You are on page 1of 10

Exercícios de Transferência de Massa

Transferência de massa por convecção

1. Determinar a taxa de transferência de massa da água evaporada de um reservatório


retangular contendo água, quando exposta a uma corrente de ar atmosférico a 25ºC
escoando a 2 m/s. Considere que a corrente do ar esteja a uma umidade relativa de
50%, escoando sobre a bandeja de 45 cm de espessura e 20 cm de comprimento.
A difusividade do vapor no ar vale 0,26 ⋅10−4 m2 s.
2. O número de Sherwood, no processo de transferência de massa entre a superfície
de um alimento com elevado teor de umidade e o ar a 50ºC (e 30% de umidade
relativa) vale 278.
a) Calcular o coeficiente de transferência de massa, sabendo que a dimensão
característica do produto, na direção do fluxo de ar, é de 15 cm, e a difusividade
do vapor de água no ar vale 1,8⋅10-5 m2 s;
b) Determine o caudal mássico do ar, sabendo-se que o ar escoa em regime
laminars;
c) Considerando o alimento como uma barra retangular de 2 cm de espessura por
15 cm de comprimento, determine a taxa de transferência de massa ao longo do
processo.
3. Determinar a taxa de transferência de massa da água evaporada de um alimento de
formato cilíndrico (cilindro oco), quando exposto a uma corrente de ar atmosférico a
60ºC escoando a 20 m/s. Considere que a corrente do ar esteja a uma umidade
relativa de 15% e o alimento no formato cilíndrico tenha 5 cm de diâmetro por 12 cm
de comprimento. A difusividade do vapor no ar vale 0,0648 m2 h.

Difusão em camada estagnante em estado quase-estacionário.

4. O método de Winkelman é um processo prático de determinação de difusividades


de vapores. Basicamente faz-se passar uma corrente de gás perpendicularmente a
um capilar contendo o líquido correspondente aos vapores em estudo (A). O gás,
(B), isento de vapor deste líquido, passa a um caudal suficientemente elevado para
que a pressão parcial de vapor nesta corrente seja desprezável.
gás B puro gás B puro

L0 L

t=0 t=t
líquido A líquido A

Se o capilar for termostatizado não existirão correntes de convecção natural na mistura


gasosa no interior do capilar, sendo válida a equação de difusão em camada
estagnante:

dx A
NAz = - C DAB + xA NAz
dz

A taxa de evaporação do tetracloreto de carbono (A) em ar (B) pode ser estimada a


partir da variação do menisco no capilar. Esta variação é registada na tabela:

t (h:min) L – L0 (cm)

0:00 0

0:26 0,25

3:05 1,29

7:36 2,32

Com base nestes dados experimentais calcule a difusividade, DAB, a 48ºC e 1 atmosfera.
(Dados: PVA = 282 mm Hg, 𝜌A = 1,54 g cm-3).

Difusão com reação química em camada estagnante.

5. Considere a dissolução de CO2 numa solução alcalina contendo um catalisador. A


solução encontra-se numa proveta de altura L = 0,5 cm. O CO2 absorvido reage
irreversivelmente de acordo com uma lei de 1ª ordem com k = 35 s-1. A solubilidade
do CO2 na solução é igual a 3 x 10-2 kmol m-3 e o coeficiente de difusão é igual a 1,5
x 10-9 m2s-1.
a) Escreva a equação diferencial e as condições fronteiras que descrevem o
transporte de CO2 através da solução em estado estacionário.
b) O perfil de concentrações de CO2 na proveta é dado pela equação:

C A cosh L k1 D AB 1  z L 


C A0 
cosh L k1 D AB 
Demonstre que esta equação satisfaz a equação diferencial obtida em a).
c) Calcule a taxa de dissolução de CO2 e a sua concentração média na solução.

Difusão numa placa plana em estado transiente.


6. Uma placa de madeira húmida de dimensões 12" x 12" x 1" é exposta a ar
relativamente seco. As extremidades são inicialmente isoladas para limitar o
processo de secagem às faces de maiores dimensões da placa. O líquido
interno difunde-se até à superfície onde se evapora para a corrente de ar. A
quantidade de humidade na superfície permanece constante e igual a 7% (%
mássica). Após 10 h de secagem a quantidade de humidade do centro
diminui de 15 para 10 % (% mássica). Considerar que o coeficiente de
transferência de massa é suficientemente grande, e que por conseguinte a
resistência externa à transferência de massa é praticamente nula. Calcular:
a) o coeficiente de difusão efectiva.
b) a humidade no centro se a evaporação se der através das seis faces
da placa.
c) o tempo necessário para baixar a quantidade de humidade no centro
de um cubo (1 ft3) dessa madeira, de 15 para 10 %, utilizando as seis
faces.
Fatores de conversão: 1" = 1/12 ft ; 1 ft = 0,3048 m

7. Um cilíndro de um gel de agarose, com 30,5 mm de diâmetro e 38,1 mm de


altura, contém uma concentração uniforme de ureia igual a 100 moles/m 3. O
coeficiente de difusão da ureia é igual a 4,72 x 10 -10 m2s-1. Calcule a
concentração de ureia no ponto médio do cilíndro, 100 h após a sua imersão
em água pura muito agitada.
a) Considere que a difusão ocorre apenas radialmente.
b) Considere que a difusão ocorre radial e axialmente (aplique o princípio da
sobreposição).
8. Goiabas são conservadas em uma solução de sacarose 22,5% de açúcar.
Sabendo que inicialmente o produto não apresenta sacarose e que a
difusividade mássica da sacarose na fruta vale 8,33 x 10-11 m2/s, calcule a
concentração de sacarose no centro da goiaba, após 1 semana de
armazenamento da fruta na solução. Considerar a goiaba como uma esfera
de 10,0 cm de diâmetro e o coeficiente de distribuição seja 0,81 Kg água/ kg
produto.
9. Ervilhas são conservadas em uma salmoura contendo 12,5% de sal.
Sabendo que inicialmente o produto apresenta 0,6% de sal e que a
difusividade mássica do sal na ervilha vale 8,74 x 10-11 m2/s, determinar o
tempo necessário para que o centro da ervilha contenha 3,5% de sal.
Considerar a ervilha como uma esfera de 0,5 cm de diâmetro e o coeficiente
de distribuição seja 0,87 Kg água/ kg produto.

Difusão em meio semi-infinito

10. Uma placa muito espessa de um material poroso está impregnada de um solvente
A com uma concentração uniforme e igual a cA = 1000 mol m-3. Subitamente, uma
das faces é exposta a uma corrente turbulenta de uma solução aquosa com uma
concentração do solvente A, cA0 = 100 mol m-3. Calcule a concentração de solvente
na placa a 0.01 cm da superfície e ao fim de 1 hora. A difusividade do solvente no
sólido é igual a 4 × 10-9 m2 s-1.
11. Num dado ensaio, a difusividade de NO2 em água é medida colocando num dado
instante NO2 em contacto com água pura a 16ºC e a 0.93 atm num recipiente imóvel.
Sabendo que a área da superfície de contacto de 36.3 cm2 e que a água absorve
0.83 cm3 de NO2 em 3 minutos, determine a difusividade.

Dados: constante de Henry = 37 000 atm cm3 mol-1.


ANEXOS

2 
erf ( )   e  d
2

Tabela da Função erro:


 0

 erf ( )  erf ( )

0.0 0.0000 1.6 0.9763

0.2 0.2227 1.8 0.9891

0.4 0.4284 2.0 0.9953

0.6 0.6039 2.2 0.9981

0.8 0.7421 2.4 0.9993

1.0 0.8427 2.6 0.9998

1.2 0.9103 2.8 0.9999

1.4 0.9523 3.0 1.0000

Equações da continuidade de A com fluxos molares

Coordenadas rectangulares:

c A  N Ax N Ay N Az 
      RA
t  x y z 
Coordenadas cilíndricas:

c A  1 (rN Ar ) 1 N A N Az 
     RA
t  r r r  z 
Coordenadas esféricas:

c A  1 (r 2 N Ar ) 1 ( N A sin  ) 1 N A 
  2     RA
t  r r r sin   r sin   
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE: COORDENADAS RECTANGULARES
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE: COORDENADAS CILÍNDRICAS
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE: COORDENADAS ESFÉRICAS