You are on page 1of 4

OS IMPACTOS ECONÔMICOS REFERENTES A INDUSTRIA DE DEFESA

E SEGURANÇA BRASILEIRA
Leonardo R. Lima1

1. O debate sobre a relação entre gastos com defesa e desenvolvimento econômico:

Há entre os economistas uma disputa sobre a relação dos gastos com defesa gerar desenvolvimento
econômico. Alguns estudos veem o aumento dos gastos públicos, e especificamente em defesa,
como uma forma de impulsionar a economia, ja outros enxergam de forma prejudicial a
intervenção estatal na economia.
Para os autores que percebem de forma positiva os principais impactos na economia seriam:
estimulo econômico dos gastos militares durante períodos de desemprego acima da taxa natural;
desenvolvimento tecnológico, que poderia ser utilizado em outos setores da economia; os gastos
militares em infraestrutura social aumentariam o crescimento; aumento da qualificação dos
trabalhadores relacionados a industria bélica podendo afetar também a sociedade civil; o aumento
dos gastos militares podem induzir investidores a acreditarem que o pais é mais seguro aumentado o
fluxo de investimentos. (AMBROS, 2017)
Ja para os autores contrários os impactos negativos seriam: a industria de defesa pode acabar
desviando recurso privados e públicos para o setor lesando setores mais benéficos para o
desenvolvimento; caso o pais em questão importe grande parte de seus armamentos, o aumento dos
gastos em defesa acarretara num desequilíbrio da balança de pagamentos; o setor de defesa limitaria
o crescimento através das burocracias e a cobrança de impostos. (AMBROS, 2017)

2. Produto promovido pelo complexo produtivo de defesa e segurança:

Os gastos brasileiros em defesa podem ser divididos em quatro áreas principais que são: atividades
de defesa e segurança que cobrem a segurança privada e a segurança publica estadual e federal e a
defesa nacional; as industrias ligadas ao setor produtivo do complexo de defesa e segurança; os
gastos com insumo; e Serviços e distribuição. (ABIMDE, 2015)
Segue abaixo tabela elaborada Associação Brasileira das Industrias de Materiais de Defesa e
Segurança que discrimina os gastos nas quatro áreas apresentadas no período de 2009 a 2014:

1 Graduando em Ciências Econômicas (UFF).


PIB do Complexo da Defesa e da Segurança, 2009 a 2014 – em R$ milhões de 2014

2009 2010 2011 2012 2013 2014


Total 178.940 193.001 186.317 195.171 203.164 201.978
1. Atividades de Defesa e Segurança 95.766 101.432 100.150 104.116 110.015 109.951
1.1. Segurança Privada 22.455 23.395 25.503 28.249 30.982 30.937
1.2. Segurança Pública Estadual 41.968 45.612 43.243 45.676 47.134 46.882
1.3. Segurança Pública Federal 6.072 6.621 6.232 6.578 6.793 6.887
1.4. Defesa Nacional 25.272 25.804 25.172 23.612 25.106 25.245
2. Indústrias 7.447 9.860 8.669 9.385 9.060 8.116
2.1. Maquinas e Equipamentos Mecânicos 822 1.387 1.129 1.181 1.064 866
2.2. Máquinas e Equipamentos Eletrônicos e de Informática 390 402 353 357 424 490
2.3. Automóveis, Caminhões e Ônibus 369 426 348 1.006 421 364
2.4. Outros Equipamentos de Transporte 836 1.221 811 1.217 1.169 1.050
2.5. Construção 2.096 2.591 2.359 1.947 2.130 2.077
2.6. Serviços Prestados às Empresas 2.934 3.834 3.669 3.678 3.853 3.268
3. Insumos 11.689 12.629 12.324 13.104 12.917 12.467
4. Serviços e Distribuição 64.038 69.080 65.174 68.566 71.173 71.444
PIB do Brasil 4.717.239 5.074.364 5.273.049 5.366.042 5.513.184 5.521.256

ABIMDE. 2015. Tabela 2.1 – PIB do Complexo da Defesa e da Segurança, 2009 a 2014 –
em R$ milhões de 2014, 4 São Paulo: Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas

Na tabela é possível perceber que os gastos totais com a industria de defesa no ano de 2014 foi de
quase 4% do PIB brasileiro. Porem o crescimento acumulado do PIB brasileiro percebemos que a
industria de defesa cresceu menos que o PIB nacional.
Ainda refletindo sobre os dados é possível notar que os maiores gastos, nos anos apresentados,
estão relacionados as atividades de defesa e segurança correspondendo esses a mais de 50%
do total de gastos no período.


3. Impactos econômicos da Industria Brasileira de Defesa e Segurança:

Em 2015 a Associação Brasileira das Industrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE) fez
uma pesquisa que relacionava os gastos com os principais projetos de defesa, no ano corrente, com
o incremento no PIB e no numero de postos de trabalho.
Segundo a ABIMDE um aumento de 10 milhões de reais na Gestão Organizacional e Operacional
do Comando da Aeronáutica levaria a um incremento de 9,7 milhões de reais no PIB alem de criar
cerca de 174,5 novos empregos a cada ano. Mostrando assim um efeito positivo da relação dos
gastos de defesa e crescimento econômico. (ABIMDE, 2015)

4. Gastos Públicos com o Ministério da Defesa:


Segue abaixo gráfico dos gastos totais do Ministério da Defesa2 :

Gráfico 1 - Gastos anuais do Ministério da Defesa, 2015 a 2017- em


R$ bilhões de 2018
100

92,2
87,6
75 78,4 80,1
69,7
50

25

0
2013 2014 2015 2016 2017

No gráfico fica visível uma tendencia à expansão dos gastos do ministério. Em 2017 foram gastos o
total de noventa e dois bilhões de reais com o ministério da defesa.
Desse montante 45% foram direcionados para o comando do exercito, 26% para o comando da
marinha e 24% para a aeronáutica.
Segue gráfico com a relação dos 3 maiores gastos em 2017 3:

Gráfico 2 - Três maiores gastos do Ministério da Defesa em 2017 - em R$


bilhões de 2018
50
48,9

37,5

25

22,4

12,5

5,4
0
Administração Previdência Social Defesa Aérea

2 Dados retirados do site do senado brasileiro. Disponível em: < http://www9.senado.gov.br/QvAJAXZfc/opendoc.htm?


document=senado%2Fsigabrasilpainelcidadao.qvw&host=QVS%40www9&anonymous=true&Sheet=shOrcamentoVisaoGeral>

3Dados retirados do site do senado brasileiro. Disponível em:< http://www9.senado.gov.br/QvAJAXZfc/opendoc.htm?


document=senado%2Fsigabrasilpainelcidadao.qvw&host=QVS%40www9&anonymous=true&Sheet=shOrcamentoVisaoGeral>
Os três maiores gastos por subáreas no ano de 2017 foram relacionados a administração, totalizando
53% do gasto anual, previdência social, 24%, e defesa aérea com apenas 6%.
O orçamento com a defesa nacional, somando defesa aérea (R$5,4bi), naval (R$2,9bi) e terrestre
(R$1,7bi) foi de 10 bilhões de reais apenas 11% do montante gasto.
Alem disso o valor despendido com pessoal e encargos sociais foi de 70,7 bilhões de reais
correspondente a 76% de tudo que foi despendido pelo ministério em 2017.

Referencias Bibliográficas:
Associação Brasileira das Industrias de Matérias de Defesa e Segurança. Cadeia de Valor e a
importância socioeconômica da Industria de Defesa e Segurança do Brasil. São Paulo: Fundação
Instituto de Pesquisas Econômicas, 2015.
AMBROS, Christiano Cruz. Industria de Defesa e Desenvolvimento: Controvérsias Teóricas e
Implicações em Politica Industrial. 2017.
Orçamento Federal com o Ministério da Defesa. Senado Brasileiro. Disponível em: <http://
www9.senado.gov.br/QvAJAXZfc/opendoc.htm?
document=senado%2Fsigabrasilpainelcidadao.qvw&host=QVS%40www9&anonymous=true&She
et=shOrcamentoVisaoGeral>