Sie sind auf Seite 1von 10

OPERAÇÕES COM FRAÇÕES

Potenciação: significa multiplicar um número real (base) por ele


mesmo X vezes, onde X é a potência (número natural). Exemplo:
32 (leia-se "três elevado ao quadrado", ou "três elevado à segunda
potência" ou ainda "três elevado à dois").

No exemplo, precisamos multiplicar o 3 por ele mesmo. Ficando: 3.3


= 9.

Então 33 = 3 . 3 . 3 = 3 . 9 = 27

Algumas outras definições que podem ser utilizadas:

a1 =a
a0 = 1, a ≠ 0

Propriedades
1 - Multiplicação de potências de bases iguais = mantenha a base e
some os expoentes:

an . am = an+m

2 - Divisão de potências de bases iguais - mantenha a base e subtraia


os expoentes:

(an) / (am) = an-m , "a" diferente de zero.

3 - Potência de potência = mantenha a base e multiplique os


expoentes:

(am)n = am . n
Atenção
As potências abaixo NÃO são iguais:

(am)n e 𝑎𝑚 𝑛

na primeira, resolvemos o que está entre parênteses primeiro, já na


segunda, nós devemos elevar m à n, e depois
elevar a ao resultado da operação anterior.

4 - (a . b)n = an . bn

5 - (a/b)n = an/bn , "b" diferente de zero.

Potenciação com números negativos


Observe os exemplos abaixo:

(-3)2 =9
-32 = -9

O sinal de negativo ( - ) na frente do três, só fará parte da


potenciação quando estiver dentro de um parêntese, caso contrário,
ele continua no seu lugar no resultado.

Porém, no primeiro exemplo, o expoente é 2, número par, por isto o


negativo do 3 ao final se transforma em positivo. Se fosse 3, o
resultado seria negativo:
(-3)3 = (-3) . (-3) . (-3) = 9 . (-3) = -27

se tirarmos os parênteses

-33 = - 3 . 3 . 3 = -9 . 3 = -27

RADICIAÇÃO
Uma raiz nada mais é que uma operação inversa à potenciação,
sendo assim, ela é utilizada para representar, de maneira diferente,
uma potência com expoente fracionário.

Exemplos
Raiz com índice par

Para um número real a positivo, com n sendo um número natural par


e positivo, maior que 1, tem-se um b, tal que, se = b, então bn =
a, onde a é o radicando, n é o índice, b é raiz e √ é o radical.
Com .

Nenhum valor de a negativo (-a) tem definição nesse caso.

Observação: quando o índice não aparecer no radical, isso indica


que n = 2 e teremos uma raiz quadrada.

Exemplos:

Raiz com índice ímpar

Sendo a um número real, positivo ou negativo, com m sendo um


número natural ímpar e positivo, maior que 1, tem-se um b, tal que,
se , então bm = a, onde a é o radicando, m é o índice, b é raiz
e √ é o radical. Com .

Nesse caso é possível obtermos raízes negativas dentro do


conjunto dos números reais (ℝ).

Exemplos:

Propriedades
1. Para o radicando que tenha, como resultado de uma
fatoração, expoente igual a seu índice, então este radicando
é igual à raiz procurada.

Exemplos:

2. Podemos dividir o radicando e o índice por um mesmo


número real, desde que este seja diferente de zero e maior
que um, e divisor comum do radicando e do índice.

Exemplos:

3. Para resolvermos a raiz m-esima de uma raiz n-ésima,


multiplicamos os índices entre si mantendo intacto o radical
interno.

Exemplos:

4. A raiz n-ésima de um produto é igual ao produto das raízes

n-ésimas.
Exemplos:

5. A raiz n-ésima de um quociente (divisão) de a por b é igual


ao quociente entre as raízes n-ésimas.

Exemplos:

7. Definição de Fatoração
A fatoração é a transformação da soma e/ou subtração de vários termos em um produto
de diversos fatores.
Vejamos alguns exemplos onde temos alguns dos principais tipos de fatoração:

Na sequência vemos como tratar cada um destes tipos de fatoração em particular.


A fatoração é um recurso que utilizamos na simplificação de sentenças matemáticas.
Quando for o caso, podemos utilizá-la na simplificação de uma fração ou de uma
equação, por exemplo.

Fator Comum: ax + bx = x(a + b)


A forma mais básica de fatoração é a colocação de fatores comuns em evidência.
No exemplo abaixo o fator 5 é comum a todos os termos e por isto é possível colocá-lo
em evidência:

Colocamos o fator 5 em evidência o destacando e o multiplicando pela a expressão


quociente da divisão da sentença original por tal fator, inserida entre parênteses:

Exemplos

Agrupamento: ax + bx + ay + by = (a + b)(x + y)
No tipo de fatoração por agrupamento não temos um fator que é comum a todos os
termos, no entanto temos fatores que são comuns a alguns termos e outros fatores que
são comuns a outros termos.
Vejamos o exemplo abaixo:

Note que o fator x é comum aos dois primeiros termos, assim como o fator y é comum
aos dois últimos termos, então podemos colocá-los em evidência:

Veja que ainda temos o fator (4 + 6) em comum e que também pode ser colocado em
evidência:

Assim sendo:

Obviamente, como mostrado abaixo, podemos continuar os cálculos somando 4 com 6,


mas o foco aqui é a fatoração em si:
No lugar dos fatores x e y, poderíamos evidenciar os fatores 4 e 6, visto que ambos são
comuns ao fatores 4x e 4y, no caso do 4 e 6x e 6y, no caso do 6:

E ao colocarmos o fator (x + y) em evidência, chegamos ao mesmo resultado obtido


anteriormente, apenas com uma mudança na ordem dos fatores, que como sabemos não
altera o produto:

