You are on page 1of 14

NO CORAÇÃO DA SELVA COLOMBIANA COM OS COMANDOS JUNGLAS DA POLICIA

NACIONAL

Por: Francisco Paulo Costa da Silva

Fig 01 http:<//www.webinfomil.com/2015/12/santos-acabaria-los-comandos-jungla-de.html>.Em 03/06/17.

A Colômbia atualmente passa por um processo de consolidação de paz com o


movimento guerrilheiro FARC(Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), que possivelmente
levará a uma diminuição das ações insurrecionais na selva daquele país. É bem sabido que há muito
tempo as forças policiais travam combates diuturnos contra a guerrilha e o tráfico de drogas,
merecendo destaque especial os Comandos Junglas, unidade que tem como missão principal, planejar
e executar operações contra o narcotráfico, capturar delinquentes das famosas bandas criminales
(quadrilhas especializadas no trafico de drogas) e combater as atividades guerrilheiras em meio rural.

ORIGEM: A origem dos Comandos Junglas, remonta ao final da década de 80, no qual
militares ingleses, especificamente membros do SAS (SPECIAL AIR SERVICE- SERVIÇO AÉREO
ESPECIAL, ), das forças armadas Britânicas, vieram até à Colômbia com a finalidade de treinar
policiais para combater a guerrilha e o narcotráfico utilizando-se de técnicas especiais.Nessa época, as
ações de Pablo Escobar estavam se tornando mais ousadas, carecendo de um combate mais efetivo e
profissional por parte das forças legais.Havia também rumores de que membros do IRA(IRIS
REPUBLIC ARMY-EXÉRCITO REPUBLICANO IRLANDÊS), guerrilha separatista que lutava contra
os ingleses na Irlanda do Norte, estavam realizando treinamento com as FARCs. A vinda dos
militares ingleses foi uma decisão conjunta com o governo americano haja vista uma crescente
influência dos Estados Unidos no cenário da política interna colombiana.
Fig02 - militar inglês na selva colombiana:
https://www.reddit.com/r/MilitaryPorn/comments/3chkl1/british_sas_assisting_with_a_rescue_mission_in/.
Acesso em 03/06/17.

Fig 03 militar inglês, ministrando instrução a policiais colombianos.


Fonte: https://uk.pinterest.com/pin/206884176612588173/
Acesso em 03/06/17.

Foto 04. Possíveis três operadores do SAS ao lado de autoridades colombianas.


Fonte:.http://tropasearmas3.xpg.uol.com.br/UK_SAS_CAMPANHAS_COLOMBIA.html
Acesso em:06/03/17
2.FORMAÇÃO

Fig.05 .Fonte: http://fotojaramillo.com/comando-jungla


Acesso em 08.02.18

O curso de Comandos Junglas normalmente é divido em duas edições, a primeira, a


nacional, direcionada exclusivamente para policiais colombianos, a segunda, foi efetivada após
implementação do Plano Colômbia em 2002(plano de ajuda econômica e militar dos EUA para
combater grupos insurgente e o narcotráfico na Colômbia), com o lançamento do curso comandos
junglas internacional que teve como objetivo capacitar policiais de países da América Latina nas
técnicas de combate ao narcotráfico em ambiente de selva.O curso tem uma duração de quatro meses
e meio, na Escola Internacional do Uso da Força Policial para a Paz - CENOP da Polícia Nacional,
localizada em San Luis departamento de Tolima. Os alunos passam por diversas instruções como:
operações helitransportadas, operações de combate, patrulhas de reconhecimento especial,
sobrevivência, combate em recinto fechado, armamento de dotação dos comandos, operações
antidrogas, tomada de campo de cultivo ilícito de cocaína, patrulha rural, orientação e navegação
terrestre e outras de interesse da formação dos novos comandos. O curso normalmente tem uma taxa
de atrito de 35 a 40 % de desistência,demonstrando um grande nível de exigência em sua execução.

