Sie sind auf Seite 1von 2

Curso: Curso: ECONOMIA BRASILEIRA - UAB

Polo/Turma Turma C - PÓLO DE UBÁ


Tutor: Geraldo Lopes De Souza Junior
Aluno: Elson Azevedo de Oliveira

Após debaterem o conteúdo, peço que, individualmente, seja elaborado um texto (no
máximo duas páginas) discutindo qual o legado da Era Vargas e do Plano de Metas para o
nosso Brasil de hoje.
A crise econômica mundial, em 1929, provocou um grande declínio nos lucros dos
fazendeiros que exportavam Café, gerando um grande exilio de trabalhadores do campo para as
cidades. Foi em São Paulo que as indústrias ganharam força através da política do governo que
previa a substituição de produtos importados por produtos fabricados no Brasil.
A politica economia de Getúlio Vargas, que visava um Brasil economicamente
independente de recursos externos, principalmente Americano, aplicou os recursos vindos
exclusivamente do Café para serrem redistribuídos a fim de estimular outras produções, sobretudo
as industriais, ministério do trabalho indústria e comércio. Este foi um dos grandes legados de
Getúlio Vargas, que almejava, no futuro, um Brasil rico e economicamente autônomo.
O Brasil de 1930, a partir do Governo Vargas, tinham condições de produzir café numa
escala capaz de abastecer todo o mercado mundial. A queda do preço do café, na bolsa de
valores, devido à crise de 1929, fez com que o governo comprasse todo o excedente de café e
depois queimassem. A finalidade era de regular a oferta do preço do café no mercado
internacional.
Outro fator importante foi à produção de algodão que veio socorrer as exportações
brasileiras depois da crise do café. A Alemanha nazista era uma grande importadora do algodão
brasileiro para suas indústrias de tecidos. Pouco a pouco o algodão substituir o café nas
exportações. A substituição de mão de obra estrangeira, na indústria brasileira por mão de obra
vinda da migração de cidades mineiras e nordestinas alavancou-se as atividades da construção
civil e industrial. Os bens acabados sofriam grandes dificuldades para serem importados devidos á
valorização da moeda brasileira. Getúlio, para resolver esse problema, implantou reformas com
objetivo de incentivar as indústrias nacionais.
O governo divulgou um suposto plano dos comunistas para tomar o poder, o chamado
plano COHEN, era falso, mas servia como pretexto para Vargas implantar uma ditadura no país e
começar o período do Estado Novo. Neste período são criados novos Territórios Federais e uma
nova moeda, o cruzeiro. Foram criados também no Estado Novo, os principais direitos trabalhistas
como salário mínimo, o descanso semanal, a carteira de trabalho, as férias remuneradas e a
estabilidade no emprego após dez anos de serviço.
O Brasil possui um dos maiores depósito de minério do mundo com alto teor metálico, de
extrema pureza e passivo de extração. Vargas vai priorizar menos a exportação de minério e
incentivar a indústria siderúrgica nacional a fabricar o ferro e o aço para engrandecimento de
nossa economia. Para exportar tais produtos, o Presidente cria o escoamento dos produtos, via
estrada de ferro entre Vota Redonda, Central do Brasil e Vale do Paraíba. Com isso, nesse local
(vale do Paraíba) criam-se mais empregos para mais de mil trabalhadores e operários somente na
construção desse escoamento. E o funcionamento da usina criaria quatro mil empregos diretos,
isso dentro de três anos. O início da segunda guerra mundial, que se iniciou em 1939, foi
determinante para o aumento das exportações, valorização dos produtos brasileiros e cooperação
econômica.
Com a criação da Petrobrás é incentivado à venda de tratores a combustível para a Zona
Rural, Getúlio cria a comissão de estudos do petróleo e inspira o decreto que passa para
propriedade da união as jazidas de petróleo que viessem a serem descobertas no Brasil;
nacionaliza-se a indústria do refino. O Renomado Presidente protegeu as atividades industriais
através de uma série de medidas. Primeiro ele facilitou os empréstimos bancários às indústrias
que tomavam dinheiro dos bancos com juros mais baixos e prazos de pagamento mais longos. O
Estado também baixou os impostos sobre máquinas e equipamentos e industriais e, para
completar, facilitou a importação de máquinas e equipamentos de transporte.
Vargas discursou afirmando que a causas aliada da guerra apoiava-se ideias mortas;
Washington, analisando o discurso de Vargas, manda reabrir apressadamente o caso das usinas
brasileiras. Com o fim da segunda guerra, aumentam as pressões; Getúlio deixe o poder e os
intelectuais estudantes e setores das forças armadas pedem eleições em outubro de 1945, os
ministros militares tomaram o poder e convoca com ele ações; termina-se o Estado Novo. Porque
o que é bom para o Brasil e os brasileiros não é bom para os Estados Unidos, pai opressor e
colonizador.
Vargas deixou um legado muito grande para a nossa economia e, caso fosse
aplicado pelos governos sucessivos, o Brasil seria uma potencia econômica. O dito milagre
brasileiro de JK era um falso milagre porque não foi feito através da industrialização
nacional, mas sim, com uma ampla abertura e vinda das multinacionais. Vargas tinha uma
visão de um Brasil inteiramente independente de capital. Industrializou um Brasil que
praticamente só plantava café com indústrias genuinamente nacionais.
Derrubado pelos militares a serviço da elite — nesta época já associada ao imperialismo
norte-americano — quando seu projeto unitário avançava a passos largos, foi substituído, nas
eleições de 1945, pelo general Eurico Gaspar Dutra — francamente pró-americano no processo
de nascimento da Guerra Fria. Ou seja, muito pago pelos americanos pra trair o Brasil, Dutra
entregou o Brasil ao Capital estrangeiro e como sempre acontece: o Brasil tem que ser sempre
Colonizado e explorado economicamente pela elite global, principalmente americana.