You are on page 1of 17

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO

PEDAGOGIA
PRISCILA DA SILVA OLIVEIRA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO III – GESTÃO


PROJETO DE INTERVENÇÃO
MARAVILHA
2018

PRISCILA DA SILVA OLIVEIRA

ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO III – GESTÃO PROJETO DE


INTERVENÇÃO

FAMILIA E ESCOLA: O PAPEL DOS PAIS E DOS


EDUCADORES NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DA
CRIANÇA

Projeto de Estágio apresentado ao curso


Pedagogia UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a
disciplina de Estágio Curricular Obrigatório III – GESTÃOl –
8º semestre.
Orientador: profª. Natalia Gomes dos Santos, Vidotte Costa
Tutor eletrônico: Tiago De Almeida
Tutor de sala: Marinês Schenkel

MARAVILHA
2018
DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

TEMA: FAMÍLIA E ESCOLA – O PAPEL DOS PAIS E DOS EDUCADORES NA


CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DA CRIANÇA
INSTITUIÇÃO: NÚCLEO ESCOLAR PROFESSORA MARIA OLINDA HERMANN
CARGA HORÁRIA: 100 HORAS
CURSO: PEDAGOGIA
ACADÊMICA: PRISCILA DA SILVA OLIVEIRA
DIRETORA: SUZANA BARRO
SUPERVISOR DE CAMPO: SUZANA BARRO
COORDENADORA PEDAGÓGICA: MARCIA COUTO
TUTORA DE SALA: MARINÊS SCHENKEL
TURNO: MATUTINO
NÚMERO DE ALUNOS DA ESCOLA: 75

ENDEREÇO DA ESCOLA
BAIRRO: CENTRO
RUA: TANCREDO NEVES
MUNICÍPIO: IRACEMINHA
SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ........................................................................................ 6
2 JUSTIFICATIVA .................................................................................... 8
3 OBJETIVO GERAL ............................................................................... 8
4 OBJETIVO ESPECIFICO ...................................................................... 8
5 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA ..............................................................................9
6 METODOLOGIA......................................................................................................12
7 PROCESSODESENVOLVIMENTO.......................................................................13
8 CRONOGRAMA DEATIVIDADES........................................................................14
9 RECURSOS MATERIAIS.......................................................................................15
10 CRISTERIOS DE AVALIAÇAO................................................................... 16
11 REFERENCIAS............................................................................................ 17
7

1 INTRODUÇÃO
Tão importante quanto o papel do professor na educação das crianças é o
papel dos pais, afinal, são eles que estabelecem os primeiros ciclos de aprendizagem em
casa. Por isso, é muito importante que exista essa consciência por parte dos
responsáveis e que eles saibam qual é o dever da escola e o que compete a eles. Para o
desenvolvimento do presente trabalho foi realizadas pesquisas bibliográficas tendo em
vista atingir os objetivos acima descritos.
O interesse por esse tema vem dos meus estágios, escutava muitos nos corredores
ou em dialogo com a diretora professoras que reclamavam da pouca participação dos
pais na vida escola de sues filhos, através deste tema tracei alguns objetivos e assim
aprofunda os estudos nessa temática. O objetivo geral desenvolver um trabalho coletivo
no ambiente escolar incluindo a família no processo ensino-aprendizagem, como
parceiros e colaboradores, estimulando o crescimento do aluno, resgatando o
fortalecimento da autoestima os objetivos específicos, valorizar dentro do ambiente
escolar e familiar a importância do diálogo, promover a integração entre família e
escola, estimulando o rendimento e o comportamento escolar; ressaltar a importância
da afetividade na escola, reconhecer através deste Projeto as múltiplas relações sociais,
econômicas e políticas na formação de cidadãos críticos, participativos e construtores de
uma sociedade mais justa.
O Projeto será realizado em quatro etapas, com a participação da escola,
pais, professores e alunos será feita uma reunião com conversas e proposta do projeto.
No segundo momento será preparado um espaço para realização de uma palestra com o
tema voltado a “família e escola” com o palestrante. Finalizando apresentação de todos
os alunos da música Família (Aline Barros). No terceiro momento entrega de avaliações
pelos professores individual de cada aluno aos pais, expondo as qualidades e
dificuldades. Quarto momento: Família na escola com oficinas e demonstração de
trabalhos confeccionados pelos alunos.
O Projeto será realizado no espaço escolar, com aluno e professores e pais, serão
utilizados recursos humanos e materiais como: Professores, pais, alunos, coordenadores
pedagógicos, diretores, orientadores, apoio escolar, secretarias municipais, murais,
painéis, banner, faixas, material didático-pedagógico, filmadora, máquina digital.
A avaliação será realizada durante a participação e a realização do projeto,
sempre no decorrer da realização das atividades através da participação e da interação
8