Atualmente os Comandos Junglas são assessorados por militares do 7º Grupo das


Forças Especiais do Exército Americano e pela DEA, Drug Enforcment Agency, agência antidrogas
dos Estados Unidos. O sucesso do programa Jungla é tão visível, que os antigos instrutores (Forças
Especiais-EUA e agentes da DEA) se tornaram assíduos observadores e aprendizes das técnicas de
combate que os comandos Junglas desenvolveram para o ambiente de selva. Juntando a capacidade
de transporte fornecida pelos helicópteros Black Hawks da polícia nacional com o planejamento
detalhado em suas missões, os Junglas se tornaram experts em destruição de laboratório de cocaína,
busca e prisão de chefes de cartéis de drogas e, ponta de lança nas operações de neutralização dos
grandes líderes das FARCs.
FOTOS DO IX CURSO INTERNACIONAL DE COMANDOS JUNGLAS-2010

Fotos 01 e 02. Orientação e navegação em alta montanha durante o IX Curso Jungla Internacional em 2010. Arquivo do
autor.

Fotos 03 e 04: Instrução de FastRope e tiro durante o IX Curso Internacional Jungla em 2010. Arquivo do autor.

Fotos 05 e 06: Instrução de Técnica de Ação Imediata-TAI, durante o IX Curso Internacional Jungla em 2010. Arquivo do
autor.
3. ESTRUTURA DOS COMANDOS JUNGLAS:

Os Junglas são subordinados à Direção Antinarcóticos da Polícia Nacional. Após o


término do curso os novos comandos são distribuídos nas Companhias Antinarcóticos Junglas nas
cidades de Bogotá, Santa Marta e Tuluá. Atualmente cada companhia conta com pelo menos duzentos
policiais. Também existe uma companhia de instrutores Junglas no centro de formação em São Luiz,
Tolima.

Fonte: http://www.ciberabuela.com/santa-marta/mapa-col/
Acesso em 27.07.17

Fig 06.Instrutores Jungla. Fonte:


https://www.facebook.com/1577082935836838/photos/a.1657745114437286.1073741829.1577082935836838/1669419993269798/?type=3&the
ater.Acesso em:25/02/18.
4. MOBILIDADE E TRANSPORTE

A mobilidade dos comandos Junglas depende dos helicópteros Black Hawks da Polícia
Nacional, que atualmente conta com 20 aeronaves, sendo a força policial que mais opera com
helicóptero desse porte no mundo.

Fig 07
Fonte: http://www.webinfomil.com/2015/09/mindefensa-confirma-que-caida-de-black.html.
Acesso em 27/07/17

Fig 08. Pilotos de Blackhawk da Polícia Nacional Colombiana.


Fonte:
https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Blackhawk_helicopter_(with_crew)_of_the_Colombian_National_Police.jpg
Acesso em 15.02.18
5. EQUIPAMENTOS

Os equipamentos e armamentos de dotação dos comandos são semelhantes aos usados pelas
melhores forças especiais do mundo.

Fig.09. Comando Jungla Com Equipamento Para Operação Em Ambiente De Selva-01: óculos de visão notuna; 02: óculos de
proteção e capacete balístico; 03: colete de selva com vários bolsos para: munição, GPS, Bússola e kit diversos; 04: fuzil M4 com
mira holográfica e designador laser; 05: Pistola 9mm SIG SAUER.

6-SÍMBOLO

Fig.10. Símbolo dos Comandos Junglas. Escudo idealizado pelos SAS Britânicos, representado pelo leão e o unicórnio das armas
nacionais inglesas , apresentando ao centro, uma faca Kukri como símbolo máximo das tropas de comandos.
7. PRINCIPAIS MISSÕES

Além das missões de destruição de laboratórios de processamento de coca, os Comandos


Junglas se envolveram nas principais operações de neutralização dos chefes das FARC, contribuindo
de sobremaneira para o enfraquecimento do grupo guerrilheiro.

