Sie sind auf Seite 1von 87

FARMÁCIA HOSPITALAR

Armazenamento e
Distribuição de medicamentos
em FH

Profa. Dra. Gabriela Modenesi Sirtoli

gabrielamodenesi@yahoo.com.br
ARMAZENAMENTO
Conjunto de procedimentos técnicos e
administrativos que tem por finalidade assegurar
as condições adequadas de conservação dos
produtos.

➢Recepção/recebimento de medicamentos.
➢Estocagem e guarda de medicamentos.
➢Conservação de medicamentos.
➢Controle de estoque.

➢CAF (Central de Abastecimento Farmacêutico)


ATIVIDADES DO CAF
Recebimento de medicamentos:
 Conferir a nota fiscal*
 Verificar se os volumes estão em bom estado, sem violação
 Verificar o prazo de validade e os lotes dos produtos
 Verificar as condições do transporte, principalmente os termolábeis

*NOTA FISCAL :
 Natureza da Operação,  Quantidade , Lote e validade
 Nome do Destinatário,  Preço Unitário,
 Data da Emissão,  Valor Total,
 Descrição do Medicamento,  Empenho
ATIVIDADES DO CAF
Estocagem: arrumação do material de forma organizada.

Segurança: manter o material sob cuidados contra danos


físicos, furtos.

Conservação: manter assegurada as características dos


produtos, durante o período de estocagem.

Controle de estoque.
ASPECTOS IMPORTANTES
❖Rotatividade do item
❖Carga unitária
❖Ordem de entrada/saída
❖Pallets
❖Prateleiras
❖Empilhamento
❖Ordenação dos estoques
❖Equidistância
FORMAS DE ESTOCAGEM

Estrados/pallets: plataformas horizontais


utilizada na estocagem de produtos de grandes
volumes.

Prateleiras: meio mais simples para estocagem de


produtos leves e de estoques reduzidos.

Empilhamento: armazenamento de caixas


BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM
✓Ordenar os produtos (nome genérico, lote e validade) de
forma que permita fácil identificação.
✓Medicamentos com datas de validade mais próximas devem
ficar à frente.
✓Manter distância entre os produtos, produtos e paredes, teto
e empilhamentos, para facilitar a circulação interna de ar.
✓Não colocar medicamentos em contato com o chão, paredes
e teto.
✓Estocar medicamentos isolados de outros materiais (limpeza,
perfumaria, cosméticos).
BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM
✓Não armazenar produtos diferentes no mesmo estrado ou prateleira
para evitar possíveis trocas na hora da expedição.
✓Manter próximos à área de expedição os produtos de grande
volume e rotatividade.
✓Manter em local seguro os medicamentos de alto custo.
✓Exercer um controle diferenciado dos psicofármacos. Eles devem ficar
em local seguro, sob controle e responsabilidade legal do
farmacêutico.
✓Manter em local separado os produtos inflamáveis, sob condições
especiais.
✓Limpeza: Manter a CAF isenta de pó, lixo, mofo, ferrugem, roedores e
insetos.
BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM
✓Proteger janelas e portas com telas.
✓Empilhamento: não ultrapassar 2m de altura ou
obedecer as recomendações do fabricante.
✓Prateleiras: afastadas da parede e teto.
✓Deve haver equipamentos contra incêndios e manual de
orientação sobre a utilização.
BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM
BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM
EMBALAGENS:
- Cuidados e proteção ao manuseio, no transporte e
armazenamento.
- Conservar o medicamento na embalagem original e
lacrado.

LUMINOSIDADE:
-Evitar incidência de luz solar direta sobre os
medicamentos.
-Utilizar recursos para evitar a entrada da luz solar.
BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM

UMIDADE
-Estocar medicamentos em ambientes com
umidade relativa do ar inferior a 60%
-Reduzir os efeitos da umidade: abrindo janelas,
usando ventilador, ar condicionado, não abrir
embalagens sem necessidade, não armazenar
medicamentos diretamente no chão ou encostados
na parede.
BOAS PRÁTICAS DE ESTOCAGEM
TEMPERATURA
TRANSPORTE

Veículos limpos, ventilados e sem umidade.


