Sie sind auf Seite 1von 5

A resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA n° 1, de 1986, em seu Artigo 1º,

considera impacto ambiental como sendo:

Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por
qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou
indiretamente, afetam:
I. A saúde, a segurança e o bem-estar da população;
II. As atividades sociais e econômicas;
III. A biota;
IV. As condições estéticas e sanitárias do meio ambiente;
V. A qualidade dos recursos ambientais.

Todo impacto ambiental tem uma ou mais causas e constitui-se no resultado das ações humanas
sobre os aspectos ambientais.

A causa do impacto ambiental, muitas vezes, tem relação direta e indireta com a poluição ambiental.
A definição de poluição ambiental é muito semelhante à definição de impacto ambiental, no entanto,
um impacto ambiental pode ser negativo ou positivo, ou seja, ele pode tanto trazer prejuízos como
benefícios.

Podemos dizer também que um impacto ambiental é significativo quando este é importante em
relação a outros impactos, que poderiam ser julgados mais como efeitos, ou seja, como simples
consequências de uma modificação induzida pelo homem, sem um valor econômico. A lei nº 6.938,
de 1981, que trata da Política Nacional de Meio Ambiente, traz duas definições fundamentais:
degradação da qualidade ambiental e poluição; são elas:

II - degradação da qualidade ambiental, a alteração adversa das características do meio ambiente;


III - poluição, a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou
indiretamente:
a) prejudiquem a saúde, a segurança e o bem-estar da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;
c) afetem desfavoravelmente a biota;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;
e) lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos.

É muito importante interpretar o item e da definição acima: a poluição pode ser causada por
empreendimentos que disponham no meio ambiente efluentes, emissões, resíduos ou energia acima
dos padrões ambientais, isto é, valores limites estabelecidos. O estabelecimento de padrões
ambientais está relacionado ao conceito de capacidade de suporte do meio, que, como vimos
anteriormente, é o nível de utilização dos recursos naturais que um sistema ambiental ou um
ecossistema pode suportar, garantindo-se a conservação de tais recursos.

Assim, o estabelecimento de padrões ambientais visa manter a exploração dos recursos naturais
dentro da capacidade de suporte do meio, impedindo a degradação ambiental, e consequentemente
eliminando a necessidade futura de recuperação de áreas degradadas. É preciso lembrar sempre
que é a maneira de gerenciar a utilização dos recursos naturais que determina os impactos
ambientais das ações antrópicas que serão gerados sobre o meio ambiente.

Juntamente com o aumento exponencial da população mundial e o seu processo de urbanização, o


avanço do consumo de energia e a intensificação do processo de industrialização têm colaborado
intensamente com a geração de poluição e impactos ambientais por meio das emissões de
poluentes e resíduos gerados pela utilização de diferentes recursos naturais.

Em geral, empresas do ramo industrial possuem os mais altos impactos ambientais justamente
porque os seus processos produtivos geram inúmeros poluentes, o que explica também porque as
indústrias oferecem mais riscos ocupacionais para aos seus trabalhadores e para o meio ambiente.
A grande conclusão é que a geração de impactos ambientais está relacionada aos aspectos
ambientais das atividades humanas.

gundo a resolução Conama Nº001 de janeiro de 1986, o impacto ambiental é definido


como qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente,
causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que,
direta ou indiretamente, afetam a saúde, a segurança e o bem-estar da população; as
atividades sociais e econômicas; a biota; as condições estéticas e sanitárias do meio
ambiente; e a qualidade dos recursos ambientais.
Analisando essa resolução, percebemos que qualquer atividade que o homem exerça no
meio ambiente provocará um impacto ambiental. Esse impacto, no entanto, pode ser
positivo ou não. Infelizmente, na grande maioria das vezes, os impactos são negativos,
acarretando degradação e poluição do ambiente.
Os impactos negativos no meio ambiente estão diretamente relacionados com oaumento
crescente das áreas urbanas, o aumento de veículos automotivos, o uso irresponsável
dos recursos, o consumo exagerado de bens materiais e a produção constante
de lixo. Percebemos, portanto, que não apenas as grandes empresas afetam o meio, nós,
com pequenas atitudes, provocamos impactos ambientais diariamente.
Dentre os principais impactos ambientais negativos causados pelo homem, podemos citar
a diminuição dos mananciais, extinção de espécies, inundações, erosões,
poluição, mudanças climáticas, destruição da camada de ozônio, chuva ácida,
agravamento do efeito estufa e destruição de habitats. Isso acarreta,
consequentemente, o aumento do número de doenças na população e em outros seres
vivos e afeta a qualidade de vida.
Vale destacar que os impactos ambientais positivos, apesar de ocorrerem em menor
quantidade, também acontecem. Ao construirmos uma área de proteção ambiental,
recuperarmos áreas degradadas, limparmos lagos e promovermos campanhas de plantio de
mudas, estamos também causando impacto no meio ambiente. Essas medidas, no entanto,
provocam modificações e alteram a qualidade de vida dos humanos e de outros seres de uma
maneira positiva.
Você também pode ajudar a diminuir o impacto ambiental negativo. Veja a seguir
algumas dicas:
- Economize água;
- Evite o consumo exagerado de energia;
- Separe os lixos orgânicos e recicláveis;
- Diminua o uso de automóveis;
- Consuma apenas o necessário e evite compras compulsivas;
- Utilize produtos ecológicos e biodegradáveis;
- Não jogue lixos nas ruas;
- Não jogue fora objetos e roupas que não usa mais. Opte por fazer doações.
Com atitudes simples, podemos diminuir nossos efeitos no meio ambiente. Pense nisso!
Atenção: Empresas e obras que podem causar grande impacto ambiental negativo devem
apresentar um Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA)
para que as atividades sejam ou não liberadas.
Poluição ambiental é o resultado de qualquer tipo de ação ou obra humana capaz de provocar
danos ao meio ambiente. É a introdução na natureza de substâncias nocivas à saúde humana, aos
outros animais e ao próprio ambiente, que altera de forma significativa o equilíbrio dos ecossistemas.
Alguns dos "vilões" da saúde humana e principais causadores da poluição ambiental são:
a poluição do ar (queima de combustíveis fósseis, degradação do solo e das águas, com o uso
indiscriminado de agrotóxicos, etc); a poluição sonora; a poluição visual; a radiação
nuclear (liberada pelas usinas), entre outras.
A poluição ambiental representa a degradação do solo, das águas e do ar, o que compromete a
capacidade das próximas gerações de suprir as próprias necessidades.