OPERAÇÃO FÊNIX: Em 01 de março de 2008, em uma localidade no meio da selva,


próximo à fronteira com o Equador, foi desencadeado a operação Fênix que tinha o objetivo de
neutralizar as ações do secretário geral das FARCs Raul Réyes. Após bombardeio dos aviões Super
Tucano ao acampamento dos guerrilheiros, que ficava dentro do território Equatoriano, Forças
Especiais do exército e Comandos Junglas se infiltraram no meio da selva para recuperar os corpos e
coletar dados de inteligência no acampamento da guerrilha.

Fig.11. Local onde ocorreu a operação. Fonte:www.militar.org.ua/foro/fuerzas-armadas-del-ecuador-2010-2014-t29528-


6420.html Acesso em 01/08/17

Fig.12.Raul Reyes-Secretário geral das FARCs até março de 2008.


http://www1.folha.uol.com.br/paywall/signup.shtml?http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u378117.shtml
Acesso em 30/07/17
OPERAÇÃO SODOMA: Realizada em setembro de 2010 com objetivo neutralizar as
atividades do temido chefe militar das FARCS Mono Jojoy. A operação contou com a participação da
inteligência da Polícia Nacional para encontrar o acampamento guerrilheiro. Após o planejamento da
missão os Super Tucanos da Força Aérea entraram em ação despejando várias bombas no local. De
imediato, Comandos Junglas e Forças Especiais do exército começaram a desmantelar os anéis de
segurança composto por vários guerrilheiros que faziam guarda no perímetro do acampamento. Após
os combates, Mono Jojoy e vinte guerrilheiros foram achados mortos.

Fig.13 Comandos junglas e Forças Especiais do Exército no local do bombardeio. Fonte:


http://static.elespectador.com/especiales/2011/09/4a3a99d1c061e8077d3ee3659a6d055f/imagenes.html
Acesso em 01/08/17

Fig.14. Mono Jojoy - Fonte:http://www.semana.com/nacion/articulo/el-cerco-mono-jojoy/100820-3


Acesso em 01/08/17.
OPERAÇÃO ODISSEO

Em novembro de 2011, dados de inteligência obtidos por fonte humana através da


Polícia Nacional, detectou no município de Suáres, departamento de Cauca, a presença de Alfonso
Cano, substituto no comando das FARCs de Pedro Antonio Marin, o famoso Tiro Fijo, morto em
2008. Após a confirmação do fato, as autoridades militares iniciaram os procedimentos de
planejamento da operação Odisseo. Essa operação contou com a Força Aérea, Exército e Polícia
Nacional. Após grande bombardeio pelos aviões da força aérea às posições da guerrilha, os Comandos
Junglas e Forças Especiais do exército foram inseridos no teatro de operações com a finalidade de
capturar ou neutralizar o poderoso chefe guerrilheiro. Para esta ação tinha que desmantelar todo o
anel de segurança, composto por vários guerrilheiros, que guarneciam o perímetro do acampamento.
Após várias horas de combates, uma equipe de comandos Junglas com a ajuda de um cão da raça
pastor belga malinois fêmea, de nome Suka, lograram êxito em neutralizar Alfonso Cano, que veio a
falecer no confronto com os comandos. Dessa feita, com os principais líderes guerrilheiros mortos, as
FARCs entraram em crise levando-os a inevitável mesa de negociação, culminando com o acordo de
paz celebrado no ano passado entre a guerrilha e o governo.

Fig.15 Alfonso Cano, chefe guerrilheiro morto em 2011. Fonte:http://tmachine999.blogspot.com.br/2011/11/la-operacion-


odiseo-que-acabo-con-la.html Acesso em 07.02.18

Fig.16. Comandos Junglas antes da operação Odisseo. Fonte:http://www.elpais.com.co/multimedia/fotos/los-heroes-de-la-


operacion-odiseo.html Acesso em 07.02.18
8.COMANDOS MORTOS EM COMBATE
Nesses quase 30 anos de criação da unidade, mais de 40 comandos perderam sua vida no
combate ao crime organizado e à guerrilha. Policiais valorosos, que não mediram esforços em
defender sua sociedade contra aqueles que tentaram destruí-la e corrompê-la, dando sua vida em prol
de um futuro melhor para a Colômbia.

