You are on page 1of 3

A Terapia do Silêncio

Antônio de Pádua

Lamentações 3.26,28 a

Vivemos em um mundo cheio de ruídos.

Falamos todos ao mesmo tempo e uma conversa parece mais uma competição para ver
quem fala mais alto. Barulhos de fundo, desde música alta do vizinho até ruídos dos carros na
rua. - A nossa época é um tempo de muita agitação, de poluição sonora.

As pessoas já andam tão acostumadas com esse barulho todo, que o silêncio passou a ser
algo ameaçador. Ficamos sem jeito quando dá um branco na conversa e admitimos que as outras
pessoas fiquem caladas. Toda essa ausência de silêncio tem gerado situações sérias para a
sobrevivência do homem na terra.

Estatísticas atuais revelam que em cada cinco pessoas, três sofrem de doenças nervosas ou
cardíacas – isso provocada por excesso de barulho.

Qual a importância do silêncio? Como o silêncio pode influenciar positivamente a nossa vida?
O que diz a bíblia sobre a importância do silêncio?

O TESTE DO SILÊNCIO

Para saber se a pessoas é realmente quieta ou barulhenta, adaptamos o seguinte


questionário:

VOCÊ CONSEGUE (MESMO) FICAR QUIETO?

1. Você interrompe os outros com mais freqüência do que é interrompida?


2. É comum você desejar que a pessoa que está falando apresse logo a sua opinião?
3. Você gosta de discutir um assunto polêmico em uma sala vazia cheia de pessoas que
falam alto, todas aos mesmo tempo?
4. Você fica aflita para quebrar o branco de uma conversa?
5. Quando a conversa é abruptamente interrompida e acontecem aqueles longos intervalos
silenciosos, você logo imagina que algo esteja errado?

Revista NOVA, Outubro de 1995, Pag. 109

Acrescento a este teste duas outras perguntas:

1. Qual é o seu comportamento no culto de adoração a Deus? Você é do tipo que fala o
tempo todo?
2. Como é o seu momento de oração? É do tipo que fala sem parar e termina com um
caloroso amém e vai embora?

Se você disse SIM a todas as perguntas acima, talvez tenha chegado a hora de examinar sua
posição tanto mental, como espiritual. Há momentos certos de falar e de se manter calado:

"tempo de estar calado, e tempo de falar" - Eclesiastes 3.7

"Sabei isto, meus amados irmãos: Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar..." -
Tiago 1.19
1
Se houver desequilíbrio, ele pode cometer transgressão: "Na multidão de palavras não falta
transgressão; mas o que refreia os seus lábios é prudente." – Provérbios 10.19.

O PODEROSO SOM DO SILÊNCIO

Os especialistas em comunicação sabem que o melhor jeito de ganhar uma discussão, de


ganhar a confiança do próximo é manter o silêncio.

Os especialistas em persuasão usam o silêncio por várias razões:

1. Para extrair informações delicadas de pessoas relutantes;


2. Para absorver e entender o que foi dito;
3. Para diminuir a tensão durante um debate acalorado.
4. Para examinar as entrelinhas;
5. Para mostrar empatia e preocupação.

Revista NOVA, Outubro de 1995, Pag. 109

É importante observarmos como o Senhor Jesus agiu diante dos adversários por ocasião do
seu julgamento – seu silêncio perturbou os adversários,

"Jesus, pois, ficou em pé diante do governador; e este lhe perguntou: És tu o rei dos judeus?
Respondeu-lhe Jesus: É como dizes. Mas ao ser acusado pelos principais sacerdotes e pelos
anciãos, nada respondeu. Perguntou-lhe então Pilatos: Não ouves quantas coisas testificam contra
ti? E Jesus não lhe respondeu a uma pergunta sequer; de modo que o governador muito se
admirava" Mt 27.11-14.

O apóstolo Paulo já entendia o poder do silêncio e advertiu o silêncio das mulheres – "A
mulher aprenda em silêncio com toda a submissão" I Tm 2.11.

Pois diante da fragilidade e desigualdade que lhe eram imposta pelo sistema, Pedro também
sabia que a mulher teria no silêncio um forte aliado para testemunhar – "Semelhantemente vós,
mulheres, sede submissas a vossos maridos; para que também, se alguns deles não obedecem à
palavra, sejam ganhos sem palavra pelo procedimento de suas mulheres, considerando a vossa
vida casta, em temor". I Pe 3.1-2.

O prudente, ele sabe se manter em silêncio – "Quem despreza o seu próximo é falto de
senso; mas o homem de entendimento se cala. O que anda mexericando revela segredos; mas o
fiel de espírito encobre o negócio" Pv 11.12-13

O SILÊNCIO PARA O CRESCIMENTO ESPIRITUAL

Realmente vivemos num mundo agitado, confuso, violento e muito barulhento. Precisamos
de energias espirituais, de equilíbrio emocional para suportarmos as tensões que surgem de todos
os lados.

E só podemos alcançar tais energias e equilíbrio na comunhão pessoal com Deus. Comunhão
que só iremos experimentar em toda a plenitude, no silêncio e na quietude. E podemos afirmar
isto, baseado na orientação que vem da Palavra:

2
1. O nosso Deus é um Deus de quietude.

Vejam as experiências vividas pelo profeta Elias (I Rs 19.8-12) e a experiência de Ezequiel, o


profeta da esperança (Ez 3.22-23 – vale: silêncio).

2. O Senhor Jesus usou essa prática consigo mesmo e com os seus discípulos (Mc 1.35;
6.30-31).

A maior experiência dos discípulos Pedro, Tiago e João foi vivida na quietude de um monte,
Mt 17.1-8. O próprio Jesus recomenda aos discípulos a ter o seu "lugar tranqüilo" (Mt 6.6 – o teu
quarto).

3. A oração não é executada tão somente com voz altiva.

Ela também é executada no silêncio, Sl 131.2; I Sm 3.9. Não é fácil aceitar o poder do
silêncio, quando o mesmo nos amedronta.

Contudo, quando colocamos o silêncio para trabalhar em nosso favor, vemos o nosso poder
de observação mais aguçado e aprendemos a ler linguagens não verbais.

Precisamos arranjar tempo, criar oportunidades para estarmos a sós com Deus, cultivando
na comunhão com Ele, a nossa vida espiritual a fim de suportarmos todo esse clima e superarmos
nossas tensões.

Que Deus nos abençoe!