You are on page 1of 19

Alice Mendonça / Universidade da Madeira

Sociologia
O que é? O que estuda?

 A Sociologia estuda a realidade social, ou seja, as relações e


comportamentos que os indivíduos estabelecem entre si.

 É uma ciência social e científica pois trabalha com rigor e através de


métodos.

 O que mais interessa à Sociologia são os fenómenos sociais que se repetem..

A sociologia não tem como objecto de estudo o comportamento individual, mas


sim os comportamentos sociais, ou seja comuns à sociedade em geral.
Sociologia
A sociologia é uma ciência, que estuda certas
situações que ocorrem na vida em sociedade (vida
social), ou seja, os factos sociais.

Alguns factos sociais

trabalho, divórcio, droga, emigração,


marginalidade, insucesso escolar, desemprego…
Conceito de Socialização
 Entende-se por socialização a aprendizagem da cultura de um
determinado grupo, porque adquirimos cultura de acordo com o
grupo em que estamos inseridos.
 Assim, a socialização trata-se de um processo de aprendizagem que
permite a integração dos indivíduos na sociedade.
Processo de socialização
A criança quando nasce, apesar de já trazer os genes
necessários ao ser humano, é um ser culturalmente em
branco.

Torna-se um ser cultural, quando toma contacto com o


ambiente grupal que a rodeia onde vai repetindo e imitando
comportamentos dos outros indivíduos.
A criança vai assimilando normas e valores, demonstrando
que o seu comportamento não é instintivo, mas sim
resultante de um processo de aprendizagem.

E ao interagir com os outros torna-se um ser


social.

“ Esta adequação de comportamentos, tantas vezes inconsciente,


resulta da interiorização que cada um faz das normas e valores do
grupo, através de um processo de aprendizagem denominado –
Socialização” (Oliveira, Maria da Luz, et al, 2003,p. 119)
A Socialização distingue-se entre duas componentes:

 Socialização Primária: ocorre durante a infância, fase em que o


papel da família é de grande importância. Acrescem os media, as
instituições de ensino e os pares.

 Socialização Secundária: acontece sempre que temos de adaptar-


nos a novas situações ao longo da vida, como por exemplo: na
escola, nos grupos de amigos, no trabalho…

 Assim sendo, o processo de socialização começa quando se nasce


e só termina quando se morre, logo, nunca está terminado. Dura
toda a vida.
7

Socialização

Designa os processos pelos quais os


indivíduos se apropriam das normas, valores
e funções que regem o funcionamento da
sociedade.

Favorece a adaptação de cada indivíduo à


vida social e mantém a coesão entre os
membros da sociedade.
8

Socialização
primária

Media Família

Grupo de
Escola
pares

Socialização secundária

Integração em “submundos” especializados.


Émile Durkheim
9

Há consenso e
A integração dos
interdependência
indivíduos na Existe coerção.
de direitos e
sociedade
deveres.

Regulação da Partilha de ordem moral,


sociedade crenças e sentimentos -
consciência colectiva.

Primado da sociedade O indivíduo está subordinado


sobre o indivíduo à sociedade.

“Facto social é toda a maneira de fazer, fixada ou não


susceptível de exercer sobre o indivíduo uma coerção exterior.”
“[…] a educação é um assunto eminentemente10
social, tanto pelas suas origens como pelas suas
funções.”

“A educação é a acção exercida pelas gerações adultas sobre as


que ainda não se encontram amadurecidas para a vida social.
Ela tem por objectivo suscitar e desenvolver na criança um
certo número de condições físicas, intelectuais e morais que
dela reclamam, seja o meio específico a que ela se destina
particularmente.”

“Muito longe de a educação ter por objectivo único (…) o


indivíduo e os seus interesses, a educação é antes de mais, o
meio pelo qual a sociedade renova perpetuamente as condições
da sua própria existência.”
A educação cria as condições para que a sociedade se perpetue;11
é uma força conservadora.

Acto pedagógico
Deve adequar o novo membro da sociedade àquilo que essa
sociedade quer. Isto passa pelo controlo social (sanções e
recompensas).

“O homem que a educação deve realizar (…) é


como a sociedade quer que seja.”