Fig.17 Policiais mortos na caída de um Black Hawk em 2016, durante uma operação antinarcótico. Fonte:
https://www.facebook.com/1577082935836838/photos/a.1657745114437286.1073741829.1577082935836838/191416985546
1476/?type=3&theater

Fig.18 Capitão Carlos Andrés Gonzáles. Morto em 2013, combatendo narcotraficantes na região da cidade de Cúcuta..Fonte:
http://www.wradio.com.co/noticias/actualidad/capitan-de-policia-que-murio-en-operativo-en-cucuta-ficha-clave-para-acabar-
con-bacrim/20130904/nota/1964102.aspx.Acesso em:25/05/18
9. NOVOS DESAFIOS

Fig.19. http://www.semana.com/nacion/articulo/tras-el-nuevo-patron-del-mal-alias-otoniel/421081-3.
Acesso em 07.02.18

Após quase 30 anos de sua criação os Comandos Junglas vêm se colocando à


prova a cada ameaça que surge à segurança colombiana. Depois da assinatura do tratado de paz com
as FARCs em 2017, outras ameaças assimétricas surgiram como resultado da desmobilização dos
narcoguerrilheiros dissidentes, que não entregaram as armas e continuam a delinquir
comercializando drogas com os cartéis mexicanos. Alguns paramilitares desmobilizados na década
passada, hoje formam várias BACRIMS(Bandas Criminales/Bandos criminais), que cartelizam toda a
produção de drogas em algumas regiões da Colômbia,principalmente na região do Caribe.Uma das
maiores ameaças da atualidade é o bando dos Urabenhos, cartel chefiado pelo criminoso de nome
Otoniel, que atualmente aterroriza a região, promovendo atos violentos contra à polícia e à população
do país.Diante da nova situação de segurança interna, desafios novos e antigos se apresentam aos
comandos Junglas:

1.Continuidade das operações de destruição de laboratórios de cocaína

Fig.20 Fonte: https://www.infobae.com/america/america-latina/2016/08/03/comandos-jungla-colombianos-destruyeron-104-


laboratorios-para-el-procesamiento-de-cocaina/.
Acesso em 07.02.17
2.Engajamento em operações urbanas

Após vários anos combatendo no meio da selva, os comandos Junglas passaram também
a utilizar suas capacidades em operações urbanas.

Fig

Fig.21 Comandos Jungla em treinamento com membros das Forças Especiais americanas.
Fonte:https://www.defense.gov/Photos/Photo-Gallery/igphoto/2001321681/
Acesso em 08.02.18

Fig 20 Comandos junglas em operações urbanas no centro de Bogotá. .Fonte:


https://www.facebook.com/1577082935836838/photos/a.1657745114437286.1073741829.1577082935836838/172515219769
6577/?type=3&theater.Acesso em 25.02.18
3.Continuidade do combate aos cartéis organizados e as guerrilhas remanescentes

Apesar da diminuição da plantação de hectares de coca na Colômbia, o comércio dessa


droga ainda figura como um dos negócios mais lucrativos do mundo. Diante disso, novos atores
surgirão para disputar esse importante mercado para suprir as necessidades dos cartéis mexicanos em
traficar para os EUA. A Colômbia sempre será uma fonte inesgotável de disputas pela produção da
droga.

Fig.22 http://devtsix.com/forum/viewtopic.php?t=14097&start=21
Acesso em 07.02.18

O sucesso do programa Jungla é tão evidente que sua expertise está sendo
difundida para países como Honduras, Panamá e México, países conflagrados pelo tráfico de drogas.
Com a ajuda técnica de membros do 7º Grupo de Forças Especiais, os Comandos Junglas difundem
táticas e técnicas especiais no combate ao narcotráfico, ajudando essas nações a combater esse grande
flagelo que assola à sociedade nos dias atuais.

SOBRE O AUTOR: Policial Federal, Operador Aerotático, lotado na Coordenação de Aviação Operacional. Concluiu o
IX curso Internacional de comandos junglas em 2010.