Sie sind auf Seite 1von 26

O GUIA DA BASE

NACIONAL COMUM
CURRICULAR
INTRODUÇÃO..............................................................................3

A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL.........................5

ENTENDENDO A BNCC...........................................................9

OS IMPACTOS PARA OS ALUNOS.....................................12

O PAPEL DA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA........................ 15

A BNCC E A MUDANÇA
NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA............................................... 18

CONCLUSÃO............................................................................. 24

SOBRE A ESCOLA DA INTELIGÊNCIA.............................. 26


INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO

Podemos notar que muitas das disparidades sociais


presentes em nosso país estão refletidas no panorama
educacional, entre outras questões, há uma falta de
base comum para o currículo. Entretanto, estratégias
estão sendo pensadas para impulsionar e otimizar o
ensino formal em âmbito nacional e regional. Entre elas,
temos a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Quer saber mais a respeito dessa proposta e de como


ela poderá impactar o cenário educacional em que
seus filhos estão inseridos? Então, acompanhe nossas
explicações e boa leitura!
INTRODUÇÃO
Você já deve ter percebido que a Educação no Brasil é
fonte recorrente de debates e questionamentos por
parte da sociedade. E não estamos falando apenas do
baixo desempenho dos alunos brasileiros no Programa
Internacional de Avaliação Estudantil (PISA), mas também
da falta de valorização enfrentada pelos educadores, da
dificuldade de acesso que muitos têm à escola, da escassez
de investimentos no setor e da desigualdade entre os
conteúdos trabalhados.

4
A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL
A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento


Econômico (OCDE) mostra que houve uma ampliação
notável da escolarização a partir de 2003, mas que é
ainda preciso trabalhar muito no sentido de melhorar a
A SITUAÇÃO DA aprendizagem do corpo estudantil brasileiro.

EDUCAÇÃO NO Em 2015, foram avaliados 23.141 estudantes entre 15 e 16


anos de 841 escolas brasileiras. O que se buscou testar
BRASIL foi sua aptidão para aplicar o conhecimento teórico
obtido no ensino formal em novas situações.

A Educação no Brasil é um quadro bastante caótico. Os resultados mostraram que há dificuldades na hora
Se partirmos de alguns indicadores nacionais e de interpretar informações quantitativas e qualitativas
internacionais, veremos que o desempenho de nossos cientificamente. O estudo ainda compara a performance
alunos fica bem aquém da média nos quesitos brasileira com a de países como México, Uruguai,
leitura, matemática e ciências. Colômbia e Chile, cujos resultados foram melhores.

6
A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

O ensino público no Brasil sofre uma profunda desigualdade dos


resultados ao ser comparado com o ensino da rede privada brasileira.
O que torna a situação da educação nacional ainda mais preocupante,
tendo em vista que, segundo o Instituto de Pesquisa e Administração
da Educação (IPEA), mais de 80% das escolas brasileiras são públicas,
ou seja, a maioria significativa dos brasileiros frequentam ou
frequentaram escolas públicas que não apresentam, em sua maioria, a
mesma qualidade de ensino das redes privadas.

Outro dado importante é sobre a verba repassada para educação. Para


se ter uma ideia, em 2016, 6,2% do PIB foi destinado à educação, mais
do que a média de outros países, porém, como temos muitas escolas
públicas e muitos alunos nela, o Brasil perde feio nos gastos públicos
por aluno, ficando bem abaixo da média dos países analisados pela
OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Além disso, em 2016 foi aprovada a Proposta de Emenda Constitucional


241 (PEC 241) que, dentre outras medidas, estipula um teto de gastos
com a educação. Com essa medida, o gasto com a educação não
pode ser maior que o ano anterior, corrigido com o valor da inflação.
Dessa forma, os investimentos para essa área serão significativamente
prejudicados, podendo agravar ainda mais na desvalorização dos
profissionais e na melhoria da qualidade do ensino.

7
A SITUAÇÃO DA EDUCAÇÃO NO BRASIL

Contudo, ainda existem ações que buscam


superar às dificuldades da educação brasileira
buscando promover a todos os alunos uma
formação de qualidade. Uma dessas ações
é a Base Nacional Comum Curricular (BNCC)
proposta pelo MEC.

Vale destacar que o cenário do analfabetismo


também é assustador. Os estudos do Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)
indicam que, em 2014, tínhamos 13 milhões de
analfabetos absolutos, sendo que esse número
aumenta se considerarmos o analfabetismo
funcional, situação daqueles incapazes de
interpretar textos ou de se expressar através da
escrita, mesmo que de forma simples.

É fácil perceber, portanto, que as mazelas


sociais enfrentadas pela população não estão
restritas aos indicadores econômicos, sendo
evidenciadas também no cenário educacional.
Esse cotidiano das escolas brasileiras é
mostrado no documentário de João Jardim
“Pro dia nascer feliz” (2007).

