Sie sind auf Seite 1von 3

Aula 01/M3 – Fisiologia 27/10/2017

Referência: Guyton

Sistema Somatossensitivo

Tipos de sensibilidade em que o corpo reage com o meio externo → calor, frio, tato, fibração..
# Via Nervosa Aferente – quando entra na medula neurônios podem ser mielínicos ou amielínicos;
Obs.: Dor -> condução + lenta = fibras amielínicas
No tronco encefálico entra via nervo trigêmeo → via trigemial faz sinapse dentro da medula (N. trigemeo tem núcleo na
ponte, mesencefalo e bulbo)-> vai ser distribuido p/ para o giro;
Tálamo – região ventral posterolateral: recebe a sensibilidade geral do corpo;
Obs.: A sensibilidade da cabeça chega no posteromedial;
Obs.: Qual região do tálamo é responsável pela somestesia geral do corpo?
R: Região/núcleo ventral posterolateral
* Tálamo  córtex cerebral (vai executar a função)
Somestesia: é a capacidade que um organismo têm de receber informações sobre as diferentes partes do copor,
captadas por receptores na pele, músculos, tendões, articulações e partes das vísceras;

1. TATO
 Tato Epícrito/fino/Discriminativo – consegue definir com detalhes o que está sendo tocado (Ex.: se é liso, ....) ;
 Esterognosia – capacidade de reconhecer o objeto pelo seu formato; Ex: falar com os olhos fechados que o que está
na mão dele aquilo é um pincel. Para isso acontecer, o objeto precisa estar gravado nas áreas de associação do cérebro
(pct tem que saber o que é o objeto; precisa ser uma coisa conhecida);
 Grafestesia – capacidade de reconhecer o formato de desenho/letra feito na pele (Escrevo uma casa na mão da
pessoa, e ela reconhece pelo tato);
 Barognosia – capacidade de comparar peso (Ex.: coloca pesos diferentes em cada mão, e o pct consegue diferenciar
qual o + pesado e qual o + leve);
 Discriminação entre dois pontos – quanto mais distante mais fácil de falar que existe dois pontos;
 Pressão – capacidade de perceber um toque, pressionamento ( Ex.: aperto de mão);
 Vibratória – capaz de ser realizado pelo diapasão;
2. PROPRIOCEPÇÃO
- Sentido da posição e movimento de partes do corpo
Capacidade de saber o que suas partes do corpo estão fazendo;
3. TÉRMICA
Capaz de distinguir quente e frio;
Obs.: Não há receptores específicos p/ esse tipo de sensibilidade (até hoje);
4. DOR
Podendo ser aguda ou crônica;

Mecanoreceptores – se encontram em praticamente toda a extensão da pele no corpo;


Termoreceptores – também se encontram na pele;
Nociceptores – também presentes na pele;
Proprioceptores – são mais internos/profundos: detectam o comprimento da fibra/tendão muscular;

DOR e TEMPERATURA

TRATO SUPERFICIAL/NÃO DISCRIMINATIVO e PRESSÃO


Obs.: Trato não discriminativo: não sei falar se é uma laranja ,sinto que tocou a pele, mas não sei certinho onde está a
dor....
Receptor presente na periferia (pode ser de terminação livre ou encapsulado dependendo do tipo de sensibilidade que
vai captar -> tato não discriminativo, pressão, temperatura ) → o estímulo mecânico na pele é captado →estímulo vai
rumo ao corno posterior da ME -> faz sinapse no gânglio →ramo central alcança o corno posterior -> Sai o 1º neurônio
senstivo → vai pelo corno posterior da medula → ascende e descende alguns segmentos na medula (uns vão subir,
outros vão descer: Ex.: estímulo de C3, pode mandar p/ C1 e C6) → formando o trato de Lissauer ou trato Dorsolateral
Aula 01/M3 – Fisiologia 27/10/2017
Referência: Guyton
(neurônio de 1 ordem) → depois que entrou no trato de Lissauer vai fazer sinapse -> No corno posterior ele encontra o
núcleo próprio ( NÚCLEO PRÓPRIO = sensibilidade não discriminativa) -> faz sinapse e desse núcleo próprio sai o
neurônio de 2ª ordem sensitivo →esse neurônio ascende para alcançar os funículos lateral e anterior.
Obs.: Maior parte das fibras que vão p/ funículo anterior estão relacionadas ao tato protopático (não discriminativo/
grosseiro).
A maior parte das fibras do f. lateral = relacionado com temperatura e dor; →subiu -> cruza dentro da medula ( ''lado
direito vai p/ esquerdo'': isso indica que uma lesão de um lado, atinge o outro lado) → chega ao tálamo → região de
somestesia geral: região posterolateral  faz sinapse → formação do 3 neurônio → córtex (área III, II, I de
Brodmann)→ faz sinapse → formação do 4º neurônio (córtex)→ cápsula interna → subst. branca → alcança região
específica do córtex (área somestésica: giro pós-central) → decifração do tipo de estímulo;
Obs.: P/ estímulo chegar ao córtex, ''usou'' 3 neurônios (3 neurônio saí do tálamo)
Obs.: O que vai diferenciar se é temperatura, dor,... é o tipo de receptor (pois a via de entrada é a mesma)

