You are on page 1of 12

3

Introdução

O presente trabalho surge no contexto da cadeira de Anatomia Animal e Humana, cujo tema é
Doenças Articulares e suas Terapêuticas.

Neste trabalho vamos abordar as seguintes doenças:

Bursite;

Artrite;

Febre reumatóide;

Fibrosite primária; e

Tenossinovite.

Suas causas, sintomas, suas terapêuticas e suas prevenções.

Doenças articulares nos animais domésticos.

Objectivos

Objectivos gerais

 Conhecer as doenças que podem atacar as articulações.

Objectivos específicos

 Identificar os diferentes tipos de doenças articulares;


 Conhecer as causas, os sintomas, terapêuticas e prevenções de cada doença.

Metodologias

As metodologias usadas para a realização deste trabalho foram:

 Consultas bibliográficas referidas no final do mesmo; e


 Consulta a pessoas que sofrem de algumas doenças articulares.
4

1. Doenças Articulares

São doenças que afectam as articulações, não são exclusividades dos idosos podem também
aparecer na infância e na juventude, as causas são diversas desde traumatismo, origem
genética, até doenças auto-imunes, dentre elas vamos abordar as seguintes: bursite, artrite,
febre reumática, fibrosite primária e tenossinovite.

1.1 Bursite

É uma inflamação da bolsa sinovial que pode ocorrer em qualquer das bolsas periarticulares.

Causas

É causada por traumatismos, infecções, lesão por esforço sobre a bolsa, uso excessivo de
articulações, movimentos repetitivos, gota (ácido úrico cristalizado e depositado na
articulação), ou de algum processo inflamatório local ou sistemático.

Sintomas

A inflamação é caracterizada por dor intensa e latente e restrição do movimento.

É mais frequente na bolsa subacromial que está localizada perto da articulação do ombro,
consequentemente numa inflamação desta bolsa, o movimento da articulação do ombro é
limitado e doloroso. Uma vez que o tendão do músculo supra espinhoso é importante na
abdução do úmero e forma o chão da bolsa subacromial, o paciente com bursite subacromial
tem abdução limitada na articulação do ombro.

Se a bursite persiste, os músculos eventualmente se atrofiam ou degeneram. Com a bursite


crónica, o ombro pode efectivamente se tornar rígido, mesmo que articulação não esteja
danificada.

Terapêutica

O tratamento é simples mas em alguns casos é um pouco doloroso, já que é feita com
fisioterapia, exercícios leves que correspondem na própria movimentação do corpo, activação
de músculos através de estímulos eléctricos, massagens, entre outros.
5

A ocorrência da bursite é vista geralmente nos ombros, joelhos e cotovelos.

Prevenção

Evitar as actividades que requerem uma pressão prolongada sobre joelhos e cotovelos, se não
poder evitar ajoelhar se faça-o sobre uma almofada de espuma para reduzir a pressão sobre
joelhos.

Fig. 1.a braço com bursite

Fig. 1.b braço com bursite


6

Fig. 1.2 Pé com bursite

1.2 Artrite

Do grego arthron- articulação, itis- inflamação, é uma das mais comuns e dolorosas
anormalidades do sistema articular.

Causas

É causada por uma bactéria ou vírus que causa uma infecção, a idade também é um factor
contribui para o desenvolvimento da doença, excesso de esforço nas articulações
principalmente em casos de exportes competitivos, treinamentos intensivos ou trabalho de
contracção física, sobre peso, ferimento, cirurgia e doenças metabólicas como diabetes.

Três tipos comuns são: artrite reumatóide, artrite gotosa e doença articular degenerativa ou
artrose.

 Artrite reumatóide

É uma doença inflamatória crónica que ataca principalmente as articulações e as estruturas


conjuntivas circunjacentes, é uma doença sistémica porque pode atacar outras partes do
corpo, tais como, o coração, os pulmões e os rins, e é mais frequente nos homens do que em
mulheres. O estágio precoce desta doença é a inflamação da membrana sinovial na qual o
tecido fica espessado, este espessamento (pannus) cresce para o interior ao longo da
superfície da cartilagem articular e lesa a cartilagem. O tecido inflamatório se torna invadido
com material fibroso duro o qual é aderente e impede o movimento da articulação. Este
estágio é conhecido como Anquilose fibrosa.

 Artrite gotosa
7

A gota é uma doença metabólica, é uma perturbação do metabolismo da purina comummente


associada com o aumento do ácido úrico no sangue. As crises desta doença ocorrem quando
depósitos de cristais de urato dentro e em torno das articulações levam a inflamação do tecido
articular, lesão da cartilagem articular e dor intensa.

