You are on page 1of 8

Curso: Serviço Social Semestre: 2010.

2
Disciplina: Oficina de Instrumentalidade Código: SSOCXXXIII
Docente: Esp. Paula Raphaelle Soares Pompeu Carga horária: 60h

Q
U
A
D
R
O

E
S
Q
U
E
M
Á
T
I
C
O

D
E

R
E
F
E
R
Ê
C
I
A

P
A
R
A

R
E
COFICINA DE INSTRUMENTALIDADE
A DIMENSÃO INVESTIGATIVA O NO EXERCÍCIO PROFISSIONAL
N YOLANDA GUERRA
S
A INVESTIGAÇÃO E A ATITUDE PROFISSIONAL
T
 Concorre para o perfil
R profissional:
Competência técnica; U
Ç
Critica teórica;
Ã
Compromisso ético-político.O
“as dimensões investigativa e interventiva como princípio formativo e
D
condição central da formação profissional e da relação teoria e
realidade.”
E
(p. 702)
M
E intelectual que habilitado para operar numa área particular,
“um
compreende
D o sentido social da operação e a significância da área no
conjunto
I da problemática social.”
A (p. 702)
A INVESTIGAÇÃO PARAÇO SERVIÇO SOCIAL
Õ “Investigação é um estudo sistemático em busca de
E
conhecimentos e respostas em relação a determinado objeto com o
S de incorporá-lo, de maneira comunicável e comprovável, a um
fim
corpo de conhecimentos de que se dispõe em dada área de reflexão,
(...),
E um amplo contexto dos conhecimentos.”
(Baptista, 2006, p. 15)
M

S “Profissionais capazes de desvendar as dimensões constitutivas da


E chamada QUESTÃO SOCIAL, do padrão de intervenção social do
R Estado nas EXPRESSÕES da questão social, do significado e
V funcionalidade das ações INSTRUMENTAIS, (...) através da
I PESQUISA, a fim de identificar e construir estratégias que venham
orientar e instrumentalizar a AÇÃO PROFISSIONAL.”
Ç
(p. 702)
O
NATUREZA INTERVENTIVA E O SIGNIFICADO DO CONHECIMENTO
S
“A INVESTIGAÇÃO e a INTERVENÇÃO elementos que, embora
O
de naturezas distintas, compreendem a dialética do modo de ser da
C
profissão, claramente expresso nas competências/atribuições
I
profissionais.”
(p.A703)
L
O AUXILIO DA PESQUISA:
• Realização do exercício profissional;
• Objeto de intervenção;
• Acesso as condições e relações de vida, trabalho e resistência dos sujeitos sociais;
• Suporte para coordenar, executar e avaliar políticas públicas sociais, projetos e
programas;
• Coordenar pesquisas;
• Realizar vistorias, perícias e laudos;
• Emitir parecer técnico e formar assistentes sociais.

A PESQUISA DA REALIDADE: CONHECER E INTERVIR
“A necessidade de atuarmos sobre a realidade é o que nos conduz ao
conhecimento.”
(p. 705)

“(...), a pesquisa resulta em um conhecimento sempre provisório,


parcial, histórico (relativo a um tempo e espaço sociocultural e
históricamente determinado).”
(p.705)

NÍVEIS E GRAU DE CONHECIMENTO


INTUIÇÃO:
“conhecimento se inicia pelos órgãos dos sentidos (intuição). O
EMPIRISMO restrito limita o conhecimento a este seu nível
preliminar e estabelece do senso comum, mas tem que ir além dele.”
(p. 706)

NÍVEIS E GRAU DE CONHECIMENTO


ENTENDIMENTO:
“O conhecimento proveniente do intelecto (formal-abstrato) implica a
aceitação passiva de informação que nos chegam à experiência pelo
cotidiano, pela necessidade de sobrevivência, de reprodução da
existência.”

“(...), o entendimento é posto como um modo operativo da razão, que


não critica os conteúdos materiais sobre que incide.”
(p. 706)

NÍVEIS E GRAU DE CONHECIMENTO


RAZÃO DIALÉTICA:
“Capta o movimento do objeto, a sua lógica de constituição, percebe o
que o objeto é e como chegou a ser o que é (seu processo de
constituição), quais seus fundamento, sua capacidade de transforma-se
em outro.”
“o conhecimento resultante dos procedimentos da razão vai além da
apreensão da imediaticidade a vida cotidiana.”
(p. 706)

A BUSCA DA DIALÉTICA DA PRÓPRIA COISA


“(...), antes de iniciarmos qualquer investigação, deve-se ter a
convicção de que existe algo a mais a ser conhecido.”
(p. 708)

“compreender o fenômeno é atingir a essência.”


