Sie sind auf Seite 1von 3

Serviço de Extensão Rural

Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá

O SERVIÇO DE EXTENSÃO RURAL NO AMAPÁ

O Serviço de Extensão Brasileiro surgiu em Minas Gerais, em dezembro de


1948. No entanto, a institucionalização efetiva de um serviço de assistência
técnica e extensão rural no País se deu ao longo das décadas de 50 e 60, a partir
da criação nos estados das associações de crédito e assistência rural (ACAR),
coordenadas pela Associação Brasileira de Crédito e Assistência Rural (ABCAR),
criada em 21/06/1956. As Acar eram entidades civis, sem fins lucrativos, que
prestavam serviços de extensão rural e elaboração de projetos técnicos para
obtenção de crédito junto aos agentes financeiros.
Com a prioridade do Governo direcionada para a agricultura familiar, o
Serviço de Extensão Rural vem ocupando posições relevantes na execução das
principais diretrizes voltadas para o desenvolvimento da agricultura familiar em
todo o território nacional.
A promoção do desenvolvimento da agropecuária do então Território
Federal do Amapá foi objeto da criação da ACAR-AMAPÁ, Associação de Crédito
e Assistência Rural do Amapá, ocorrida no dia 05 de fevereiro de 1974, na
administração governamental do Capitão de Mar e Guerra José Lisboa Freire
tendo como fundamentação, a assistência direta às famílias rurais dos municípios.
Seu primeiro Secretário Executivo foi o Engenheiro Agrônomo Abemor Coutinho,
in memoriam.
Este princípio metodológico certamente contribuiu muito no despertar
de valores sócio-econômicos e ambientais nas comunidades rurais amapaenses.
No dia 14 de abril de 1978, com a intenção de incrementar as ações coordenadas
pela Empresa Brasileira de Assistência Técnica e Extensão Rural - EMBRATER, a
Associação de Assistência Técnica e Extensão Rural do Amapá - ASTER-
AMAPÁ, sucedeu a ACAR-AMAPÁ, através de Ata Governamental assinada pelo

1
Governador Comandante Arthur de Azevedo Henning, tendo em mira a expansão
das atividades de assistência técnica e extensão rural.
Em 18 de abril de 1990, deu-se a criação da EMATER-AMAPÁ,
Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Amapá, através do Decreto
nº 0025/90. No entanto nesse período a EMBRATER, foi extinta pelo Governo
Collor, no momento em que entrava em cena as teses do “Estado Mínimo” onde
havia pouco espaço para o processo de políticas públicas.
Num curto espaço de tempo, ocorreu a criação da FATER, Fundação
de Assistência Técnica e Extensão Rural, pelo Decreto nº 097 de 14 de junho de
1991. Verificou-se, porém que a Fundação, não atenderia os preceitos
administrativos de autonomia, para os fins que se destinam a extensão rural.
Desta forma, no dia 23 de agosto de 1991, através do Decreto nº 0122/90 foi
criado o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá, RURAP, com a finalidade
de assumir a assistência técnica e extensão rural, com o aporte financeiro total
advindo do Estado.
A Lei de Ater (nº 12.188), sancionada em 11 de janeiro de 2010, trouxe
A Extensão Rural, hoje é o instrumento socialmente mais eficaz para se
implementar na zona rural, a política de desenvolvimento, principalmente nos
tempos atuais, onde se tem envidado todos os esforços na disponibilização de
mecanismos de produção de alimentos saudáveis, como suporte na obtenção de
renda, bem como no combate a fome, exatamente porque a Extensão Rural, nos
seus conceitos, possui um edifício de conhecimentos, capazes de fomentar
quaisquer tecnologias advindas da pesquisa, voltada aos agricultores familiares.
Por essa razão, é que a Extensão Rural é a insubstituível força motriz para o
desenvolvimento da agricultura familiar.

Atualmente o Serviço de Extensão Rural Amapaense possui 22 Sedes


Locais, distribuídas em todos os municípios do Estado, consusbstanciadas na
força de trabalho composta de diferentes áreas de formação profissional dentre os
quais médicos veterinários, engenheiros agrônomos, engenheiros florestais,
zootecnistas, técnicos da área de bem-estar social e técnicos agrícolas,
administrativos, pessoal de apoio.

2
Nesses 41 anos de trabalhos no Estado do Amapá, o Serviço de
Extensão Rural já marcou através da ACAR, ASTER, EMATER, FATER e
atualmente com o Instituto de Desenvolvimento Rural do Amapá, RURAP.
Nessa data em que se comemora o Dia do Extensionista Rural,
renovamos o compromisso de continuar prestigiando todos os extensionistas,
como brilhantes animadores e facilitadores na construção dos processos de
desenvolvimento rural, em harmonia com dos conceitos de base da Política
Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural – PNATER.

Lei de Ater (nº 12.188), sancionada em 11 de janeiro de 2010

Verwandte Interessen