Evitar exposição direta à luz solar e calor
excessivo.
Evitar impactos
Medicamentos termolábeis: preferir transporte
noturno, não deixar veículo estacionado ao sol,
utilizar caixas térmicas
INSPEÇÃO
Exame detalhado das especificações técnicas e
características do produto:
-N° do registro no MS e do lote
-Prazo de validade
-Fabricante e farmacêutico responsável
-Volume ou peso, forma farmacêutica
-Concentração e via de administração
-Sinais de umidade ou deterioração
INSPEÇÃO DAS CARACTERÍSTICAS
ORGANOLÉPTICAS
Vidros e plásticos
-Frascos vazios e incompletos, pós, manchas, corpos estranhos, odores
estranhos
Tubos e bisnagas
-Perfurações ou deformações
Ampolas e soros
-turvação, precipitação, mudanças de cor, vazamentos
Sólidos
- Mudanças de cor, rupturas, manchas ou descoloração, odor estranho,
presença de gotículas na parede do recipiente, fusão de comprimidos
ARMAZENAMENTO
IDEAL

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE


ARMAZENAMENTO
IDEAL

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE


ARMAZENAMENTO

IDEAL

FONTE – UBS PONTA GROSSA


ARMAZENAMENTO PROBLEMAS

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE


ARMAZENAMENTO PROBLEMAS

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE


ARMAZENAMENTO PROBLEMAS

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE


ARMAZENAMENTO PROBLEMAS

FONTE: MINISTÉRIO DA SAÚDE


SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO
DE MEDICAMENTOS EM FH
INTRODUÇÃO

Os medicamentos representam uma alta parcela no orçamento dos


hospitais e são de suma importância no tratamento de grande
parte das doenças, justificando com isso, a implementação de
medidas que assegurem o uso racional desses produtos.

Efetiva distribuição dos medicamentos: uma distribuição racional, a


qual consiste em assegurar os produtos solicitados pelos setores na
quantidade e especificação solicitadas, de forma segura e no
prazo estabelecido, empregando métodos de melhor CUSTO,
EFICÁCIA e EFICIÊNCIA.
TIPOS DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

SDM’s

DOSE
COLETIVO MISTO INDIVIDUALIZADO
UNITÁRIA
TIPOS DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

Fatores que interferem na escolha do SDM:

• Supervisão técnica adequada;

• Características do hospital como: complexidade, tipo de edificação


e fonte mantenedora;

• Existência de padronização de medicamentos atualizada;

• Gestão de estoque eficiente;

• Existência de CQ de produtos e processos;

• Manual de normas e rotinas aplicável.


SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO

• Arcaico;
• Medicamentos distribuídos por unidades assistenciais;
• Farmácia: Não sabe para quem é, por quanto tempo
será utilizado e porque está sendo utilizado;
• Farmácia: mero repassador de medicamentos em
suas embalagens originais;
• Assistência ao paciente
prejudicada;
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO

Médico:
Prescreve
Enfermagem:
- Totaliza as prescrições
- Solicita por unidade
assistencial

Farmacêutico:
Distribui

Enfermagem:
- Recebe, prepara,
administra e estoca
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO

• Alto índice de erros

• Principais erros:
I. Duplicação de doses;
II. medicamentos e dosagens incorretos;
III. administração de medicamento não
prescrito.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO

VANTAGENS:

• Grande disponibilidade de medicamentos


nas unidades assistenciais;

• Redução do número de solicitações e devoluções


de medicamentos à farmácia;

• Necessidade de menor número de funcionários na


farmácia.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO

DESVANTAGENS:

• Transcrições das prescrições médicas;

• Falta de revisão da prescrição pelo farmacêutico;

• Consumo excessivo de tempo da enfermagem;

• Uso inadequado de medicamentos nas unidades


assistenciais;
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO COLETIVO

DESVANTAGENS:

• Aumento de estoque nas


unidades assistenciais;

• Perdas de medicamentos;

• Impossibilidade de faturamento real dos gastos


por paciente;

• Alto custo institucional.


SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO

Medicamento é dispensado por paciente, geralmente


para um período de 24h

• Divide-se em:

– Indireto: transcrição da prescrição médica

– Direto: cópia da prescrição médica


Participação do Farmacêutico na
terapêutica medicamentosa
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO
Médico:
Prescreve e envia
cópia da prescrição
para a farmácia Direto

Enfermagem:
- Recebe, prepara, Enfermagem:
administra e estoca - Transcreve

Farmácia:
Farmácia: - Analisa,
- Distribui quantifica, separa e
acondiciona
Farmacêutico:
- Confere a
prescrição e a
separação dos itens
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO

• Os medicamentos são acondicionados e


dispensados da seguinte forma:

✓ Podem ser dispensados de forma desordenada em


embalagens plásticas que são identificadas com etiquetas
contendo o nome da unidade assistencial , número do leito,
nome do paciente;

HUCAM
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO

• Os medicamentos são acondicionados e


dispensados da seguinte forma:

✓ Em embalagens, dispostos segundo o horário de


administração, individualizados e identificados para cada
pacientes e para no máximo 24h;
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO

VANTAGENS:
• Possibilidade de revisão das prescrições
médicas;

• Maior controle sobre o medicamento;

• Redução de estoques nas unidades assistenciais;

• Pode estabelecer devoluções;

• Permite faturamento mais apurado do gasto por


paciente.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO INDIVIDUALIZADO

DESVANTAGENS:
• Erros de distribuição e administração de
medicamentos;

• Consumo maior de tempo de enfermagem;

• Necessidade dos enfermeiros de cálculos e


preparo de doses;

• Perdas de medicamentos devido a desvios,


caducidade e uso inadequado.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO MISTO

MISTO COLETIVO INDIVIDUALIZADO

Serviços (radiologia,
endoscopia, Unidades de
ambulatórios, urgência internação
...)
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

Distribuição ordenada dos medicamentos com


formas e dosagens prontas para serem
administradas a um determinado paciente de
acordo com a prescrição médica, num certo
período de tempo.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

Oferece melhores condições para um adequado


seguimento da terapia medicamentosa do
paciente.
É mais seguro para o paciente, reduz incidência
de erros, utiliza mais efetivamente os recursos
financeiros e é mais eficiente e econômico.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

• Nesse sistema a prescrição ou a cópia da prescrição


chega a farmácia, é entregue ao farmacêutico, o qual
traça o perfil farmacoterapêutico do paciente em
questão;

• O farmacêutico realiza ainda a farmacovigilância


avaliando a possível ocorrência de
interações medicamentosas, qualquer
incompatibilidade ou interação deve ser
relatada à equipe médica.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

Médico:
Prescreve
Enfermagem:
- Encaminha a
prescrição
Enfermagem:
- Confere e administra os Farmácia:
medicamentos - Faz a triagem (analisa
horários de adm,
quantidades, doses, etc)
Farmacêutico:
Confere o trabalho do auxiliar; Farmacêutico:
Encaminha os medicamentos - Analisa a prescrição
e elabora o perfil
Auxiliar de
farmacoterapêutico
Farmácia:
- Prepara as doses
unitárias
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

VANTAGENS:
• Identificação do medicamento até a sua
administração;

• Redução DRÁSTICA da incidência de erros de


administração;

• Redução do tempo de enfermagem com


atividades relacionadas a medicamentos;

• Menor estoque nas unidades assistenciais;


SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

VANTAGENS:
• Otimização do processo de devoluções;

• Auxílio no controle de infecções hospitalares;

• Adaptabilidade a sistemas automatizados;

• Faturamento mais exato do consumo de


medicamentos por paciente;

• Maior segurança no cumprimento das prescrições;


SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

VANTAGENS:
• Participação efetiva do farmacêutico na definição
da terapêutica medicamentosa;

• Redução do espaço destinado a guardar


medicamentos nas unidades assistenciais;

• Melhoria da qualidade da
assistência prestada ao paciente.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA

DESVANTAGENS:
• Dificuldade de obtenção de todas as
formas e dosagens para uso unitário;

• Resistência dos serviços de enfermagem;

• Maior necessidade de RH e Infraestrutura;

• Necessidade de aquisição de materiais e


equipamentos específicos;

• Alto investimento financeiro inicial.


SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA
Requisitos para implantação do SDMDU:

 Farmacêutico hospitalar específico;

 Laboratório de farmacotécnica;

 Central de preparação estéreis;

 Padronização de medicamentos;

 Dispositivos para entrega de doses unitárias (carrinhos, cestas e


outros);

 Máquinas de soldar plásticos;

 Material de embalagem, envelopadora, envasadora, etc.


SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO POR DOSE UNITÁRIA
ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Modelo do Queijo Suíço


ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Utilização de abreviaturas não Transcrição da prescrição


padronizadas médica

“manter prescrição” Falta de conhecimento amplo


sobre estabilidade,
incompatibilidade e
Ordens médicas verbais armazenamento de
medicamento por parte da
enfermagem

Nomes comerciais e/ou Prescrições médicas


fármacos com grafias incompletas e confusas
semelhantes
Má qualidade da gráfica médica
ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Fonte: Ribeiro, 1992.


ERROS DE DISTRIBUIÇÃO E ADMINISTRAÇÃO DE MEDICAMENTOS

REDUÇÃO DE ERROS NO SDMDU


A dose do medicamento é embalada, identificada e distribuída
pronta para ser administrada ao paciente, de acordo com a
prescrição médica;

Na unidade assistencial estarão estocados somente os medicamentos


que atendem os casos de emergência, anti-sépticos e as doses
necessárias para suprir as próximas 24 horas de tratamento do
paciente;

Dupla conferência do medicamento


pela farmácia e equipe de enfermagem.
Fonte: Ribeiro, 1992.
MEDICAMENTOS DE EMERGÊNCIA

Todas as unidades assistenciais deverão manter em local de fácil


acesso um estoque de medicamento para ser usado em situações de
emergência.

É importante que se determine a necessidade de controle deste


estoque, de forma a mantê-lo sempre atualizado e sua reposição
deve ser feita mediante prescrição médica em nome do paciente
que utilizou o medicamento.
SISTEMA DE DISTRIBUIÇÃO CENTRALIZADO E DESCENTRALIZADO

• Sistema Centralizado: distribuição concentrada em


uma única área física, atendendo todas as unidades
assistenciais;

• Sistema Descentralizado: existe mais de uma unidade


de distribuição localizada em locais estratégicos
destinados a demandas especiais de medicamentos.

 Farmácias Satélites!
Centro cirúrgico
Centro obstétrico
Quimioterapia
SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

HUCAM – HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CASSIANO ANTÔNIO DE MORAES - UFES


SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

HUCAM
SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTOS

HUCAM
Próxima aula: PROVA
QUESTÃO DE PROVA:

UFJF – EBSERH –AOCP – 2015 O sistema de distribuição de medicamentos adotado pela


farmácia do hospital interfere diretamente na qualidade do serviço farmacêutico prestado
na instituição. Qual das alternativas a seguir é uma vantagem do sistema de distribuição
por dose unitária?

a) Grande disponibilidade de medicamentos nas unidades de internação.

b) Redução nas solicitações de medicamentos à farmácia.

c) Redução na incidência de erros de medicação.

d) Necessidade de menor número de funcionários na farmácia.

e) Maior tempo gasto pela enfermagem no preparo dos medicamentos.


QUESTÃO DE PROVA:

UFJF – EBSERH –AOCP – 2015 O sistema de distribuição de medicamentos adotado pela


farmácia do hospital interfere diretamente na qualidade do serviço farmacêutico prestado
na instituição. Qual das alternativas a seguir é uma vantagem do sistema de distribuição
por dose unitária?

a) Grande disponibilidade de medicamentos nas unidades de internação.

b) Redução nas solicitações de medicamentos à farmácia.

c) Redução na incidência de erros de medicação.

d) Necessidade de menor número de funcionários na farmácia.

e) Maior tempo gasto pela enfermagem no preparo dos medicamentos.