Sie sind auf Seite 1von 33

Departamento de Nutrição/Campus II

Nutricionista Mestre Crislaine Gonçalves

Transtornos alimentares
Influencia?
Influencia??
Anorexia nervosa

Caracterizado por limitação da ingestão de alimentos, devido à obsessão


de magreza e o medo mórbido de ganhar peso.
Anorexia nervosa
• Características:

• Recusa em manter o peso acima do mínimo considerado


normal;
• Medo exagerado de ganhar peso;
• Distúrbio da imagem;
• Negação da gravidade do problema;
• Nas mulheres, ausência de pelo menos 3 ciclos menstruais;
• Ocorre geralmente em meninas depois da puberdade ou na
adolescência
ANOREXIA NERVOSA

• Limita drasticamente a
ANOREXIA ingestão de alimentos
RESTRITIVA • Dietas, jejuns, exercícios
excessivos

• Compulsões periódicas,
ANOREXIA purgações
BULÍMICA • Vômitos, laxantes,
diuréticos
Quadro clínico
• Osteopenia;
• Fraturas espontâneas podem ocorrer por
deficiência de nutrientes;
• Hipocalemia
• Arritmias;
• Hipoglicemia;
• Alterações de enzimas hepáticas.
Terapia Nutricional da Anorexia

OBJETIVOS: Restabelecer o peso adequado, normalização do


padrão alimentar, da percepção da fome e saciedade e correção
das sequelas biológicas e psicológicas da desnutrição
Terapia Nutricional da Anorexia
• Ganho de 900g a 1,3Kg/semana para pacientes de enfermaria
e 250g a 450g para pacientes de ambulatório;

• O consumo energético recomendado é de 30 a 40Kcal/Kg por


dia, pode chegar até 70 a 100Kcal/Kg/dia

• Muitas vezes a internação hospitalar e dieta via sonda ou


parenteral é necessária

• Não existe um consenso frente a qual índice de massa


corporal justificaria a internação hospitalar ou mesmo qual a
porcentagem de perda de peso seria indicador para
internação.
Anorexia Nervosa
 Na fase inicial a terapia nutricional deve fornecer
20Kcal/Kg/dia;

 A terapia nutricional enteral é sempre preferível em relação a


dieta parenteral;

 Não existe recomendação para distribuição específica de


macronutrientes para os pacientes com Transtornos
alimentares.
Terapia Nutricional na AN

Em muitos casos
Ganho de 900g a CALORIAS: 30 a
alimentação por
1,3Kg/semana 40Kcal/Kg/dia
sonda

Não existe
Alguns estudos
consenso sobre
considerem
IMC para
IMC<13
internamento
Bulimia Nervosa
• Compulsões periódicas e métodos compensatórios
inadequados para evitar o ganho de peso, pelo menos
2x/semana por 3 meses

• Compulsão periódica É definida pela ingestão, num período


limitado de tempo, de uma quantidade de alimento maior do
que a maioria dos pacientes consumiria sob circunstâncias
similares
Bulimia Nervosa - Características
• Episódios repetidos do “Comer compulsivo”
• Comportamento compensatório para impedir o ganho de
peso”
• Média mínima de 2 episódios do comportamento de “comer
compulsivo” por semana, por pelo menos 3 meses
• O paciente NÃO nega a estranheza do seu comportamento
• Demora em procurar ajuda
• Os acessos bulímicos são seguidos de sensação de culpa e
depressão
• Peso normal ou com pequena variação
Bulimia - TIPOS
• Vômitos, laxantes, diuréticos

Purgativos

• Comportamentos
Não- compensatórios
• Dieta, jejum ou exercícios mas
purgativos sem vômitos ou diuréticos ou
laxantes
Quadro clínico da Bulimia
Alterações dentárias: efeito do ácido
gástrico no esmalte dos dentes

Face arredondada, inchada devido ao


aumento das parótidas
Sinal de Russel: erosões e calosidades
nas mãos – indução do vômito
Quadro clínico da Bulimia
• Hipocalemia (diuréticos)
• Hipomagnesemia
• Desidratação
• Atrofia das vilosidades intestinais
• Erosões na garganta e esôfago
• Irregularidades menstruais
CARACTERÍSTICAS ANOREXIA BULIMIA

