You are on page 1of 12

Instrução Operacional Conjunta SENARC/SNAS nº 24 Brasília, 08 de março de

2017.

Assunto: Estabelece procedimentos e


prazos para inclusão e atualização
cadastral dos beneficiários do Benefício
de Prestação Continuada da Assistência
Social (BPC) e de suas famílias no
Cadastro Único para Programas Sociais
do Governo Federal (Cadastro Único).

1. INTRODUÇÃO

O Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social (BPC) é direito


garantido pela Constituição Federal de 1988, regulamentado pela Lei Orgânica da
Assistência Social – LOAS, Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993 e pelo Decreto nº
6.214, de 26 de setembro de 2007, e consiste no pagamento de um salário mínimo
mensal a pessoas com 65 anos de idade ou mais e a pessoas com deficiência. Para a
concessão do benefício, em ambos os casos, a renda mensal bruta familiar per capita
deve ser inferior a ¼ (um quarto) do salário mínimo vigente.

Com a publicação do Decreto nº 8.805, de 7 de julho de 2016, tornou-se


obrigatório, a partir de 6 de novembro de 2016, para o requerimento, a concessão e a
revisão bienal do BPC, que as famílias estejam inscritas no Cadastro Único para
Programas Sociais do Governo Federal com informações atualizadas. A utilização do
Cadastro Único possibilita conhecimento mais aprofundado do perfil socioeconômico
das famílias por possuir informações acerca das características da família, do domicílio,
da escolaridade, da qualificação profissional, de despesas mensais, entre outras.

A presente Instrução Operacional estabelece procedimentos e prazos para inclusão dos


beneficiários do BPC no Cadastro Único, conforme Portaria Interministerial
MDSA/MP/MF nº 2, de 7 de novembro de 2016 e Portaria Conjunta nº 1, de 3 de
janeiro de 2017.

2. ORIENTAÇÕES GERAIS SOBRE CADASTRAMENTO

É fundamental que o entrevistador responsável pelo cadastramento da família


dos requerentes ou beneficiários do BPC tenha sido capacitado para preencher os
formulários do Cadastro Único, conforme modelo de capacitação estabelecida pelo
Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA). Ao realizar a entrevista com
o Responsável pela Unidade Familiar (RF) da família do requerente ou beneficiário do
BPC, o entrevistador deve observar com atenção os conceitos previstos no Decreto nº
6.135, de 26 de junho de 2007 e na Portaria MDS nº 177, de 16 de junho de 2011, que
regulamentam o Cadastro Único.

É importante lembrar que o Cadastro Único é utilizado por vários programas


sociais, tendo como característica a coleta qualificada e uniforme das informações das
famílias. Assim, ao cadastrar a família de requerente ou beneficiário do BPC, o
entrevistador deve sempre cumprir as regras do Cadastro Único e, para isso, coletar os
dados conforme o Manual do Entrevistador, obedecendo aos conceitos de família e
renda estabelecidos nas normas do Cadastro Único. Caberá ao INSS, no momento do
requerimento do benefício, a complementação e a requalificação dessas informações
para a análise da concessão e revisão do BPC.

2.1. Questões específicas das famílias BPC:

2.1.1. Pessoas com Deficiência:

No caso dos beneficiários do BPC com deficiência, visando à qualificação das


informações do Cadastro Único, é importante atentar especialmente para o
preenchimento dos campos do Bloco 6 – Pessoas com Deficiência.

2.1.2. A renda do BPC:

Para o público que já recebe o benefício, é importante atentar para o correto


preenchimento, no Cadastro Único, do campo 8.09, item 2 – “Aposentadoria,
aposentadoria rural, pensão ou BPC/LOAS”, no qual é obrigatório registrar a renda
bruta recebida em função do BPC no formulário do titular do benefício.

É importante destacar que, mesmo que o benefício seja recebido pelo


representante legal (por exemplo, tutor ou curador), as informações registradas, como
renda, devem ser feitas no cadastro da pessoa com deficiência ou do idoso que é titular
efetivo do benefício.