(p. 708)

“O conhecimento converte o todo caótico (a instituição apresentada na


sua imediaticidade) em concreto pensado (a instituição apreendida na
sua totalidade.”
(p. 709)

O QUE É DIÁLÉTICA PARA MARX:


Dialética não interpreta, mas reflete acerca da realidade.
Modo dialético: busca elementos conflitantes entre fatos para explicar situações decorrentes do
conflito.

E O QUE É TOTALIDADE?
Segundo Lukács, Totalidade corresponde:

“É um complexo constituído de outros complexos subordinados, ou


seja, toda parte é também um todo”.
(PONTES, 2002)

A AÇÃO PROFISSIONAL ATRAVÉS DA DIALÉTICA SINGULA-UNIVERSAL-


PARTICULAR

Singularidade
Corresponde ao trabalho profissional pautado pela fragmentação de ações, observar o
individuo como fato isolado, numa inserção espacial restrita, integrante de uma determinada
categoria.
IMPORTANTE: tal observação, concorre para uma ação profissional conduzida pela
imediaticidade correspondendo apenas ao perfil ideológico da instituição.
(PONTES, 2002)

Universalidade
Corresponde ao campo das leis, normativas, políticas sociais. Não basta só compreendê-
las mas o mais importante é a condução do profissional em serviço social na concretude a
visibilidade na vida do usuário. Não corresponde só a materialidade das leis, mas também a
subjetividade.

Particularidade
Corresponde a análise histórica-social do indivíduo, em que o assistente social na sua
prática absorve o conhecimento-intervenção, exercendo a mediação através da sua atuação com
o aporte teórico-metodológico na busca de alcançar a concretude da ação profissional critico-
transformadora.

SINGULARIDADE
PARTICULARIDADE
UNIVERSALIDADE
FATOS
CAMPO DE MEDIAÇÕES
LEIS TENDENCIAS HISTÓRICAS
APARENCIAS
SÍNTESE DE DETERMINAÇÕES

PROBLEMAS
• Individuais;
• Familiares;
• Psicossociais;
• Organizacionais;
• Programáticos-operativos

DEMANDAS INSTITUCIONAIS

(IMEDIATICIDADE)
Rel. Social / Espaço – tempo / histórica / Cultura
PARTICULARIZAÇÃO DE SISTEMAS DE MEDIAÇÃO
• Processos sócio-produtivo
• Instituições sociais presentes
• Correlação de forças em presença (poder)
• Política Social particularizada na instituição
• Rede de proteção social articulada
• Movimentos sociais
• Relação individuo-sociedade
• Outros processos sociais particularizados

RECONSTITUIÇÃO DO OBJETO DE INTERVENÇÃO


• Divisão social do trabalho
• Relações sociais capitalista
• Relação Capital X trabalho
• Relação estado sociedade
• Leis de mercado
• Política econômicas
• Políticas sociais
• Outras determinações

DEMANDAS SOCIAIS

(LEGALIDADE SOCIAL)

NESTA PERSPECTIVA...
A Investigação é inerente à natureza e competências profissionais:
• Compreender o significado social da profissão;
• Desvendamento sócio-histórico;
• Identificação das demandas;
• Realizar pesquisas para formulara políticas e ações interventivas;
• Realizar visitas, perícias técnicas, laudos, documentos, pareceres, identificar recursos e
atendimentos.

“a investigação para o Serviço Social ganha o estatuto de elemento


constitutivo da própria intervenção profissional.”
(p.712)

RUMO À CONSOLIDAÇÃO DA MAIORIDADE ACADÊMICA E PROFISSIONAL


A Instrumentalidade e a dimensão investigativa enriquece:
• A cultura profissional;
• Princípios;
• Valores;
• Referencial teórico;
• Racionalidades;
• Instrumental técnico-operativo;
• Estratégias;
• Postura.
NESTE SENTIDO...
TEMOS DOIS DESAFIOS À PROFISSÃO:
APOIO A PESQUISA
Investimento em pesquisa qualificada que responda os anseios dos usuários.

POLITICA NACIONAL DE PESQUISA


Investimento nacional em pesquisa qualificada e socialmente compromissada, que tenha o
objetivo de tratar aspectos relevantes para a sociedade brasileira.

“OUSAR SABER PARA OUSAR TRANSFORMA.”


GUERRA (2009, P. 715)

GURRA. Yolanda. Serviço Social: Direitos Sociais e Competências profissionais, - Brasília:


CFESS, ABEPSS, v. 1

Textos de Subsídio:
BAPTISTA, Myrian Veras. A Investigação em Serviço social. São Paulo: Veras Editora; Lisboa
(Portugal): CPIHTS. Centro de Investigação e, História e Trabalho Social, 2006.

PONTES, Reinaldo. Mediação: a categoria fundamental para o trabalho do assistente social. In:
Capacitação Profissional em Serviço Social e Políticas Públicas Sociais. Módulo IV: O trabalho
do assistente social e as políticas sociais. Brasílias, CEAD, 2002.

Profª. Paula Raphaelle Soares Pompeu

Sucesso!!!