You are on page 1of 44

Prof.

Herbert Almeida
prof.herbertalmeida@gmail.com

Direito Administrativo – Véspera TRF/1


ORGANIZAÇÃO
ADMINISTRATIVA
1. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE PE/2017) As autarquias
a) são criadas, extintas e organizadas por atos administrativos.
b) têm sua criação e sua extinção submetidas a reserva legal, podendo ter sua
organização regulada por decreto.
c) têm sua criação submetida a reserva legal, mas podem ser extintas por decreto,
podendo ter sua organização regulada por atos administrativos.
d) são criadas e organizadas por decreto e podem ser extintas por essa mesma via
administrativa.
e) são criadas e extintas por decreto, podendo ter sua organização regulada por atos
administrativos.
2. (Cespe – Procurador/PGE SE/2017) Com relação à administração indireta, assinale a
opção correta.
a) O consórcio público poderá ter personalidade jurídica de direito público ou privado,
sendo que, em ambas as formas, terão de ser observadas as mesmas normas de direito
público para o regime de pessoal.
b) É possível criar uma empresa pública com capital minoritário de sociedade de economia
mista, desde que a maioria do capital daquela pertença ao ente federativo que a instituir.
c) Na contratação de parceria público-privada, a administração pública pode assumir a
titularidade da maioria do capital com direito a voto das sociedades de propósito
específico.
d) Salvo os documentos e informações classificados como sigilosos pelas empresas públicas
e sociedades de economia mista, os órgãos de controle externo têm direito ao acesso
irrestrito aos dados mantidos por aquelas entidades.
e) As normas gerais sobre licitações e contratos administrativos devem ser aplicadas
primariamente às empresas públicas e sociedades de economia mista prestadoras de
serviços públicos.
3. (Cespe – Analista Judiciário/TRE PE/2017) As entidades autônomas integrantes
da administração indireta que atuam em setores estratégicos da atividade
econômica, zelando pelo desempenho das pessoas jurídicas e por sua consonância
com os fins almejados pelo interesse público e pelo governo são denominadas
a) agências autárquicas executivas.
b) serviços sociais autônomos.
c) agências autárquicas reguladoras.
d) empresas públicas.
e) sociedades de economia mista.
PODERES ADMINISTRATIVOS
4. (Cespe – Analista Judiciário/TRE PE/2017) Considerando que os poderes
administrativos são prerrogativas que se outorgam aos agentes do Estado com vistas
a viabilizar a consecução do interesse público, assinale a opção correta.
a) Abuso de poder e desvio de poder são espécies do gênero excesso de poder que,
presentes quando da prática de um ato administrativo, ensejam sua nulidade.
b) Os poderes administrativos são facultados ao administrador, que pode ou não
fazer-lhes uso, conforme critério subjetivo e as peculiaridades do caso concreto.
c) O não exercício de poderes administrativos não resulta necessariamente em
conduta omissiva ilegal, sobretudo em hipóteses em que a reserva do possível
justifique a impossibilidade de um agir estatal.
d) O agente público que, motivadamente, não necessitar dos poderes
administrativos para o desempenho de suas atribuições pode a eles renunciar.
e) Há desvio de poder sempre que o agente transcende os limites de sua
competência.
5. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE PE/2017) O poder de polícia
a) é indelegável.
b) é delegável no âmbito da própria administração pública, em todas
as suas dimensões, a pessoas jurídicas de direito privado e, também, a
particulares.
c) é suscetível de delegação no âmbito da própria administração
pública, desde que o delegatário não seja pessoa jurídica de direito
privado.
d) pode ser delegado em sua dimensão fiscalizatória a pessoa jurídica
de direito privado integrante da administração pública.
e) pode ser delegado em suas dimensões legislativa e sancionadora a
pessoa jurídica de direito privado integrante da administração pública.
ATOS ADMINISTRATIVOS
6. (Cespe – Professor de Educação Básica/SEDF/2017) Ato
administrativo declaratório é aquele que implanta uma nova situação
jurídica ou modifica ou extingue uma situação existente.
Constitutivo

Extintivo
Quanto aos efeitos
Modificativo

Declaratório

Prof. Herbert Almeida

Direito Administrativo
7. (Cespe – Professor de Educação Básica/SEDF/2017) Ato praticado
por usurpador de função pública é considerado ato irregular.

