Sie sind auf Seite 1von 2

2018/930100802056-49479-JEF

PODER JUDICIÁRIO
JUIZADO ESPECIAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO
Turmas Recursais dos Juizados Especiais Federais de São Paulo
Alameda Jau, 389 - Jardim Paulista - CEP 01420-001
São Paulo/SP Fone: (11) 2766-8911

{#
TERMO Nr: 9301081338/2018
PROCESSO Nr: 0032211-23.2016.4.03.6301 AUTUADO EM 12/07/2016
ASSUNTO: 010801 - FGTS/FUNDO DE GARANTIA POR TEMPO DE SERVIÇO - ENTIDADES
ADMINISTRATIVAS/ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
CLASSE: 16 - RECURSO INOMINADO
RECTE: EVA CRISTINA GABRIEL
ADVOGADO(A)/DEFENSOR(A) PÚBLICO(A): SP383593 - PEDRO BERTONCINI
RECDO: CAIXA ECONOMICA FEDERAL
ADVOGADO(A): SP999999 - SEM ADVOGADO
DISTRIBUIÇÃO POR SORTEIO EM 16/02/2017 14:20:00

JUIZ(A) FEDERAL: CIRO BRANDANI FONSECA

[# I – RELATÓRIO

Trata-se de recurso interposto pela parte autora contra sentença que julgou improcedente o pedido
formulado na inicial, relativo à liberação de sua conta do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS),
tendo em vista a mudança de regime jurídico, que passou de celetista para estatutário.
Sustenta a recorrente a procedência do pedido, invocando os precedentes da jurisprudência.

É o relatório.

II – VOTO

A Lei nº 8.036/1990, em seu art. 20, dispõe acerca das hipó teses em que a conta vinculada do
FGTS pode ser movimentada pelo trabalhador. Da leitura do rol de incisos do artigo supracitado, percebe-se que
não há qualquer previsão que contemple a autorização da liberação do saldo da conta fundiária em caso de
mudança de regime trabalhista.
Contudo, a extinção do contrato de trabalho anterior de caráter celetista, sem a participação do
trabalhador equivale à despedida sem justa causa elencada no inciso I do art. 20 da Lei 8.036⁄90.
Art. 20. A conta vinculada do trabalhador do FGTS poderá ser movimentada nas
seguintes situações:
I – despedida sem justa causa, inclusive a indireta, de culpa recíproca e de força maior,
comprovada com pagamento dos calores de que trata o artigo 18;

Com efeito, há entendimento consolidado no E. STJ de que é possível o levantamento do saldo da


conta vinculada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) nas situações em que ocorrer a conversão
do regime jurídico celetista para estatutário em decorrência de lei, sem que isso implique ofensa ao art. 20 da
Lei n. 8.036/90, conforme se verifica pelo seguinte julgado:

“RECURSO ESPECIAL. FGTS. LEVANTAMENTO. MUDANÇA DE REGIME.


POSSIBILIDADE. ART. 20 DA LEI 8.036/1990. SÚMULA 178/TFR. INCIDÊNCIA.
PRECEDENTES. 1. O STJ pacificou o entendimento de ser possível o levantamento do
saldo da conta vinculada do FGTS na hipótese de alteração, em decorrência de lei, do
Assinado digitalmente por:regime jurídico
CIRO BRANDANI celetista para estatutário, sem que isso implique ofensa ao art. 20 da
FONSECA:10102
Documento Nº: 2018/930100802056-49479
Consulte autenticidade em: http://web.trf3.jus.br/autenticacaojef
2018/930100802056-49479-JEF

Lei 8.036/1990. 2. Incidência da Súmula 178/TFR: "Resolvido o contrato de trabalho


com a transferência do servidor do regime da CLT para o estatutário, em decorrência
de lei, assiste-lhe o direito de movimentar a conta vinculação do FGTS". 3. Recurso
Especial provido.” (STJ, RESP 201001375442 - SEGUNDA TURMA Mininstro:
HERMAN BENJAMIN, , DJE DATA: 02/02/2011).
Nesse sentido:
ADMINISTRATIVO. FGTS. CONVERSÃO REGIME CELETISTA PARA O
ESTATUTÁRIO. LEVANTAMENTO DO SALDO DA CONTA VINCULADA. DIREITO
DO TRABALHADOR. PRAZO DE TRÊS ANOS FORA
DO REGIME DO FGTS. DESNECESSIDADE. PRECEDENTES DO STJ E DO TRF 1ª
REGIÃO. CORREÇÃO MONETÁRIA E JUROS REMUNERATÓRIOS. CALCULADOS
ORDINARIAMENTE. LEI 8.036/1990. SENTENÇA MANTIDA
1. O ex-empregado público tem direito ao levantamento do saldo de sua conta
vinculada ao FGTS no caso de conversão do regime celetista para estatutário, devendo
provar, para tanto, que era optante do FGTS antes da mudança do regime. Precedentes
deste Tribunal e do colendo STJ.
2. No caso, a pretensão recursal restringe-se a definir a devida correção monetária a
partir da recusa da liberação do FGTS.
3. Nos termos da Lei 8.036/1990, a correção monetária e os juros remuneratórios dos
depósitos vinculados ao FGTS são calculados ordinariamente até a data do saque
efetivo porque compõem a remuneração da respectiva conta. Sendo assim, até o efetivo
levantamento dos valores depositados na conta vinculada ao FGTS, já está havendo a
devida correção monetária e a incidência dos juros remuneratórios.
4. Apelação a que se nega provimento. (TRF 1ª Região, Quinta Turma, AC -
APELAÇÃO CIVEL – 00013158320144013500, Relator: DESEMB. FEDERAL
NÉVITON GUEDES, e-DJF1 DATA:07/06/2016).

Dessa forma, faz jus a parte recorrente ao saque de sua conta vinculada ao FGTS, em decorrência da
mudança de regime, observadas apenas as demais cautelas de praxe.
<# Diante do exposto, dou provimento ao presente recurso, para reformar a sentença e julgar
procedente o pedido formulado na inicial, nos termos da fundamentação.
Sem condenação em honorários advocatícios, nos termos do art. 55 da Lei nº 9.099/95.

É como voto.

III – EMENTA
ADMINISTRATIVO. FGTS. LEVANTAMENTO. MUDANÇA DE REGIME. POSSIBILIDADE. ART. 20
DA LEI 8.036/1990. PRECEDENTES DO STJ. RECURSO PROVIDO.

IV – ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos eletrônicos, em que são partes as acima indicadas, decide a Sexta
Turma Recursal do Juizado Especial Federal da Terceira Região – Seção Judiciária de São Paulo, por
unanimidade, dar provimento ao recurso, nos termos do relatório e voto que ficam fazendo parte integrante
do presente julgado.

São Paulo, 25 de junho de 2018.

Juiz Federal Ciro Brandani Fonseca

Relator #>#}#]

Assinado digitalmente por: CIRO BRANDANI FONSECA:10102


Documento Nº: 2018/930100802056-49479
Consulte autenticidade em: http://web.trf3.jus.br/autenticacaojef