You are on page 1of 8

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA


CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES
DEPARTAMENTO: DIREITO
DISCIPLINA:
CÓDIGO: DIR108
Teoria da Legislação e do Precedente

DURAÇÃO EM CARGA HORÁRIA SEMANAL: CARGA HORÁRIA TOTAL: 15


SEMANAS: 15 01 HORA HORAS

SEMESTRE LETIVO: 2018-1 PERÍODO: Ímpar


PROFESSOR: Luiz Filipe Araújo
OBJETIVOS

- Introduzir e discutir o atual status das fontes do direito no ordenamento jurídico brasileiro;
- Apresentar as principais discussões sobre a teoria da legislação e a qualidade da lei para o processo
legislativo.
- Apresentar as principais discussões sobre a teoria do precedente e sua recepção pela tradição jurídica
nacional quanto às decisões judiciais com efeito vinculante nos últimos anos.
- Demonstrar as perspectivas e os impactos dos temas estudados para a teoria contemporânea do
direito.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

I - Introdução e Problema das Fontes;

II - Teoria da Legislação, Ciência da Legislação e Legística:


II.1 – Distinções Gerais: Teoria, Metódica, Tática da Legislação; Legística; Legitimática.
II.2 – Elementos de qualidade legislativa;
II.3 – Relatório Mandelkern;
II.4 – Lei Complementar 95/1998 e Decreto 4.176-2002;
II.5 – Soluções e alternativas.

III - Teoria do Precedente: Decisão, Jurisprudência e Súmulas:


III.1 - Distinções Conceituais: Direito Consuetudinário, Common Law e Ius Commune;
III.2 - Estrutura do Precedente na Common Law;
III.3 - Fundamentos para adoção de um sistema de precedentes;
III.4 - Teoria do Precedente: Conceitos, Elementos, Natureza, Função, Classificação e Relação
Normativa;
III.5 - Princípios Informadores do Sistema de Precedentes;
III.6 - A Dinâmica do Precedente: conceito, aplicação, rejeição (distinção e superação) e
imuganção do precedente;
III.7 - Precedentes no Novo Código de Processo Civil.

IV – Problemas e Perspectivas:
IV.1 - Legalismo, Jurisprudencialismo e Formalismo.
METODOLOGIA DE ENSINO

Aulas discursivas e dialógicas com leituras selecionadas para cada um dos temas, visando discussões
dos problemas da Teoria da Legislação e da Teoria do Precedente em níveis de profundidade, para
assim possibilitar aos ingressantes no curso de Direito as reflexões críticas sobre as matrizes teóricas
do direito contemporâneo por meio de bibliografias das mais variadas, como artigos, ensaios, capítulos
de livros – tanto de obras nacionais como internacionais.

Por se tratar de uma disciplina sintética os alunos devem se dedicar ao menos duas horas semanais nos
estudos individuais para que os encontros sejam mais produtivos.

RECURSOS AUXILIARES DE ENSINO

• Plataforma PVANet;
• Mapas Mentais e Conceituais;
• Arquivos em nuvem;
• Debates em sala.

FORMAS DE AVALIAÇÃO
TIPO DATA Nº VALOR (%)
10 Resenhas Entregues ao longo semestre a 1
partir da segunda semana de 20%
aula.
Trabalho de Teoria da 15/06/18 1 40%
Legislação e do Precedente
Prova de Conhecimento 27/06/18 1 40%

