Sie sind auf Seite 1von 6

Química dos Produtos Naturais

Biossíntese dos amino-ácidos


aromáticos
Biossíntese de amino-ácidos aromáticos: fenilalanina, tirosina e triptofano

O ácido xiquímico, na forma de anião xiquimato, é o precursor dos aminoácidos aromáticos


fenilalanina, tirosina e triptofano. Os animais são incapazes de levar a cabo a biossíntese destes
amino-ácidos utilizando a via do xiquimato, ao contrário das plantas e dos microorganismos, e estão
totalmente dependentes da dieta para os obter.
Num primeiro passo o xiquimato é fosforilado na posição 3. Em seguida reage com o carbono 2 do
fosfoenol piruvato dando origem a um intermediário tetraédrico. A existencial deste intermediário
está confirmada pois foi possível isolá-lo e caracterizá-lo devidamente. A perca do grupo fosfato por
acção do enzima corismato sintase dá origem ao corismato (Figura 8.1).

CO2- CO2-
H+
CH3

PO OH PO CO2- PO O
CO2-
OH OH PO
- HOP

CO2
- -B CO2-
-
ENZX ENZX
H
CH2 CH2

PO O
O
CO2- CO2-
OH OH

CO2

CH2

O
CO2-
OH
corismato

Figura 8.1 – Biossíntese do corismato

Maria Eduarda M. Araújo 1


DQB 2012 (www.dqb.fc.ul.pt)
Química dos Produtos Naturais
Biossíntese dos amino-ácidos
aromáticos
O corismato é transformado em triptofano por adição de amónia e de ribose. O processo é
complexo e está resumidamente descrito na Figura 8.2.

antranilato
CO2- antranilato CO2 - fosfo-ribosil CO2 -
sintase transferase

HO NH3 NH2 NH
O PO
O

CO2- H
corismato OH OH

antranilato
HO O fosfo-ribosil
OP -CO2 isomerase
-
-H2O O OH
OH
N N OP
H H
O OH

CO2-

H
+ NH3
N
H
triptofano

Figura 8.2 – Biossíntese do triptofano

A biossíntese dos aminoácidos fenilalanina e tirosina passa por um outro intermediário derivado do
corismato: o prefenato (Figura 8.3).

Maria Eduarda M. Araújo 2


DQB 2012 (www.dqb.fc.ul.pt)
Química dos Produtos Naturais
Biossíntese dos amino-ácidos
aromáticos

CO2- CO2- CO2-


O CO2-
CO2-
O
HO H
OH
CO2H
OH
prefenato

Figura 8.3 – Formação do prefenato

A transformação do prefenato nos dois aminoácidos fenilalanina e tirosina pode ocorrer por dois
processos diferentes: consoante o organismo em causa: é possível dar-se primeiro a reacção de
aminação seguida de redução e aromatização do anel ou então estes processos podem ocorrer pela
ordem inversa (Figura 8.4).

CO2- CO2-
CO2 - CO -
2
H
O prefenato
+ NH3
aminotransferase

OH OH
prefenato
NAD+

CO2-
CO2- H
+ NH
O 3
CO2-
H
piruvato OH
+ NH
aminotransferase 3
tirosina

fenilalanina

Figura 8.4 – Biossíntese da fenilalanina e da tirosina

Maria Eduarda M. Araújo 3


DQB 2012 (www.dqb.fc.ul.pt)
Química dos Produtos Naturais
Biossíntese dos amino-ácidos
aromáticos

Formação dos derivados Aril-C3, Aril-C1 e Aril-C2

A fenilalanina e a tirosina podem sofrem em algumas espécies um desaminação estereoespecífica


com eliminação de amoníaco originando o ácido cinâmico. Este pode sofrer uma grande variedade
de transformações dando origem a uma classe de metabolitos designada por fenilpropanóides. Do
ácido cinâmico provêm também os compostos do tipo Aril-C1 e Aril-C2.
A Figura 8.5 representa de uma maneira esquemática a formação destes compostos.

Maria Eduarda M. Araújo 4


DQB 2012 (www.dqb.fc.ul.pt)
Química dos Produtos Naturais
Biossíntese dos amino-ácidos
aromáticos

O O OH
OH O OH
oxidação oxidação
Fenilalanina

ácido cinâmico
HO
O OH
SCoA OH
oxidação ácido p-coumárico ácido cafeico
O
O OH
redução

(OH)x
OH OH
+ H2O
-CO2
-CoAsH ácido o-coumárico

O COMe
MeO MeO
OH OH
O O
(OH)x alcool coniferilo eugenol
coumarina

outros derivados
da coumarina
Ari-C2
O COSCoA
O
O OMe
(OH)x
safrol anetol

exemplos representativos
Ari-C1
Fenilpropanóides
Aril-C3

Maria Eduarda M. Araújo 5


DQB 2012 (www.dqb.fc.ul.pt)
Química dos Produtos Naturais
Biossíntese dos amino-ácidos
aromáticos

Figura 8.5 – Derivados do ácido cinâmico

Maria Eduarda M. Araújo 6


DQB 2012 (www.dqb.fc.ul.pt)