Sie sind auf Seite 1von 29

Escola Municipal “Moacyr Romeu Costa”

Anápolis, 10 a 20 de abril de 2.017.


Diretora: Maria Ângela Pereira Rocha
Coordenadora Pedagógica: Maria de Fatima Santana
Professor: Jorge Graciano 5º Ano A.

Plano Semanal
Dia da semana – (Segunda – feira)

Motivando:

Calendário
O ajudante do dia marca o dia sempre observando com a turma dia, mês, ano e
bimestre, trimestre e semestre (incluindo o dia da semana), relógio, tempo, lista
nominal, ajudante do dia, combinados do dia, quantos somos.

Leitura Compartilhada
ÉTICA
O termo ético deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa).
Ética é um conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana
na sociedade. A ética serve para que haja um equilíbrio e bom funcionamento social,
possibilitando que ninguém saia prejudicado. Neste sentido, a ética, embora não
possa ser confundida com as leis, está relacionada com o sentimento de justiça
social.
A ética é construída por uma sociedade com base nos valores históricos e
culturais. Do ponto de vista da Filosofia, a Ética é uma ciência que estuda os valores
e princípios morais de uma sociedade e seus grupos.
Cada sociedade e cada grupo possuem seus próprios códigos de ética. Num
país, por exemplo, sacrificar animais para pesquisa científica pode ser ético. Em outro
país, esta atitude pode desrespeitar os princípios éticos estabelecidos. Aproveitando o
exemplo, a ética na área de pesquisas biológicas é denominada bioética.

29
O QUE É SER ÉTICO?
Ser Ético nada mais é do que agir direito, proceder bem, sem prejudicar os
outros. É ser altruísta, é estar tranquilo com a consciência pessoal. "É cumprir com os
valores da sociedade em que vive, ou seja, onde mora, trabalha, estuda, etc."
Todo ser ético reflete sobre suas ações, pensa se fez o bem ou o mal para o
seu próximo.

Bate-papo: Vamos definir o que é ser ético. O que é ser ético? Ser Ético é fácil? O
que acontece quando somos éticos? Se não somos éticos somos antiéticos, como
age o antiético?

Registro do Bate-Papo: Escreva uma situação em que foram éticos com você ou
com alguém que você conhece e uma situação que te faltaram com ética.

Atividade 1:
1 – Que palavra pode ser usada como sinônimo de ética?
2 – Para que serve a ética?
3 – Como é construída a ética?

Atividades:

Matemática
Atividade 2: (Matemática):
1 – Lilico tinha 642 varetas, guardou 298 e distribuiu o restante entre 8 colegas. Com
quantas varetas ficaram cada colega?
2 – Doamos 186 cestas básicas, entre dois abrigos comunitários, onde uma recebeu
20 a mais que a outra, porque uma tem mais abrigados que a outra. Com quantas
cestas ficaram cada abrigo?
3 – A professora encheu 256 balões azuis para dois grupos desfilarem. Quantos
balões recebeu cada aluno?

Ciências: Assistir ao vídeo sistema nervoso central. Sistema Nervoso: divisão anatômica
https://www.youtube.com/watch?v=wXtXpZ0Cp6U 7:29

29
PARA CASA: Atividade xerocada.
1) Se tivéssemos 480 gigantes e quiséssemos coloca-los em 15 turmas, sendo que
todas elas tem que ter a mesma quantidade de gigantes. Quantos gigantes terá cada
turma?

2) Sophie convidou para sua festa 63 crianças do orfanato, mais o O BGA. Ela decidiu
que cada um dos amigos deveriam receber a mesma quantidade de docinhos, e na
mesa de doces haviam 256 doces. Quantos doces ganhou cada criança e o O BAG?

3) Na árvore dos sonhos haviam 15 grupos com 32 sonhos em cada um. Para a
premiação dos melhores sonhos foi preparado 192 medalhas. Ao final, quantos

29
grupos completos receberão a premiação?

Dia da semana – (Terça – feira)


Motivando

Calendário
Será explorado o dia do mês, da semana, mês e ano. Dias para o fim do mês. Nome dos
meses do ano. Formação da data.

Leitura Compartilhada
Bate Papo e Registro do Bate Papo

29
Língua Portuguesa
1- Leia as palavras em voz alta e separe-as em dois grupos:

URGENTE – REGIONAIS – AGITAR – JEGUE – REGENTE- REGIME –


GENTILEZA – REGENERAR – GORJETA - JILÓ –GIRASSOL- SIGILO -
INJEÇÃO –AGENDA – CANJICA - TANGERINA

PALAVRAS ESCRITAS COM G PALAVRAS ESCRITAS COM J

2- O que acontece com o som das letras G e J nessas palavras?


________________________________________________________________________
Produção de Texto: Crônica

Matemática:
Retas e semirretas (livro páginas 49 e 50).

Geografia
Explicar alguns conceitos e registra-los no caderno.
Conceitos demográficos
Publicado por: Rodolfo F. Alves Pena em População

A demografia – ou Geografia da População – é a área da ciência que se preocupa em


estudar as dinâmicas e os processos populacionais. Para entender, por exemplo, a lógica
atual da população brasileira é necessário, primeiramente, entender alguns conceitos
básicos desse ramo do conhecimento.

