Sie sind auf Seite 1von 3

Noticia diaria

No ambito economico
Governo equaciona reabertura da Textáfrica de Chimoio
O Governo está a estudar a possibilidade de ser reaberta uma das maiores indústrias
têxteis de África e maior de país, Textáfrica de Chimoio, paralisada desde o ano de
2002 devido conjuntura económica que afectou o empreendimento.

O anúncio foi feito depois de Carlos Agostinho de Rosário, que se encontra em


Manica, ter visitado alguns compartimentos da ora paralisada unidade têxtil, onde
igualmente manteve um encontro com os gestores.

“Nós, como Governo, queremos ver como vamos intervir para materializar-se a
abertura do Textáfrica. Quer seja apoiarmos em ideias, vermos até que ponto vai a
nossa responsabilidade de apoiar, por isso decidimos que vamos sentar para delinear
as ideias”, disse Do Rosário.

Questionado sobre qual montante seria necessário para efectivar-se a reabertura do


Textáfrica, o primeiro-ministro foi cauteloso, avançando apenas que em devido
momento, o Governo vai anunciar, ressalvando que até agora a ideia é de todos
actores interessados em reerguer Textáfrica sentarem à mesma mesa e analisar a
situação.

Já Paulo Dias Sandramo, administrador da extinta Textáfrica de Chimoio avançou,


de igual modo, que até agora os custos da reabertura daquela unidade fabril são ainda
por calcular.

“Como podem ver, primeiro teremos que atacar o próprio edifício, neste caso
teremos que preparar para receber as novas máquinas. Precisamos reparar os
sistemas eléctricos, de ar comprimido, ar condicionado, tudo isso já evidencia que é
preciso muito trabalho no próprio edifício”, referiu Sandramo.
Corrupção lesa Estado em mais de meio milhão de meticais
A corrupção e o desvio de fundos continuam a prejudicar o erário público
nacional. No ano passado, pelo menos meio milhão de meticais,
correspondente a mais do que o valor necessário para responder aos
danos causados pela depressão tropical no norte do país, não entrou nos
cofres do Estado moçambicano, devido à esquemas corruptos.
Estado perde mais de 13 milhões de meticais por repatriar estrangeiros

O ESTADO moçambicano perdeu, no ano transacto, um total de treze


milhões, trinta e dois mil, trezentos e sessenta e oito e quarenta centavos
(13.032.368,40) de meticais, contra 15.257.289,20 de 2016, em despesas
de repatriamento de 3.972 cidadãos estrangeiros, que se encontravam em
situação ilegal no país.

POLITICA
PRESIDENTE DA REPÚBLICA NOMEIA MARIA GUSTAVA PARA
EMBAIXADOR NA CHINA

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi , no uso das competências


que lhe são conferidas pela alínea c) do artigo 162 da Constituição da
República, nomeou através de
Despacho Presidencial Maria Gustava para o cargo de Embaixador
Extraordinário e Plenipotenciário da República de Moçambique junto da
República Popular da China
.
Em Despacho Presidencial separado, exonerou Maria Gustava do cargo de
Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República de Mocambique
junto do Reino da Indonésia, da República de Timor Leste, do Reino da
Tailândia e do cargo de Alto Comissário da República de Moçambique junto
da República de Singapura e da Federação da Malásia.(GI)
Ataques Armados em Cabo Delgado: Frelimo pede responsabilização dos
autores

A COMISSÃO Política da Frelimo recomenda ao Governo a prosseguir com


acções tendentes à identificação e consequente responsabilização dos
autores dos ataques à posições civis e militares nos distritos de Mocímboa
da Praia, Nangade e Palma, em Cabo Delgado, e a repor a estabilidade na
região.

INTERNACIONAL

Artur Silva nomeado novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau

O Presidente da Guiné-Bissau nomeou Artur Silva, antigo chefe da diplomacia


guineense, novo primeiro-ministro do país, segundo um decreto presidencial
publicado em Bissau.

Lideres da união africana concederam perdão a donald trump pelos pronciamento


racistas a união africana disse que não vai suspender as relações devido o
pronunciamento