dos participantes, pois assim é que será notado se houve ou não melhorias na relação
entre professores, alunos, pais, escola e professores.
A relação entre alunos, escola, pais e professores é um tema bem abordado no
âmbito escolar, pois ela interfere fundamentalmente no ensino e na aprendizagem. Por
isso Libâneo, Cury, Vygotsky, Freire e Rousseau, foram os principais a serem
pesquisados, sendo eles a base para e realização desse projeto, pois eles afirmam que
sem uma boa relação ninguém chega sozinho á lugar algum, pois ela é a chave para o
sucesso profissional e pessoal. A cada dia que passa, percebe-se certa inversão de
papéis, hoje as famílias confiam à educação formal de seus filhos desde muito cedo à
escola. É claro que os pais têm consciência do seu papel, mas nem sempre acabam
colocando isso em prática, muitas vezes por questão de tempo e a vida agitada que o ser
humano vem levando ultimamente. Essa lacuna pode acarretar problemas futuros na
educação das crianças, e, se não foram tratados com a devida atenção podem evoluir
com o tempo. Crianças são crianças, elas precisam estabelecer com seus pais,
professores e outros adultos, relações equilibradas para o seu desenvolvimento. Elas
precisam de um espaço adequado, no qual as aprendizagens primárias sejam vividas e
ensinadas. E cabe aos pais ou responsável estabelecer os primeiros limites; Esse limite
não é papel da escola, e sim da família. Á escola cabe educar essas crianças para que
elas tenham maturidade para pensar em alternativas e soluções para os problemas que as
gerações anteriores deixam como herança e nos novos desafios que serão enfrentados e
para que isso aconteça, é preciso que família e escola caminhem juntas, cumprindo cada
uma o seu papel tendo em vista que pais e professores têm que reconhecer seus papéis
na educação das crianças, para que nenhum esteja ausente de seus deveres como tem
acontecido atualmente.

Palavras chaves: relação família e escola. Aprendizagens escolares.


9

2JUSTIFICATIVA

Pela necessidade de estarmos estreitando laços entre escola e aqueles


que dela participam direta ou indiretamente, a família, uma vez que muitas decisões
dentro do espaço escolar precisam ser compartilhadas com todos. O envolvimento e a
participação da família no ambiente escolar nos dias atuais são considerados
componente importante para o desempenho ideal das instituições de ensino, e para a
segurança da criança em sua vida escolar. O ambiente escolar tem sem dúvida, uma
função importantíssima. Por isso se faz necessário que a família procure acompanhar o
desenvolvimento da criança em todo o seu processo de aprendizagem, tanto no lar
quanto na sua atividade na escola.

3OBJETIVO GERAL
Desenvolver um trabalho coletivo no ambiente escolar incluindo a família
no processo ensino-aprendizagem, como parceiros e colaboradores, estimulando o
crescimento do aluno, resgatando o fortalecimento da autoestima.

4OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Valorizar dentro do ambiente escolar e familiar a importância do diálogo;
Promover a integração entre família e escola, estimulando o rendimento e o
comportamento escolar;
Ressaltar a importância da afetividade na escola
Reconhecer através deste Projeto as múltiplas relações sociais, econômicas e políticas
na formação de cidadãos críticos, participativos e construtores de uma sociedade mais
responsável, justa, humana e fraterna. e na família;
10

5 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

A parceria da família com a escola sempre será fundamental para o sucesso da


educação de todo indivíduo. Portanto, pais e educadores devem ser grandes
companheiros nessa caminhada da formação educacional do ser humano.
Conforme REIS, 2007, p. 6:

A escola nunca educará sozinha, de modo que a responsabilidade educacional da família jamais cessará.
Uma vez escolhida à escola, a relação com ela apenas começa. É preciso o diálogo entre escola, pais e
filhos.