Exemplos

Diferença de Dois Quadrados: a2 b2 = (a + b)(a - b)


Este os próximos quatro tipos de fatoração que veremos estão relacionados
aos produtos notáveis. Aos estudá-los vimos que o produto da soma pela diferença de
dois termos nos leva à diferença de dois quadrados, então podemos utilizar de forma
inversa este conhecimento na fatoração da diferença de dois quadrados.
Vejamos este exemplo na sequência:

Visto que a2 - b2 = (a + b)(a - b), podemos realizar a fatoração como a seguir:

Tal fatoração foi realizada se encontrando o valor de a e b, que são respectivamente a


raiz quadrada do primeiro e do segundo termo e então os substituindo em (a + b)(a - b).
Logo:

Exemplos
1)
2)
3)

Trinômio Quadrado Perfeito - Soma: a2 + 2ab + b2 = (a + b)2


Quando desenvolvemos o quadrado da soma de dois termos chegamos a um trinômio
quadrado perfeito, que é o que demonstra a sentença acima, só que temos os membros
em ordem inversa. Então o quadrado da soma de dois termos é a forma fatorada de
um trinômio quadrado perfeito.
Como fatorar o trinômio abaixo?

Se o pudermos escrever como a2 + 2ab + b2 estaremos diante de um trinômio


quadrado perfeito, que fatorado é igual a (a + b)2.
Obtemos o valor de a extraindo a raiz quadrada de x2 no primeiro termo e o valor
de b extraindo a raiz quadrada de 49 no terceiro termo, portanto a = x e b = 7.
Ao substituirmos a por x e b por 7 nos termos do trinômio a2 + 2ab + b2 devemos
chegar a uma variação do trinômio original:
Realizando a substituição de a e b, vamos então analisar a2 + 2ab + b2 termo a termo
para verificar se o polinômio obtido é igual ao polinômio original.
Quando substituímos a por x em a2 chegamos ao x2 original.
Ao substituirmos a por x e b por 7 em 2ab obtivemos 2 . x . 7, equivalente
ao 14x original.
E finalmente substituindo b por 7 em b2 chegamos a 72, equivalente ao 49 do terceiro
termo do polinômio original.
Como foi possível escrever x2 + 14x + 49 na forma a2 + 2ab + b2, então estamos mesmo
diante de um trinômio quadrado perfeito que pode ser fatorado assim:

Portanto:

Se o polinômio em questão não fosse um trinômio quadrado perfeito, não poderíamos


realizar a fatoração desta forma, visto que a conversão
de x2 + 14x + 49 em a2 + 2ab + b2 levaria a um polinômio diferente do original. Por
exemplo, se o trinômio fosse x2 + 15x + 49, o segundo termo 15x iria diferir do segundo
termo obtido via substituição de a e b que é 14x, portanto não teríamos um trinômio
quadrado perfeito.
Note que realizamos uma verificação termo a termo para verificar se realmente
tínhamos um trinômio quadrado perfeito, mas você não precisará fazer tal verificação
quando no enunciado da questão estiver explícito que os polinômios realmente
são trinômios quadrados perfeitos.

Exemplos

2)
3)

Trinômio Quadrado Perfeito - Diferença: a2 - 2ab + b2 = (a - b)2


Assim como o caso da soma visto acima, de forma análoga temos o caso da diferença.
Vejamos este outro trinômio:

Como 2x é a raiz quadrada de 4x2, do primeiro termo, e 5 é a raiz quadrada de 25 do


terceiro termo, podemos reescrevê-lo como a seguir,
substituindo a por 2x e b por 5 temos:

Como os respectivos termos do polinômio original e do polinômio acima são iguais,


temos um trinômio quadrado perfeito:

Portanto, temos realmente um trinômio quadrado perfeito que pode ser escrito na
forma a2 - 2ab + b2 = (a - b)2:

Logo:
Exemplos
1)
2)
3)

Cubo Perfeito - Soma: a3 + 3a2b + 3ab2 + b3 = (a + b)3


Na sentença acima temos um polinômio e a sua forma fatorada, que nada mais é que
o cubo da soma de dois termos.
Se temos um polinômio a3 + 3a2b + 3ab2 + b3 podemos fatorá-lo como (a + b)3.
Vamos analisar o polinômio abaixo:

Nosso objetivo é escrevê-lo na forma a3 + 3a2b + 3ab2 + b3, substituindo a por 7 que é a
raiz cúbica de 343 e substituindo b por 3y que é a raiz cúbica de 27y3:

Como visto nos dois tipos anteriores, também neste tipo e no próximo, se não estiver
claro no enunciado da questão que realmente se trata de um cubo perfeito, precisamos
verificar se todos os membros do polinômio original são iguais aos termos do polinômio
obtido via substituição de a e b em a3 + 3a2b + 3ab2 + b3. Como os respectivos termos
do polinômio original e do polinômio acima são iguais, temos de fato um cubo
perfeito:

Então temos um cubo perfeito que é fatorado como:

Cubo Perfeito - Diferença: a3 - 3a2b + 3ab2 - b3 = (a - b)3


A forma fatorada do polinômio no primeiro membro da sentença acima é o cubo da
diferença de dois termos.
O polinômio a3 - 3a2b + 3ab2 - b3 é fatorado como (a - b)3.
Vamos fatorar a sentença abaixo de forma análoga a que fizemos no tipo de fatoração
anterior:

Extraímos a raiz cúbica de 8a3 que é 2a e de 343b3 que é 7b e então


substituímos a e b respectivamente por 2a e 7bem a3 - 3a2b + 3ab2 - b3:

Como os respectivos termos do polinômio original e do polinômio acima são iguais,


temos um cubo perfeito: