You are on page 1of 5

Exemplos de Mecânica 1

Prova 1
Exercício 1.1

Mostre que a constante de mola equivalente em série e paralelo é dado respectiva-


mente por:
1 1 1
= + e keq = k1 + k2
keq k1 k2

Exercício 1.2

Uma partícula movendo-se ao longo de uma linha reta acelera de acordo com a =
-ks, onde a aceleração é m/s2. k = 4s−2 e s é a distância em metros. Se a partícula
começa na posição = 3 m, com uma velocidade inicial vo = -8 m/s, amabas no
tempo t = 0, determine e traçe a posição e velocidade da partícula em função do
tempo. Como a aceleração esta em função da posição utilizaremos a formula:

A.dx = v.dv

A integrando em ambos lados temos:


Z x Z v
A.dx = v.dv
xo vo

Substituindo o A como -4x


Z x Z v
−4x.dx = v.dv
xo vo

Após realizar a integral temos:

v 2 vo2
−2x2 |xxo = −
2 2
1
Como os valores dados são xo=3,vo=-8 substituindo obtemos:

v2
−2x2 + 18 = − 32
2
Isolando v obtemos:

v= 100 − 4x2

Tendo isso iremos utilizar a formula: v = dx dt


,pois relaciona a posição com o
tempo.
A integrando em ambos os lados obtemos:
Z t Z x
dx
dt =
to xo v

Agora substituindo v = 100 − 4x2 temos:
Z t Z x
dx
dt = √
to xo 100 − 4x2
Isolando o 4 para usarmos substituição:
Z t Z x
dx
dt = p
to xo 4(25 − x2 )
Z t Z x
dx
dt = p
2
to xo 2 (25 − x )
x
Substituindo u = 5
logo dx = 5du:
Z t Z x
5du
dt = p
to xo 2 (25 − 25u2 )
= Z t Z x
1 du
dt = . p
to 2 xo (1 − u2 )
E isso é uma integral padrão: =
Z t
1
dt = .arcsen(u)|xxo
to 2
x
Como u = 5
substituindo temos:
Z t
1 x
dt = .arcsen( )|xxo
to 2 5
Logo temos que:
t
arcsen( x5 ) − arcsen( xo )
Z
5
dt =
to 2
Entao:
arcsen( x5 ) − arcsen( xo
5
)
t − to =
2
Mas como o tempo inicial é igual a 0:
arcsen( x5 ) − arcsen( xo
5
)
t=
2
E como a posição inicial é igual a 3:
arcsen( x5 ) − arcsen( 35 )
t=
2
Isolando arcsen( x5 ):
3 x
2t + arcsen( ) = arcsen( )
5 5
3
Substituindo arcsen( 5 ) por aproximadamente 0,644 rad:
x
2t + 0, 644rad = arcsen( )
5
Aplicando seno em ambos os lados:

5.sen(2t + 0, 644rad) = x

Substituindo o x encontrado, em v, para obter a velocidade em função do tempo:


p
v = 25 − 25sen2 (2t + 0, 644rad)
p
v = 5 1 − sen2 (2t + 0, 644rad)

Exercício 1.3

No instante em que um semáforo fica verde, um carro parte do repouso com uma
aceleração constante de 3, 0ms−2 . Assim que a luz fica verde, um ônibus, viajando
com uma velocidade constante de 1, 6 × 101 ms−1 , passa o carro. O carro acelera e
passa pelo ônibus algum tempo depois. Até que ponto da estrada o carro viajou,
quando o carro passa pelo ônibus?

• Consideremos s0 = 0 em t0 = 0 tanto para o carro quanto para o ônibus.



a −2
(carro) = 3ms
• Dados:
1
(onibus) = 1, 6 × 10
v

• Temos que a ultrapassagem do carro pelo onibus se dá quando a posição final


de ambos coincidirem ou seja ∆s(onibus) = ∆s(carro) ou simplesmente s(onibus) =
s(carro) pois s0 = 0 para ambos.

1. Ônibus

ds
Tomamos v = ⇔ v dt = ds (com a velocidade constante)
dt
Z t Z s Z t Z s
⇒ v dt = ds ⇔ v dt = ds ⇔ v · t = ∆s (1)
0 s0 0 s0
2. Carro
dv
a) Tomamos a = ⇔ a dt = dv (com a aceleração constante)
dt
Z t Z v Z t Z s
⇒ a dt = dv ⇔ a dt = dv ⇔ a · t = ∆v
0 v0 0 v0

⇒ a · t = v − v0 ⇔ v = v0 + a · t (*)
ds
b) Usando v = ⇔ v dt = ds (substituindo v por (*))
dt
Z t Z s Z t Z t Z s
⇒ (v0 + a t) dt = ds ⇔ v0 dt + a t dt = ds
0 s0 0 0 s0

1
⇒ ∆s = v0 t + a t2 (2)
2
Igualando ∆s(onibus) em (1) com ∆s(carro) em (2) temos:
1
⇒ v(onibus) t = v0(carro) t + a(carro) t2
2

Simplificando, tomando v0(carro) = 0 e dividindo ambos os lado por t pois t = 0 não


nós interessa, logo descartamos esta solução.

1
⇒ v(onibus) = a(carro) t
2
Substituindo os dados do problema temos:
3
⇒ 1, 6 × 101 = t
2
32
⇒ t= ⇒ t = 10, 667 s
3
Distância percorrida pelo carro:
1 3
⇒ ∆s = a(carro) t2 ⇒ ∆s = (10, 667)2
2 2
⇒ ∆s = 170, 677 m

Logo temos que a ultrapassagem se dá 10,667 s depois da abertura do semáforo, até


a ultrapassagem o carro percorre 170,677 m.

Exercício 1.4

Uma partícula movendo-se ao longo de uma linha reta acelera com a = 2 t, onde a
aceleração de a é, em m/s2 e t é o tempo em segundos. Se a partícula começa na
posição = 3 m, com uma velocidade inicial vo = -5 m/s, ambas no tempo t = 0,
determine e traçe a velocidade e posição em função do tempo.

Dados: a =2t; x0 = 3 m;v0 = -5 m/s; t0 = 0.


dv
Sabemos que a = , reorganizamos teremos que dv = adt. Integrando a formúla
dt
reorganizada em ambos os lados, teremos:
Z v Z t
dv = adt
v0 t0

Substituindo a = 2t e resolvendo a integral, teremos:


Z v Z t
dv = 2tdt
v0 t0

v|vv0 = t2 |t0
v − v0 = t2
Como v0 = -5 m/s, teremos:
v + 5 = t2
Então:
v = t2 − 5
Dessa forma, temos a equação que relaciona a velocidade em função do tempo.

Agora relacionaremos a posição em função do tempo.


dx
Sabemos que v = , reorganizamos teremos que dx = vdt. Integrando a formúla
dt
reorganizada em ambos os lados, teremos:
Z x Z t
dx = vdt
x0 t0

Substituindo v = t2 − 5 e resolvendo a integral, teremos:


Z x Z t
dx = (t2 − 5)dt
x0 t0

t3 t
x|xx0 = [−5t + ]
3 0
t3
x − x0 = −5t +
3
Como x0 = 3 m, teremos:
t3
x − 3 = −5t +
3
Organizando:
t3
x = 3 − 5t +
3
Dessa maneira, obtemos a equação que relaciona a posição em função do tempo.