 Doença articular degenerativa

Esta doença é uma perturbação não inflamatória das articulações móveis caracterizada por
deterioração de cartilagem articular e formação de um osso novo nas superfícies da
articulação. Geralmente ela ataca indivíduos acima de 45 anos de idade.

As articulações que suportam o peso das extremidades inferiores e da coluna vertebral estão
particularmente sujeitos a estragos e desgastes e frequentemente mostram mudanças
degenerativas precocemente. A cartilagem lisa fica picotada e desgastada, e toda ela pode ser
perdida, o osso cresce sobre a superfície articular degenerada, evidenciando saliências ósseas
nas bordas da articulação, que podem estender-se para dentro e perto dos tendões e
articulações. Essas alterações tornam mais difíceis os movimentos articulares. Quando os
ossos crescerem dá se a doença os nomes de artrite hipertrófica e osteartrite.

Sua terapêutica

A maioria dos tratamentos bem sucedidos envolvem formas de controlar a dor e melhorar a
funcionalidade. Tais tipos de tratamento podem ser exercícios físicos que diminui a dor,
melhora a flexibilidade fortalece o coração, o controle de peso reduz o estresse, aumenta a
mobilidade, descanso e alivio do estresse previne a dor causada pelo esforço excessivo, e
remédios para controlar a dor.

Outra forma de tratamento é a cirurgia e o uso de terapias complementares como a


acupunctura uma terapia que trabalha a força vital através da inserção de agulhas em pontos
específicos do corpo com o objectivo equilibrado.

Prevenção

Mudar certos aspectos de estilo de vida e ajustar a dieta e a quantidade de exercícios físicos.
8

Fig. 2 Mãos com artrite

Fig.2.1 Pés com artrite

1.3 Febre Reumática

Causas

É causada por uma bactéria designada estreptococo.

Sintomas

É caracterizada pela inflamação dos tecidos sinoviais, tendões e outros tecidos conjuntivos
em volta das articulações. A febre reumática começa com uma intensa reacção inflamatória
das articulações e tende a permanecer após um breve período de tempo. Os sintomas da febre
reumática são geralmente observados duas a três semanas após uma infecção aguda de oro
9

faringe. Quando a doença permanece o paciente geralmente não mostra qualquer lesão
funcional residual do sistema articular, mas frequentemente tem lesão permanente das
válvulas cardíacas (especialmente as válvulas mitral e aórtica), a qual se manifesta mais tarde
como doença reumática do coração.

Sua terapêutica

O primeiro passo para o tratamento da febre reumática é a erradicação do estreptococo com o


uso de antibióticos. Os melhores resultados são conseguidos com aplicação de penicilina G
benzatina intramuscular. Em pacientes alérgicos a penicilina, ou que sofrem de problemas de
hemorragia, a melhor opção para substituir a penicilina G é a eritromicina por via oral. As
crianças que tenham manifestações articulares sem outras complicações podem ser tratadas
com aspirina ou outro anti-inflamatório. Em qualquer uma das formas agudas da doença é
recomendado o repouso, o tempo médio de repouso deve ser de 4 semanas, o retorno as
actividades físicas deve ser gradual apôs assegurada a cura da doença.

Prevenção

A prevenção baseia se na detenção rápida e no tratamento a base de antibióticos.

1.4 Fibrosite primária (reumatismo ou lumbago)

É uma inflamação de tecido conjuntivo fibroso, mais do que uma doença dos músculos,
ocorre na parte inferior das costelas. A fibrosite crónica envolve muitas estruturas
simultaneamente ou migra de uma parte do corpo para a outra.

Causas

É causada pela interacção de factores genéticos, neuroendócrinos, psicológicos e distúrbios


do sono.

As porções envolvidas do corpo estão geralmente sensíveis e rígidas, se o movimento das


articulações depender das funções dos tecidos periarticular, conjuntivo e dos músculos, a
10

irritação dessas estruturas leva á limitação do movimento. Logo que as mudanças do tecido
conjuntivo são aliviadas, o sistema de locomoção funciona outra vez normalmente.

Sua terapêutica

Usa-se a acupunctura, a medicina erval, massagem, exercícios para restaurar o fluxo


apropriado de energia e de líquidos.

Prevenção

Fazer actividades físicas regulares.

Fig. 4 Ocorrência da fibrosite primária

1.5 Tenossinovite

Causas

Na maioria dos casos é provocada por pequenos traumatismos repetidos ou por movimentos
bruscos e um pouco forçados de uma determinada parte do corpo. Pode também ser
provocada por um progressivo e prolongado défice da assimilação sanguínea no tendão e na
sua bainha, afectando sobre tudo os idosos.

Sintomas
11

As bainhas dos tendões tornam-se inflamadas interferindo na livre passagem de tendão


envolvido, então, a função das articulações movidas por estes tendões estará dificultada. Se a
inflamação ocorre ao longo das bainhas dos tendões flexores dos dedos, (fig.5.1) o dedo
frequentemente não pode estender-se pelo aparelho extensor sem auxílio o chamado dedo em
gatilho como mostra a fig.5. A inflamação do tendão flexor e da fáscia pulmonar pode causar
adesões tão fortes que o movimento dos dedos é completamente impedido.

Sua terapêutica

Para a recuperação é essencial o repouso ou imobilização dos tendões afectados. Isso pode
ser conseguido por meio de um aparelho ortopédico.

Aplicação de calor ou frio na zona afectada e medicamentos anti-inflamatórios irão reduzir a


dor e a inflamação. Em alguns casos pode ser necessária uma operação para liberar o pus ao
redor do tendão.

Prevenção

Fazer regularmente as actividades físicas, evitar usar as articulações durante muito tempo e
ter uma boa posição ao sentar, os pés devem estar em paralelo ao chão, as pernas devem ficar
flexionadas no joelho, sendo que a coxa forme um ângulo de 90 graus com as costas.

Fig 5 dedo em gatilho


12

Fig.5.1 tendões na mão

O tratamento convencional das doenças articulares tem como objectivo actuar contra a dor e
inflamação mas sem agir na real raiz do problema.

1.6 Tratamento ortomolecular

O prefixo orto vem do grego orthos e significa correcto, portanto este tipo de tratamento tem
como objectivo fazer a correcção das moléculas. Na prática trata se de uma terapia que tenta
equilibrar as reacções químicas dos organismos, por meio de controlo e manutenção de
nutrientes como vitaminas, sais minerais, aminoácidos, ácidos graxos, entre outros essenciais
ao bom funcionamento dos órgãos e sistemas.

Alguns organismos sofrem com a deficiência de glucosamina e isso acelera o processo de


artrose assim, o tratamento ortomolecular trabalha para combater a acção dos radicais livres
que agem na decomposição desta substância.

A principal acção de tratamento ortomolecular é de diminuir a inflamação e promover a


generação das articulações com os nutrientes adequados.
13

2. Doenças articulares nos animais domésticos

As doenças mais comuns nos cães e gatos são displasias e artrose.

Displasias e artrose são doenças articulares geralmente genéticas e agravadas pelo sobre
peso e pela idade do animal. Ambas podem aparecer em diferentes graus de gravidade e
reduzem a possibilidade de movimentação do cão ou gato afectado.

Os problemas articulares não podem ser curados e seu tratamento consiste principalmente no
alívio da dor do animal e na realização de cirurgias, na tentativa de favorecer sua
movimentação. Medicamentos com substâncias que reforcem a cartilagem óssea, também são
reconhecidos, mas na dosagem estabelecida pelo veterinário do animal.

Doença articular degenerativa ou artrite é vista em cães de meia-idade com aumento de


incidência nos animais mais velhos. O cão fica rígido e diminui actividades físicas.

A medida que a doença progride animal dependendo da articular estado deitado por algum
tempo. A medida em que a doença progride, os sinais acima mencionados tornam-se mais
severos, ate um ponto em que animal recusa levantar ou andar.

Conclusão

No final deste trabalho o grupo conclui que as doenças articulares são doenças inflamatórias
que afectam as articulações, tem diversas causas como traumatismo, infecções, lesão por
esforço, uso excessivo e inflamação das articulações. Essas doenças não só atacam os idosos
também aparecem na infância e na juventude. As doenças articulares mais comuns são:
bursite, artrite, febre reumática, fibrosite primária e tenossinovite. Um dos tratamentos usado
para estas doenças é o tratamento ortomolecular que tem como objectivo a correcção das
moléculas, trata-se de uma terapia que tenta equilibrar as reacções químicas do organismo por
meio de manutenção dos nutrientes.
14

Bibliografia

ADAMS, J. C. Manual de fracturas e lesões, articulares, artes médicas. São Paulo, 1980.

JACOB, W. S. Anatomia e fisiologia humana, 5 Edição, Rio de Janeiro, 1982.

[On line] Disponivel na Internet via www URL:http:// sentirbem.vol.com.br

[On line] Disponivel na Internet via www.URL:http:// tudoemfoco.com.br