Sie sind auf Seite 1von 12

Teste unidade III 1001 Língua português.

Leia o texto para responder às questões de números 01 a 05.

Os jovens e os dilemas da sexualidade

Atualmente, os jovens estão iniciando a vida sexual mais cedo. A


sexualidade tem sido discutida de forma mais “aberta”, nos discursos pessoais,
nos meios de comunicação, na literatura e artes. Entretanto, essa aparente
“liberdade sexual” não torna as pessoas mais “livres”, pois ainda há bastante
repressão e preconceito sobre o assunto.

Além disso, as regras de como devemos nos comportar sexualmente


prevalecem em todos os discursos, o que se torna uma questão velada de
repressão. O jovem do século XXI é visto como livre, bem informado,
“antenado” com os acontecimentos, mas as pesquisas mostram que, quando o
assunto é sexo, há muitas dúvidas e conflitos.

Desde dúvidas específicas sobre questões biológicas, como as


doenças sexualmente transmissíveis, até conflitos sobre os valores e as
atitudes que devem tomar em determinadas situações. Apesar de iniciarem a
vida sexual mais cedo, os jovens não têm informações e orientações
suficientes. A mídia, salvo exceções, contribui para a desinformação sobre
sexo e a deturpação de valores.

A superbanalização de assuntos relacionados à sexualidade e das


relações afetivas gera dúvidas e atitudes precipitadas. Isso pode levar muitos
jovens a se relacionarem de forma conflituosa com os outros e também com a
própria sexualidade. Enfim, hoje existe uma aparente liberdade sexual. Ao
mesmo tempo em que as pessoas são, em comparação a anos anteriores,
mais livres para fazer escolhas no campo afetivo e sexual, ainda há muita
cobrança por parte da sociedade, e essa cobrança acaba sendo internalizada;
assim, as pessoas acabam assumindo comportamentos e valores adotados
pela maioria.

(www.faac.unesp.br/pesquisa/nos/sexualidade, baseado nos estudos de Ana


Cláudia Bertolozzi Maia. Adaptado.)

01. Considerando os aspectos de concordância e de crase, assinale a


alternativa correta.

(A) Os jovens, da adolescência à vida adulta, muitas vezes se depara com


conflitos referente à sua sexualidade.
(B) O mundo atual oferece muitas informações à seus jovens que, para falar
em sexo, encontram bastante dúvidas.

(C) Dúvidas freqüentes e conflito pode fazer com que o jovem não chegue à
uma exata dimensão da sua sexualidade.

(D) Com informações à disposição, ainda existe dúvidas sobre sexo para o
jovem moderno.

(E) Hoje, assiste-se a uma transformação dos valores relativos à sexualidade


do jovem.

2- No texto, fala-se em aparente liberdade sexual, que deve ser entendida


como

(A) a maneira incisiva e proibitiva como a sociedade hoje, muito mais que em
anos passados, tem agido no que diz respeito à sexualidade dos jovens.

(B) a nova postura dos jovens de hoje, que têm mais liberdade em suas
escolhas, porém as práticas sociais, de certa forma, influenciam de forma
coercitiva seus valores.

(C) a banalização da sexualidade, que faz com que os grupos sociais, nos dias
de hoje, deixem de se importar com questões dessa natureza.

(D) o total descaso da sociedade em relação à vida sexual dos jovens, apesar
dos perigos a que eles estão expostos, como as doenças sexualmente
transmissíveis.

(E) a liberação sexual que incomoda a sociedade e faz com que se cobre muito
mais dos jovens, evitando-se, desse modo, a banalização da sexualidade.

03. De acordo com o texto, é correto afirmar que

(A) os jovens modernos trabalham muito melhor sua sexualidade, pois têm
iniciado sua vida sexual mais cedo.

(B) a mídia tem um papel efetivo na conscientização dos jovens, pois


freqüentemente rechaça valores deturpados.

(C) a sexualidade dos jovens é analisada, sobretudo, pela ótica dos aspectos
físicos e dos valores afetivos.

(D) a liberdade do jovem do século XXI não o exime de vivências problemáticas


quanto à sua própria sexualidade.
(E) a relação entre sexo e afetividade faz com que questões ligadas à saúde
fiquem em primeiro plano para os jovens.

04. Quanto aos sentidos que encerra, a frase — Apesar de iniciarem a vida
sexual mais cedo, os jovens não têm informações e orientações suficientes. —
equivale a

(A) Os jovens iniciam a vida sexual mais cedo, uma vez que não têm
informações e orientações suficientes.

(B) Como os jovens iniciam a vida sexual mais cedo, não têm informações e
orientações suficientes.

(C) Os jovens iniciam a vida sexual mais cedo, mas não têm informações e
orientações suficientes.

(D) Tanto os jovens iniciam a vida sexual mais cedo, que não têm informações
e orientações suficientes.

(E) Os jovens iniciam a vida sexual mais cedo, portanto não têm informações e
orientações suficientes.