SEXO PREDOMINANTE FEMININO FEMININO

MÉTODO DE CONTROLE DE DIMINUIÇÃO DA INGESTÃO VÔMITOS


PESO

CRISES DE COMPULSÃO RARA CONSTANTE

PESO NO DIAGNÓSTICO REDUÇAO DE FORMA QUASE NORMAL


ACENTUADA

EXERCÍCIOS USUAL RARO

COMPORTAMENTO RARO FREQUENTE


ANTISOCIAL
CARACTERÍSTICAS ANOREXIA BULIMIA

COMPLICAÇÕES CLÍNICAS ARRITMIAS, HIPOGLICEMIA, HIPOCALEMIA,


HIPOCALEMIA HIPOMAGNESEMIA,
RUPTURA DE VARIZES
ESOFÁGICAS E GÁSTRICAS
PERCEPÇÃO DO QUADRO NÃO TEM CONSCIÊNCIA MAIOR CONSCIÊNCIA
INTERNO

AUTO-CONTROLE CONTROLA MELHOR A ÂNSIA MENOR CAPACIDADE DE


DE COMER CONTROLE

AMNORREIA APROXIMADAMENTE 100% APROXIMADAMENTE 50%


OBJETIVOS DA TERAPIA NUTRICIONAL
NA BULIMIA NERVOSA
• Diminuir as compulsões
• Minimizar as restrições alimentares
• Estabelecer um padrão regular de refeições
• Incrementar a variedade de alimentos
consumidos
• Corrigir deficiências nutricionais
Abordagem na Bulimia
• Conhecimento sobre a doença e suas
consequências
• Redução da preocupação com o peso e
aceitação do seu corpo
• Diminuição da purgação
• Planejamento nutricional, para o
fornecimento de calorias e proteínas
adequadas associado a educação nutricional
TRANSTORNO DA COMPULSÃO
PERIÓDICA (TCAP)
• Episódios de comer EXCESSIVAMENTE em
espaço de tempo limitado (2horas), pelo
menos 2 dias por semana, durante 6 meses

• Ingerindo grande quantidade de alimentos


mesmo quando não sente fome e sentindo-se
muito mal, com muita culpa ou depressão
TRANSTORNO DA COMPULSÃO
PERIÓDICA (TCAP)
• NÃO APRESENTAM MECANISMOS COMPENSATÓRIOS

• A maioria absoluta (75%) dos que se alimentam


compulsivamente acabam obesos

• Até 40% dessas pessoas acabam com algum quadro


psiquiátrico associado, como transtornos de ansiedade ou
depressão

• Terapia Nutricional semelhante a utilizada nas situações de


BN
TRANSTORNO ALIMENTAR NA
INFÂNCIA
• Mais comum na adolescência ou na fase
adulto jovem

• Exercício excessivo, uso de laxantes e


diuréticos

• Pensamentos obsessivos em relação aos


alimentos
TRANSTORNO ALIMENTAR NA
INFÂNCIA
• O tratamento psicoterapêutico, é
frequentemente necessário por pelo menos 1
ano ou por vários anos

• Os pacientes com bulimia são mais angustiados e


geralmente aceita mais as intervenções
psicológicas

• Ajuda a entender os motivos, atitudes e conflitos


TRATAMENTO PSICOLÓGICO NOS
TRANSTORNOS ALIMENTARES

Ajudar o paciente Na fase aguda da


Melhorar o
a entender e doença os
desempenho
modificar seu pacientes são
social
comportamento negativistas

Reforçar Restabelecer a
comportamento confiança e
positivos orientação
PROGNÓSTICO
• Pode haver recaída após o tratamento

• Adolescentes apresentam respostas melhores que os


adultos

• As mulheres com anorexia tem 12 vezes mais chances


de ir a óbito do que mulheres da mesma idade na
população geral

• Pacientes com bulimia, cerca de 50 a 70% apresentam


sucesso no tratamento a curto prazo
Referências
✤ MAHAN, L.KRAUSE: Alimentos, Nutrição &
Dietoterapia. 13. ed. São Paulo: Roca, 1179pag.
2013.