Válido

Anulável

Nulo

Inexistente

Prof. Herbert Almeida

Direito Administrativo
8. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE BA/2017) O pregoeiro de um tribunal
regional eleitoral (TRE), em um certame licitatório para aquisição de urnas
eletrônicas, resolveu negar provimento ao recurso de um licitante com
fundamento em parecer da área técnica do tribunal.
Nessa situação hipotética, a área técnica do tribunal praticou um ato
administrativo
a) punitivo.
b) vinculado.
c) normativo.
d) ordinatório.
e) enunciativo.

Prof. Herbert Almeida

Direito Administrativo
CONTROLE DA
ADMINISTRAÇÃO
9. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE BA/2017) Acerca do controle exercido
pelos tribunais de contas sobre o Poder Executivo, assinale a opção correta.
a) A fiscalização exercida pelos tribunais de contas dispensa a existência de
controle interno nos órgãos públicos.
b) As decisões dos tribunais de contas que resultarem em imputação de
débito ou multa terão eficácia de título executivo.
c) Os tribunais de contas têm competência para apreciar a legalidade dos
atos de admissão de pessoal, incluindo nomeações para cargo de
provimento em comissão.
d) O controle externo é exercido exclusivamente pelos tribunais de contas.
e) A fiscalização exercida pelos tribunais de contas restringe-se ao aspecto
legal dos atos públicos.
Prof. Herbert Almeida

Direito Administrativo
RESPONSABILIDADE CIVIL
DO ESTADO
10. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE BA/2017) A evolução da
responsabilidade civil do Estado é marcada pela busca crescente da
proteção do indivíduo e da limitação da atuação estatal. Superada a fase da
irresponsabilidade estatal, iniciou-se a etapa de responsabilização do Estado
fundamentada na culpa dos agentes públicos, com a distinção entre atos de
império e atos de gestão. Essa distinção ampara-se na teoria do (a)
a) culpa do serviço.
b) responsabilidade objetiva.
c) risco integral.
d) risco administrativo.
e) culpa individual.
11. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE PE/2017) A responsabilidade do Estado
por conduta omissiva
a) é objetiva, dispensando-se, para sua caracterização, a demonstração de
culpa, exigindo-se, para tal, apenas a demonstração do dano.
b) é objetiva, dispensando-se, para sua caracterização, a demonstração de
culpa, mas exigindo-se, para isso, demonstração de nexo de causalidade
entre a conduta e o dano.
c) caracteriza-se mediante a demonstração de culpa, dispensando-se, para
tal, a demonstração de dano.
d) caracteriza-se mediante a demonstração de culpa, de dano e de nexo de
causalidade.
e) é descabida.
AGENTES PÚBLICOS
12. (Cespe – AJAJ/TRE BA/2017) O Poder Público deferiu título de organização
social a uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, cuja atividade
é dirigida à preservação do meio ambiente. Considerando-se o entendimento do
Supremo Tribunal Federal, é correto afirmar que eventuais trabalhadores
contratados pela referida entidade após a qualificação serão considerados
a) agentes honoríficos, sendo facultativa a promoção de processo seletivo
objetivo e impessoal.
b) empregados públicos, sujeitos à regra constitucional do concurso público.
c) servidores públicos, sujeitos à regra constitucional do concurso público.
d) empregados privados, selecionados mediante processo seletivo objetivo e
impessoal.
e) empregados privados, sendo facultativa a promoção de processo seletivo
objetivo e impessoal.
13. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE BA/2017) O particular que recebe a
incumbência da execução de determinada atividade, obra ou serviço público e os
realiza em nome próprio denomina-se agente
a) administrativo.
b) político.
c) delegado.
d) credenciado.
e) honorífico.
PROCESSO ADMINISTRATIVO
14. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE BA/2017) Conforme a Lei n.º
9.784/1999, nos processos administrativos, a administração pública está
proibida de aplicar nova interpretação de forma retroativa, em decorrência
do princípio do(a)
a) segurança jurídica.
b) legalidade.
c) informalismo ou formalismo mitigado.
d) oficialidade.
e) finalidade.
15. (Cespe – AJAA/TRT 7/2017) Conforme a Lei n.o 9.784/1999, que regula
o processo administrativo no âmbito da administração pública federal,
estabelece que é dever do administrado perante a administração, sem
prejuízo de outros previstos em ato normativo,
a) prestar as informações que lhe forem solicitadas e colaborar para o
esclarecimento dos fatos.
b) tomar ciência da tramitação dos processos administrativos em que tenha
a condição de interessado.
c) expor os fatos conforme seu entendimento, desde que respeitado o
interesse coletivo.
d) formular alegações e apresentar documentos antes da decisão, os quais
serão objeto de consideração pelo órgão competente.
Prof. Herbert Almeida
prof.herbertalmeida@gmail.com

Ética – Véspera TRF/1


LEI 8.112/1990
1. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE PE/2017) No que se refere ao Regime
Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, assinale a opção correta.
a) A Lei n.º 8.112/1990 reúne as normas aplicáveis aos servidores públicos
civis da União, das autarquias e das empresas públicas federais.
b) Tanto os servidores estatutários quanto os celetistas submetem-se ao
regime jurídico único da Lei n.º 8.112/1990.
c) Os cargos públicos dos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário são
criados por lei, e os dos órgãos do Poder Executivo, por decreto de iniciativa
do presidente da República.
d) O regime estatutário é o regime jurídico próprio das pessoas jurídicas de
direito público e dos respectivos órgãos públicos.
e) Consideram-se cargos públicos apenas aqueles para os quais se prevê
provimento em caráter efetivo.
Abrangência da Lei 8.112/1990
vAdministração Pública Federal Direta, autárquica e fundacional
vCargos públicos de provimento efetivo ou em comissão

Art. 1o Esta Lei institui o Regime Jurídico dos Servidores Públicos


Civis da União, das autarquias, inclusive as em regime especial, e das
fundações públicas federais.

- Militares
- Temporários
Não se aplica - Empregados públicos (CLT)
- Ocupantes de cargos vitalícios
(magistrados e membros do MP)
2. (Cespe – Analista Judiciário/TRE BA/2017) Anderson, servidor do TRE/BA,
sofreu grave acidente no exercício de suas funções, o que resultou na amputação
total de seu braço esquerdo. Após avaliação da equipe médica, constatou-se que
ele não poderia exercer as funções anteriormente exigidas pelo cargo que
ocupava. Diante disso, Anderson passou a exercer outra função, compatível com
sua limitação.
Conforme a Lei n.º 8.112/1990, a situação apresentada configura hipótese de
a) aproveitamento.
b) readaptação.
c) reintegração.
d) recondução.
e) reversão.
Formas de provimento (art. 8º)