29
População absoluta: é o índice geral da população de um determinado local, seja de um
país, estado, cidade ou região. Exemplo: a população absoluta do Brasil está estimada em
180 milhões de habitantes.
Densidade demográfica: é a taxa que mede o número de pessoas em determinado espaço,
geralmente medida em habitantes por quilômetro quadrado (hab/km²). Também é chamada
de população relativa.

Superpovoamento ou superpopulação: é quando o quantitativo populacional é maior do


que os recursos sociais e econômicos existentes para a sua manutenção.
Qual a diferença entre um local, populoso, densamente povoado e superpovoado?
Um local densamente povoado é um local com muitos habitantes por metro quadrado,
enquanto que um local populoso é um local com uma população muito grande em termos
absolutos e um lugar superpovoado é caracterizado por não ter recursos suficientes para
abastecer toda a sua população.
Exemplo: o Brasil é populoso, porém não é densamente povoado. O Bangladesh não é
populoso, porém superpovoado. O Japão é um país populoso, densamente povoado e não é
superpovoado.
Taxa de natalidade: é o número de nascimentos que acontecem em uma determinada área.
Taxa de fecundidade: é o número de nascimentos bem sucedidos menos o número de
óbitos em nascimentos.
Taxa de mortalidade: é o número de óbitos ocorridos em um determinado local.
Crescimento natural ou vegetativo: é o crescimento populacional de uma localidade
medido a partir da diminuição da taxa de natalidade pela taxa de mortalidade.
Crescimento migratório: é a taxa de crescimento de um local medido a partir da diminuição
da taxa de imigração (pessoas que chegam) pela taxa de emigração (pessoas que se
mudam).
Crescimento populacional ou demográfico: é a taxa de crescimento populacional
calculada a partir da soma entre o crescimento natural e o crescimento migratório.
Migração pendular: aquela realizada diariamente no cotidiano da população. Exemplo: ir ao
trabalho e voltar.
Migração sazonal: aquela que ocorre durante um determinado período, mas que também é
temporária. Exemplo: viagem de férias.
Migração definitiva: quando se trata de algum tipo de migração ou mudança de moradia
definitiva.
Êxodo rural: migração em massa da população do campo para a cidade durante um
determinado período. Lembre-se que uma migração esporádica de campo para a cidade não
é êxodo rural.
Metropolização: é a migração em massa de pessoas de pequenas e médias cidades para
grandes metrópoles ou regiões metropolitanas.
Desmetropolização: é o processo contrário, em que a população migra em massa para
cidades menores, sobretudo as cidades médias.

Ciência
O COMANDANTE DO CORPO
O sistema nervoso comanda nossas ações e reações, voluntárias ou não. Os estudos sobre
o cérebro e o sistema nervoso apresentam novidades e surpresas. Sabemos hoje que a
maravilhosa máquina humana é movida por todas as ligações feitas entre o sistema nervoso
e seus receptores espalhados pelo nosso corpo. Cada área do encéfalo é responsável por
responder a um destes comandos.
Troque cada número por uma letra e nomeie ás partes do sistema nervoso.

29
PARA CASA:
Página 157 nº 5 e 6. (Tempos verbais)

29
VISTO DA COORDENADORA

Registro Reflexivo
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________

Dia da semana – (Segunda – feira)

Motivando: Brincadeira: Me ajuda aí?


O objetivo dessa dinâmica é estimular a solidariedade.
MATERIAIS: Uma bandeja e balas de acordo com o nº de alunos. As balas devem ser
colocadas dentro da bandeja.
 Formem um círculo e diga aos alunos: 'Vocês terão que chupar uma bala, só que não
poderão usar suas mãos para desembrulhar a bala e colocar em sua própria boca!'.
 Os alunos ficarão ansiosos e agitados pensando em como fazer isso e em como
realizar a tarefa primeiro. É interessante colocar a bandeja no chão ou sobre a sua
mesa. Alguns alunos até pegarão a bala com a boca e tentarão desembrulhá-la.
 Espera-se que eles se ajudem, um aluno pegue a bala com as mãos, a desembrulhe e
coloque na boca do outro.
 Se ninguém chegar a essa conclusão, não dê dicas.
Calendário
Será explorado o dia do mês, da semana, mês e ano. Dias para o fim do mês. Nome dos
meses do ano. Formação da data.

