Sie sind auf Seite 1von 4

MAURO PIMENTEL / AFP / CP

ANO 123 | Nº 330


PORTO ALEGRE, DOMINGO, 26/8/2018
SC, PR - R$ 3,00 | RS - R$ 2,15

Fugindo da crise,
os imigrantes buscam
melhores condições de
vida em outros países
latino-americanos, mas nem
sempre são bem recebidos

NA ROTA DOS
VENEZUELANOS
REPRODUÇÃO / CP ANTONIO GUILLEM / SHUTTERSTOCK / CP

HOMENAGEM O DESAFIO DA JUVENTUDE


À ANIMAÇÃO EDUCAÇÃO CONECTADA
Livro traz a relação Especialista fala Pesquisa mostra
de 100 filmes de sobre as que jovens querem
destaque na dificuldades da empreender não
história da educação e os apenas em busca
animação do caminhos para de dinheiro, mas
cinema brasileiro melhorar de inovação
PÁGINA 10 PÁGINA 5 PÁGINA 4
REPORTAGEM 6 | CORREIO DO POVO +DOMINGO | 26/8/2018

MAURO PIMENTEL / AFP / CP


Nem tão hospitaleiro

A crise migratória continua se


intensificando na Venezuela,
fazendo com que países vizinhos
comecem a impor restrições
à entrada dos venezuelanos.
Enquanto isso, a ONU pede
que as nações continuem
acolhendo as pessoas

A
notícia da última sexta-feira, forças políticas tenebrosas que se empe- ta (RR), onde foi montado um acampa- Casos de xenofobia
que consolida as informações nham em passar por cima das dificulda- mento de imigrantes venezuelanos. Se- têm sido registrados
sobre quantos e para onde se- des do povo e aproveitar a xenofobia, gundo ele, no início, havia ajuda, mas ela em vários países
rão enviados os venezuelanos que a cada dia é mais forte, como elemen- foi diminuindo com o passar do tempo. latino-americanos,
que vêm para o Rio Grande do Sul, le- to válido para as eleições”, denunciou. Comerciantes do entorno, por exemplo, inclusive no Brasil,
vanta perguntas sobre o contexto de fechavam os registros para os imigrantes especialmente
migração dos nossos vizinhos. Em vá- XENOFOBIA NO BRASIL não retirarem água. “Lutamos muito pa- na fronteira com
rios países da América Latina, a onda ra estar aqui.” O objetivo de Sifontes é a Venezuela
de xenofobia causa preocupação. Além da hostilidade dirigida aos imi- conseguir um emprego e, quem sabe, fu-
A ONU fez um apelo às nações lati- grantes, chamados de “praga” por mui- turamente vender geleias. Com isso, pode-
no-americanas para que continuem tos brasileiros, agentes sociais que traba- ria trazer a filha e a mulher para o Bra-
acolhendo a população da Venezuela e lham na assistência aos venezuelanos sil. “Só peço um trabalho, mais nada”,
denunciou as novas exigências nas também já foram vítimas de preconceito. diz o homem, que garante ter 22 anos de
fronteiras implementadas pelo Equa- Ricardo Rinaldi, coordenador de emer- experiência na área. “Aqui somos nada,
dor e o Peru. Mas a Organização pare- gências e assistência humanitária da estudamos para nada. Na Venezuela, te-
ce ser uma das poucas vozes a favor ONG Fraternidade, que abriga venezuela- ria emprego em qualquer restaurante.”
dessa população, exposta a rejeições nos em Boa Vista (RR), relata as dificul- Do total de 287 venezuelanos que che-
ou agressões nos territórios vizinhos dades de lidar com a população local. garam a São Paulo desde o início do pro-
para onde fogem da crise econômica “Às vezes, a gente para nosso carro e cesso de interiorização, 212 estão em
vivida há mais de dois anos e que está eles dizem: ‘Vocês estão ajudando essas abrigos municipais. Dois grupos de imi-
tendo seu auge em 2018. “Simplesmen- pessoas que não merecem ser ajuda- grantes que foram acolhidos em 6 de
te estamos pedindo ajuda humanitá- das’”, contou Rinaldi. Segundo os técni- abril e 4 de maio receberam documenta-
ria”, lamenta o venezuelano José Anto- cos que trabalham com os imigrantes, as ção brasileira, CPF e Carteira de Traba-
nio Estévez. críticas são ainda maiores na fronteira, lho. Pela prefeitura, foram capacitados
O que muitos enfrentam, porém, é a onde ocorreram as agressões. “Em Paca- 135 imigrantes para o Programa Traba-
discriminação. “Forças políticas tene- raima, a situação é pior. A população lá lho Novo e 75 foram contratados por di-
brosas” exacerbam “com discursos de tem um grau de xenofobia maior, parece. versas empresas.
ódio” as tensões migratórias no Bra- A nossa equipe já foi muito insultada por
sil, antes de complicadas eleições, afir- algumas pessoas”, relatou Ana Maria Mo-
ma Jesús López de Bobadilla, pároco reira Bruzzi, gestora de relações institu- APELO ÀS POTÊNCIAS
de Pacaraima (RR), localidade frontei- cionais da Fraternidade.
riça onde, no último sábado, ocorre- As histórias de preconceito são mui- Em um comunicado conjunto, o Alto
ram violentos ataques contra refugia- tas, especialmente relacionadas ao mer- Comissário das Nações Unidas para os
dos venezuelanos. “O episódio foi pla- cado de trabalho. Por três meses, o chef Refugiados, Filippo Grandi, e o diretor-
nejado, não foi uma ação espontânea. de cozinha Jesus Sifontes, de 45 anos, vi- geral da Organização para as Migra-
Não tenho a menor dúvida. Existem veu na Praça Simón Bolívar, em Boa Vis- ções, William Lacy Swing, pediram apoio
26/8/2018 | CORREIO DO POVO +DOMINGO | 7

