Sie sind auf Seite 1von 5

1. Onde se passa esta história?

A. ? A história passa-se na praia.

B. ? A história passa-se no campo.

C. ? A história passa-se no deserto.

2. Como estavam organizados os camelos, na sua fila?

A. ? Os camelos estavam organizados numericamente.

B. ? Os camelos estavam organizados pela ordem do alfabeto.

C. ? Os camelos estavam organizados por cores.

3. Os camelos perderam-se do resto da...

A. ? ...caravana.

B. ? ...companhia.

C. ? ...tropa.

4. Eles perderam-se devido a uma...

A. ? ...trovoada.

B. ? ...tempestade de areia.

C. ? ...chuva intensa.

5. O pastor reuniu os animais e alimentou-os...

A. ? ... com livros.

B. ? ... com fruta.

C. ? ... com água.

6. O grão-vizir quis castigar o pastor porque...

A. ? ... ele tinha perdidos os livros.

B. ? ... ele tinha vendido os livros.

C. ? ... ele tinha dado os livros aos camelos para comer.


1. Onde se passa esta história?

A. ? A história passa-se na praia.

B. ? A história passa-se no campo.

C. :-) A história passa-se no deserto.

2. Como estavam organizados os camelos, na sua fila?

A. ? Os camelos estavam organizados numericamente.

B. :-) Os camelos estavam organizados pela ordem do alfabeto.

C. X Os camelos estavam organizados por cores.

3. Os camelos perderam-se do resto da...

A. :-) ...caravana.

B. X ...companhia.

C. ? ...tropa.

4. Eles perderam-se devido a uma...

A. ? ...trovoada.

B. :-) ...tempestade de areia.

C. X ...chuva intensa.

5. O pastor reuniu os animais e alimentou-os...

A. ? ... com livros.

B. X ... com fruta.

C. X ... com água.

6. O grão-vizir quis castigar o pastor porque...

A. ? ... ele tinha perdidos os livros.

B. ? ... ele tinha vendido os livros.

C. :-) ... ele tinha dado os livros aos camelos para comer.
I
Compreensão do oral
1. Ouve atentamente o conto “Sábios como camelos” de José Eduardo Agualusa.
De seguida,
refere se as afirmações que se seguem são verdadeiras (V) ou falsas (F):
1. O único espaço onde se desenrola esta história é no deserto asiático.
2. O grão-vizir gostava muito de ler e, por isso, nem em viagem se separava dos
seus livros.
3. Quando o grão-vizir tinha de viajar, eram os camelos que transportavam a sua
biblioteca.
4. Nesta biblioteca ambulante, era quase impossível encontrar o livro que se
queria.
5. Uma tempestade no deserto destruiu a preciosa coleção de livros do grão-vizir.
6. Os camelos salvaram-se por serem sábios. o que lhes permitiu ter a ideia
brilhante de comerem
os livros todos.
7. Os camelos ficaram sábios depois de terem comido os livros — aprenderam a
falar e a contar
as histórias dos livros que os tinham alimentado.
8. O grão-vizir não queria camelos falantes; queria a biblioteca perdida.
9. O grão-vizir deixou de ser leitor e passou a ser ouvinte.
10. Graças a um pastor salvou-se o tesouro do grão-vizir: as suas histórias.

1-F; 2- V; 3-V; 4-F; 5- F; 6-F; 7-V; 8-F; 9-V; 10-V


O Camelo é um animal mamífero e o maior animal do deserto.

Existem dois tipos de camelos: os que têm duas bossas e são chamados
bactrianos, e os que têm apenas uma bossa (camelos da Arábia) e que são
conhecidos por dromedários.

Conseguem fazer grandes travessias, com pesadas cargas e têm um bom sentido
de orientação. Adaptam-se facilmente à vida dos desertos, tanto dos desertos
frios como dos quentes.

Podem permanecer vários dias sem beber água (mas quando bebem podem
chegar a consumir o equivalente a 20 baldes, mais ou menos 100l). Têm a
capacidade de detetar água a quase 50Km de distância. Muita da sua água é
conservada nos rins e como suam pouco, não a desperdiçam.

A bossa, ou as bossas, permite-lhes armazenar gorduras, o que lhes fornece


muita energia que eles vão utilizando ao longo da viagem. Elas também servem
para os proteger do calor. Aumentam bastante e tomam um aspeto sólido,
quando o camelo está bem alimentado.

Alimentam-se de qualquer planta do deserto e se tiverem muita fome, podem até


comer carne, ossos e peles.

Têm uma língua coriácea que lhes permite alimentarem-se das árvores
espinhosas e dos arbustos fibrosos do deserto. Utilizam também uma fenda que
têm no lábio superior para agarrarem a folhagem.

Uma pele dura protege-lhes as pernas dianteiras e traseiras, principalmente na


zona dos joelhos, para não se magoarem quando se ajoelham.

As patas alargam-se quando as pousam no chão e possuem uma espécie de


almofadas carnudas na base das mesmas que as impedem de se afundarem na
areia.

O pêlo é áspero e amarelado. No inverno, desenvolvem uma pelagem lanosa que


cai no verão e que os protege do frio. Resistem também ao calor porque o seu
corpo aquece muito lentamente. Podem fechar as narinas para que o pó e a areia
não lhes entrem para o nariz. Os pêlos em torno das orelhas bem como as longas
pestanas protegem os ouvidos e os olhos.

O lábio superior está dividido, ligado directamente por um canal ao nariz, para
que todos os mucos do nariz entrem para a boca e nada seja desperdiçado.

Nunca se limpam e por isso exalam um cheiro muito forte. O camelo (além do
burro do deserto) é o único animal doméstico a viver em condições tão rigorosas.
Mas apesar de resistente, no final de uma longa viagem está, a maior parte das
vezes, magro e fraco. Um camelo africano chega a perder 90 Kg enquanto
atravessa um deserto.

Ao contrário do que parece, irrita-se com facilidade se alguém ou alguma coisa o


incomoda.
E consegue cuspir atingindo o alvo a uma distância considerável demonstrando
possuir uma óptima pontaria.

Devido ao seu forte sentido de orientação em relação à água, o camelo já salvou


muitas pessoas de se perderem.