Sie sind auf Seite 1von 3

Filosofia e Filosofia da educação

Qxiestões gerais
1. Em que sentido o mito ainda faz
parte da vida contemporânea? Identifique, na nossa cultura, o caráter mítico
de fenômenos como o carnaval, o futebol, as comemorações (casamento, formatura etc.).

2. Explique as semelhanças e as diferenças existentes entre as seguintes


abordagens do real:
a) ciência e filosofia;
b) senso comum e bom senso;
c) bom senso e filosofia. .

3. Gomo se distingue o filósofo do indivíduo não especialista, capaz de desenvolver uma “filosofia de vida”?
b) Por que o fascismo é uma teoria
vitalista e por que é reacionária?
c) Por que o uso da razão é justamente o contrário da negação da rida?
d) Partindo das conclusões de Rouanet, justifique a necessidade de uma
filosofia da educação.
4. Explique o significado da frase de
Kant: “(...) não é possível aprender
qualquer filosofia (...) só é possível
aprender a filosofar”.

5. O que significa dizer, com Vernant


que “a filosofia é filha da cidade”?

6 . Justifique a-importância da filosofia.


Por que ela é tão desvalorizada nos tempos atuais

7. Qual é a importância da filosofia


" para a pedagogia

8 . Explique a frase de Merleau-Ponty::


“A verdadeira filosofia é reaprender a' -
ver o mundo”.
9. Tendo como base o dropes 2, responda às questões:
a) O que Rouanet quer dizer com
“erotismo do pensar”?

Antropologia Filosófica
Q iiestões gerais
1. Explique o que há em comum nas
concepções antropológicas desde a Antiguidade grega até o século XVIII. Discuta em que medida essa concepção
antropológica ainda está arraigada no
imaginário de muitos educadores.
2. O desenvolvimento das ciências da natureza marcou de maneira forte a concepção antropológica naturalista. Analise
as repercussões dessa tendência na pedagogia.

3. “Não é a consciência dos homens


que determina o seu ser: é o seu ser
social que, inversamente, determina a
sua consciência.” Comente essa frase
de Marx, identificando a concepção
antropológica que ele critica e a que
defende.

4. Explique por que a citação do dropes 1 não se encaixa nem na concepção


essencialista nem na concepção naturalista de ser humano.

5. Identifique a concepção antropoló


gica de Gramsci no dropes 2.

6. “Um grande pintor, tendo feito em


algumas sessões o retrato de um cliente,
teve que ouvir deste a objeção de que o
preço exigido era muito alto por algumas horas de trabalho. ‘Algumas horas’,
respondeu o artista, ‘mas toda a minha
vida’.” Baseado nessa citação de Georges Gusdorf, atenda às questões:
a) Explique o significado da resposta
do pintor.
b) Transponha o exemplo do trabalho do pintor para a profissão de professor, refletindo sobre o que significa
“tornar-se professor”.

7. “Nascemos homem ou mulher; tornamo-nos humanos. Esse processo, que


vale tanto para a espécie como para o
indivíduo, é o que podemos chamar de
humanização: é o devir humano do homem — o prolongamento cultural da
hominização.” A partir dessa citação
de André Comte-Sponville, atenda às
questões:
a) Considerando hominização como o
longo processo pelo qual nossos ancestrais primatas evoluíram até chegar ao
homo sapiens, o conceito de humanização
dele se distingue por outras características. Cite algumas delas.
b) Explique qual é a importância
da educação no processo de humanizaçâo.

8 . Releia o dropes 3 e atenda às questões:


a) Explique o que o autor quis dizer
com “nascemos homens; tornamo-nos
humanos”.
b) Ao aceitar a pertinência à humanidade de indivíduos cruéis, Comte-
-Sponville se aproxima dos defensores
dos direitos humanos. Explique em
que medida essa aceitação não significa
deixá-los impunes nas suas ações, mas
vê-los como seres humanos.
c) Analise a importância de educar
os jovens a respeito dos direitos humanos (ver capítulo 4).

Q uestões sobre a leitura


co m p lem en ta r
1. No início do texto, o autor se refere ao “próprio do homem” e depois à
“condição humana”. Explique qual é a
diferença entre essas duas posições.

2. Podemos então classificar essas duas


posições: enquanto a primeira é essenciclista, a segunda é não metafísica. Justifique.

3 . Como a diferença entre as duas posições pode orientar projetos de educa


ção também diferentes?