maior da comunidade internacional à me-


dida que o êxodo aumenta. A Colômbia,
que recebeu mais de 1 milhão de venezue-
lanos nos últimos 16 meses, e regularizou
temporariamente 820 mil deles, denunciou
a falta de apoio de seus vizinhos.
Segundo a OIM e o ACNUR, dos 2,3 mi-
lhões de venezuelanos que vivem no exte-
rior, mais de 1,6 milhão fugiram desde
2015, quando o país mergulhou em uma
grave crise econômica e política. Noventa
por cento deles se refugiaram em países
da região. Segundo a ONU, muitos "não
têm capacidade de atender aos requisitos
de documentação e, portanto, correm
maior risco de exploração, tráfico e vio-
lência". "Reconhecemos os crescentes de-
safios enfrentados pela chegada em gran-
de escala dos venezuelanos", admitiu
Grandi, enfatizando "que é essencial que
qualquer nova medida continue a permi-
tir que aqueles que precisam de proteção
internacional, que precisam de seguran-
ça, possam fazer seu pedido de asilo". O
Equador, país de passagem para muitas
pessoas tentando chegar ao Peru, Chile
ou Argentina, convidou os ministros das
Relações Exteriores de 13 estados da re-
gião, incluindo a Venezuela, para uma
reunião nos dias 17 e 18 de setembro pa-
ra discutir este importante fluxo de pes-
soas. Na quarta-feira, a Colômbia anun-
ciou que proporá à ONU a designação de
um enviado especial para coordenar uma
resposta regional à crise causada pela
migração incomum de venezuelanos em
todo o continente, informou o ministro
das Relações Exteriores, Carlos Holmes
Trujillo. A autoridade colombiana anteci-
pou que o governo levará a proposta pa-
ra a próxima Assembleia Geral das Na-
ções Unidas.
As principais agências da ONU pedem ca, como está ocorrendo no estado brasi-
que países de fora da América do Sul leiro de Roraima. No comunicado assina-
passem a ajudar na crise de refugiados do pelos chefes dos dois órgãos da ONU,
venezuelanos, em uma clara indicação Filippo Grandi e William Lacy Swing, as
de que os países da região já não estão entidades reconhecem os esforços feitos
dando conta do fluxo. O que as entidades por Brasil, Colômbia, Peru, Equador e ou-
querem é que outras nações se apresen- tros países no recebimento dos refugia-
tem como possíveis locais para relocaliza- dos. Mas admitem que estão "preocupa-
ção desses refugiados, o que permitiria dos" com recentes políticas adotadas na
desafogar parte dos países de fronteira região, "afetando refugiados e migrantes
da Venezuela. Negociações estão ocorren- da Venezuela". "Isso inclui novas exigên-
do nos bastidores com governos euro- cias para cruzar a fronteira no Peru, as-
peus e norte-americanos para buscar lo- sim como mudanças nas autorizações de + CONTEÚDO
cais para esses venezuelanos, da mesma estada temporária para venezuelanos", Aponte a câmera do seu smartphone
forma que foi feito com os refugiados sí- declararam as entidades. Swing apelou para o QR Code ao lado e confira vídeo
sobre a situação dos imigrantes venezuelanos
rios que se acumulavam no Líbano, Jor- para que os países continuem a manter
dânia e Turquia. Além disso, as entida- suas fronteiras abertas. "Confiamos que
des solicitam um socorro financeiro, dian- essas demonstrações de solidariedade
te da pressão que o fluxo está causando continuem no futuro", disse. De acordo
para os países sul-americanos em termos com eles, uma preocupação especial se
de gastos públicos. refere às populações mais vulneráveis,
A estimativa é que esse fluxo possa como adolescentes, mulheres, crianças
ganhar força nos próximos meses, colo- que cruzam as fronteiras sozinhas ou
cando locais de fronteira e cidades intei- pessoas que estejam tentando encontrar
ras sob intensa pressão social e econômi- suas famílias.