05. De acordo com o texto, é correto afirmar que hoje

(A) é flagrante a banalização das relações afetivas e do sexo.

(B) o jovem tem, na realidade, menos liberdade sexual.

(C) a sexualidade do jovem está isenta de preconceito.

(D) a repressão sexual é mais explícita que no passado.

(E) as mudanças sexuais têm sido cada vez mais proteladas.

Leia o texto:

Selinho, sim, mas só para poucos


Primeiro, Hebe Camargo, toda animada, pediu a Sílvio Santos um "selinho"
(beijinho). Não ganhou, "Nem selinho, nem selo, nem selão", ouviu dele,
categórico. Em seguida, Gilberto Gil entrou no palco, de mão estendida para
cumprimentá-lo. O que fez o apresentador? Disse "selinho", esticou os lábios e
zás - tascou um beijinho na boca do músico. A cena foi ao ar de madrugada, no
encerramento do "Teleton", a Maratona beneficiente exibida pelo SBT. Gil ficou
surpreso. Hebe fingiu brabeza e Sílvio riu muito. "Tirei uma onda, foi só uma
bicotinha", diz ele. "Tudo tem uma primeira vez".
(Veja, 07.11.2001, pág. 101.)
O termo "selinho" é bastante utilizado na linguagem atual. Explique que efeito
de sentido o diminutivo desta palavra provoca no contexto do texto.

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
Leia a tira

palavra “supersticiosos” sofre, na forma plural, o processo de metafonia. Outra


palavra que apresenta esse mesmo processo quando flexionada para o plural
ocorre em
A) acordo.
B) bobo.
C) bolso.
D) lobo.
E) olho.

Comente que efeito estilístico o uso dos artigos presentes nos quadrinhos dois
e três provocam no contexto da tirinha .
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
___________________________________________________________

Leia a tira;
A partir da leitura atenta do texto e dos seus conhecimentos sobre a flexão dos
substantivos, assinale a afirmação correta.
A) O plural de “mula sem cabeça” é “mulas sem cabeça”, porque este é um
substantivo composto formado de substantivo + preposição + substantivo.
B) O substantivo mula sem cabeça é um substantivo biforme no que diz
respeito ao gênero da palavra.
C) Ela é um substantivo biforme e simples.
D) Nos três quadrinhos, só se identifica um substantivo simples.
E) A palavra Chico é um substantivo próprio, pois apresenta uma informação
generalizada

Leia a tira:
Nos quadrinhos acima, Charlie Brown e Linus mantinham um diálogo acerca de
planos para o futuro e Linus, ao ser questionado sobre o que desejava ser
quando crescesse, dá uma resposta inesperada, visto que, geralmente, a
pergunta diz respeito a escolhas profissionais.
Na resposta de Linus presente no último quadrinho, o adjetivo “feliz” , indique
em que o grau o mesmo se apresenta, justificando a sua resposta:

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
__

Leia o poema

Paraíba Paraíba do norte, do caboclo forte


Do homem disposto esperando chover
Da gente que canta com água nos olhos
Chorando e sorrindo, querendo viver
Do sertão torrado, do gado magrinho
Do açude sequinho, do céu tão azul
Do velho sentado num banquinho velho
Comendo com gosto um prato de angu
Acende o cachimbo, dá uma tragada
Não sabe de nada da vida do sul
Pê – a – pá
Erre – a – ra – í
Bê – a – bá
Paraíba
Paraíba do norte que tem seu progresso
Que manda sucesso pra todo país
Que sente a presença da mãe natureza
Que vê a riqueza nascer da raiz
Que acredita em Deus, também no pecado
Que faz do roçado a sua oração
E ainda confia no seu semelhante
E vai sempre avante em busca do pão
O pão que é nosso, que garante a vida
Terrinha querida do meu coração
Pê – a – pá
Erre – a – ra – í
Bê – a – bá Paraíba

Cecéu. In: Ramalho, Zé. Duetos. BMG. São Paulo, 2004.


CD-ROM.
Tendo em vista os trechos abaixo, referentes à música lida na questão anterior,
marque a alternativa correta:

“Do sertão torrado, do gado magrinho


Do açude sequinho, do céu tão azul”
A) As palavras em destaque pertencem à mesma classe gramatical e estão no
grau diminutivo para indicar depreciação.
B) As palavras em destaque, apesar de não pertencerem à mesma classe
gramatical, estão no grau diminutivo para indicar apreço.
C) As palavras em destaque pertencem à mesma classe gramatical e estão no
grau diminutivo para indicar intensidade.
D) As palavras em destaque, apesar de não pertencerem à mesma classe
gramatical, estão no grau diminutivo para indicar intensidade.
E) As palavras em destaque, apesar de não pertencerem à mesma classe
gramatical, estão no grau diminutivo para indicar tamanho.

Leia o texto abaixo e observe o uso das palavras destacadas.