8
ENTENDENDO A BNCC
ENTENDENDO A BNCC

Bem, a BNCC prevê uma padronização do currículo


escolar da Educação Básica (que engloba os Ensinos
Infantil, Fundamental e Médio). Trata-se de um
documento que servirá como um parâmetro para os
educadores e coordenadores pedagógicos, e cuja
finalidade é sanar o problema da desigualdade de
conteúdos ministrados em território nacional.

Os currículos escolares deverão ser elaborados de


acordo com alguns objetivos, que representam o que se
espera que o aluno aprenda durante sua trajetória na
escola. Mas entenda: não se trata somente da absorção
das matérias ministradas, e sim das habilidades
ENTENDENDO desenvolvidas, da capacidade de ação e reflexão
críticas, necessárias à prática da cidadania.
A BNCC
O que se procura é criar um padrão mínimo e otimizar
a qualidade do ensino. Isso, no entanto, não significa
Após ter ganhado destaque na mídia recentemente, que todos os estados deverão seguir o mesmo roteiro
a BNCC é um projeto que vem sendo debatido desde fixo. A BNCC irá definir apenas 60% do currículo,
2010, com a Primeira Conferência Nacional de Educação permitindo que 40% seja formulado pelos profissionais
(CONAE), e para podermos debatê-la, é preciso e instituições a partir das particularidades regionais,
entendermos qual é a sua proposta. formando a base diferencial.

10
ENTENDENDO A BNCC

Entende-se que após a implementação do mesmo ano, a segunda versão foi


da BNCC, exames nacionais como publicada com 676 páginas. No dia 6 de
ENEM e vestibulares serão revisados de abril de 2017, a terceira e última versão
acordo com essa nova estrutura. Outro foi divulgada e apresentado ao CNE
ponto que deve ser mencionado é que (Conselho Nacional de Educação), um
os educadores do país passarão por documento com 396 páginas levando em
programas de atualização/educação consideração as contribuições feitas para
continuada para adequarem-se às a segunda versão.
orientações da base.
Para que este documento possa ser
A HISTÓRIA DA BNCC efetivamente aprovado, ele deverá ser
debatido pelo CNE em cinco audiências
O primeiro texto da proposta foi discutido públicas, uma em cada região do Brasil,
e elaborado em conjunto com 116 até novembro de 2017. Após esse amplo
especialistas em educação, que gerou debate, o BNCC será enviado ao ministro
um documento com mais de 300 páginas. da Educação para fornecer o parecer final
Este documento esteve aberto à consulta e possivelmente sua aprovação. Assim, as
pública até março de 2016. instituições de ensino poderão construir
seu currículo a partir deste documento
A partir dos feedbacks enviados pelo e, até 2019, as escolas possam trabalhar
público, o texto foi revisado e, em maio com menos disparidades.

11
OS IMPACTOS PARA OS ALUNOS
OS IMPACTOS PARA OS ALUNOS

Essa diferença se dará, principalmente, na maneira


como será fornecido o conteúdo, dando ênfase nos
temas transdisciplinares. Segundo Maria Helena
Guimarães de Castro, secretária executiva do MEC, “é
impossível desenvolver o cognitivo sem desenvolver
simultaneamente o socioemocional e o comunicativo,
que são essenciais para a formação integral”.

Na versão final da proposta, serão abordadas — com


OS IMPACTOS ênfase — as macrocompetências, que correspondem ao
campo cognitivo, ao comunicacional e ao socioemocional.
PARA OS ALUNOS O campo cognitivo representa o conhecimento formal
(tradicionalmente ensinado pelos educadores).

No que diz respeito ao cotidiano escolar, os estudantes O campo comunicacional e socioemocional, por
sentirão algumas diferenças. Isso porque a BNCC defende outro lado, englobam habilidades interpessoais como
que o ato de educar integralmente e formar um cidadão tolerância, resiliência, cooperação, empatia e respeito à
crítico e consciente vai além da memorização das matérias diversidade, bem como a capacidade de se comunicar
estudadas em sala de aula. com os outros, de formar conexões e construir pontes.

13
OS IMPACTOS PARA OS ALUNOS

Segundo Guiomar Namo de Mello,


integrante do grupo de conformação
da BNCC, o documento traz ampla
reflexão sobre o papel da educação
no que diz respeito ao ensino de
conhecimentos. Para ele, a educação
escolar está diretamente relacionada
com o ensino de atitudes, posturas
e formas de relacionamento. “Tem a
ver com o que hoje se entende como
habilidades socioemocionais”, diz.

Se até então houve uma espécie


de negligência dessas habilidades
em prol de um ensino segmentado,
a partir da BNCC, os aspectos da
aprendizagem deverão estar em
equilíbrio. O novo entendimento é
de que a escola deve ser, ao mesmo
tempo, humanizada e humanizadora,
ou seja, a escola deve ser um
ambiente que além de ser humana,
deverá promover essa formação.

14
O PAPEL DA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA
O PAPEL DA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA

O programa procura desenvolver as habilidades


socioemocionais no ambiente escolar. Entenda sua
proposta, portanto, como uma tentativa de educar as
O PAPEL DA ESCOLA emoções e aperfeiçoar as habilidades intrapessoais e
interpessoais dos jovens.
DA INTELIGÊNCIA
Com essa metodologia, alguns dos resultados
alcançados pelos alunos são:
Você já ouviu falar da escola da inteligência? Trata-se
de um programa educacional que tem por base a Teoria »» desenvolvimento da inteligência;
da Inteligência Multifocal, elaborada pelo Dr. Augusto
Cury. Além disso, ele também se utiliza de outras teorias »» habilidade de construir relações saudáveis;
que tiveram um impacto positivo no campo educacional,
como a Teoria das Inteligências Múltiplas de Howard »» comportamento empreendedor e criativo;
Gardner, a Cognitivista Construtivista de Jean Piaget, e a
Sociocognitivista de Vygotsky. »» maior concentração, resiliência e autoestima.

16
O PAPEL DA ESCOLA DA INTELIGÊNCIA

Já por parte da escola, os resultados atingidos são:

»» promoção da convivência harmônica;

»» redução da indisciplina;

»» otimização do aproveitamento;

»» aumento da qualidade de vida e melhor


gestão do tempo;

»» aumento da participação familiar durante a


trajetória escolar.

Com a implementação da BNCC, portanto, fica claro


a importância de trabalhar e desenvolver outros
aspectos além do cognitivo.

17
A BNCC E A MUDANÇA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA
A BNCC E A MUDANÇA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

Na medida em que o processo de amadurecimento


emocional do ser humano é visto como um desafio a
ser trabalhado nas escolas, as dificuldades enfrentadas
A BNCC E A no ensino da inteligência cognitiva poderão ser vistas
e melhoradas de forma transdisciplinar perpassando
MUDANÇA NA por todos os campos do conhecimento podendo ter
influências positivas na formação do indivíduo.
EDUCAÇÃO
Apesar da educação ter objetivo de desenvolver o ser
BRASILEIRA humano de forma integral, por muito tempo, o foco
da educação estava voltado para o desenvolvimento
cognitivo. Vale lembrar que o ensino tradicional,
A BNCC, a proposta de padronização curricular e de separado por disciplinas, tem se mostrado ineficaz
transformação do ensino formal em um processo de troca, na formação dos estudantes. Muitos alunos ao se
de construção de conhecimento mais humanizado, tem depararem com alguma dificuldade ou frustração sobre
potencial para modificar o cenário da educação no Brasil. alguma matéria ou avaliação, ficam desmotivados a
Mas por que essa mudança será possível? buscarem o conhecimento e a enfrentar esse desafio.

19
A BNCC E A MUDANÇA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

O ensino tradicional, separado por Não basta saber um conteúdo, é preciso


disciplinas, tem se mostrado ineficaz na saber ponderar suas aplicações na
formação dos estudantes. Muitos alunos, construção de uma sociedade mais
ao se depararem com alguma dificuldade igualitária! A sociedade mudou. As
ou frustração sobre alguma matéria ou informações estão a um “clique” de
avaliação, ficam desmotivados a buscar o nossas mãos. Assim, buscar a formação de
conhecimento e a enfrentar esse desafio. indivíduos criativos e críticos é cada vez
mais necessária para que sejamos capazes
Atualmente, sabemos que o cenário é de aplicar o conhecimento adquirido
outro. A importância das habilidades em contextos desafiadores, buscando
socioemocionais e comunicativas para promover a emancipação humana.
a aprendizagem é tamanha que, no
texto da BNCC, elas são reconhecidas O acesso à educação de habilidades
como as competências necessárias interpessoais contribui para a formação
aos indivíduos no século 21. Essas de indivíduos éticos que promovem
habilidades atuam diretamente no a cidadania, o respeito, além de
aprendizado, possibilitando que o desenvolver outras características,
indivíduo compreenda melhor o sentido como: ser mais seguros, inovadores,
da educação na sua formação. questionadores e empreendedores.

20
A BNCC E A MUDANÇA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

Desta forma, a educação voltada também para o desenvolvimento


da inteligência emocional se faz importante diante das mudanças
constantes que a sociedade, bem como as relações humanas,
enfrentam. Saber resolver conflitos, ter criatividade para se
reinventar diante de crises e conseguir superá-las, buscar
construir uma sociedade mais justa, não são habilidades inatas.
Por isso, somente com uma educação voltada para a construção
desses valores é que será possível atingir estes objetivos.

O RESULTADO DA NEGLIGÊNCIA
PARA COM AS EMOÇÕES

Décadas e décadas de uma escola engessada e pouco humanizada


resultaram em adultos inseguros, com dificuldades de promover
uma convivência harmônica e suportar as pressões do dia a dia.

A formação integral do ser humano, do cidadão crítico e


consciente não acontece através de uma educação unilateral, em
que o professor fala e os alunos escutam e sim através de debates,
questionamentos, reflexão, busca de hipóteses e soluções, sem
esquecer da experimentação e da observação possibilitando a
comparação e a contestação do que é aprendido. Somente dessa
maneira conseguiremos nos apropriar efetivamente do que está
sendo ensinado.

21
A BNCC E A MUDANÇA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

Seguindo essa lógica, aplicar a teoria na prática


do dia a dia requer um esforço de reflexão, a
transformação da matéria-prima (os conceitos
aprendidos) em ações concretas ou esboços de
novas ideias. Assim, o aluno passa a assumir
uma postura ativa frente a sua aprendizagem,
deixando de lado a passividade característica
dos modelos mais tradicionais de ensino.

A proposta do BNCC é justamente isso, trazer


para o currículo uma formação humana mais
crítica em que as habilidades socioemocionais
perpassem de maneira transdisciplinar pelas
habilidades cognitivas.

O BULLYING

Outra vantagem dessa abordagem mais


humanista nas escolas é a erradicação do
bullying. Realidade na maioria das escolas
brasileiras e mundiais, esse fenômeno é
responsável pelo baixo rendimento dos alunos
e pelo afastamento de jovens da escola,
provocando até o suicídio infantil.

22
A BNCC E A MUDANÇA NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

O bullying é o resultado direto da incapacidade de


lidar com as emoções humanas, com o que é distinto
daquilo que conhecemos. Esse tipo de violência verbal,
física e psicológica passa a ser combatido à medida
que os estudantes aprendem a lidar com as diferenças,
desenvolvendo sua capacidade de empatia e tolerância.

Como as propostas da escola da inteligência e da BNCC


buscam trabalhar as habilidades intra e interpessoais,
essa tendência de externar as turbulências internas na
forma de abusos direcionados a outrem passam a ser
desenraizadas e neutralizadas.

23
CONCLUSÃO
CONCLUSÃO

O Brasil enfrenta sérios problemas com a educação, e


isso tem impactos muito negativos na nossa sociedade.
É preciso fazer valer, efetivar a proposta curricular
que vá além do ensino disciplinar de conteúdos como
matemática, português, história, entre outros. Para
que haja uma formação humana voltada para a ética,
a cidadania, é necessário que, segundo Araújo (2007),
a escola tenha uma meta, que promova um ambiente
ético de convívio inserindo temas relacionados à saúde
emocional de maneira transversal, articulando essas
ações com a família e com a comunidade.

A BNCC, que está em sua terceira e última versão, reafirma


a proposta focada nas habilidades socioemocionais e
comunicativas, além das cognitivas que já constavam
no texto anterior. Ela propõe o desenvolvimento da
CONCLUSÃO inteligência emocional simultâneo à intelectual.

Como você pôde perceber, a BNCC, que está prevista


Chegamos ao final deste e-book, que teve como objetivo ainda para este ano, terá um impacto profundo e positivo
esclarecer a criação da BNCC e seu processo de na escola, especialmente no que tange à padronização
elaboração, que foi colaborativo. Aqui, você pôde entender dos conteúdos ministrados no Ensino Básico. O que se
qual é a lógica que norteia esse projeto e como ele pode conseguirá é um ensino mais humanizado e conectado às
impactar o cenário da educação brasileira. demandas do século 21!

25
A Escola da Inteligência é um programa educacional que tem por objetivo a educação
socioemocional no âmbito escolar.

As metodologias foram elaboradas a partir da Teoria da Inteligência Multifocal


elaborada pelo Dr. Augusto Cury e têm uma visão integrada da escola, atingindo
alunos, professores e a família.

O eixo da metodologia do programa é a inteligência emocional, que busca


desenvolver habilidades nos alunos, pais e professores como empatia, resiliência,
responsabilidade, disciplina, confiança, segurança, etc.

As atividades entram na grade curricular ou extracurricular do aluno, preparando-o


melhor para o processo de aprendizagem, sociabilidade e crescimento pessoal,
alcançando melhor qualidade de vida em geral.

Para conhecer mais sobre o projeto, acesse nosso site.