Papel do professor
Integrar novos membros na sociedade, tornando-os conscientes das
normas pelas quais devem reger a sua conduta. Incutir ideias e sentimentos
para harmonizar a criança com o meio em que a mesma deverá viver.
12

“Uma turma é uma pequena sociedade e, torna-se


necessário não a orientar como se se tratasse de um
simples aglomerado de sujeitos.”

SÍNTESE
A sociedade faz os indivíduos mas estes não fazem a sociedade.
Por isso é irrelevante considerar o significado das acções dos
indivíduos.
MAX WEBER 13

Não toma para o estudo das questões sociológicas o modelo da


abordagem científica das ciências da natureza.

O objecto da sociologia é a explicação dos fenómenos sociais, o


que pressupõe a compreensão das acções que lhe deram origem.

A sociologia tem por objectivo compreender a acção social.

Acção é todo o comportamento intencional quando este se


processa no seio de sistemas sociais.

Os comportamentos contêm intenções e expectativas; há uma


antecipação da reacção dos outros.
SOCIOLOGIA – ciência que se propõe compreender por
interpretação a acção social e por isso explicar o 14 seu
desenvolvimento e os seus efeitos.

Nesta definição podemos distinguir três procedimentos:


1- Interpretação
2- Compreensão
3- Explicação

A Compreender não é só
apreender o sentido da acção
compreensão isolada mas o conjunto
supõe a significativo ao qual essa acção
empatia. pertence.

Não é o indivíduo isolado que interessa à sociologia, mas o sujeito


que leva a cabo acções no seio de determinado contexto.
INDIVIDUALISMO METODOLÓGICO
15

O processo de interpretação dos factos sociais passa por


considerar as acções individuais, individualmente ou agregadas.

O indivíduo é “o único portador de um comportamento


significativo” – Individualismo metodológico.

NOÇÃO DE CAUSALIDADE

A situação singular é uma consequência da complexidade social e, se a


compreendermos estamos a aprofundar o conhecimento social geral.
A maneira de conceber a vida exprime-se nos diversos acontecimentos
singulares da vida dos indivíduos.

A realidade é infinitamente mais ampla e mais complexa do


que aquilo que podemos abarcar, por isso não tem sentido
reduzir a realidade a leis.
CONCEITO DE “IDEAL-TIPO”
16

A sociologia compreensiva constrói representações que ajudam a


dar inteligibilidade à realidade.

M. Weber propõe que o investigador construa tipos estilizados que


realcem as características por forma a facilitar a compreensão dos
problemas.

Quatro tipos de
acções sociais:

1- Acções racionais na finalidade.

2- Acções decorrentes dos valores e das crenças.

3- Acções determinadas por valores emocionais.

4- Acções decorrentes da tradição, hábitos e costumes.


DIFERENCIAÇÃO SOCIAL POR CLASSES E POR GRUPOS17
DE ESTATUTO SOCIAL

Ordem social “forma como o prestígio social é distribuído na


comunidade (…)”.

Ordem económica “forma como os bens económicos e serviços são


distribuídos e usados

Atribui a distribuição de poder nas comunidades a três


fenómenos:

1- As Classes (diferenciação de ordem económica).


2- Os grupos de estatuto social (diferenciação de ordem
social).
3- Os partidos (diferenciação de ordem legal).
Pode falar-se em classe social quando um conjunto de pessoas têm em
comum: 18

a) oportunidades de vida.

b) interesses económicos ( posse de bens /oportunidade de rendimento).

c) Condições de mercado de bens ou de trabalho.

A situação de classe . • é uma situação de mercado

• integra toda a componente típica da vida


das pessoas, determinada por uma
atribuição social de prestígio, positivo ou
A situação de estatuto negativo. A pertença a um grupo de
estatuto social refere-se à partilha de um
certo estilo de vida.

A pertença a uma determinada classe social não significa a


correspondência a um estatuto social similar.
KARL MARX
19

As classes só existem nas relações de classe e, mais precisamente nas


lutas de classe que opõem classes antagónicas.
Encontram-se assim classes opostas. Por um lado os detentores dos
meios de produção - proprietários fundiários e capitalistas – e, por outro,
os que só detêm a sua força de trabalho – os proletários.

Classe é o conjunto de agentes que no processo de produção, estão


nas mesmas condições.