, nos termos do art. 1.003 do CPC/2015.

A publicação da decisão agravada, disponibilizada no DJE em 20.9.2016, foi

considerada publicada em 21.09.2016 (quarta-feira), tendo o prazo recursal expirado em

13.10.2016

(quinta-feira).

Ocorre que a petição do agravo interno foi protocolizada apenas no dia

14.10.2016

(sexta-feira), exatamente a data que os autos foram baixados ao Tribunal de

origem em razão do trânsito em julgado (certidão de trânsito - fl. 925).

Portanto, o presente recurso de agravo é intempestivo.

Nesse sentido:

AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. PROCESSUAL CIVIL. INTEMPESTIVIDADE. NÃO CONHECIMENTO. - É intempestivo o recurso interposto após o prazo de 5 (cinco) dias previsto

Superior Tribunal de Justiça

nos artigos 545 do Código de Processo Civil e 258 do Regimento Interno deste STJ. Agravo regimental não conhecido. (AgRg no REsp 1230953/PR, Relator Ministro CESAR ASFOR ROCHA, SEGUNDA TURMA, julgado em 24/05/2011, DJe 07/06/2011).

PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO INTEMPESTIVO. NÃO-CONHECIMENTO.

1. A orientação desta Corte é no sentido de ser incabível o agravo regimental

interposto após o encerramento do prazo estabelecido pelo artigo 545 do

Código de Processo Civil e 258 do Regimento Interno deste Tribunal.

2. Na espécie em análise, a decisão agravada foi considerada publicada em

04 de fevereiro de 2011, consoante certidão (e-STJ fl. 410). O prazo para a interposição do agravo regimental, então, iniciou-se em 07 de fevereiro de 2011 e, a teor do art. 557, § 1º, do CPC e do art. 258 do RISTJ, findou-se cinco dias após. Ainda que se considere o prazo em dobro para a agravante recorrer, o agravo regimental é intempestivo, pois foi protocolizado na Secretaria do Superior Tribunal de Justiça somente em 16 de março de 2011 (e-STJ fl. 414).

3. 216/STJ), não se admitindo o protocolo integrado. 4. Agravo regimental não conhecido. 3. 4.
3.
216/STJ), não se admitindo o protocolo integrado.
4. Agravo regimental não conhecido.
3.
4.

A tempestividade de recursos interpostos para impugnar decisão proferida

pelo STJ é aferida pelo protocolo da secretaria desta Corte (Súmula n.

(AgRg no Ag 1365735/PR, Relator Ministro CASTRO MEIRA, SEGUNDA TURMA, julgado em 12/04/2011, DJe 27/04/2011).

Portanto, o recurso mostra-se manifestamente inadmissível a ensejar a

aplicação da multa prevista no artigo 1.021, § 4º, do CPC/2015.

Ante o exposto, não conheço ao agravo interno e aplico multa de 1%

sobre o valor atualizado da causa, ficando a interposição de qualquer outro recurso

condicionada ao depósito da respectiva quantia.

É como voto.

Superior Tribunal de Justiça

CERTIDÃO DE JULGAMENTO QUARTA TURMA

Número Registro: 2010/0077414-1

PROCESSO ELETRÔNICO

AgInt no REsp 1.192.059 / SP

Números Origem: 4384004

PAUTA: 14/02/2017

43840041

5830020010683705

994020111727

JULGADO: 14/02/2017

Relator Exmo. Sr. Ministro LUIS FELIPE SALOMÃO Presidente da Sessão Exma. Sra. Ministra MARIA ISABEL
Relator
Exmo. Sr. Ministro LUIS FELIPE SALOMÃO
Presidente da Sessão
Exma. Sra. Ministra MARIA ISABEL GALLOTTI
Subprocurador-Geral da República
Exmo. Sr. Dr. HUMBERTO JACQUES DE MEDEIROS
Secretária
Dra. TERESA HELENA DA ROCHA BASEVI
AUTUAÇÃO
RECORRENTE
:
MARIA CRISTINA BERNARDO DE LAET
ADVOGADO
:
RECORRIDO
:
MANOEL MARCELO CAMARGO DE LAET E OUTRO(S) - SP099798
ALEXANDRE TURRI ZEITUNE
ADVOGADO
:
ALEXANDRE
TURRI
ZEITUNE
(EM
CAUSA
PRÓPRIA)
E
OUTROS
-
SP193765
ASSUNTO: DIREITO CIVIL - Empresas - Recuperação judicial e Falência
AGRAVO INTERNO
AGRAVANTE
:
MARIA CRISTINA BERNARDO DE LAET
ADVOGADO
:
AGRAVADO
:
MANOEL MARCELO CAMARGO DE LAET E OUTRO(S) - SP099798
ALEXANDRE TURRI ZEITUNE
ADVOGADO
:
ALEXANDRE
TURRI
ZEITUNE
(EM
CAUSA
PRÓPRIA)
E
OUTROS
-
SP193765

CERTIDÃO

Certifico que a egrégia QUARTA TURMA, ao apreciar o processo em epígrafe na sessão realizada nesta data, proferiu a seguinte decisão:

A Quarta Turma, por unanimidade, não conheceu do agravo interno, com aplicação de multa, nos termos do voto do Sr. Ministro Relator. Os Srs. Ministros Raul Araújo, Maria Isabel Gallotti (Presidente), Antonio Carlos Ferreira e Marco Buzzi votaram com o Sr. Ministro Relator.