Todos nós somos movidos por incentivos, e com as crianças não é diferente. Temos a
missão de ajudar nossos alunos a perseguir o desenvolvimento e o aprendizado pleno.
Para isso, é necessário o acompanhamento próximo e permanente dos pais na vida
escolar de seus filhos. Ajudar, motivar o esforço e cobrar resultados é alguns dos
principais fatores para que um bom desempenho seja possível.
Quando a criança se sente ouvida, e tem sempre apoio dos que o cercam, se
sente mais estimulada para buscar aprendizado e aproveitar todas as oportunidades que
a escola promove. Neste processo todos saem ganhando, a criança, a família e a escola.
O ideal é que família e escola tracem as mesmas metas de forma simultânea,
propiciando ao aluno uma segurança na aprendizagem de forma que venha criar
cidadãos críticos capazes de enfrentar a complexidade de situações que surgem na
sociedade. É fundamental que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como
a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir.
A família é a instituição primordial no que se refere à educação, pois é dela que se
origina a base pedagógica do ato de aprender e da ação educativa.
É primeiramente na família que o aluno vivencia, juntamente com os afetos e cuidados
,o saber aprender, que logo depois vivencia também nas instituições de ensino. Neste
sentido, o processo de educação escolar vem auxiliar e aliar-se ao processo de educação
iniciado no convívio familiar, de modo que juntas escola e família resultam na garantia
de uma prática educativa que de fato promova ensino e produza bons resultados na
formação de cidadãos.
11

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Básica (LDB) de 1996 reconhece


que “A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na
vida familiar, na convivência humana (...) e nas movimentações culturais”
(art. 1º da Lei 9394/1996),

Evidenciando assim, legalmente a base familiar. Porém, um dos grandes desafios das
instituições de ensino no Brasil, refere-se exatamente, a pouca participação da
comunidade e sobretudo das famílias, na gestão e nas etapas de ensino desenvolvidas
nas escolas.
A relação gestão escolar e família têm perdido espaço, gerando com isto alguns
problemas pedagógicos, dificultando o processo de ensino e de aprendizagem. Nas
últimas décadas, tem se constatado que a família é muito importante para o aprendizado
das crianças na escola e que sua ausência consequentemente gera problemas difíceis de
serem resolvidos somente pela escola. Educação é um projeto que não se desenvolve
sozinho, é necessário o
envolvimento de vários setores da sociedade civil, de forma a promover um melhor
gerenciamento e direcionamento das fases do ensino e assim alcançar êxito no processo
educativo.
Assim, a família é convidada a estar presente e inserida no contexto das instituições de
ensino. A Lei Diretrizes e Bases da Educação Básica (LDB), observando a importância
dessa correlação família/escola, já prevê em seu artigo 2º que “A educação, dever da
família e do estado (...) tem por finalidade o pleno desenvolvimento do educando (...) e
sua qualificação para o trabalho” (LDB, 1996, p.9) ou seja, os objetivos e finalidades da
educação passam necessariamente pela presença e participação da instituição familiar.
Entretanto, não se pretende com isto tirar a responsabilidade da escola ou mesmo do
estado, mas ao contrário, tornar a escola mais eficaz. É com base nisto que Bettelheim
(1988. p. 64) reconhece como é importante para o bom desenvolvimento dos alunos, o
bom relacionamento de pais e escola.

O ingrediente essencial para o êxito da maioria das crianças na


escola e uma relação positiva com os e com o envolvimento
deles em assuntos intelectuais. A criança deseja ter acesso a tudo
o que é importante para os pais a quem ama; quer aprender mais
sobre as coisas que significa tanto para eles.
12

Para Libanêo (2004) a participação dos pais na escola se dá através da interação


necessária dos mesmos, nos conselhos escolares ou associações de pais.