Mais

Agrobot
que
A hora certa para uma consultoria Digital
especializada é sempre que você precisar.
Baixe o app Agrobot. O primeiro consultor
virtual de agronegócios do mercado.

Visite nosso estande na Expointer e faça bons negócios.


De 25 de agosto a 2 de setembro, em Esteio/RS.
Só o maior parceiro do agronegócio oferece, em todas as etapas da
produção, a agilidade e a modernidade que o produtor rural precisa.
8 | CORREIO DO POVO +DOMINGO | 26/8/2018

RIO GRANDE DO SUL ACOLHE VENEZUELANOS


HENRIQUE MASSARO

Os venezuelanos que estão em Roraima o resultado dessa mescla. Com certeza, neiros dessa área e também de recrea-
começarão a chegar no Rio Grande do Sul os venezuelanos contribuirão na constru- ção e lazer, para que as crianças pos-
no dia 6 de setembro. Ao final do processo ção dessa nossa cultura, do nosso pro- sam ser atendidas. Outro aspecto im-
de interiorização, eles se dividirão em gru- gresso”, destacou. portante identificado foi a localização
pos de 221 e 425 pessoas em Esteio e Ca- Ainda não se sabe o valor da verba pa- de escolas próximas aos abrigos. Já as
noas, municípios da Região Metropolitana ra manter as hospedagens nos municí- Unidades Básicas de Saúde (UBSs)
de Porto Alegre que foram visitados na úl- pios, explicou a representante do Acnur, ainda serão referenciadas e a assistên-
tima sexta-feira pelos ministros do Desen- Isabel Marques. Afirmou apenas que os cia social funcionará de forma itineran-
volvimento Social, Alberto Beltrame, e che- recursos estão sendo negociados e se che- te, diretamente nos alojamentos.
fe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O Alto Co- gará a um acordo. Segundo ela, será pro- Para o prefeito de Canoas, Luiz Car-
missariado das Nações Unidas para os Re- videnciado não somente o aluguel, mas los Busato, a possibilidade chegou de
fugiados (Acnur) destinará às prefeituras, também complementos para as necessida- repente, mas também sem ir além da
respectivamente, R$ 530,4 mil e R$ 1,02 mi- des das prefeituras. Destacou também o capacidade do município. De acordo
lhão, por meio do governo federal, para trabalho da Associação Antônio Vieira (A- com ele, a cidade conta com um progra-
manter os imigrantes e refugiados por um sav), que trabalha com o Alto Comissaria- ma chamado Gerações, que emprega
período de seis meses. do há 15 anos e será responsável pelo pessoas com mais de 60 anos que estão
O ministro Beltrame disse que, no dia acompanhamento dos venezuelanos. aposentadas. Vamos fazer um chama-
6, os primeiros 125 venezuelanos devem O prefeito de Esteio, Leonardo Pas- mento de professores de português, as-
chegar aos municípios. De acordo com coal, disse que, de maneira nenhuma, os sistentes sociais que hoje estão em ca-
ele, os recursos vão ser adiantados antes 221 venezuelanos que chegarão ao muni- sa e não têm oportunidade. Fazer do li-
mesmo da chegada, para que as prefeitu- cípio sobrecarregarão qualquer um dos mão, uma limonada”, disse. Há, ainda,