Total Final 3 100%


CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Nota Descrição
De excelente a perfeito. O aluno é capaz de descrever, em profundidade, o
conteúdo da questão, assim como posicionar-se criticamente acerca do seu
90%-100% conteúdo. O texto é claro, coeso e coerente, dotado de argumentação teórica
substancial; inexistem erros conceituais, e há pouca ocorrência de erros de análise
e/ou português.
Muito bom. O aluno é capaz de descrever, em profundidade, o conteúdo da
questão, assim como posicionar-se criticamente acerca do seu conteúdo. O texto é
80%-89%
claro, coeso e coerente, dotado de argumentação teórica substancial; há poucos erros
conceituais e pouca ocorrência de erros de análise e/ou português.
Acima da média. O aluno é capaz de descrever, razoavelmente, o conteúdo da
questão, assim como posicionar-se criticamente acerca do seu conteúdo. O texto é
70%-79%
claro, coeso e coerente, dotado de argumentação teórica substancial; há poucos erros
conceituais e pouca ocorrência de erros de análise e/ou português.
Mediano a fraco. O aluno é capaz de descrever, minimamente, o conteúdo da
questão, assim como posicionar-se criticamente acerca do seu conteúdo. O texto é
60%-69%
claro, coeso e coerente, dotado de argumentação teórica substancial; há pouco erros
conceituais e erros de análise e/ou português, bem como existem elementos
estranhos à resposta, sem prejuízo do desenvolvimento dos argumentos.
Abaixo da média. O aluno é capaz de descrever, minimamente, o conteúdo da
questão, assim como posicionar-se criticamente acerca do seu conteúdo. O texto é
50%-59% claro e com poucos erros de português. Admitidos erros de análise e conceituais,
desde que não prejudiquem a argumentação. Nota-se a presença de elementos
estranhos à resposta sem prejuízo do desenvolvimento argumentativo.
Muito fraco. O discente apresenta pouca ou nenhuma qualidade nas avaliações, há
falhas formais e materiais em diversos graus. Não mencionou, não explicou ou o fez
com deficiência o conteúdo da questão, assim como não se posicionou criticamente a
respeito de seu conteúdo. Citam-se elementos teóricos apenas para
0%-49%
preenchimento de espaço destinado à resposta. O texto obscuro é e com grande
quantidade de erros de análise, conceituais e/ou de português. Nota-se a presença de
elementos estranhos à resposta, com prejuízo do desenvolvimento argumentativo. A
faixa gradativa varia entre 0 e 49%.
INSTRUÇÕES PARA OS FICHAMENTOS SEMANAIS:
1 – Por fichamento entende-se a construção de paráfrase por parte do estudante tendo por base
qualquer texto de apoio, de qualquer unidade do curso, fornecido aos alunos no primeiro dia de aula,
através do PVANET. Os discentes lerão o texto escolhido e apresentarão os seus conteúdos e
argumentos, em linguagem própria, indicando a paginação. O fichamento deverá conter: o número da
série, a identificação do aluno (nome completo e matrícula), dados completos do texto fichado e a
respectiva paginação, conforme o exemplo abaixo:
Fichamento 01/15
Aluno: Fulano de Tal. Matrícula: 00000.
Texto: SALGADO, Joaquim Carlos. A ideia de justiça em Kant. Seu
fundamento na liberdade e na igualdade. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1986.
p. 85-120 (que corresponde ao intervalo de páginas fichado).
“O autor, em página 86, afirma que a liberdade é o fundamento do direito.
Assim, é ela o elemento marcante do jurídico [...]”.

2 - Os fichamentos devem versar sobre um dos textos da bibliografia básica (níveis 1,2 e 3)
disponibilizada para a disciplina, segundo a distribuição das unidades;
a) Os fichamentos devem ser manuscritos à caneta ou digitados;
b) A extensão do fichamento variará entre 10% e 20% do texto original;
2 – Serão considerados para a avaliação os elementos indicados por Dominique Folscheid e Jean-
Jacques Wunenburger em sua obra “Metodologia Filosófica” no capítulo “A Contração de Texto”.
3 – Ao final do fichamento o discente deverá elaborar três perguntas:
a) Duas perguntas que possuem respostas a partir do texto fichado;
b) Uma pergunta que o texto não responde explicitamente, mas que seria um questionamento
plausível para um atento leitor.
4 – A digitalização do fichamento é responsabilidade do discente, tanto na qualidade e legibilidade do
arquivo. Para tanto o discente poderá digitalizar em scanner ou converter uma fotografia em smartphone
em aplicativos como CamScanner, FineScanner ou outro de sua preferência, utilizando o formato de
PDF, respeitando o tamanho limite do sistema do PVANet. Caso o discente necessite poderá digitalizar
o fichamento em um dos scanners do Departamento de Direito.
5 – A entrega dos fichamentos será semanal, ocorrendo nas datas e nos horários informados via
PVANet. Em regra, o horário limite de upload será de 23:59 na data assinalada.
a) O aluno deverá conferir se o upload do arquivo foi feito corretamente fazendo download da
versão do servidor do PVANet.
b) O aluno deverá manter consigo uma cópia do arquivo digitalizado caso ocorra algum
problema no upload do arquivo.
6 – Cada fichamento, uma vez adequada aos critérios acima informados, será avaliada em até 2 pontos.
a) Os fichmantos devem ser indificadas de acordo com as INSTRUÇÕES PARA
IDENTIFICAÇÃO DE TRABALHOS, vide infra.
b) Os arquivos dos fichamentos que não forem nomeados corretamente serão
desconsiderados. Portanto, sempre confira antes do upload.
TEXTOS PARA FICHAMENTOS SEMANAIS