A humanidade depende da disponibilidade dos recursos naturais do planeta, e essa difícil


conciliação entre o desenvolvimento e a sustentabilidade tem despertado o mundo para a
progressiva redução da poluição ambiental.

Poluição atmosférica
A poluição da atmosfera é um dos problemas mais sérios das grandes cidades e também um dos
que mais causam danos à saúde humana. A poluição do ar é resultado do lançamento de enorme
quantidade de gases e partículas na atmosfera, causando o desequilíbrio dos já existentes.

Os principais poluentes lançados na atmosfera são:

 Monóxido de carbono: produto da queima dos combustíveis;


 Dióxido de enxofre: produto da combustão do enxofre presente nos combustíveis tóxicos;
 Monóxido de nitrogênio e dióxido de nitrogênio: resultantes de qualquer combustão que ocorra
na presença de ar atmosférico;
 Chumbo: que costuma ser adicionado à gasolina para aumentar a octanagem;
 Dióxido de carbono (CO2): produto de qualquer matéria orgânica. Embora encontrado
naturalmente na atmosfera, quando lançado em excesso provoca desequilíbrios.
A chuva ácida, o efeito estufa, a inversão térmica, a ilha de calor, a destruição da camada de ozônio,
são algumas das consequências da poluição do ar atmosférico.

Saiba mais sobre a Poluição atmosférica.


Poluição das águas
A poluição das águas é a contaminação dos recursos hídricos do planeta, uma verdadeira ameaça à
vida. As fontes de água doce, as mais vitais para os seres humanos, são as que mais recebem
poluentes. Muitos lugares do planeta correm o risco de ficar definitivamente sem água.

Nas grandes aglomerações urbanas, o problema da poluição das águas atinge proporções
catastróficas, onde uma infinidade de fontes poluidoras, tanto na forma de esgotos domésticos como
de efluentes industriais, acima da capacidade de absorção pelos organismos decompositores e de
resíduos inorgânicos não biodegradáveis, muitos inclusive tóxicos e cumulativos são despejados nos
rios, lagos e oceanos.

A poluição do lençol freático, que são as águas subterrâneas, com pesticidas usados na agricultura
e com o chorume dos lixões é também uma tragédia ecológica, que causa a poluição dos
mananciais.
Poluição ambiental é o resultado de qualquer tipo de ação ou obra humana capaz de provocar
danos ao meio ambiente. É a introdução na natureza de substâncias nocivas à saúde humana, aos
outros animais e ao próprio ambiente, que altera de forma significativa o equilíbrio dos ecossistemas.
Alguns dos "vilões" da saúde humana e principais causadores da poluição ambiental são:
a poluição do ar (queima de combustíveis fósseis, degradação do solo e das águas, com o uso
indiscriminado de agrotóxicos, etc); a poluição sonora; a poluição visual; a radiação
nuclear (liberada pelas usinas), entre outras.
A poluição ambiental representa a degradação do solo, das águas e do ar, o que compromete a
capacidade das próximas gerações de suprir as próprias necessidades.

A humanidade depende da disponibilidade dos recursos naturais do planeta, e essa difícil


conciliação entre o desenvolvimento e a sustentabilidade tem despertado o mundo para a
progressiva redução da poluição ambiental
Tarefa 2

O artigo 8° traz os tipos de licença que o Poder Público pode expedir, sendo elas: Licença Prévia
(LP), Licença de Instalação (LI) e Licença de Operação (LO). Ambas serão tratadas nos próximos
módulos.

Art. 8º - O Poder Público, no exercício de sua competência de controle, expedirá as seguintes licenças:

I - Licença Prévia (LP) - concedida na fase preliminar do planejamento do empreendimento ou atividade aprovando sua
localização e concepção, atestando a viabilidade ambiental e estabelecendo os requisitos básicos e condicionantes a
serem atendidos nas próximas fases de sua implementação;

II - Licença de Instalação (LI) - autoriza a instalação do empreendimento ou atividade de acordo com as especificações
constantes dos planos, programas e projetos aprovados, incluindo as medidas de controle ambiental e demais
condicionantes, da qual constituem motivo determinante;

III - Licença de Operação (LO) - autoriza a operação da atividade ou empreendimento, após a verificação do efetivo
cumprimento do que consta das licenças anteriores, com as medidas de controle ambiental e condicionantes
determinados para a operação.

Parágrafo único - As licenças ambientais poderão ser expedidas isolada ou sucessivamente, de acordo com a natureza,
características e fase do empreendimento ou atividade.