2.1.3. Obrigatoriedade do CPF:

Conforme determinam o Decreto nº 6.214/2007 e normas correlatas, o CPF é


obrigatório para TODOS os membros da família para a concessão do BPC. Dessa
forma, os números de CPF de todos os membros deverão ser registrados no Cadastro
Único, no campo 5.02 do Bloco 5 – Documentos para permitir a identificação do
beneficiário e de sua família no momento da avaliação do benefício pelo INSS.

2.1.4. Pessoas incapazes e com Representante Legal

Em função de regras do Sistema de Cadastro Único, ainda não é possível realizar


a inclusão cadastral de famílias em algumas situações específicas, sendo que o MDSA e
a Caixa Econômica Federal (CAIXA) estão desenvolvendo uma solução tecnológica
para possibilitar esse cadastramento.

Assim, requerentes ou beneficiários do BPC menores de 16 anos ou pessoas


interditadas total ou parcialmente e que, em ambos os casos, estejam internados em
instituição, abrigo, asilo ou hospital há 12 meses ou mais; e que não possuam família de
referência, de acordo com o conceito do Cadastro Único, estão isentos de fazer a
inclusão no Cadastro Único.
Esses casos abrangem principalmente pessoas institucionalizadas que não
possuem família de referência e são representadas legalmente por pessoas que não são
membros da família para o Cadastro Único, ou seja, não vivem no mesmo domicílio e
não compartilham renda e despesas. Portanto, os Representantes Legais que não
integram a família da pessoa incapaz requerente ou beneficiária do BPC não podem ser
inscritos no Cadastro Único como membro dessa família, nem mesmo como
Responsáveis pela Unidade Familiar (RF).

Dessa forma, para os casos em que não seja possível incluir a família do
requerente ou do beneficiário do BPC no Cadastro Único apontados acima, a gestão
municipal deverá preencher o FORMULÁRIO DE IMPOSSIBILIDADE DE
INCLUSÃO NO CADASTRO ÚNICO (ANEXO 1) ou orientar o requerente a procurar
diretamente o INSS para requerer o BPC.

Os perfis de gestor municipal e de técnico municipal podem preencher o


formulário online, acessando-o por meio do CECAD. Para isso, é necessário entrar no
SIGPBF e ir ao menu “Sistemas Integrados” e clicar em CECAD. O “Formulário BPC”
se encontra entre as opções do CECAD. Após o preenchimento, ele deverá ser impresso
e entregue ao requerente para ser encaminhado à Agência do INSS do município ou à
agência mais próxima. Deverão ser detalhados os motivos que impedem o
cadastramento do requerente e/ou da família.

3. PROCESSO DE CADASTRAMENTO PARA AS FAMÍLIAS BPC

3.1. Atualização Cadastral

O Decreto nº 8.805/2016 condiciona a concessão e a revisão do BPC somente às


famílias inscritas no Cadastro Único com informações atualizadas há no máximo 24
meses desde sua inclusão ou última atualização cadastral.

Caso se verifique que a família já tenha sido cadastrada, mas sem a inclusão do
beneficiário do BPC, deve-se atualizar o cadastro e incluir o titular do BPC, observando
o conceito de família do Cadastro Único.

Seguem orientações para a atualização cadastral dos beneficiários do BPC:

 Para atualizar o cadastro é necessário realizar uma nova entrevista presencial


com o RF;
 Atualize com atenção todos os dados da família que sofreram alguma alteração;
 É obrigatório cadastrar todas as pessoas da família, inclusive os cônjuges, os
idosos e as pessoas com deficiência;
 É obrigatório registrar todas as informações de renda de cada uma das pessoas
da família;
 Deve-se registrar o CPF de todos os componentes da família nesse caso;
 Caso o RF seja beneficiário e tenha idade igual ou superior a 80 anos, a gestão
do Cadastro Único deverá avaliar a necessidade de realização de atendimento em
domicílio;
 Recomenda-se o atendimento em domicílio para os beneficiários que sejam RF e
tenham dificuldade de locomoção, sejam eles idosos (com idade igual ou
superior a 65 anos) ou pessoas com deficiência;
 Lembre-se que os dados coletados têm que ser digitados no Sistema de Cadastro
Único; e
 Confira sempre se ocorreu alteração na data de atualização cadastral no Sistema
de Cadastro Único após finalizar a inserção das informações.