Originário Nomeação

Promoção
Provimento
Readaptação
Reversão
Derivado
Aproveitamento
Reintegração
Recondução
3. (Cespe – Analista Judiciário/TRE BA/2017) Carlos, servidor do TRE/BA, foi
removido de ofício, no interesse da administração pública, para exercer suas
funções em nova sede, razão por que teve de mudar de domicílio em caráter
permanente. Carlos é casado com Maria, também servidora do TRE/BA. Nessa
situação hipotética, conforme disposição da Lei n.º 8.112/1990, a remoção de
Maria
a) deverá ser concedida pela administração se Maria a solicitar.
b) garantirá a ela o direito ao recebimento de ajuda de custo, ainda que Carlos já
a tenha recebido.
c) será automática, independentemente de solicitação.
d) será automaticamente desfeita se Carlos falecer no novo domicílio.
e) dependerá de análise de viabilidade pela administração pública.
4. (Cespe – AJAA/TRT 7/2017) Inácio, analista judiciário de determinado tribunal,
entrará de férias em outubro de 2017: ele preencheu todos os requisitos legais
exigidos pela Lei n.o 8.112/1990.
Tendo como referência essa situação hipotéhca, assinale a opção correta.
a) As faltas ao serviço, ainda que devidamente jushficadas, serão consideradas para o
cálculo da quanhdade de dias de férias de Inácio.
b) As férias não poderão ser interrompidas, salvo única e exclusivamente por mohvo
de necessidade do serviço declarada pela autoridade máxima do órgão ou da
entidade.
c) Se Inácio for exonerado do cargo efehvo, ele deve receber, a jtulo de indenização
pela exoneração, o período das férias a que hver direito e ao período incompleto, na
proporção de um doze avos por mês de efehvo exercício, ou fração superior a
quatorze dias.
d) Se Inácio for o chefe de sua reparhção, ele deve receber adicional correspondente
a dois terços da remuneração do período das férias.
5. (Cespe – Analista Judiciário/TRT 7/2017) Aprovado em concurso
para cargo público federal, Carlos foi nomeado no dia 6/11/2017 e
tomou posse no dia 21 do mesmo mês e ano. Trinta dias depois, Carlos
se apresentou para entrar em exercício.
Nessa situação hipotéhca, de acordo com a Lei n.o 8.112/1990, a
administração pública deverá
a) demitir o servidor.
b) exonerar o servidor.
c) tornar sem efeito o exercício do servidor.
d) tornar sem efeito o ato de provimento do servidor.
6. (Cespe – TRT 7/2017) Ao servidor público que intencionalmente e
sem nenhuma justificativa se ausentar do país por trinta e um dias
ininterruptos será ́ aplicável, de acordo com a Lei n.o 8.112/1990, a
penalidade de
a) suspensão.
b) demissão.
c) censura.
d) advertência.
7. (Cespe – Técnico Judiciário/TRE BA/2017) Pedro, servidor de órgão público
federal, a mando de Lucas, seu chefe imediato, mensalmente entregava dez
resmas de papel a uma empregada terceirizada, a título de colaboração para a
escola em que um filho dessa empregada estudava. Nessa situação hipotética,
a) Lucas deu ordem manifestamente ilegal, razão por que Pedro deveria ter-se
recusado a cumpri-la.
b) Pedro cometeu infração que não representou grave dano ao patrimônio
público e, por isso, deverá ser-lhe aplicada a penalidade mais branda.
c) o desconhecimento da ilegalidade da conduta afastará a aplicação de
penalidade a Pedro.
d) Pedro cometeu infração, mas Lucas, não, já que não praticou a conduta
proibida.
e) a nobreza da conduta de Pedro poderá justificar a não instauração de processo
administrativo contra si.
8. (Cespe – Analista Judiciário/TRE BA/2017) Determinado servidor público está
respondendo a processo administrativo por ter, supostamente, se apropriado de
dinheiro público. Além disso, há investigação criminal em curso pela prática do
mesmo delito.
Conforme o disposto na Lei n.º 8.112/1990, nessa situação, o servidor
a) não poderá ser processado civil e penalmente antes da conclusão do processo
administrativo.
b) deverá ser representado por advogado, como forma de se garantir a ampla
defesa.
c) somente poderá ser processado na esfera cível se ficarem comprovados o
delito na forma dolosa, e o prejuízo ao erário ou a terceiro.
d) poderá ser afastado preventivamente de suas funções pelo prazo de até
sessenta dias, sem prejuízo da sua remuneração.
e) deixará de responder ao processo administrativo se for absolvido
criminalmente por falta de prova.
Responsabilidades (arts. 121 a 126-A)

Civil üResponsabilidade subjetiva


üCumuláveis
• Dever de indenizar üIndependentes entre si

Penal Esfera penal obriga as demais quando:


§ CONDENAÇÃO penal invariavelmente
• Cometimento de crimes ou
enseja a responsabilização civil e
contravenções penais
administrativa;
§ absolvição penal por NEGATIVA DE
Administrativa
AUTORIA ou INEXISTÊNCIA DO FATO
• Cometimento de infrações gera a absolvição civil e administrativa
administrativas pelo mesmo fato.
9. (Cespe – AJAJ/TRE BA/2017) Após a regular tramitação de processo
administrativo disciplinar instaurado contra servidor público federal, a comissão
processante propôs, em relatório, penalidade de suspensão de sessenta dias.
Nessa situação, segundo entendimento do Superior Tribunal de Justiça, a
autoridade julgadora
a) pode divergir da conclusão do relatório, podendo majorar ou diminuir a
penalidade administrativa.
b) pode alterar a capitulação da infração, mas deve manter a penalidade
administrativa proposta.
c) deve acatar a conclusão do relatório e aplicar a penalidade administrativa
proposta.
d) deve acatar a conclusão do relatório, podendo majorar a penalidade
administrativa, mas não diminuí-la.
e) pode divergir da conclusão do relatório, mas não pode diminuir a penalidade
administrativa.
LEI 8.429/1992
10. (Cespe – TRT 7/2017) Determinado agente público, em troca de
recebimento de vantagem econômica, facilitou a alienação de um bem
público por preço inferior ao valor de mercado, praticando, assim, ato de
improbidade administrativa.
Nesse caso, de acordo com a legislação pertinente, o agente público
praticou improbidade administrativa
a) que atenta contra os princípios da administração pública.
b) que importa enriquecimento ilícito.
c) decorrente de concessão ou aplicação indevida de benefício financeiro
ou tributário.
d) que causa prejuízo ao erário.
11. (Cespe – TRT 7/2017) Em razão de indevida dispensa de licitação, que gerou
prejuízo ao erário decorrente de compra superfaturada, o Ministério Público
estadual ajuizou ação de improbidade administrativa contra o prefeito de
determinado município do estado.
Nessa situação hipotética, de acordo com a CF, as consequências a que se sujeita
o prefeito em decorrência do processo judicial incluem a
a) suspensão dos direitos políticos, a perda da função pública e o ressarcimento
ao erário.
b) perda da função pública, a cassação dos direitos políticos e o ressarcimento ao
erário.
c) pena privativa de liberdade, a perda da função pública e o confisco de bens.
d) pena privativa de liberdade, a suspensão dos direitos políticos e o
ressarcimento ao erário.
12. (Cespe – Delegado de Polícia/PC GO/2017) Em relação à improbidade administrativa,
assinale a opção correta.
a) A ação de improbidade administrativa apresenta prazo de proposição decenal, qualquer
que seja a tipicidade do ilícito praticado pelo agente público.
b) Se servidor público estável for condenado em ação de improbidade administrativa por
uso de maquinário da administração em seu sítio particular, poderá ser-lhe aplicada pena de
suspensão dos direitos políticos por período de cinco a oito anos.
c) O particular que praticar ato que enseje desvio de verbas públicas, sozinho ou em conluio
com agente público, responderá, nos termos da Lei de Improbidade Administrativa, desde
que tenha obtido alguma vantagem pessoal.
d) Enriquecimento ilícito configura ato de improbidade administrativa se o autor auferir
vantagem patrimonial indevida em razão do cargo, mandato, função, emprego ou atividade,
mesmo que de forma culposa.
e) Caso um servidor público federal estável, de forma deliberada, sem justificativa e
reiterada, deixar de praticar ato de ofício, poderá ser-lhe aplicada multa civil de até cem
vezes o valor da sua remuneração, conforme a gravidade do fato.
16 - (CESPE – Analista Judiciário/TRE PE/2017) Considerando, por mera hipótese, que
Concessão de
Enriquecimento Prejuízo ao Lesão a
Sérgio seja servidor público da autarquia X e que, no desempenho de atividades do seu
benefício
ilícito erário princípios
cargo, pratique ato de improbidade administrativa, assinale a opção correta. indevido
a)Ressarcimento ao
Qualquer pessoa teráAplicávellegitimidade para, perante a autoridade
Aplicável Aplicável administrativa
-
erário apresentar representação solicitando a instauração de investigação para
competente,
Perda da função
apurar a prática do ato de improbidade.
Aplicável Aplicável Aplicável Aplicável
pública
b) Suspensão dos
Caso o referido ato cause lesão ao erário, Sérgio poderá ter os direitos políticos
suspensos de oito a dez De 8 a 10 anos
anos. De 5 a 8 anos De 3 a 5 anos De 5 a 8 anos
direitos políticos
c) Sérgio somente sofrerá as sanções previstas em lei se houver efetiva ocorrência de
Perda dos bens
danoacrescidos
ao patrimônio público.
Deve ser aplicada Pode ser aplicada - -
d) Ailicitamente
ação de improbidade contra Sérgio somente poderá ser proposta pela pessoa
jurídica lesada, ou seja,Até 3x
a autarquia X. Até 100x o valor
o valor do Até 3x o valor do
Até 2x o valor do da remuneração
e) SeMulta civil
o ato em questão acréscimo
atentar contra os princípios da administração pública, Sérgio
benefício
dano recebida pelo
responderá tanto por ação quanto por omissão, tenha ele agido de forma concedido
patrimonial dolosa ou
agente
culposa.
Proibição de contratar
Por 10 anos Por 5 anos Por 3 anos -
Gabarito: alternativa A
com o Poder Público
13. (Cespe – AJAA/TRE-BA/2017) De acordo com a Lei n.º 8.429/1992 — Lei
de Improbidade Administrativa —, servidor público que, utilizando-se do
cargo que ocupa, facilitar o enriquecimento ilícito de terceiros, causando
prejuízo ao erário, estará sujeito à pena de
a) proibição do recebimento de qualquer benefício até o total ressarcimento
do dano.
b) perda dos valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio.
c) suspensão da função pública.
d) suspensão dos direitos políticos até o integral ressarcimento do dano ao
erário.
e) pagamento de multa civil, cujo valor deve ser equivalente ao valor do
dano causado.
Bons estudos!

Prof. Herbert Almeida


prof.herbertalmeida@gmail.com