Sie sind auf Seite 1von 21

Osogiyan

Procedimentos a serem feitos para todos os caminhos de Osogiyan,


independente de qualidades esses serão oros feitos para qualquer Osogiyan.
A diferenciação virá depois nos ebós específicos para cada caminho
(qualidade) de Osogiyan.

Os procedimentos aqui também serão executados após todos os ebós


necessarios aos iyawos (iniciação), aqui é tudo exclusivamente destinado ao
orisa, mas não quer dizer que não tenhamos de fazer os ebós de iyawos
corriqueiros.
Estes procedimentos aqui só fortalecem e ajudam a encantar o orisa em
questão.
1º Ebó Oro Osogiyan

08 Bolas de farinha de mesa com olhos,boca,nariz e ouvidos de carvão


08 Ekurus enrolados
08 Akarajés brancos
08 Ovos brancos
08 Akasas enrolados
08 Panelas pequenas de barro pintadas de branco e com tampa
01 Vasilha cheia de Omitoro
08 Pedaços de morim branco
08 Velas brancas
01 Pombo branco
01 Efum ralado

Modo de Fazer:

Com os pés na água doce, passe as panelas na pessoa e vá fazendo um circulo


com a pessoa no meio, as tampas ficam ao lado de cada panela, passe cada
bola de farinha na pessoa e ponha cada em uma panela, igualmente com os
akarajes, ekurus, ovos e akasas que deverão ser abertos após passarem na
pessoa e posto na panela, passe os morins na pessoa e cubra tudo que esta na
panela, um em cada, faça um sacudimento na pessoa com o pombo, e
sacrifique sobre cada morim, dizendo a “Baba Mí Osogiyan, que as mazelas,
doenças, guerras e feitiçarias não façam mais parte da vida daquela
pessoa e que os ajés foram cortadas.”
Apaga-se as velas que foram acesas e postas ao lado das panelas,quebre-as e
ponha entro de cada panela.
Despeje omitoro em cada panela por cima do ejé, e por cima do omitoro sopre
efum ralado, e na pessoa tambem sopre sobre o ori efum ralado.

Em casa a pessoa toma banho de omiéro de odundun,poejo,e capeba.


2º Ebó Oro Osogiyan

01 Saco de pano branco vazio


01 Cadarço
01 Preá branca femea
01 Ixú (Bola grande de inhame do norte)
01 Obi funfun
01 Cabo de enxada
01 Par de tamancos de madeira
Bastante canjica cozida

Modo de fazer:

Neste ebó a pessoa deverá estar sem camisa, apenas com um atakan atado ao
peito, calçado com os tamancos, embaixo de uma arvore seca, a Iyalorisa ou
Baba, colocará o obrigacionado com o cabo da enxada no ombro, e fará um
sacudimento com a preá da cabeça aos pés cantando :

Iku gbalé
Léri o
Ikú gbalé lé
Gbalé gbalé
Kini so ori o
Ikú gbalé ara un ló

Põe a preá no saco branco que está aos pés do obrigacionado, passa o Ixú no
ori somente do obrigacionado e põe dentro do saco, tira os tamancos dos pés
dele e bate um contra o outro e tambem ponha dentro do saco, passa toda a
canjica da cabeça aos pés no obrigacionado e põe dentro do saco e amarra a
boca do saco com o cadarço, e pendura na ponta de trás do cabo de enxada,
ficando pra trás do cliente, mande que ele dê 8 passos e jogue no precipício o
cabo da enxada com todo o saco. Em seguida abrao obi funfun, dê uma alafia
no chão mesmo e atire no precipício.

Obs: Este ebó deve ser feito acompanhado de uma mulher de Oyá, e
proximo a um precipício. Onde se quebra o Ajé das pessoas de
OSOGIYAN.
3º Ebó Oro Osogiyan

08 Atoris de goiaba
08 Atoris de Ipê
08 Bolas de Akasa
08 Bolas de Inhame
01 Rodilha de folhas de algodão com pedaços longos de algodão
01 folha de bananeira bem novinha e inteira
01 Igbín funfun

Modo de fazer:

Num campo aberto leve o iyawo ou obrigacionado, enrolado num lençol, com
a rodilha na cabeça, folha de bananeira aberta na frente dele na vertical,
ponha-o com os braços abertos, e vá entregando nas mãos dele alternando
sempre as mãos, os seguintes axés,bolas de akasa, e ele arruma na folha de
bananeira, intercalando sempre as mãos, uma de cada vez.
Em seguida de as bolas de inhame, no mesmo processo.
Agora bata com cada atori nele e o Baba ou Iya mesmo é quem enfinca na
bola que esta na folha. O atori deverá ficar em pé, bem reto.