Leitura Compartilhada

29
Vejamos uma crônica:

Um jogo que é uma vergonha


Imagina um jogo deste jeito: o campo é de pedra bem pontuda e acontece num
dia muito frio. Num time, os jogadores têm tênis e camisa de manga comprida e, no
outro, os caras jogam descalços e só de calção.
O time que tem tênis e camisa ganha fácil, dá aquela goleada! O outro fica a
maior parte do tempo tomando cuidado pra não cortar os pés ou então esfregando o
braço arrepiado de frio.
Times iguais
Pra mim, a diferença da vida entre nós, que temos escola e casa e as crianças
que não têm é um jogo assim. Quem não tem, perde sempre.
Não acho que todo mundo que tem as coisas é culpado por causa dos outros que não
têm, mas isso não quer dizer que a gente não possa fazer nada. Porque pode.
Porque, se a gente quiser jogar um jogo justo, pode exigir que os dois times
sejam iguais, para começar. Casa e escola
Não acredito que as crianças de rua viveriam na rua se tivessem outro lugar
melhor pra escolher. Se a gente não exigir que todo mundo tenha casa e escola, vai
sempre ficar jogando esse jogo besta.
Ganhando de dez a zero de um time tão fácil, mas tão fácil, que não vai mais ter o
gosto da vitória, vai ter só vergonha.
Fernando Bonassi

Fonte: (In Vida da gente – crônicas publicadas no Suplemento Folhinha de S. Paulo) - 07/02/97.

Bate Papo e Registro do Bate Papo


Foi difícil realizar a tarefa? Porque você não ajudou o seu colega?

Hora da Atividade
Língua Portuguesa
QUESTÕES (passar no quadro)

1. O texto “1 jogo que é uma vergonha” é uma crônica. Foi escrito a partir de uma
situação da vida real, com o objetivo de fazer uma crítica a essa situação. Se o autor
teve esse objetivo ao escrever, que objetivo tem em relação ao leitor?
a. ( ) que aceite suas idéias.
b. ( ) que rejeite suas idéias.
c. ( ) que reflita sobre o assunto.
d. ( ) que se divirta com o assunto.

2. O trecho:
“Num time, os jogadores têm tênis e camisa de manga comprida” e, no outro, os
caras jogam descalços e só de calção”. significa que:
a. ( ) um time toma cuidado para não cortar os pés, o outro time sente muito calor.
b. ( ) um time têm tênis e o outro time tem camisa.
c. ( ) um time é formado por jogadores bem equipados, o outro time por jogadores
mal equipados.

29
d. ( ) um time tem jogadores ganhadores, o outro têm jogadores que usam tênis e
camisa comprida.

3. Esta crônica, de fato, compara:


a. ( ) a vida de pessoas que têm escola e casa com a vida de crianças que não têm
escola e casa.
b. ( ) vida de crianças que têm casa com a vida de crianças que têm escola.
c. ( ) crianças que são culpadas com crianças que são inocentes.
d. ( ) crianças que podem fazer tudo com crianças que não fazem nada.

4. Quando o autor diz:


“nós que temos escola e casa”
e
“isto não quer dizer que a gente não possa fazer nada”,

As palavras “nós” e “a gente” ocupam o lugar:


a. ( ) do autor e de todos os leitores.
b. ( ) dos leitores que são conhecidos do autor.
c. ( ) dos ricos.
d. ( ) do leitor.

5. De acordo com o autor da crônica, diante da situação que é discutida:


a. ( ) “a gente” não pode fazer nada.
b. ( ) “a gente” pode fazer uma aposta.
c. ( ) “a gente” pode jogar.
d. ( ) “a gente” pode jogar um jogo justo.

6. Quando o autor fala sobre “jogo justo”, ele quer dizer que:
a. ( ) as pessoas podem jogar mesmo sem saber.
b. ( ) as pessoas justas às vezes perdem.
c. ( ) as pessoas jogam um jogo besta.;
d. ( ) as pessoas podem ajudar a fazer justiça.

7. O tema central da crônica é:


a. ( ) desigualdade.
b. ( ) miséria.
c. ( ) futebol.
d. ( ) crianças de rua.

01-C 06-D
02-C 07-A
03-A 08-E
04-D 09-D
05-D 10-E

Ciências
 Ciências: Sistema nervoso e as partes do encéfalo (anexo).

29
Matemática
 Matemática e revisão: Subtração de números naturais (livro páginas 65 e 66).

 Para casa: Matemática: Subtração de números naturais (livro páginas 67 e 68).

Dia da semana – (Terça – feira)

Motivando

29
Calendário
Será explorado o dia do mês, da semana, mês e ano. Dias para o fim do mês. Nome dos
meses do ano. Formação da data.

