Sie sind auf Seite 1von 2

Nicolas Linguanotte Ladislau Ra: 3308120 RTV

Semiótica - Bases teóricas para aplicação

Para se haver comunicação é preciso ter uma relação entre quem transmite e quem recebe
a informação, por meio de vários canais são emitidos códigos, ferramentas de linguagens
que depois são interpretadas, esses códigos que tem sua representatividade para os
receptores são chamados de Signos. Estudar os processos comunicacionais , o método
semiótico e o processo de signos, foi o que que Peirce se dedicou a estudar, e criou
algumas teorias que auxiliam na análise das teorias da comunicação como um todo.
A Semiótica é esse estudo dos signos, a comunicação vem cada dia mais se aprofundando
nesse estudo para entender como funciona o processo comunicacional e como influencia
quem recebe a informação e interpreta estes signos.

É preciso haver um por que para se comunicar e esse desejo é chamado de objeto, o que
se quer comunicar, quem recebe tem uma interpretação e este causa algum efeito neste, a
isto se dá o nome de interpretante, e por fim o signo que nada mais é que o mediador entre
o objeto e o interpretante, então o objeto é o desejo de transmitir algo, já o interpretante é a
interpretação e efeito que se causará. De acordo com o autor o signo pode ser analisado de
três formas:
“Em si mesmo, nas suas propriedades internas e no seu poder para significar;
Na sua referência àquilo que ele indica, se refere ou representa;
Nos tipos de efeito que está apto a produzir em seus receptores, isto é, nos tipos de
interpretação que ele tem o potencial de despertar em seus usuários.”

Signo é aquilo que dá corpo a pensamentos, idéias e emoções, ou seja quando se tem um
pensamento este por si só já é a representação de algo, é um signo interno, quando este é
externado se torna um signo externo, que vai ser transmitido para ser interpretado. Tudo é
signo, a partir do momento que contém um objeto, algo que se representa algo e este se é
feito, e se formos mais a fundo tudo que está aos nossos sentidos, que ocupa um lugar no
tempo e espaço transmite algo, de forma intencional ou não, consciente ou inconsciente
transmite algum tipo de informação para alguém, ou seja Signo.

Os Signos podem ser classificados de três formas: O ícone, o índice e o símbolo


O ícone é representa um objeto ou coisa por semelhança já que possui as mesma
características que o objeto, como uma foto, que possui semelhança com o real apresenta
formas, cores, tons, texturas entre outras características do objeto. O índice aponta alguma
coisa com o qual está ligada por semelhança ou proximidade no lugar de representá-la, ou
seja objetos que podem representar a própria coisa, estão ligadas de forma que quando
mostradas já remetem aquilo. Por sua vez os Símbolos são abstratos, como a associação
de letras que formam as frases e as palavras, que ditas geram as idéias propostas pelo
interlocutor.

Qualquer informação, idéias , fato que se for transmitir e passar alguma mensagem por
diversos meios, tais como fotografia, pintura, dança, canto, músicas, filmes, jornais, peças
publicitárias são formas de criar signos e transmiti-los de forma a passar a mensagem
proposta, claro que para se avaliar e analisar esses signos de diversos meios é preciso ter
um conhecimento teórico do meio para assim de acordo com a semiótica estudar esses
processos, mas a essência é a mesma, ter um objeto irá formar o signo. O signo, não é a
coisa, mas está no lugar da coisa, está de forma a representar e causar os efeitos e
interpretações necessárias em quem recebe.

Na comunicação, principalmente, os signos estão muito presentes, pois se deseja


conscientemente transmitir uma mensagem e causar os efeitos esperados na sua
audiência, todas as formas de se se comunicar por diversos meios são formas de se
transmitir mensagens e por sua vez são signos que precisam ser bem estabelecidos
principalmente em sua concepção para produzir os efeitos esperados.