OBS: Os atoris de goiba serão enfincados nas bolas de akasa, os de ipe nas
bolas de inhame.

Terminado essa parte, retire a rodilha e ponha na ponta fina da folha, e dentro
da rodilha porá o igbin que terá passado no corpo todo do iyawo.

Na hora que o iyawo estiver pondo as bolas na folha cante:


Preparação do ronkó

Após o ritual de bori começa a preparação do ronkó para receber o


iyawo de Osogiyan
Marca-se o chão com efun africano em 05 pontos onde serão postas
as folhas do Orisa. Em cima dessa marcação que são pequenas
cruzes nortiando, norte, sul, leste, oeste e o centro de tudo que é o
Orisa a ser iniciado depositamos ebô por cima deste um acaça em
cada ponto e por cima do acaça efun africano ralado, cobrindo toda
essa base espalhamos em grande quantidade como se fosse um
colchão as seguintes folhas do Orisa Osogiyan:

1. Folha de algodão
2. Folha de poejo
3. Folha de saião
4. Folha de elevante
5. Folha peregun amarelo
6. Fava de algodão
7. Fava de Osalá
8. Folha de lírio branco

Por cima das folhas uma mulher de Iyemanja vai espalhar o pó do


casco de igbin ralado.
Abra agora por sobre todas as folhas várias camadas de algodão até
que cubra todas as folhas, por cima do algodão espalhe muito efun
ralado, e por cima deste forre o morim branco.
Comece agora a armação do alá (lençol branco) sobre está cama de
folhas, local este em que o iyawo permanecerá em todo período de
ronkó.
Em cada ponta do alto do alá haverá uma bandeira branca. Dentro da
cabana ficará o igba de Iyemanja , na frente da cabana do lado de
fora ficará o igba de Osogiyan e um feixe de 08 atoris, do lado
esterno da cabana nos três lados ficará jarras brancas com folhas de
peregun amarelo.
Nota importante

O adoxo do Orisa Osogiyan é diferente dos demais Orisas, a saber:

Banha de ori vegetal (pouca)


Efun africano ralado
Aridã ralada
Pichurin ralado
Fava de abere ralada
Fava de Osalá ralada
Fava de bejerecun
Fava de lelecun ralada
Folha de algodão
A gala do ovo

Após misturado todos o asés a banha de ori divida os adoxos em 07


para serem utilizados durante os sete dias de efun.
Dando início ao oro

Já de cabeça raspada, passe banha de ori por todo o corpo do iyawo,


cantando:

Ori ire
Ti ngbe lehin
Ebó nisè
Erigi l’awa
B’asa
Ifá gbohun ebó
Erigi l’awa
B’asa
Ifá gbohun ebó

Após essa etapa, cante para pintar o iyawo, no caso os iyawos de


Osala só se pinta com efum, excluindo-se as demais pinturas, cante
em seguida para por kele, xaoro, ikans, mokan, ekodidé e idés de
chumbo, no tornozelo e pulso.

(Vide apostila de iyawo o que se canta para esses axés)

Ponha uma banda atado ao ombro do iyawo, uma rodilha de rama de


folhas de algodão.Peregun na mão direita e uma adaga e na mão
esquerda um feixe de atori.
Prepare o igbá para a matança, e lembre-se, por cima da pedra, um
chumaço de algodão bem branquinho, uma pedaço de morim bem
branquinho, e por cima do morim despeje um pouco de omitoro, e só
então poderá prosseguir com a matança da Etú ou qualquer animal
destinado a Osogiyan.

Assim como explico na apostila de Feitura de Iyawos, o primeiro


bicho a ser dado a qualquer orisá é a galinha da Angola, o único
animal que realmente faz nascer o orisá no eleda do iniciado.
O ejé da etú escorre primeiro no igbá, para só depois ir ao ori do
iyawo que já foi aberto pelo Baba ou pela Iyá com a navalha.

