You are on page 1of 2

“Não deixar ninguém para trás”, “A começar com o que estiver mais atrás

Comunicado à imprensa
A correr, a caminhar ou de bicicleta, juntos pelas pessoas com Albinismo
Foi comemorado no dia 13 De Junho, o Dia Internacional para a Consciencialização
do Albinismo.
Esta comemoração foi estabelecida pelas Nações Unidas, em 2015, que a este
problema tem dedicado a maior atenção, para divulgar informação sobre o albinismo
e para lutar contra a discriminação das pessoas com albinismo.
O albinismo resulta duma anomalia genética. A sua ocorrência é variável segundo as
várias regiões do Mundo, tendo especial incidência na África Oriental. Estima-se que
um em cada 1400 habitantes seja portador de albinismo naquela área.
Dada a sua diferença, as pessoas com albinismo (PCA), sobretudo crianças, idosos
e mulheres, são vítimas de discriminação, apoiada em superstições de populações
mal informadas. Nos últimos anos, práticas de feitiçaria têm sido reportadas nos
países da África Oriental, verificando-se graves violações de direitos humanos,
incluindo assassinatos e mutilações.
As consequências junto da minoria portadora de albinismo são fáceis de prever: baixa
autoestima, dificuldade em aprender (pela perturbação na visão), rejeição na procura
de trabalho. A forte exposição ao sol provoca queimaduras de pele que não sendo
tratadas podem degenerar em cancros.
O cancro de pele é a principal causa de morte das pessoas com albinismo.
Estatísticas de vários países da África indicam que uma pessoa com albinismo morre
devido ao cancro de pele entre os 30 e 40 anos. Menos de 10% das pessoas com
albinismo vive mais de 30 anos e apenas 2% vivem até os 40 anos de idade.
Albinismo em Moçambique
Existem escassas informações e dados disponíveis sobre pessoas com albinismo em
Moçambique.
Foram relatados na maioria das províncias de Moçambique, com especial incidência
no Norte, ataques físicos contra pessoas com albinismo, incluindo sequestro e tráfico
de partes do corpo. As crianças parecem ser a maioria das vítimas de ataques,
embora os adultos também sejam alvo. Mesmo após a sua morte, as pessoas com
albinismo não podem descansar em paz, pois os seus túmulos são muitas vezes
saqueados e os seus ossos roubados.
1 Metas do Desenvolvimento Sustentável da ONU (Agenda 2030)
No relatório 2017-2018 da Amnistia Internacional é, pela primeira vez, referida a
situação das PCA em Moçambique: «Estima-se que 30.000 pessoas com albinismo
experimentaram discriminação e foram ostracizadas; muitos viviam com medo de
suas vidas. Aumentaram os incidentes de perseguição; pelo menos 13 pessoas com
“Não deixar ninguém para trás”, “A começar com o que estiver mais atrás
albinismo foram dadas como mortas, embora provavelmente os números sejam
maiores. As mortes foram alimentadas por superstição ou mitos sobre poderes
mágicos que possuem. A maioria dos assassinatos teve lugar nas províncias do
centro e norte, as regiões mais pobres do país.»
“Por uma vida com mais luz”
A Kanimambo – Associação de Apoio ao Albinismo (KNMB) é uma ONGD portuguesa
que desenvolve um programa de ajuda especialmente dedicado às crianças de
Moçambique.
Envia, a partir de Maputo, Inharrime, Gorongosa e Nampula, protectores solares,
cicatrizantes, óculos, roupas e chapéus-de-sol, numa acção que permite
acompanhar, de forma sistemática e contínua, quase 200 pessoas.
Lança regularmente campanhas de angariação dos artigos acima mencionados de
forma a conseguir garantir a protecção das crianças com albinismo. Iniciou em 2017
o envio de equipas médicas portuguesas, com especial incidência na oftalmologia e
neuro-oftalmologia. Já em 2018, realizou a primeira missão educacional, com enfoque
na formação de agentes de sensibilização.
No âmbito das comemorações do Dia Internacional para a Consciencialização do
Albinismo no dia 13 de Junho, e do dia da criança africana no dia 16 de Junho, em
Maputo, terá lugar uma corrida denominada uma vida com mais mais, em Maputo.
Com este evento a KNMB pretende divulgar o trabalho da Associação, revelando a
sua génese e o caminho traçado com o apoio de voluntários e empresas amigas para
ajudar a proteger as pessoas com albinismo.
Estas iniciativas contam com o apoio das Associações locais de apoio às PCA – a
Associação Albimoz.
O evento conta com o patrocínio exclusivo do Banco Milennium Bim, Moutain Bike.
As acções têm início e fim na sede do banco Milennium Bim, na rua dos desportistas.
Conforme o documento em anexo.

Para mais informações: Em Portugal | Comunicação | Vera Mendes – +251 964003247 Em Moçambique | Delegado Executivo
da KNMB | Nuno Bento – +258 843120933