3.1.1. Convocação para atualização cadastral

O processo de convocação das famílias com cadastro desatualizado há mais de


24 meses, desde sua inclusão ou última atualização cadastral, e que recebam BPC
ocorrerá nos processos regulares anuais de Revisão Cadastral conduzidos pelo MDSA e
será estabelecido em instrução operacional específica.

3.2. Inclusão Cadastral

O processo de inclusão cadastral de beneficiários e requerentes do BPC e de suas


famílias deve considerar duas situações:

a) os requerentes do BPC e suas famílias devem estar inscritos no Cadastro Único e


estar com o cadastro atualizado antes de solicitar o benefício. Esta será uma demanda
espontânea a ser atendida nos processos regulares de cadastramento das gestões
municipais do Cadastro Único, que devem ser pautados por celeridade, acessibilidade e
cordialidade no atendimento às famílias;

b) os beneficiários do BPC e suas famílias que ainda não estejam cadastrados devem
ser incluídos no Cadastro Único seguindo cronograma de inclusão abaixo, conforme
Portaria Interministerial nº 2, de 7 de novembro de 2016 e Portaria Conjunta nº 1, de 3
de janeiro de 2017.

3.2.1. Cronograma de inclusão de beneficiários do BPC e suas famílias –


caso “b”

No ano de 2017, o foco será os beneficiários idosos e suas famílias, e o ano de


2018 será destinado a pessoas com deficiência e suas famílias. As famílias serão
distribuídas ao longo de cada ano e serão incentivadas a comparecer para cadastramento
no mês de aniversário do beneficiário.

Repercussão no Benefício: a suspensão do benefício motivada pelo não


cumprimento da inclusão no Cadastro Único, por questões de ordem legal, será feita no
caso de beneficiários do BPC Idoso após dezembro/2017, ou seja, com a base de
janeiro/2018. O processo de suspensão do benefício será feito nos moldes estabelecidos
por legislação específica, que compreende, por exemplo, a emissão de carta registrada e
com aviso de recebimento, a ser conduzido pelo INSS.
3.2.2. Divulgação das listas de cadastramento:

A gestão municipal deve se organizar para que todas as famílias sejam atendidas
e cadastradas. Para auxiliar a organização do trabalho dos municípios, será
disponibilizada listagem dos beneficiários do BPC que não foram identificados no
Cadastro Único a serem incluídos em 2017 (Idosos), por meio do Sistema de Gestão do
Programa Bolsa Família (SIGPBF), no endereço:
http://www.mds.gov.br/bolsafamilia/sistemagestaobolsafamilia.

O mesmo processo se repetirá em janeiro de 2018 com informações sobre


beneficiários com deficiência. As listas serão atualizadas, periodicamente, de forma a
permitir a evolução no processo de cadastramento.

As bases inicialmente utilizadas para a identificação dos beneficiários não


identificados no Cadastro Único foram as de novembro/2016, tanto a do Cadastro
Único como a de beneficiários idosos do BPC.

A listagem está organizada por município, considerando os endereços das


famílias constantes nos registros do INSS.

3.2.3. Acesso às listas:

Após acessar o SIGPBF, o usuário deverá clicar no menu “Administrativo >


Transmissão de Arquivos > Upload/Download de arquivos”.

Após acessar a área de Upload/Download de arquivos, o usuário municipal


deverá clicar na pasta “Cadastro Único”:
Em seguida, o usuário municipal deverá clicar na subpasta “Inclusão BPC
Idosos 2017” e localizar o arquivo de seu município cujo nome possui o seguinte
padrão:

“UF_NOMEMUNICIPIO_CODIGOIBGE_BPC_IDOSO_INCLUSAO_2017.csv”
O usuário municipal deve salvar uma cópia dessa listagem, clicando no ícone de
download do arquivo. A listagem de beneficiários está em formato “CSV”, sendo que
cada linha apresenta as informações de um beneficiário idoso do BPC identificado como
público para a inclusão cadastral. Este arquivo contem as seguintes informações: nome
do beneficiário, idade e endereço, fornecidos pelo INSS, conforme dicionário de
variáveis abaixo:
Dicionário de variáveis inclusão BPC idosos 2017
Seq. Nome da variável Descrição
5 no_bairro Bairro do titular do beneficio
7 nu_cep CEP do titular do beneficio
16 nu_cpf_titular CPF do titular do beneficio
18 rf_endereco Endereço
19 tp_especie Espécie do benefício 88 - Amparo Social ao Idoso
24 no_municipio Nome do município
25 co_nb Numero do beneficio mantido
30 nu_nit_titular Numero de identificaçao do trabalhador / titular
31 no_nome_mae Nome da mae do titular do beneficio
34 no_nome_titular Nome de identificaçao do titular
36 tp_sexo Sexo do titular do benefício
0 - Inexistente
1 - Tutor
3 - Curador
5 - Tutor Nato
40 tp_tipo_rl Tipo de representante legal
6 - Procurador
7 - Termo de Guarda
8 - Representante Entidade
9 - Administrador Provisorio
0 - Inexistente
02 - Alagoas
03 - Amazonas
04 - Bahia
05 - Ceará
06 - Mato Grosso do Sul
07 - Espírito Santo
08 - Goiás
09 - Maranhão
10 - Mato Grosso
11 - Minas Gerais
12 - Pará
13 - Paraíba
14 - Paraná
42 nu_uf UF
15 - Pernambuco
16 - Piauí
17 - Rio de Janeiro
18 - Rio Grande do Norte
19 - Rio Grande do Sul
20 - Santa Catarina
21 - São Paulo
22 - Sergipe
23 - Distrito Federal
24 - Acre
25 - Amapá
26 - Rondônia
27 - Roraima
28 - Tocantins
43 nu_idade_atual Idade atual do titular do benefício
48 dt_dt_nascimento Data de nascimento
1 - 80 anos ou mais
49 marc_80 Marcação para pessoas com 80 anos ou mais de idade
0 - Até 79 anos
43 cd_ibge Código IBGE do município

3.2.4. Recomendação de entrevista domiciliar para idosos com mais de 80


anos e beneficiários com dificuldade de locomoção:

No campo 49 do layout acima, será possível verificar se o beneficiário tem mais


de 80 anos de idade – isso pode indicar a necessidade da realização de entrevista
domiciliar, visto que a família pode enfrentar mais dificuldades para acessar os postos
de cadastramento. A entrevista no domicílio dessas famílias não é obrigatória nem terá
qualquer consequência quanto à repercussão no pagamento de benefícios, mas é
importante para garantir que todos os beneficiários do BPC e suas famílias consigam ser
incluídos no Cadastro Único.

É recomendável que a gestão municipal estabeleça estratégias de atendimento


domiciliar para atualização do Cadastro Único dos beneficiários que sejam RF e que
tenham dificuldade de locomoção, sejam eles idosos ou pessoas com deficiência.

É importante lembrar que caso o beneficiário não seja o RF, não é


necessária a ida dele ao posto do cadastramento, mas somente a do RF da família à
qual ele está vinculado.

É preciso ter atenção, visto que os dados dos beneficiários do BPC foram
coletados pelo INSS quando da concessão do benefício e podem estar desatualizados.
Por isso, caso algum beneficiário do BPC que não esteja na listagem disponibilizada
procure o posto de cadastramento, ele deverá ser cadastrado normalmente junto com sua
família pela gestão municipal, desde que resida no município.

4. PROCESSO DE REQUERIMENTO E CONCESSÃO DO BPC

Os processos de requerimento e concessão dos benefícios do BPC estão detalhados no


Guia para técnicos e gestores da Assistência Social sobre alterações no Benefício de
Prestação Continuada da Assistência Social (BPC), produzido pela Secretaria
Nacional de Assistência Social do MDSA, disponível no site:
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Catalogo/cartilha_bpc_20
17.pdf

4.1 – Encaminhamento do INSS para a gestão municipal

No momento do preenchimento do requerimento para acesso ao BPC, caso o


INSS identifique pendências relativas ao Cadastro Único, como, por exemplo, ausência
de inscrição, desatualização cadastral, informação incorreta, ausência de componente da
família, entre outros, o atendente deverá preencher o SOLICITAÇÃO DE CADASTRO
OU ATUALIZAÇÃO DOS DADOS DO CADASTRO ÚNICO (Anexo II) de forma a
aperfeiçoar o atendimento da gestão municipal do Cadastro Único.

5. AÇÕES DE COMUNICAÇÃO

O MDSA, com apoio do INSS, fará ações de comunicação específicas para orientar as
famílias acerca do calendário, dos procedimentos e da repercussão da ação de inclusão
dos beneficiários do BPC e de sua família no Cadastro Único.

Para as gestões, a SNAS disponibilizou o Guia para técnicos e gestores da assistência


social sobre alterações nas regras de operacionalização do Benefício de Prestação
Continuada (BPC) que deverá servir de referência para os novos procedimentos
introduzidos pelo Decreto nº 8.805/2016 na operacionalização do BPC. O Guia está
disponível em:
http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Catalogo/cartilha_bpc_20
17.pdf

Esse Guia e a presente IO devem orientar os trabalhadores do Sistema Único de


Assistência Social (SUAS) sobre o processo de cadastramento e revisão, bem como
sobre preenchimento dos formulários e visitas domiciliares. É importante que os
gestores e os outros profissionais do SUAS mantenham seus endereços eletrônicos
atualizados para garantir o recebimento destes informes, enviando seus endereços
eletrônicos para a caixa de e-mail ascom@mds.gov.br.
Em caso de dúvidas, os gestores poderão entrar em contato com a Central de
Relacionamento do MDSA, pelo 0800 707 2003, que estará com uma equipe
capacitada para atendimento sobre a inclusão e atualização cadastral dos beneficiários
do BPC no Cadastro Único.

6. Eventuais dúvidas:

Ouvidoria do MDSA: 0800 707 2003

Todas as regulamentações do Cadastro Único e do Benefício de Prestação Continuada


de Assistência Social (BPC) podem ser obtidas no endereço eletrônico do MDSA
www.mds.gov.br
ANEXO I

Formulário de impossibilidade de inclusão no Cadastro Único

Ao INSS,

Informamos que o(a) Sr. (a)


..........................................................................................................................., nascido(a)
em __/__/____-, filho(a) de..........................................................................................,
compareceu a este posto de atendimento do Cadastro Único e, pelos motivos abaixo
listados, não pode ser incluído(a) no Cadastro Único atualmente:

Casos dispensados da inscrição no Cadastro Único, conforme art. 41, da Portaria


Conjunta nº 1, de 03/01/2017:

( ) Requerente ou beneficiário(a) menor de 16 anos internado(a) em instituição, abrigo,


asilo ou hospital há 12 meses ou mais;

( ) Requerente ou beneficiário(a) incapaz sem família de referência;

( ) Outros motivos:
Especificar:
______________________________________________________________________

Em ____/____/_______

Atenciosamente,

___________________________________________________
Assinatura e carimbo do(a) Gestor(a)
ou responsável municipal pelo Cadastro Único
ANEXO II

Solicitação de inclusão ou atualização dos dados do Cadastro Único


(encaminhamento do requerente de BPC à Gestão Municipal do Cadastro Único)

No atendimento do requerente do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social - BPC, Sr(a)


_______________________________________________________, nascido em / / , filho de
__________________________________________________________, constatou-se a necessidade de
cadastro ou de atualização do Cadastro Único conforme apontado a seguir:

( ) inclusão (a) no Cadastro Único

Atualização do Cadastro Único da Família, considerando:

( ) que o cadastro foi atualização há mais de dois anos;

( ) que o requerente de benefício assistencial não ratificou as informações contidas no


Cadastro Único relativas à renda, quando do protocolo do benefício assistencial no INSS;

( ) que o requerente de benefício assistencial informou a modificação do grupo familiar


contido no Cadastro Único, quando do protocolo do benefício assistencial no INSS;

( ) que um ou mais componentes não possuem CPF;

( ) Outros campos

Atenciosamente

______________________________________

Nome e matrícula do servidor INSS

APS__________________________