Após escorrido o ejé sobre o farí do iyawo, rapidamente retire o


adoxu da etú e insira no 1º adoxu feito para rodar os 7 dias de efun, e
de imediato adoxe o iyawo, e neste momento cante:

Senken Osun
Gba mí so orodo
A ina ina
Senkén Osun
Gba mí so orodo
A ina ina
Terminou de adoxar, sacrifique o Pombo branco de Osala, e passe
outro sobre o ori do iyawo e solte aonde esta sendo feito o oro, cubra
o iyawo de penas da galinha da angola e do pombo sacrificado.
A cantiga para levantar do aperê referente a esse Orisá vai variar
conforme a qualidade do Osogiyan, a saber:

Baba Epejá 

Baba Epe
Epejá
Epejá l’odo

Ajaguna Bitiode 

Ajaguna bitiko
Ajaguna bitiode

Ajaguna Bitiko 

Ajaguna baba oo
Ajaguna
Ajaguna baba oo
Ajaguna
Elemoso
Baba olorogun
Ajaguna baba oo
Após o Orisa levantar do aperê ele é levado para o salão com a etú
presa a boca pelo pescoço e o pombo preso a mão esquerda.
Segue com a cantiga dele até o barracão onde ele cumprimentará a
porta, o asé, o atabaque e o Baba ou a Iya completando então a volta
cantamos então:

Erú awa
toru asé
e toru asé

Essa cantiga é dançada em volta do asé em movimentos rápidos no


ritmo do barra vento, na terceira volta o Orisa solta os bichos em
cima do asé.
O Baba ou a Iya então da início aos cânticos do efun da sua nação.

(vide apostila feitura de iyawo no ketu)

Terminada a ultima cantiga do efun recolha o Orisa para o asé que


será quando ele deitará a primeira vez embaixo do alá que foi
preparado antecipadamente, pronto, o iyawo foi feito de Orisa, a
partir de então, o iyawo começará a ser criado pela mãe criadeira
conforme as regras de cada ilê .
Orò Baba Epejá

Baba Epejá este caminho de Osogiyan faz orò com Iyemanja


Saba e Erinlé .
É tido como o Giyan pescador ofício ensinado por Erinlé, este Giyan
pescador só pesca no encontro das águas (pororoca) auxiliado por
Iyemanja.
O ebo que o diferencia dos outros caminhos de Osigiyan é feito no
encontro das águas doce com a salgada (pororoca).
8 okás, 8 bolas de acaça, 8 ovos brancos, 8 ejás vivos, 8 bandeiras
brancas, uma bacia de agati com ebô cozido dentro, 1 igbin, banha
de ori, efun ralado, um oja funfun, uma banda, 1 atori de guaximba.
O Baba ou a Iya dirige-se ao encontro das águas em um bote ou
barco tratado antecipadamente com um pescador, antes subirem no
barco deverá deixar uma oferenda para Erinlé na beira d’água em
parte seca que consiste em:

1 alguidar pintado de branco com ebô e milho de galinha cozido no


meio, o milho vermelho é coberto por cocô ralado ficando um
montículo ao meio e um peixe assado em cima do ebô e uma vela
acesa.
Segue então para o encontro das águas, lá chegando o Baba ou a Iya
passa banha de ori da cabeça aos pés no iyawo, pede ao iyawo para
montar o ebo dentro da bacia cheia de ebô, tudo em círculo, a
começar pelo oká, acaça, abre cada pontinha da casca do ovo e
coloca ele aberto intercalado com acaça, as bandeiras intercaladas
com os okás, durante o processo de montagem da bacia que está
sobre o colo do iyawo o Baba ou a Iya vai batendo com atori nas
costas do mesmo chamando por Osogiyan, ele chegando passe os 8
ejás vivos nele da cabeça aos pés e solte no encontro das águas.
Durante todo este processo entoe a cantiga que Osogiyan levantou
do aperê no primeiro orò.
Passado a etapa dos peixes, prossiga com o sacrifício do igbin
batizando ali o caminho de Osogiyan Baba Epejá, deixando escorrer
primeiro o ejé do igbin no encontro das águas, em cima do ebó
montado e em cima do ori do iyawo, seguidamente passe efun ralado
no iyawo da cabeça aos pés deixando-o totalmente funfun, neste
momento pede-se a Osogiyan que deposite a bacia do ebó sobre as
águas boiando.
O Baba ou a Iya então começa a vestir o Orisa batizado naquele
caminho, pondo a banda, a rodilha com ojá funfun, a vara de
guaximba em sua mão esquerda posicionada no ombro como se
fosse uma vara de pesca com um peixe de madeira preso a ponta da
vara, a folha de peregun em sua mão direita; retorna-se então a
margem do rio e ao descer deposita-se a oferenda de Iyemanja ao
lado da oferenda de Erinlé que consiste em um ejá cru coberto por
arroz cozido e 8 ekós sobre este, também com uma vela acesa.
Todos seguem para o ilê onde todos estarão aguardando para o
terceiro efun do iyawo, ele entra no ilê na seguinte cantiga:

Osogiyan dide oo
Ta ni baba dide
Ta ni baba dide oo
Ta ni baba dide

Prossegue-se então com as cantigas de efun até por o iyawo para


dentro de ariasé e embaixo do alá.

Obs: aqui termina a parte de Baba Epejá no que compreende


diferenças de qualidades, porém prossegue-se ainda com orò de
sacrifícios da cabra de Osogiyan, e frangas, e evidentemente os 4
últimos efuns do iyawo.
Orò Ajaguna Bitiode

Baba Ajaguna Bitiode  a bem da verdade Bitiode seria um


epíteto (título) de Osogiyan recebido por seus grandes feitos como
ezímio caçador!
Daí o motivo pelo qual Ajaguna Bitiode ostenta o símbolo
(ferramenta) Polvari, que consiste em um ofá pequeno circundado
por um idé, toda ferramenta em aço.
Esse caminho de Osogiyan faz orò com Osossi e Oiya.
O seu Ebó de Orò em diferença com os outros caminhos de
Osogiyan consiste em 8 ofás feitos de bambú, 1 bola de oká com
tamanho de um melão, 1 acaça bem grande enrolado na folha de
bananeira , um pombo branco, uma bandeira de murim.
Este ebó é feito horas antes da raspagem do iyawo e na porta do
ronkó, da seguinte forma:

O iyawo posicionado com os dois pés dentro de u ma bacia com


água fresca os oito ofás transpassado com fios de palha da costa
pendurados no pescoço, o Baba ou a Iya passará da cabeça aos pés a
bola de inhame desmanchando pelo corpo deixando cair na bacia o
mesmo processo se dá com o acaça lambusando todo o iyawo
deixando tudo cair dentro da bacia, terminado esta etapa retira om
iyawo de dentro da bacia com o ppé direito ele entra para o ronkó,
como se vê então este ebó é feito de frente para porta do ronkó, após
entrado ele vira-se novamente para porta o Baba retira o colar de
ofás deposita sobre o ebó em círculos faz um saraie com o pombo
funfun no iyawo pedindo a Odé e a Osogiyan que livre-o dos arajés
e puxa o pescoço do pombo sobre os ofás deixando escorrer todo eje
sobre o ebó arrumando depois o pombo, cubra todo o pombo com
ebô cozido leva este ebó para dentro de mato fechado enrolado em
pano branco.
Banha-se este iyawo com muito leite de cabra e de para beber
bastante chá de colônia bem doce
Este ebó é realizado no terceiro dia de efun antes da pintura do
iyawo.
Orò Ajaguna Bitiko

Baba Ajaguna Bitiko  este caminho de Osogiyan faz orò com


Ogun e tem a necessidade de se assentar Orisa Oko (Orisa da
agricultura).
Dentro de seu igba consta de pequenas ferramentas de agricultura
como foice, ancinho, enchada, facão...
O ebó de diferenciação dos outros Osogiyan é feito após o bori, no
meio de uma plantação de egunsi (melão) fruto predileto desse
caminho de Osogiyan.
O ebó consiste em:

Fardinho torrado, milho de galinha torrado, feijão mulatinho torrado,


alpíste, canjica cozida, 8 acaças, 8 bolas de inhame, 1 bandeira de
murim em que a haste dela chegue a altura do joelho do iyawo, 1
bacia de ajebó;
O iyawo segurando a haste da bandeira com as duas mãos fica-rá em
pé no meio da plantação o Baba passa da cabeça aos pés os grãos
torrados, alpiste, seguidos dos acaças, bolas de inhame canjica
cozida e o banho de ajebó, terminado esse banho o iyawo enfinca
essa bandeira no solo.
Chegando em casa este iyawo toma um segundo ebó em frente a
Ogun que consiste em :

1 inhame assado, 1 inhame cozido, 1 inhame cru, em um alguidar o


Babalorisa arruma-rá as seis pontas do inhame retiradas e coloca-rá
em posição de aláfia no fundo do alguidar neste momento ele entoa-
rá a seguinte cantiga:

Bi ero
Bi ero
Bi ero
Orisa Oko
Bi ero
Ode
E arruma sobre essas pontas de inhame em circulos as seis bandas
dos inhames cortados ao cumprido batiza-se com azeite doce e por
cima do azeite arrume 8 acaças este ebó é posto em uma chave de
linha de trem.
Igbás de Osogiyan

Baba Epejá

01 louça branca com oitos pratos


01 quartinha sem alça branca
08 peixinhos em chumbo
08 idés em chumbo
08 búzios brancos
08 moedas antigas
01 pilão de chumbo
01 adaga de chumbo
01 fava de Osalá
01 fava de algodão
01 feixe de atori tendo em suas pontas um chumaço de algodão
enrolado em suas pontas
Baba Ajaguna Bitiode

01 louça branca com oitos pratos


01 quartinha sem alça branca
01 polvari
08 idés em chumbo
08 búzios brancos
08 moedas antigas
01 pilão de chumbo
01 adaga de chumbo
01 fava de Osalá
01 fava de algodão
01 feixe de atori tendo em suas pontas um chumaço de algodão
enrolado em suas pontas
Baba Ajaguna Bitiko

01 louça branca com oitos pratos


01 quartinha sem alça branca
01 ferramenta de cada em miniatura representando instrumento de
arado em chumbo
08 idés em chumbo
08 búzios brancos
08 moedas antigas
01 pilão de chumbo
01 adaga de chumbo
01 fava de Osalá
01 fava de algodão
01 feixe de atori tendo em suas pontas um chumaço de algodão
enrolado em suas pontas
Cantigas oro npá Osalá
Ao Orisá Osalá, são consafrados os animais Funfun (Branco) e
fêmeas. A sua preferência é o Igbín (caramujo) considerado o Boi de
Osalá.. Todos os animais de pena e a Cabra de Osalá são lavados
com leite de cabra antes do Oro.
As cantigas ritualísticas são :
Da-se inicio a matança da cabra :
Èjè sorò sorò
Èjè bálè a kara rò
Èjè sorò sorò
Èjè bálè a kara ro

Ao cair o sangue então cante

Èjè sorò
Osalá npa awo
Èjè sorò
Osalá npa awo
Èjè sorò
Orisà npa awo
Èjè soro

O bicho tendo desfalecido cante :

Èjè balè pa ra larawè


Osalá npa
Èjè balè pa ra larawè
P’ami p’ami o
Cantando para sacrificar o Igbin :
Quando puxamos ele pela frente fazemos uso do algodão e cantamos
:
Oro igbín
Oni koro Baba
Ara wara ki roko
Quando sacrificamos ele quebrando a ponta trazeira do igbín
apertamos ele contra o fundo do casco para que saia todo o ejé pelos
fundos, cantamos :
Obo igbín
Oni koro Baba
Ara wara kiroko
Outra cantiga que serve tanto para sacrificar pela frente quanto por
trás:
Kusa kusa
Un a já
Un l’epa
Igbin mo kusa kusa
Rezas de Osalá

OSALÀ

Baba epa o
Eku e wúrè o
Ara in fo adiè
Epa o o
Baba epa o
Eku e wúrè o
Asekue re eku o
Epa o o

ÒSÒGYIÀN

Bàbá esá rè wa
Ewa agba awo a sare wa
A je águtan
A sare wa ewa agba awo
Iba Òrìsà yin agba ògìnyòn