Sie sind auf Seite 1von 4

ILÊ EGBÉ ÒBÁ ÒYÓ

BÀBÁLÒRISÁ MANUEL FAUSTINO TY SANGO

As casas tradicionais do culto de Orisá tem por hábito “rodar amalá ” todas as quartas-
feiras para o orisa Sango, desta forma atrai-se para a casa de candomblé, a justiça, a
ordem e o crescimento sócio-economico-espiritual. Geralmente o ritual se dá início na
cozinha em que uma mulher de Oya traz a comida votiva do Orisá na cabeça, chegando
ao salão, a primeira pessoa a rodar com o amalá na cabeça é o zelador ou a zeladora
em volta do asé e depois seguindo a ordem hierárquica vai passando a gamela de um
para o outro, em que o iniciado põe na cabeça e vai fazendo os pedidos sempre
andando em círculo:

1- Amalá Amalá
Modobi jan jan
E modobio

Resp: Amalá Amalá Modobi jan jan é modobi

Após todos terem recebido a gamela, o responsável pelo amalá, arria a comida
aos pés de Sango e entoa a seguinte reza:

2- Amalá inse inse


Amalá inse niwá Ebany sele Olorun Amalá inse inse

3. Oba kawòó o , Oba Kawòó o , O o Kábíyèsilè ,Oba ni kólé, Oba séré , Oba njéje , Se
‘realádó, Bangbose O (wo) bitiko , Osé Kawòó , O o kábíyèsilè

4. Ó níìka, ó níìka, Áwè jè atètú , Badé, bade ìyà tèmi , Ó níìka, ó níìka ãrá ìn álàde o Ó
níìkaãwè jé atètú, Aira ma sá re awo, ariwo, ale odó Ma sè , Aira ma sá re awo, ariwo,
ale odó masè , Yèyé, kèrè-kèrè lo ni joko ayagba, Ale odó ma sè

5. Oba ìrú l’òkò, Oba ìrú l’òkò , Ìyámase kò wà , Ìrà oje , Aganju ko mã nje lekan , Ãrá
l’òkòláàyà , Tóbi òrìsà oba só òrun Ãrá oba oje

6. Béè ni je ni a! pá bo Je bí o o ni a! pá bo

7. E ni pá léèrìn àdá bá láiÌmò wá mònà mòwá Kó je nà mímò àsé Kó je nà mímò àsé Kó


je nà mímò àsé

8. Sango a ma do re nado (bis Ini si a Ini si a Do re nado Ao terminarem as rezas todos


dançam em louvor a Sango pelo menos 3 cantigas:

1
1. Bara ke bara
Eke baraBara ezo

2. E toto aroOrisa baoOba tan tanOluwa miOrisá baoOba tan tan

3. Sere alado epaabo (bis


Sango adaba irokoTe mio4. Awa de mi made oTeju mo niki kiTeju mi moió

Obs: Sango come com o ezo aceso aos seus pés.

Amalá simples para Sango

1 kilo e ½ de quiabos bem retos

Separar 12 grandes e inteiros, cortar o restante em formato de jogo da velha #, ralar o


gengibre e misturar a cebola e o camarão ralado, lavendo ao fogo com dendê. Assim
que corar, jogar o quiabo picado e ir refogando até que faça a baba do quiabo, bater
bem o amalá para que cresça, uma única pessoa poderá mexer o amalá, nunca deixe a
colher depositada na borda da panela e nunca ponha a mão no amalá para provar,
quando o amalá tiver crescido ponha um pouco de água e deixe cozinhar. O pirão
deverá estar na gamela para quando o amalá estiver pronto ir direto para o recipiente,
bem quente, pois Sango só come quente. O pirão é feito com farinha de mandioca e
dendê, assim que tiver pronto o pirão, ponha no meio da gamela e vá girando a
gamela para que a massa vá se acomodando nas laterais dela. Quando puser a água no
amalá, ponha os 12 quiabos inteiros. Estando pronto o amalá, retire os doze quiabos
inteiros e separe-os num prato e ponha o amalá na gamela forrada de pirão. Agora
arrume os quiabos todos com a coroa para cima, pois simboliza a cabeça do Rei Sango.
Só se põe a cabeça para baixo quando estamos despachando alguma negatividade,
mas se for para o Rei comer, a coroa deverá estar para cima.

Amalá completo para Sango

Prepara-lo da forma descrita acima, e acrescentar sobre ele o seguinte:

12 Abarás

12 Akasás

12 Akarás

1 Orogbo partido ao meio

2
Amalá para Sango favorecer numa causa judicial

O mesmo amalá descrito basicamente, acrescido de 12 patacas de cobre antigas, 12


orobos e 12 folhas de bico de papagaio bem vermelhas, arrumadas na beira do amalá
com as bordas para fora, 1 akará bem grande ao meio, entregar tudo para Sango bem
quente, inclusive o akará que deverá ser frito na hora.

Amalá para Afonjá favorecer em caso de justiça

Preparar o Amalá básico acrescido de 1 orogbo ralado no cozimento, 12 pedaços de


peito de boi fresco, 12 abarás e 1 orobo alafiado em cima.

Amalá para Sango afugentar a doença

Preparar o amalá básico e acrescentar 12 pedaços de garganta bovina já cozida, 12


bolas de canjica , 12 akasás, 12 orobos alafiados sobre tudo e 1 quartinha com água.

Amalá para Sango favorecer a prosperidade

1 amalá completo acrescido de 36 moedas correntes de cobre embaixo da gamela, 36


orobos ralados salpicados sobre o amalá completo e 1 quartinha com água ao lado,
esse amalá será aceso por 3 vezes com 1 vela de 12 horas, a cada término será acesa
outra vela de 12 horas, até que se complete 36 horas.

Amalá para Ayrá Intilé vencer uma guerra

Um amalá básico, acrescentar 8 bolas de inhame, 8 bolas de canjica e oito akasás.

O pirão de Ayrá é de mingau de akasá sem dendê no mingau, no lugar deste usar água.

É importante esclarecer que Ayrá não é Sango, mas também não é Osalá, portanto leva
dendê no amalá.

Amalá para Ayrá Modé trazer prosperidade para o Ile asé

Preparar amalá básico e sobre o mingau de akasa por um punhado de Asosó cozido,
por cima do amalá pôr 6 akarás, 6 akasás e 6 bolas de feijão fradinho cozido.

3
Amalá para Sango reverter uma situação

Preparar um amalá básico e por cima do pirão de farinha de mandioca com dendê
uma folha de Patioba, e na parte avessa desta folha escrever o que se deseja, despeje
o amalá bem quente por cima de tudo, ponha 8 akarás por cima do amalá, finque 8
orobos nos akarás ( 1 em cada akará ) entregue a Sango ao lado do Igba de Oya.