Sie sind auf Seite 1von 6

LAB 04 – Informações dignas de nota

1) White – Fluid Mechanics

Definimos a espessura da camada-limite como o lugar geométrico dos pontos em que


a velocidade u paralela à placa atinge 99% da velocidade externa U. Como veremos
na Seção 7.4, as fórmulas aceitas para o escoamento sobre uma placa plana são

A fórmula de escoamento turbulento aplica-se para Rex maior do que 10^6,


aproximadamente.

Ela é valida tanto para escoamento laminar como para escoamento turbulento sobre
uma placa plana.

Sem dúvida, ela é bastante aproximada, parte da teoria da quantidade de movimento


integral de Kármán [7], mas é surpreendentemente precisa, ficando apenas 10% acima
da solução exata conhecida para o escoamento laminar sobre uma placa plana,
fornecida na Equação (7.1a).

Uma camada-limite pode ser considerada “fina” se a razão delta/x é menor que
0,1.
Isso ocorre para delta/x = 0,1= 5,0/(Rex )^1/2 ou seja, para Rex = 2.500. Para Rex
menor que 2.500, podemos avaliar que a teoria da camada-limite falha, pois a
camada espessa tem um efeito significativo sobre o escoamento externo não
viscoso. O limite superior de Rex para escoamento laminar fica em torno de 3 .
10^6, em que as medições sobre uma placa plana lisa [8] mostram que o escoamento
sofre transição para uma camada-limite turbulenta. De 3 . 10^6 para cima, o
número de Reynolds turbulento pode ser arbitrariamente alto, havendo um limite
prático atual em 5 . 10^10 no caso de superpetroleiros.

Do sucesso dessas simples estimativas parabólicas, concluímos também que a


teoria da quantidade de movimento integral de Kármán é eficaz e útil.

...existem várias dezenas de soluções analíticas conhecidas para o escoamento


laminar [1 a 3]. Nenhuma para escoamento externo em torno de corpos imersos,
embora essa seja uma das principais aplicações da mecânica dos fluidos. Não se
conhecem soluções exatas para escoamento turbulento, cuja análise geralmente
usa leis empíricas de modelagem para relacionar variáveis médias temporais.

Atualmente, há três técnicas aplicadas ao estudo de escoamentos externos:


(1)Soluções numéricas (por computador), (2) experimentação e (3) teoria da
camada-limite. Soluções têm sido publicadas tanto para escoamento laminar como
turbulento, e a modelagem da turbulência é um tópico de pesquisa atual [9]

A terceira ferramenta é a teoria da camada-limite, formulada pela primeira vez


por Ludwig Prandtl em 1904. Aqui, vamos seguir as ideias de Prandtl, levantando
certas hipóteses sobre ordem de magnitude, a fim de simplificar bastante as
equações de Navier- Stokes (4.38) e obter as equações de camada-limite, que são
resolvidas com relativa facilidade e justapostas ao escoamento externo não
viscoso

Uma das grandes realizações da teoria da camada-limite é a sua capacidade em


prever a separação do escoamento, que ocorre em gradientes adversos (positivos)
de pressão, ilustrada na Figura 7.2b

Detalhes completos da teoria da camada-limite, resultados e comparações com a


experiência são fornecidos as Referências 1 a 3. Aqui, vamos nos restringir
principalmente às soluções de placa plana (Seção 7.4).
Para o escoamento laminar sobre uma placa plana, as equações de camada-limite
(7.19) podem ser resolvidas exatamente para u e u, considerando que a velocidade
da corrente livre U seja constante (dU/dx 5 0). A solução foi dada em 1908 por
Blasius, aluno de Prandtl, na sua dissertação em Göttingen.

A razão entre as espessuras de deslocamento e de quantidade de movimento, chamada


de fator de forma do perfil, adimensional, também é útil nas teorias integrais.
Para o escoamento laminar sobre uma placa plana.

Um grande fator de forma implica que a separação de camada-limite está prestes a


acontecer.

A aproximação parabólica simples não está longe do perfil verdadeiro de Blasius;


assim, sua espessura de quantidade de movimento difere aproximadamente 10% do
valor real. Também mostrados na Figura 7.5 estão três perfis de velocidade
turbulentos típicos de placa plana. Observe a enorme diferença de formato entre
eles e os perfis laminares.

ANALISAR: Pq que quanto maior o Re, maior as discrepâncias entre os gráficos com
relação às curvas da teoria de Blasius e da formulação integral de Karman?
Não existe teoria exata para o escoamento turbulento sobre uma placa plana,
embora haja muitas soluções computacionais elegantes das equações de camada-
limite usando vários moelos empíricos para a viscosidade turbulenta [9].VER
REFERENCIA!!! O resultado mais amplamente aceito é simplesmente uma análise
integral semelhante ao nosso estudo
com o perfil laminar aproximado (7.6).

TRANSIÇÃO PARA A TURBULÊNCIA

OBS.: LEI LOGARÍTMICA DA CAMADA INTERMEDIÁRIA

Vimos na Figura 6.9 que existem três regiões no escoamento turbulento próximo a
uma parede

1. Subcamada viscosa: a tensão viscosa domina


2. Camada externa: a tensão turbulenta domina
3. Camada intermediária ou de superposição: ambos os tipos de tensão são
importantes

Ao longo de toda a gama de escoamentos turbulentos próximos a paredes lisas, as


constantes adimensionais k e B assumem os valores aproximados k < 0,41 e B < 5,0.
A Equação (6.28) é chamada de lei logarítmica da camada intermediária.
Acredite ou não, a Figura 6.10, sendo nada mais que uma correlação engenhosa de
perfis de velocidades, constitui a base da maior parte da “teoria” existente
para os escoamentos cisalhantes turbulentos. Observe que não resolvemos qualquer
equação, mas apenas expressamos de maneira clara o componente principal da
velocidade

Não existe teoria exata para o escoamento turbulento sobre uma placa plana,
embora
haja muitas soluções computacionais elegantes das equações de camada-limite
usando vários modelos empíricos para a viscosidade turbulenta [9]. O resultado
mais
amplamente aceito é simplesmente uma análise integral semelhante ao nosso estudo
com o perfil laminar aproximado (7.6).