You are on page 1of 1

O território brasileiro é marcado por sua diversidade, seja de costumes, de crenças ou de

etnias, o que torna o País riquíssimo culturalmente. Tal fato pode ser usado positivamente
para inserir as massas que estão à margem da sociedade no tecido social e diminuir a
“distância” existente entre os diferentes grupos. Isso através da atuação das instituições
educacionais somadas ao Estado e a instituições não governamentais (ONG´s ).

Essa situação está diretamente relacionada com a “construção” do País, a qual fortaleceu a
segregação dos distintos grupos sociais que habitavam o território brasileiro, além de
privilegiar alguns grupos em detrimento dos outros, principalmente, os afros – descendentes e
os índios- nativos, os quais ficaram a margem da sociedade. Isso possibilitou a atual conjuntura
do Brasil em que as massas populares são menosprezadas e enfrentam diversos preconceitos,
por exemplo, devido a cor da pele, a religião, aos seus costumes ou ao fator econômico, o que
acaba por restringir as oportunidades desses dentro da sociedade e os destinar a participarem
em maiores escalas dos altos índices de analfabetismo, de criminalidade ou de baixa
expectativa de vida. No entanto, esse “quadro” pode ser revertido através do uso da
diversidade cultural brasileira como um vínculo entre os segmentos sociais distintos
fortalecendo a identidade nacional e promovendo uma futura “equidade” social entre os
grupos, o que pode ser alcançado com a flexibilização do atual sistema educacional
mecanizado.

Tal cenário a ser alcançado também deve ser resultado do relativismo cultural, o qual valoriza
a diversidade cultural e diminui as desigualdades e o abismo existente entre os segmentos
sociais do atual território brasileiro, o que gera nos grupos marginalizados uma esperança de
melhoria das condições sociais e econômicas. Essa situação é consequência da atuação do
Estado e de projetos que valorizem as diversas culturas através da arte e da educação, além do
“tombamento” de objetos, construções e obras que fazem parte da cultura material do
diversos grupos, tornando- os patrimônios materiais do País, além de valorizar a cultura
imaterial dos vários segmentos sociais. ..........

Diante disso, faz se necessária a atuação das instituições educacionais com a promoção da
valorização da diversidade cultural do pais através de projetos que incentivem de forma
prática e lúdica as crianças e jovens a buscarem conhecer e entender as diferentes culturas
diferentes das suas. Também é de fundamental importância a atuação do Estado com a
ampliação das oportunidades de participação dos diferentes grupos marginalizados na
sociedade através de ações afirmativas para transformar a realidade das crianças, jovens e
adultos pertencentes a esses grupos. E, por fim, a ação de instituições não governamentais,
como o grupo AfroReggae, promovendo a inserção dos segmentos sociais menosprezados
dentro do tecido social brasileiro por meio da arte, cultura e educação.