2ª Semana - Resenha 1: Introdução ao problema das fontes


4ª Semana - Resenha 2: Introdução ao problema das fontes
5ª Semana - Resenha 3: Teoria da Legislação
6ª Semana - Resenha 4: Teoria da Legislação
7ª Semana - Resenha 5: Teoria da Legislação
8ª Semana - Resenha 6: Teoria da Legislação
8ª Semana - Resenha 7: Teoria do Precedente
10ª Semana - Resenha 8: Teoria do Precedente
11ª Semana - Resenha 9: Teoria do Precedente
12ª Semana - Resenha 10: Teoria do Precedente

TRABALHO DE TEORIA DA LEGISLAÇÃO E DO PRECEDENTE


Trabalho teórico/prático a ser realizado em trio. No caso de grupos incompletos o professor designará
um dos grupos para receber membro extra, conforme inscrição online.

Escolha do caso: Cada grupo deverá escolher algum ato normativo do ordenamento jurídico brasileiro
que foi levado à apreciação do poder judiciário, gerando um precedente vinculante.
Fase 1: Estudo de qualidade normativa
Proceder com uma explanação conceitual para as razões de aprimoramento do texto normativo e suas
decorrências; apresentar uma tabela comparativa entre o direito vigente e a proposta de alteração,
fazendo o melhor uso dos instrumentos de qualidade legislativa para a consecução do trabalho;
especialmente quando a judicialização da questão se deveu a uma produção normativa que abriu
possibilidades de discussão por ser tecnicamente falha.
Fase 2: Estudo de precedente judicial
A partir da decisão judicial com efeito vinculante escolhida o grupo deverá abordar os seguintes
elementos:
a) Proceder com a separação entre obter dicta e ratio decidendi;
b) Aplicar hipoteticamente distinguishing e a respectiva argumentação jurídica sobre o mesmo;
c) Aplicar hipoteticamente overruling e a respectiva argumentação jurídica sobre o mesmo;
d) Apresentar uma conclusão sobre os problemas teóricos e práticos decorrentes da decisão
escolhida como paradigma.
Conclusão:
Síntese sobre o estudo, enfatizado se a mudança legislativa evitaria a judicialização ou se esta ocorreria
de um modo ou de outro no contexto jurídico brasileiro.

Observações:
1. Extensão: Até 10 laudas de elementos textuais.
2. O aluno com matrícula mais antiga postará o trabalho do grupo no PVANet.
INSTRUÇÕES PARA IDENTIFICAÇÃO DE TRABALHOS VIA PVANET

1 - O cabeçalho do trabalho impresso ou nome do arquivo deve ser preenchido da seguinte forma:

MATRÍCULA - NOME DO ALUNO - CÓDIGO DA DISCIPLINA - Título do trabalho ou título


reduzido do texto fichado.pdf

Ex:
00.007 - OCTAVIANUS CAESAR AUGUSTUS - DIR123 - Da República ao Império - Noções sobre
a Razão de Estado e o Estado de Razão

2 - Elementos pré e pós-textuais não fazem parte do computo total de páginas.

3 - Elementos pré-textuais, como contracapa, resumo, palavra-chave, epígrafe etc. são facultativos.

4 – Sempre que possível utilizar as regras da ABNT.

PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE FREQUÊNCIA


I - De acordo com o disposto no artigo 89, inciso II, da Resolução n. 14, de 2017, aprovada no
Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da Universidade Federal de Viçosa – CEPE, a aprovação na
disciplina depende do comparecimento em percentual igual ou superior a 75% (setenta e cinco
por cento) das horas-aulas teóricas ministradas no semestre letivo, com a consequente
reprovação de discentes com mais de 15 (quinze) faltas ao longo do semestre:
Art. 89 - Será considerado reprovado na disciplina o estudante que: I - obtiver, após a
realização do exame final, nota final inferior a 60 (sessenta); II - comparecer a menos de
75% (setenta e cinco por cento) das horas-aulas teóricas ministradas; III -
comparecer a menos de 75% (setenta e cinco por cento) das horas-aulas práticas
ministradas (Grifos nossos).
II - Em atendimento às regras universitárias vigentes, o Professor realizará estrito controle de
frequência diário, que se dará por cada hora-aula ministrada. Assim, cada hora-aula corresponde a uma
presença, de modo que, por exemplo, caso o aluno falte a 03 (três) horas-aula computará 03 (três)
faltas.
III - As chamadas serão feitas de forma oral e/ou escrita.
IV - As presenças e ausências serão registradas mensalmente no sistema Sapiens. São de única e
exclusiva responsabilidade dos alunos o acompanhamento e a verificação do cômputo registrado no
sistema.
V - Não há previsão legal nem regimental de abono de faltas por parte do Professor da disciplina.
VI – De acordo com o artigo 80 da Resolução n. 14, de 2017, da UFV, será concedido o benefício do
REGIME ESPECIAL em prol do discente, com a dispensa da presença em sala de aula, nas
seguintes hipóteses:
Art. 80. Será concedido Regime Especial ao estudante que se ausentar das atividades
acadêmicas regulares, pelos motivos a seguir:
I. Quando se enquadrar nas determinações do Decreto-Lei n.º 1.044/1969 e da Lei n.º
6.202/1975;
II. Para atender à convocação do Serviço Militar, conforme estabelecido na legislação em
vigor;
III. Por motivo de convocação pelo Poder Judiciário;
IV. Para participar, como representante discente legal, de reuniões dos Órgãos Colegiados
da Universidade;
IV. Para doar sangue, de acordo com legislação vigente;
V. Para participar de viagem acadêmica, definida no Programa Analítico da Disciplina e
comprovada pelo Coordenador da disciplina;
VI. Para representar a Universidade em práticas esportivas, reconhecidas pela Divisão
de Esporte e Lazer e referendada pela Coordenação do curso;
VII. Para representar a Universidade em competição acadêmica, reconhecida pela
coordenação da atividade e referendada pela Coordenação do curso de graduação;
VIII. Para participar de eventos científicos, com apresentação de trabalho, realizar palestras,
participar de mesa redonda, referendados pela Coordenação do curso de graduação.
VII - Todos os requerimentos, atestados e documentos em prol da concessão de REGIME
ESPECIAL devem ser apresentados no PROTOCOLO DA SECRETARIA DE GRADUAÇÃO –
SEG, no prazo previsto no artigo 80 da Resolução n. 14, de 2017. Não compete ao Professor da
disciplina receber requerimento, nem proferir deliberações acerca de requerimentos de concessão de
REGIME ESPECIAL. Apresentado o pedido de REGIME ESPECIAL na SECRETARIA DE
GRADUAÇÃO – SEG, o discente deverá comunicar imediatamente ao Professor da disciplina, no
prazo máximo de 03 (três) dias úteis, a fim de receber as orientações relativas às atividades acadêmicas
a serem desenvolvidas, sob pena de perda do direito ao benefício do regime especial, conforme o
disposto no artigo 81 da Resolução n. 14, de 2017.
VIII – Tão logo o aluno ultrapassar o limite máximo de ausências, após o computo mensal, será
lançado em seu sistema Sapiens o conceito “L”, relativo à reprovação por ausências.
IX - Haverá abertura de Processo Administrativo Disciplinar no caso de fraude do discente no
controle de frequência, com o devido encaminhamento para autoridades competentes para análise de
eventual delito.
X – Situações excepcionais e que não se enquadrem nos itens anteriores deverão ser comunicadas ao
Professor, para que este as analise e sobre elas delibere oportunamente.
CLASSIFICAÇÃO DA BIBLIOGRAFIA
Os textos disponibilizados na plataforma PVANet estarão classificados de 0 a 5. Os textos entre 0 e 3
fazem parte da bibliografia básica para o curso; os demais possuem variações em relação ao nível de
profundidade do tema.