ras já possam se preparar. Explicou tam- serviços essenciais. De acordo com ele, um banco de oportunidades semelhan-
bém que o período de seis meses poderá nesse primeiro momento existe uma ne- te ao Sine, que poderá oferecer vagas
ser renovado, mas que o governo federal cessidade de esforço para promover o de empregos aos venezuelanos.
estima que o tempo seja até mesmo infe- acolhimento. Será preciso, por exemplo, A oficialização da vinda também foi
rior a isso, porque os 820 imigrantes e re- identificar o nível de estudo de cada repentina para o governo do Estado.
fugiados que já foram interiorizados no criança, a situação de saúde e uma adap- De acordo com a secretária do Desen-
país até aqui levaram apenas de dois a tação ao idioma para todos. “Mas não exi- volvimento Social, Trabalho, Justiça e
três meses para deixar os abrigos. ge que tenha que fazer uma super amplia- Direitos Humanos, Maria Helena Sarto-
“O Brasil tem sido para eles uma espe- ção da nossa estrutura dentro dessas ri, o aviso da vinda dos ministros foi
rança e um paraíso até mesmo, porque áreas”, disse. Na atual oferta de serviços feito somente quinta-feira. Explicou
diante das dificuldades que eles têm en- do município, conforme o prefeito, já fo- que o Executivo disponibilizará a Fun-
frentado lá, o povo brasileiro os tem aco- ram identificadas diversas formas de dação Gaúcha do Trabalho e Ação So-
lhido de forma muito calorosa e gentil, atendimento aos venezuelanos. Há, por cial (FGTAS) e o Sine, mas que o aco-
buscando sempre a integração com essas exemplo, um programa chamado Conta lhimento fica a cargo dos municípios.
pessoas através da cultura, da língua”, Comigo, através do qual mais de 400 pes- Beltrame disse que o Rio Grande
disse o ministro. De acordo com Beltra- soas cadastrados dão oficinas de língua do Sul tem poucos abrigos e, em fun-
me, várias empresas já se colocaram à portuguesa para idosos analfabetos e ção disso, começaram ser verificados
Em Pacaraima, disposição para empregar os estrangei- que já manifestaram interesse em ensi- imóveis desalugados e desocupados.
Roraima, crianças ros e diversas pessoas se voluntariaram nar o idioma para os estrangeiros que Os espaços foram encontrados em Es-
venezuelanas para ensinar a língua portuguesa aos imi- chegarem nas próximas semanas. teio e Canoas, onde, de acordo com
tiram fotos em grantes e refugiados. “O Rio Grande do Os recursos vindos do Alto Comissaria- ele, houve inclusive mobilização por
monumento na Sul é especialista nisso. Nós somos um do das Nações Unidas para Refugiados, parte de empresários locais. Ainda se-
fronteira entre caldeirão de etnias, culturas diferentes e ainda segundo Pascoal, devem ser direcio- gundo o ministro, outros locais, não só
os dois países todos formamos, aqui, esse estado que é nados para contratações de novos ofici- no Estado, estão sendo buscados.

MAURO PIMENTEL / AFP / CP