O MENINO TONHO
Maria Dinorah
O menino Tonho
mexendo no lixo
achou um sonho
e pôs-se a sonhar.
Com queijo de nuvens,
bolachas de estrela,
pastéis de luar.
O sonho era duro
e estava mofado.
Ele desistiu
de sonhar acordado.
DINARAH, Maria. Barco da sucata. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1986.
As palavras "o" e "um" são chamadas de artigos, pois
A) antecedem os substantivos, indicando características.
B) antecedem os substantivos, definindo-os ou indefinido-os.
C) antecedem os substantivos, expressando quantidade.
D) antecedem os substantivos, evitando repetição de palavras.
E) antecedem os substantivos, indicando ideia de posse.

Leia os poemas
Texto: UM

Soneto VI
Brandas ribeiras, quanto estou contente
De ver-vos outra vez, se isto é verdade!
Quanto me alegra ouvir a suavidade,
Com que Fílis entoa a voz cadente!

Os rebanhos, o gado, o campo, a gente,


Tudo me está causando novidade:
Oh! como é certo que a cruel saudade
Faz tudo, do que foi, mui diferente!

Recebi (eu vos peço) um desgraçado,


Que andou até agora por incerto giro,
Correndo sempre atrás do seu cuidado:

Este pranto, estes ais com que respiro,


Podendo comover o vosso agrado,
Façam digno de vós o meu suspiro.
Cláudio Manoel da Costa

Texto: dois
Soneto
Estes os olhos são da minha amada,
Que belos, que gentis e que formosos!
Não são para os mortais tão preciosos
Os doces frutos da estação dourada.

Por eles a alegria derramada


Tornam-se os campos de prazer gostosos.
Em zéfiros suaves e mimosos
Toda esta região se vê banhada.
Vinde olhos belos, vinde, e enfim trazendo
Do rosto do meu bem as prendas belas,
Dai alívio ao mal que estou gemendo.

Mas ah! delírio meu que me atropelas!


Os olhos que eu cuidei que estava vendo,
Eram (quem crera tal!) duas estrelas.
Cláudio Manoel da Costa
A partir da leitura dos poemas explique como a natureza e apresentada na
composição poética árcade . Destaque um trecho de cada poema que
comprove a sua resposta.

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________

Assinale a alternativa na qual se pode detectar nos versos do poeta português


Manuel Maria de Barbosa du Bocage (1765-1805) uma ruptura com a
convenção arcádica do locus amoenus
A) “Olha, Marília, as flautas dos pastores
Que bem que soam, como estão cadentes!
Olha o Tejo a sorrir-se! Olha, não sentes
Os Zéfiros brincar por entre flores?”

B) “O ledo passarinho que gorjeia


Da alma exprimindo a cândida ternura,
O rio transparente, que murmura,
E por entre pedrinhas serpenteia:”

C) “Se é doce no recente, ameno Estio


Ver tocar-se a manhã de etéreas flores,
E, lambendo as areias e os verdores,
Mole e queixoso deslizar-se o rio;”
D) “A loira Fílis na estação das flores,
Comigo passeou por este prado
Mil vezes; por sinal, trazia ao lado
As Graças, os Prazeres e os Amores.”

E) “Já sobre o coche de ébano estrelado,


Deu meio giro a Noite escura e feia;
Que profundo silêncio me rodeia
Neste deserto bosque, à luz vedado!”

Leia o poema de Bocage e responda as questões abaixo:


Olha, Marília, as flautas dos pastores
Que bem que soam, como estão cadentes!
Olha o Tejo a sorrir-se! Olha, não sentes
Os Zéfiros brincar por entre flores?
Vê como ali, beijando-se, os Amores
Incitam nossos ósculos ardentes!
Ei-las de planta em planta as inocentes,
As vagas borboletas de mil cores.
Naquele arbusto o rouxinol suspira,
Ora nas folhas a abelhinha para,
Ora nos ares, sussurrando, gira:
Que alegre campo! Que manhã tão clara!
Mas ah! Tudo o que vês, se eu te não vira,
Mais tristeza que a morte me causara.
O soneto de Bocage é uma obra do Arcadismo português, que apresenta,
dentre suas características, o bucolismo e a valorização da cultura greco-
romana, que estão exemplificados, respectivamente, em:
A) Tudo o que vês, se eu te não vira/Olha, Marília, as flautas dos pastores
B) Ei-las de planta em planta as inocentes/Naquele arbusto o rouxinol suspira.
C) Que bem que soam, como estão cadentes!/Os Zéfiros brincar por entre
flores?
D) Mais tristeza que a morte me causara./Olha o Tejo a sorrir- se! Olha, não
sentes.
E) Que alegre campo! Que manhã tão clara!/Vê como ali, beijando-se, os
Amores.

Explique porque a poesia árcade é considerada FIGURATIVA, evidenciando


os principais motivos para o uso deste recurso.

_______________________________________________________________
_______________________________________________________________
_______________________________________________________________