Leitura Compartilhada
O lixo

Encontram-se na área de serviço. Cada um com seu pacote de lixo. É a primeira vez que
se falam.
- Bom dia...
- Bom dia.
- A senhora é do 610.
- E o senhor do 612
- É.
- Eu ainda não lhe conhecia pessoalmente...
- Pois é...
- Desculpe a minha indiscrição, mas tenho visto o seu lixo...
- O meu quê?
- O seu lixo.
- Ah...
- Reparei que nunca é muito. Sua família deve ser pequena...
- Na verdade sou só eu.
- Mmmm. Notei também que o senhor usa muito comida em lata.
- É que eu tenho que fazer minha própria comida. E como não sei cozinhar...
- Entendo.
- A senhora também...
- Me chame de você.
- Você também perdoe a minha indiscrição, mas tenho visto alguns restos de comida em
seu lixo. Champignons, coisas assim...
- É que eu gosto muito de cozinhar. Fazer pratos diferentes. Mas, como moro sozinha, às
vezes sobra...
- A senhora... Você não tem família?
- Tenho, mas não aqui.
- No Espírito Santo.
- Como é que você sabe?
- Vejo uns envelopes no seu lixo. Do Espírito Santo.
- É. Mamãe escreve todas as semanas.
- Ela é professora?
- Isso é incrível! Como foi que você adivinhou?
- Pela letra no envelope. Achei que era letra de professora.
- O senhor não recebe muitas cartas. A julgar pelo seu lixo.
- Pois é...
- No outro dia tin ha um envelope de telegrama amassado.
- É.
- Más notícias?
- Meu pai. Morreu.
- Sinto muito.
- Ele já estava bem velhinho. Lá no Sul. Há tempos não nos víamos.
- Foi por isso que você recomeçou a fumar?

29
- Como é que você sabe?
- De um dia para o outro começaram a aparecer carteiras de cigarro amassadas no seu
lixo.
- É verdade. Mas consegui parar outra vez.
- Eu, graças a Deus, nunca fumei.
- Eu sei. Mas tenho visto uns vidrinhos de comprimido no seu lixo...
- Tranqüilizantes. Foi uma fase. Já passou.
- Você brigou com o namorado, certo?
- Isso você também descobriu no lixo?
- Primeiro o buquê de flores, com o cartãozinho, jogado fora. Depois, muito lenço de
papel.
- É, chorei bastante, mas já passou.
- Mas hoje ainda tem uns lencinhos...
- É que eu estou com um pouco de coriza.
- Ah.
- Vejo muita revista de palavras cruzadas no seu lixo.
- É. Sim. Bem. Eu fico muito em casa. Não saio muito. Sabe como é.
- Namorada?
- Não.
- Mas há uns dias tinha uma fotografia de mulher no seu lixo. Até bonitinha.
- Eu estava limpando umas gavetas. Coisa antiga.
- Você não rasgou a fotografia. Isso significa que, no fundo, você quer que ela volte.
- Você já está analisando o meu lixo!
- Não posso negar que o seu lixo me interessou.
- Engraçado. Quando examinei o seu lixo, decidi que gostaria de conhecê-la. Acho que foi
a poesia.
- Não! Você viu meus poemas?
- Vi e gostei muito.
- Mas são muito ruins!
- Se você achasse eles ruins mesmo, teria rasgado. Eles só estavam dobrados.
- Se eu soubesse que você ia ler...
- Só não fiquei com eles porque, afinal, estaria roubando. Se bem que, não sei: o lixo da
pessoa ainda é propriedade dela?
- Acho que não. Lixo é domínio público.
- Você tem razão. Através do lixo, o particular se torna público. O que sobra da nossa
vida privada se integra com a sobra dos outros. O lixo é comunitário. É a nossa parte
mais social. Será isso?
- Bom, aí você já está indo fundo demais no lixo. Acho que...
- Ontem, no seu lixo...
- O quê?
- Me enganei, ou eram cascas de camarão?
- Acertou. Comprei uns camarões graúdos e descasquei.
- Eu adoro camarão.
- Descasquei, mas ainda não comi. Quem sabe a gente pode...
- Jantar juntos?
- É.
- Não quero dar trabalho.
- Trabalho nenhum.
- Vai sujar a sua cozinha?

29
- Nada. Num instante se limpa tudo e põe os restos fora.
- No seu lixo ou no meu?»
Luís Fernando Veríssimo

Bate Papo e Registro do Bate Papo


A crônica é um gênero textual que traz, explícita ou implicitamente, uma crítica a algum
aspecto da vida em sociedade. Em relação à crônica “O lixo”, de Veríssimo, qual a crítica
presente? Onde aconteceu o primeiro encontro dos personagens? Toda a conversa revela
alguns pronomes de tratamento e do caso reto, quais são eles? Registre no seu caderno os
pronomes que aprecem na crônica.

Hora da Atividade

Língua Portuguesa
Pronomes do caso reto e de tratamento

Matemática

29
1- Vamos trabalhar com as operações matemáticas de maneiras diversas? Então, mãos à
obra!

 O número 5.001 é igual a:


(A) 500 + 1 (B) 500 + 10 (C) 5.000 + 1 (D) 5.000 + 10

 Lucas trocou uma nota de R$ 50,00 por 3 notas de R$ 10,00 e por algumas notas de
R$ 5,00. Quantas notas de R$ 5,00 ele recebeu?

 Uma viagem ao redor do mundo foi feita em 2 anos e 26 dias. Se 1 ano tem _______
dias, quantos dias durou essa viagem?

 Veja esta conta de multiplicar e descubra os números que devem ser colocados no
lugar da ? Escreva o resultado da operação por extenso.

3 9 6
x 5 4
1 5 ? 4
1 9 ? 0
? 1 3 ? 4

 O número 45.678 pode ser registrado da seguinte maneira:

( ) 45.000 + 650 + 30 + 8

( ) 46.000 – 1.000 + 600 + 79

( ) 45.000 + 700 – 100 + 70 + 9 – 1


2- Arme as operações, observe os resultados de cada uma e marque as alternativas
corretas.

12.536 – 7337 = ( ) A operação chama-se


subtração.
( ) O resultado tem 5 ordens.
( ) O resultado é par.
( ) O resultado é menor que 6.000.
15.368 + 6.247 =
( ) A operação chama-se adição.
( ) O total é igual a vinte e um mil,
seiscentos e quinze.
( ) Todos os algarismos do total
são pares.
6 x 3.640 = ( ) O produto é par.
( ) O produto tem duas classes e
ordens.
( ) Os termos dessa operação
chamam-se parcelas e total.

29
Ciências

Vamos fazer um teste para ver se você realmente conhece o seu cérebro?

1- O principal órgão do sistema nervoso que controla o corpo inteirinho! Ele é o responsável
por todas as ações voluntárias e involuntárias do nosso corpo.
( ) cérebro ( ) coração

2-Células nervosas que procesam todas as informações para que o corpo trabalhe direitinho.
( ) neurônios ( ) nervos

3-Ao contrário da maioria das células do corpo, que morrem e são substituídas por outras, os
neurônios não se regeneram: quando morrem, não aparece ninguém para ocupar o seu
lugar!
( ) verdadeiro ( ) falso

4- Quantidade aproximada de neurônios existentes no nosso cérebro:


( ) 100 mil ( ) 100 bilhões

5- O peso do cérebro adulto é de:


( ) 1, 4 quilo de massa orgânica, que equivale a 2% do peso do nosso corpo.
( ) 500 gramas, uma máquina como o cérebro não precisa ser tão pesada.

6- O cérebro consome 25% do oxigênio utilizado pelo nosso organismo.


( ) verdadeiro ( ) falso
7- O cérebro possui dois hemisférios:
( ) direito e esquerdo ( ) norte e sul
8- Ai!!! A dor é uma mensagem que o tato enviou para o cérebro. Ele reage mandando outra
mensagem para os músculos, e você retira a mão das coias quentes.
( ) verdadeiro ( ) falso

9- O cérebro:
( ) permanece do mesmo tamanho durante toda a nossa vida, desde que
nascemos.
( ) cresce junto conosco, e um bebê de oito meses já tem um cérebro com
90% do peso do cérebro de um adulto.

10- As informações transmitidas pelos neurônios podem percorrer nosso corpo e chegar a
seu destino a uma velocidade de até:
 ( ) 40 km/h ( ) 400 km/h

Geografia
Racismo é burrice (livro geografia página 154).

Dia da semana – (Quarta – feira)

Motivando e Leitura Compartilhada


Brincadeira: Escolha dos bichos “mais”
1- Objetivos:
- Cultivar uma boa convivência no grupo, na amizade e na verdade;

29
- Perceber as razões da falta de solidariedade e dos conflitos que surgem no grupo;
- Rever as próprias atitudes, para tentar mudar.
2- Passos:
- Cada grupo recebe um papel onde está escrito o nome de um bicho, com algumas
características, procurando interiorizá-las e expressá-las no grupo em forma de
dramatização.

Imprima e entregue para a leitura no final


A Cobra: É traiçoeira, perigosa, esperta e oportunista, envenena o grupo, é fofoqueira e quer
ver o circo pegar fogo.
O gato: Companheiro, prestativo, carinhoso, esperto.
A borboleta: Não é acomodada. Alegra o am\biente, integra.
O papagaio: Fala, fala, não fala nada que contribua. É inteligente, aprende o que os outros
fazem, tanto o bem como o mal.
O cavalo: Dá patadas em todos.
O pavão: Fica sempre de leque aberto. Acha que é mais bonito, mais inteligente, aquele que
sabe mais.
O Boi: Sossegado, tranquilo, é esforçado e topa qualquer trabalho.
O pombo: Sempre se preocupa em conversar com os companheiros.
O urubu: Só vê carniça. É pessimista, descrente. Só gosta de coisa ruim. Quer ver o grupo
morrer.
A formiga: É operária, trabalhadeira, trabalha sempre em grupo.
Galinha d’Angola: Fala a mesma coisa o dia inteiro: “Tô fraco”. Não acredita em si mesma,
mas tem que falar.
O bicho preguiça: Vagaroso, preguiçoso. Nunca faz nada. Está sempre “pendurado” nos
outros.

Calendário
Será explorado o dia do mês, da semana, mês e ano. Dias para o fim do mês. Nome dos
meses do ano. Formação da data.

Bate Papo e Registro do Bate Papo


Agora é hora de explorar a brincadeira acima. Conduzir uma conversa com os alunos com
perguntas como:
a) Que tipo de pessaos esses animais representam? Essas pessoas existem em maior ou
menor quantidade em nossa sociedade? Existem mais pessoas que gostam de ajudar ou de
atrapalhar?
b) Quais desses tipos de pessoas podem ser considerados mais importantes para uma boa
convivência em sociedade?
c) O que aprendemos com essa brincadeira?

Hora da Atividade

Língua Portuguesa

29
D4 ––––––––– QUESTÃO 01 ––––––––––
Leia o texto abaixo.

O passageiro vai iniciar a viagem


(A) à noite.
(B) à tarde.
(C) de madrugada.
(D) pela manhã.

D6 ––––––––– QUESTÃO 02 ––––––––––


Leia o texto abaixo.

29
O texto trata de uma menina que:
(A) brincava de amarelinha.
(B) gostava de festas.
(C) subia e descia escadas.
(D) tinha medo de tudo.

D15 ––––––––– QUESTÃO 03 ––––––––––


Leia o texto abaixo.
Texto I
Os cerrados
Essas terras planas do planalto central escondem muitos riachos, rios e cachoeiras. Na
verdade, o cerrado é o berço das águas. Essas águas brotam das nascentes de brejos ou
despencam de paredões de pedra. Em várias partes do cerrado brasileiro existem canyons com
cachoeiras de mais de cem metros de altura!
SALDANHA, P. Os cerrados . Rio de Janeiro: Ediouro, 2000.

Texto II
Os Pantanais
O homem pantaneiro é muito ligado à terra em que vive. Muitos moradores não pretendem sair
da região. E não é pra menos: além das paisagens e do mais lindo pôr-dosol do Brasil Central, o
Pantanal é um santuário de animais selvagens. Um morador do Pantanal do rio Cuiabá, olhando para
um bando de aves, voando sobre veados e capivaras, exclamou: “O Pantanal parece com o mundo
no primeiro dia da criação.”
SALDANHA, P. Os pantanais. Rio de Janeiro: Ediouro, 1995.

Os dois textos descrevem:


(A) belezas naturais do Brasil Central.
(B) animais que habitam os pantanais.
(C) problemas que afetam os cerrados.
(D) rios e cachoeiras de duas regiões.

D ––––––––– QUESTÃO 04 ––––––––––


Leia o texto abaixo.

O espetáculo inédito do Circo Doce Mel vai iniciar:


(A) pela manhã;
(B) à noite;
(C) à tarde.
(D) de madrugada.

29
D7 ––––––––– QUESTÃO 05 ––––––––––
Leia o texto abaixo.
O rato do mato e o rato da cidade

Um ratinho da cidade foi uma vez convidado para ir à casa de um rato do campo. Vendo que
seu companheiro vivia pobremente de raízes e ervas, o rato da cidade convidou-o a ir morar com ele:
— Tenho muita pena da pobreza em que você vive — disse.
— Venha morar comigo na cidade e você verá como lá a vida é mais fácil.
Lá se foram os dois para a cidade, onde se acomodaram numa casa rica e bonita.
Foram logo à despensa e estavam muito bem, se empanturrando de comidas fartas e gostosas,
quando entrou uma pessoa com dois gatos, que pareceram enormes ao ratinho do campo.
Os dois ratos correram espavoridos para se esconder.
— Eu vou para o meu campo — disse o rato do campo quando o perigo passou.
— Prefiro minhas raízes e ervas na calma, às suas comidas gostosas com todo esse susto.
Mais vale magro no mato que gordo na boca do gato.

Alfabetização: livro do aluno 2ª ed. rev. e atual. / Ana Rosa Abreu... [et al.]Brasília: FUNDESCOLA/SEF-MEC, 2001.
4v. : p. 60 v. 3

O problema do rato do mato terminou quando ele:


(A) descobriu a despensa da casa.
(B) se empanturrou de comida.
(C) se escondeu dos ratos.
(D) decidiu voltar para o mato.

D8 ––––––––– QUESTÃO 06 ––––––––––


Leia o texto abaixo.
A raposa e as uvas

Uma raposa passou por baixo de uma parreira carregada de lindas uvas. Ficou logo com muita
vontade de apanhar as uvas para comer.
Deu muitos saltos, tentou subir na parreira, mas não conseguiu.
Depois de muito tentar foi-se embora, dizendo:
— Eu nem estou ligando para as uvas. Elas estão verdes mesmo...

ROCHA, Ruth. Fábula de Esopo. São Paulo, FTD, 1992.

O motivo por que a raposa não conseguiu apanhar as uvas foi que:
(A) as uvas ainda estavam verdes.
(B) a parreira era muito alta.
(C) a raposa não quis subir na parreira.
(D) as uvas eram poucas.
D ––––––––– QUESTÃO 07 ––––––––––
Leia o texto abaixo.
Receita de espantar a tristeza

Faça uma careta


E mande a tristeza
Pra longe, pro outro lado
Do mar ou da lua

Vá para o meio da rua


E plante bananeira
Faça alguma besteira

Depois estique os braços

29
Apanhe a primeira estrela
E procure o melhor amigo
Para um longo e apertado abraço

Roseana Murray. Receitas de olhar. São Paulo: FTD, 1997.

Os versos do poema que expressam o significado da expressão “espantar a tristeza”, presente no


título do texto, é
(A) “Vá para o meio da rua
E plante bananeira”
(B) “Depois estique os braços
Apanhe a primeira estrela”
(C) “E mande a tristeza
Pra longe, pro outro lado”
(D) “E procure o melhor amigo
Para um longo e apertado abraço”

D ––––––––– QUESTÃO 08 ––––––––––


O texto abaixo é:

(A) uma poesia.


(B) Uma receita.
(C) um cartum.
(D) uma música.

D ––––––––– QUESTÃO 09 ––––––––––


Leia a tirinha abaixo e marque o certo:

29
Chico Bento diz que está plantando uma árvore de esperança. Por quê?
(A) na natureza existem muitas árvores.
(B) Esperança é planta que cresce rápido.
(C) Tem esperança de resolver o problema do desmatamento;
(D) Há muitas árvores ele quer plantar mais uma.

D ––––––––– QUESTÃO 10 ––––––––––


Leia o texto abaixo.
Receita de Pão de queijo.
Ingredientes
1 prato de queijo curado ralado
1 kg de polvilho doce
8 ovos
2 copos (cada copo de aprox. 200 ml) de leite
1 colher de margarina
1 copo de óleo
2 colheres de chá de sal.

Modo de preparo

Coloque o polvilho em uma tigela e misture o sal. Reserve, ferve o leite, com a
margarina e o óleo. Adicione a mistura fervente ao polvilho. Misture bem e deixe
esfriar. Quando a massa estiver fria acrescente os ovos gradativamente. Amasse
bem. Adicione o queijo e amasse até que a massa se tome homogênea. Unte suas
mãos com óleo e faça bolinhas. Coloque-as em uma forma e leve ao forno. Sirva o
pão de queijo preferencialmente quente.

Os itens da lista abaixo são ingredientes da receita de pão de queijo. Exceto:


(A) Leite.
(B) Queijo.
(C) Ovos.
(D) forno.

Matemática

29
 Laboratório de informática: Tabuada do Dino (multiplicação de 2, 3, 4 e 5).
http://www.escolagames.com.br/jogos/tabuadaDino/

Geografia
Livro didático do aluno-Geografia-coleção Ápis.
Página:57 a 60.
Texto: Quantos somos?

Como vocês imaginam que é feita a contagem de habitantes de um país, região, estado ou
cidade?
Por que é importante essa informação para os governantes?
Por que existe mais habitantes na cidade do que na zona rural?

REGIÃO TERRITÓRIO POPULAÇÃO


Região Centro-Oeste 1 604 852 km² 12 milhões
Região Nordeste 1 556 001 km² 50 milhões
Região Norte 3 851 560 km² 14 milhões
Região Sudeste 927 286 km² 77 milhões
Região Sul 575 316 km² 26 milhões

TOTAL

Observe a diferença das populações das regiões Norte e Centro-Oeste para a população da
região Sudeste. O que leva uma região a ter mais habitantes que outra?________________

Atividades:

29
Livro didático do aluno-Geografia-coleção Ápis.
Página:60
Questões:1 ,2 e 3

História
 História: Conjuração mineira

Falar que Tiradentes foi o Líder da Conjuração ou Inconfidencia Mineira.

Momento de leitura:
Livro didático de História-ligados.com.
Página: 40 e 41
Texto: o patrimônio de Minas Gerais.

Vocês acham correto o movimento que foi realizado por Tiradentes?


Tiradentes fez bem ou mal para o Brasil?
Se Tiradentes vivesse hoje vocês acham seria condenado a morte?

Colorir a bandeira do estado de Minas Gerais.Escrever a tradução do que está escrito nela.
(falarei para os alunos)

29
Dia da semana – (Quinta – feira)

Motivando

Calendário
Será explorado o dia do mês, da semana, mês e ano. Dias para o fim do mês. Nome dos
meses do ano. Formação da data.

Leitura Compartilhada
Bate Papo e Registro do Bate Papo
Explicar aos alunos que a charge é um Crônica do cotidiano, e que crônica é um texto
curto e leve, escrito com o objetivo de divertir o leitor ou leva-lo a refletir sobre a vida
e os comportamentos humanos. Sua linguagem é simples e direta, próxima do leitor.
Que fato do cotidiano a crônica que você leu explora? Considerando a maneira como
é narrada, a reação do taxista (no final), de que forma ele ficou: Curioso?
Desconfiado? Agradecido? Sensibilizado? Por quê?

29
Hora da Atividade
Língua Portuguesa
Livro didático do aluno-Coleção:ligados.com.
Página:184
Texto:O mundo dos sonhos.

Atividades:
Livro didático do aluno-Coleção:ligados.com.
Página:184 e 185
Questões:1 ao 7.

Matemática
 Gráficos.

1-Observe o gráfico abaixo e responda as questões propostas:

a)Escreva século 18 usando numerais romanos:


b) Em quais anos apenas o estado de Minas Gerais produzia ouro?
c)Qual ano apresentou a maior produção de ouro?
d) No ano de 1799 foram produzidos 4,4 toneladas de ouro.Sabendo que uma tonelada
corresponde a 1.000 quilos, faça os cálculos de quantos quilos de ouro foram produzidos no
total.

Geografia
Distribuição da população no território brasileiro

29
A população brasileira não se distribui igualmente por todo o território

Há muita gente no Brasil! Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística –


IBGE –, a população do Brasil estava estimada, para 2014, em mais de 202 milhões
de pessoas. Mas como o nosso país possui uma área territorial de 8,5 milhões de
km², significa que nós temos uma média de mais ou menos 27 pessoas para cada
quilômetro quadrado, ou seja, tem espaço para todo mundo!
O grande problema é que a população brasileira distribui-se irregularmente pelo
nosso território. E o que isso quer dizer? Isso significa que algumas regiões
concentram mais pessoas, enquanto em outras há mais espaço sobrando, até porque
precisamos de lugares em que a natureza esteja mais preservada, livre de cidades,
grandes fazendas e outras atividades humanas.
Se observarmos o mapa a seguir, podemos notar como ocorre a distribuição da
população brasileira:

Mapa da distribuição da população brasileira pelo território


Como podemos ver, a distribuição da população brasileira é muito limitada às

zonas litorâneas do país. Isso se deve a motivos históricos e geográficos, que vêm
desde os tempos de colonização até os períodos posteriores. Por exemplo: a grande
concentração econômica e política do Brasil no Sudeste brasileiro, sobretudo nos
séculos XVIII e XIX, fez com que a maior parte dos habitantes do país se
concentrasse nessa região.
Por Rodolfo Alves Pena – Graduado em Geografia – Escola Kids

História
Conjuração Mineira

29
O que foi
A Conjuração Mineira, também conhecida como Inconfidência Mineira, foi um
movimento de caráter separatista, ocorrido em Minas Gerais no ano de 1789, em
pleno ciclo do ouro. O principal objetivo era libertar o Brasil do domínio
português. O lema da Conjuração Mineira era “Liberdade, ainda que tardia”. No
final do século XVIII, o Brasil ainda era colônia de Portugal e sofria com os
abusos políticos e com a cobrança de altas taxas e impostos. A Conjuração
Mineira foi um dos mais importantes movimentos sociais da História do Brasil. E
significou a luta do povo brasileiro pela liberdade, contra a opressão do governo
português no período colonial.
Principais integrantes da Conjuração Mineira (inconfidentes):
- Tiradentes (Joaquim José da Silva Xavier) – dentista prático, minerador e tropeiro
- Claudio Manuel da Costa – poeta
- Inácio José de Alvarenga Peixoto – advogado
- Tomás Antônio Gonzaga – poeta
- Francisco de Paula Freire de Andrade – coronel
- Carlos Correia – padre
- Oliveira Rolim – padre
- Francisco Antônio de Oliveira Lopes - coronel
Principais causas:
- Exploração política e econômica exercida por Portugal sobre sua principal colônia, o
Brasil;
- Derrama: caso uma região não conseguisse pagar 1500 quilos de ouro para
Portugal, soldados entravam nas casas das pessoas para pegar bens até completar o
valor devido;
- A proibição da instalação de manufaturas no Brasil.
Objetivos principais:
- Obter a independência do Brasil em relação a Portugal;
- Implantar uma República no Brasil;
- Liberar e favorecer a implantação de manufaturas no Brasil;
- Criação de uma universidade pública na cidade de Vila Rica.
A Questão da Escravidão
Não havia consenso com relação à libertação dos escravos. Alguns
inconfidentes, entre eles Tiradentes, eram favoráveis à abolição da escravidão,
enquanto outros eram contrários e queriam a independência sem transformações
sociais de grande impacto.
O fim da Conjuração Mineira
O movimento foi delatado por Joaquim Silvério dos Reis ao governador da
província, em troca do perdão de suas dívidas com o governo. Os inconfidentes foram
presos e condenados. Enquanto Tiradentes foi enforcado e teve seu corpo
esquartejado, os outros foram presos e exilados na África.
Quem passa por esta ruína, entre Conselheiro Lafaiete e São Braz do Suaçuí,
no centro de Minas Gerais, usando a rodovia MG-383, imagina estar diante de mais
uma história de fazendeiro falido.
Esta, entretanto, era a sede da fazenda de Inácio José de Alvarenga Peixoto,
poeta e advogado mineiro que, junto com um grupo de amigos, usava a casa para
planejar como se livrar do domínio da coroa portuguesa, no século 18. Entre eles
estava o alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, que morreu pelo grupo

29
como exemplo, tendo seu corpo esquartejado e pendurado em postes ao longo da
Estrada Real.
Professor Marcelo Silva (marceloss_ufam@hotmail.com)

Educação Física
RECURSOS DIDÁTICOS

 Quadro e giz;
 Livros didáticos;
 Livros literários;
 Atividades xerocopiadas;
 Coleção da Olimpíada;
 Jogos;
 Vídeos, TV, data show;
 Cola e tesoura;
 Lápis de cor;
 Som.
REGISTRO REFLEXIVO
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________
________________________________________________________________

“Educar é colaborar29
com Deus”

Verwandte Interessen