Os textos classificam-se a partir das seguintes diretrizes:

0 - Leitura Prévia ou Pressuposta


Leitura que deve ser feita antes da aula, cujo conteúdo será abordado em aula ou visto em outro
momento do curso, neste último caso presume-se o domínio do conteúdo pelo estudante.

1 - Leitura Imprescindível:
Leitura necessária para a compreensão geral do tema abordado. Sem ela o aluno terá dificuldades
de avançar no plano conceitual do conhecimento.

2 - Texto Panorâmico:
Aborda a temática de forma panorâmica, sem adentrar em detalhes ou sem abordar pormenores
do assunto. Pode servir muitas vezes como uma introdução aos textos imprescindíveis ou
analíticos.

3 - Texto Sistemático:
Texto que visa retratar sistematicamente o tema, com detalhes e referências mais profundas.
Geralmente um texto mais longo, mais completo e com estrutura mais analítica.

4 - Texto Complementar:
Leitura que visa correlacionar ou refletir a partir de outros temas ou abordagens não explicitadas
pela bibliografia básica.

5 - Texto Avançado:
Textos que possibilitam conhecimentos aos alunos para além dos conteúdos abordados na disciplina,
ou que possibilitam reflexões mais densas sobre os problemas desta área de conhecimento. Ainda
não são textos típicos de uma pós-graduação, mas abordam o que um aluno de excelência num curso
de graduação deve dominar.
BIBLIOGRAFIA
TEXTOS DISPONIBILIZADOS NA PLATAFORMA PVANet, bem como o acervo da BBT:

Bibliografia Básica:
1 - BOBBIO, Norberto. O Positivismo Jurídico; Lições de Filosofia do Direito. São Paulo: Ícone,
1999. [Exemplares disponíveis: 4]

2 - BRASIL. LEI COMPLEMENTAR Nº 95, DE 26 DE FEVEREIRO DE 1998. DOU de


27.2.1998. [Exemplares disponíveis: Não informado.]

3 - DIDIER JR, Fredie. Curso de direito processual civil, volume 2 : teoria da prova probatório, teoria
do precedente, decisão judicial, coisa julgada e antecipação dos efeitos da tutela / 4 e 8. ed.. Salvador;
JusPodivm, 2009, 2013. [Exemplares disponíveis: 7]

4 - SOARES, Fabiana de Menezes. Teoria da legislação: formação e conhecimento da lei na idade


tecnológica. Porto Alegre: Sergio Antônio Fabres, 2004 [Exemplares disponíveis: 1]
________________________________________________________________________________
Bibliografia Complementar:

5 - ASCENÇÂO, José de Oliveira. O Direito - introdução e teoria geral. Rio de Janeiro: Renovar.
[Exemplares disponíveis: 6]

6 - BOBBIO, Norberto. O Positivismo Jurídico; Lições de Filosofia do Direito. São Paulo: Ícone,
1999. [Exemplares disponíveis: 4]

7 - FERRAZ JÚNIOR, Tércio Sampaio. Introdução ao Estudo do Direito; técnica decisão dominação.
São Paulo, Atlas. [Exemplares disponíveis: 22]

8 - KAUFMANN, A. HASSEMER, W (Org.) Introdução à filosofia do direito e à teoria do direito


contemporâneas; tradução de Marcos Keel, Manuel Seca de Oliveira ; revisão científica e coordenação
de António Manuel Hespanha [Exemplares disponíveis: 2]

9 - KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. Trad. João Baptista Machado. São Paulo: Martins Fontes,
1999. [Exemplares disponíveis: 2]

10 - REALE, Miguel. Lições Preliminares de Direito. São Paulo: Saraiva, 2004. [Exemplares
disponíveis: 19]