A presença da comunidade na escola, especialmente dos pais, te várias


implicações. Prioritariamente, os pais e outros representantes participam do
conselho de escola, da associação de pais e mestre (ou organizações
correlatas) para preparar o projeto pedagógico-curricular e acompanhar e
avaliar a qualidade dos serviços prestados. (LIBÂNEO, 2004 pag. 144)

Libâneo também coloca que além do suporte no auxílio e desenvolvimento do ensino,


os pais também são chamados a contribuírem na construção de uma proposta
pedagógica, no acompanhamento e na avaliação das ações desenvolvidas na unidade
escolar.
A necessidade desse trabalho conjunto, escola e família, têm em vista os bons
resultados no processo de ensino. Além disso, temos que ter a compreensão que o
trabalho coletivo, especialmente na unidade escolar, tende a ser muito proveitoso, pois
resulta de uma reflexão conjunta, onde a possibilidade de errar é muito menor se
comparada à escola quando trabalha sozinha.
A escola que caminha sem essa relação com a família, sem dúvida apresenta
problemas na executabilidade e sustentabilidade de suas ações pedagógicas e certamente
apresentam falhas na educação das crianças. Deste problema conjunto é que surgem
vários outros como a indisciplina, dificuldades de aprendizagem, timidez, etc.
Ate o século 19 a regra era clara, a primeira cuidava daquilo que na época se chamava
"instrução", que na prática era a transmissão de conteúdos, e a segunda se dedicava à
"Educação", o que significava o ensinamento de valores, hábitos e atitudes, diz Maria
Amália de Almeida, da UFMG.
O Ministério da Educação traz orientações simples sobre como os pais podem
trabalhar com a escola. Entre as dicas, estão:

- Ler para as crianças ou pedir para que elas leiam para eles.
- Conversar sempre com os filhos sobre assuntos da escola.
- Acompanhar as lições de casa e mostrar interesse pelos conteúdos
estudados.
- Verificar se o material escolar está completo e em ordem.
- Zelar pelo cumprimento das regras da escola.
- Participar das reuniões sempre que convocados.
13

- Conversar com os professores.

Atualmente a escola reclama da ausência da família no acompanhamento do


desempenho escolar da criança, da falta de pulso dos pais para dar limites aos filhos,
Por outro lado, a família reclama da excessiva cobrança da escola para que os pais se
responsabilizem mais pela aprendizagem da criança.
É importante ressaltar, que acompanhar a vida escolar dos nossos filhos não e
só cobrar, temos que acompanhar e orienta-los estimular, motivar, valorizar, ensinar,
conversar, prestigiar, discutir. Nessa parceria entre pais e filhos, a cobrança é a última
ferramenta a ser utilizada. Quando algo nos motivar e nos envolver, ficamos mais
estimulados a fazer determinada tarefa. Dessa forma, a família e a escolar devem ser
inseparáveis, não somente algo necessário ao indivíduo, mas também algo natural.

4METODOLOGIA

Adaptar filmes sobre a família;


Trabalhar histórias em quadrinhos, literárias, músicas, fantoches, teatro e conto partindo
do tema;
Discutir o desempenho de cada membro da família, as diferenças e semelhanças;
Fazer mural da família (com fotos ou recortes), mostrando as diversas estruturas
familiares, ressaltando a importância do amor, respeito, solidariedade, perdão.
Trabalhar a autoestima e a responsabilidade de todos os alunos, partindo do ajudante do
dia;
Trabalhar com os conteúdos sobre higiene e fazer com que eles se reflitam também em
casa.

5PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO
Conversação;
Filmes;
14

Cantigas de roda
Histórias;
Músicas;
Contos;
Passeio na casa dos alunos;
Promover jogos;
Piquenique;
Conversação sobre a família;
Origem do nome;
Álbum do nome;
Pesquisa da família montando a árvore genealógica;
Trazer fotografias da família;
Mural com palavras mágicas que ajudam na boa convivência;
Ajudante do dia;
Corpo humano;
Cuidado com as coisas alheias
-

6CRONOGRAMA DE ATIVIDADES
É mais fácil envolver os pais em qualquer trabalho quando eles sentem que suas
experiências e vivências são valorizadas pelo projeto da escola. Ao criar situações para
a participação das famílias, o docente reforça a integração social e potencializa a
construção coletiva de aprendizagens e saberes.
Para isso, seguem algumas tarefas:
Expor o projeto explicando sua importância: A diretora na abertura do Dia da
Família na Escola vai explicar a importância de ter a família presente na vida escolar de
seu filho(a), além de agradecer a presença de todos os presentes;
Após a explicação do projeto exposto, terá uma palestra com uma psicóloga sobre a
relação entre pais e filhos: direitos e deveres;
Para melhor entendimento as atividades estão separadas por meses:
Fevereiro:
O projeto poderá ser exposto aos pais em uma reunião a ser realizada no início das
aulas. Com uma dinâmica a ser escolhida para trabalhar com os pais.
15

Março:
Cada família poderá apresentar uma atividade em forma de oficina. Os dias e horários
ainda serão definidos.
Uma agenda será construída com a turma, incluindo nome dos participantes, horários,
dias, tipo de oficina, objetivo, etc.
Abril:
Palestras de membros das famílias. Temas variados como município de Iraceminha:
profissões, meio ambiente, saúde, assuntos do currículo, etc.
Produções de texto poderão ser realizadas após as palestras, coletivas ou individuais.
Maio:
A família poderá enviar para a escola instrumentos de trabalho que poderão ser expostos
no pátio para que todos possam ver e tirar dúvidas com a pessoa ligada aquele objeto,
através de identificação no próprio objeto, feita em sala.
Os alunos irão relatar as profissões das mães, ou de quem considera assim, em forma de
texto que depois será exposto na sala.
Junho:
Convidar uma pessoa da família para que ensine uma receita ligada a comida típica da
festa junina. Montar um painel na sala com as receitas trazidas de casa.
Festa junina com danças feitas pelas turmas e também danças com participação dos pais
ou familiares.
Agosto:
Os alunos irão relatar as profissões, costumes, manias, dia-dia, etc, dos pais, ou de quem
representa o pai, em forma de texto que depois será lido o exposto na sala.
Participação dos pais em atividades de melhorias da escola, como pintura, consertos etc.
Setembro:
Exposição de fotos: "Minha família" as fotos serão expostas no pátio e relatadas em
poucas palavras ao lado.
Outubro:
As crianças das famílias. Quem são? O que fazem? alguma apresentação interessante
(capoeira, balé, Karatê, etc).
Cada aluno fará sua própria pesquisa, que será escrita em forma de produção de texto,
buscando estreitar laços com essas crianças, assim como trazê-lo para fazer alguma
apresentação.
Jogos e brincadeiras na escola com a participação da família.
16

Novembro:
Palestras com a família. temas diversos: Imperatividade, alimentação saudável, etc.
"Café da manhã"/ "Chá da tarde" com a família. Momentos de descontração e avaliação
das atividades do projeto.

7RECURSOS E MATERIAIS

Murais;
Painéis; Material didático-pedagógico;
Filmadora;
Máquina digital;
Bilhetes;
Janta;
Palestrante;
Fichas;
Bebidas
Celular
Papel caneta

8CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Através de discussões, participação, produção e socialização dos trabalhos, assim como
a socialização dos alunos e familiares;
Correção da atividade direcionada individualmente ou coletiva.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL: LDB: Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei 9.394, de 1996.


2º ed. 2001. Acesso 18 de junho de 2018
17

LIBÂNEO, José Carlos: Organização e gestão: teoria e pratica / ed.


Alternativa. 2001. Acesso 15 de junho 2018

BETTELHEIM, Bruno. Uma vida para seu filho: pais bons o bastante. São
Paulo, SP: Campus, 1988. Acesso 20 de junho de 2018
PARO, Vitor Henrique. Gestão democrática da escola pública. 3ª Ed. São
Paulo, SP: Editora Ática, 2001.acesso 24 de junho de 2018.

https://gestaoescolar.org.br/conteudo/751/a-escola-da-familia
acessado 09, setembro 2018.

https://educacao.estadao.com.br/blogs/blog-dos-colegios-bis/a-importancia-da-
participacao-dos-pais-na-vida-escolar/ acesso 2 setembro 2018

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/medicina/interacao-entre-escola-e-
familia-no-processo-de-ensino-e-aprendizagem-da-crianca/57669 acesso 2 setembro
2018