Estímulo da DOR
Corte -> dermatomos da pele(onde estão ligados receptores responsáveis pela dor: terminações nervosas livres) ->
capta estimulo -> estimulo entra pelo corno posterior da ME → Emite ramos de 1a ordem:
→ Um desses ramos entra/faz sinapse no Trato de Lissauer/trato dorsolateral → encontra o núcleo próprio -> cruza a
medula no lado oposto → a maior concentração de fibras de dor segue o funículo lateral;
Obs.: Maior concentração de fibras de dor: funiculo lateral
Obs.: Maior concentração de fibras de pressão: funículo anterior
→ Outras fibras fazem sinapse no núcleo chamado substância gelatinosa (quando é estimulada, ela aumenta a
intensidade da dor);
→ Outro ramo desse neurônio vai p/ corno anterior da ME –> faz sinapse com fibras motoras → estímulo saí pelo corno
anterior, passa pela fibra motora → estimula fibras extrafusais → provocando uma contração (Reflexo de retirada -> Ex.:
quando me queimo na panela, esse reflexo vai fazer com que eu tire minha mão de lá).
As fibras também cruzam p/ lado oposto e saem pelo corno anterior, provocando uma contração → passa pela fibra
motora → Reflexo postural de extensão cruzada (estimulando Mms extensores: tira a mão perto da panela e mantém a
mão longe);
Obs.: Reflexo postural: consiste em estimular o neurônio contralateral.
Obs.: Quando pessoa corta o dedo, geralmente aperta o local p/ aliviar a dor, pois a via do tato é a mesma da dor: se
estímulo do tato é maior: ajuda a diminuir estímulo da dor.

# Dor aguda: sente exatamente onde dói; sobe todo o processo normal descrito acima; Fibras são mielínicas (muito
rápido) do tipo A (''fibras sobem'' direto e levam estímulo); Sobe direto p/ região do giro pós-central.
# Dor crônica: sua diferença da dor aguda é que ''sobe'' de forma mais lenta (outro tipo de fibra) e quando chega ao
tronco encefálico, começa a emitir fibras até chegar ao tálamo, essas fibras fazem sinapse na formação reticular –> FR
começa a querer entender o que é a dor (mas não decifra totalmente, pois quem decifra é o córtex) → vai para o tálamo
( região intralaminar: quando vai p/ região intralaminar, tálamo já ''começa a querer decifrar'': mas ainda não dá
resposta )→ no córtex ‘’esparrama’’ a sensação o que dificulta saber a localização do dor;
Obs.: Dor crônica: entra na FR, emite ramos (''esparramando'' pelo córtex: inespecífico, não sei especificar: não sei falar
se corte foi debaixo da unha, só sei dizer que machuquei o dedo).
Obs: o estímulo que vai pelo n. ventral posteromedial do tálamo Obs.: Algumas fibras terminam no núcleo
posteromedial do tálamo: leva estímulo p/ sistema limbico = sensação desagradável da dor-> esse núcleo vai levar
estímulo p/ região do cíngulo (sistema límbico)-> tem-se a sensação desagradável da dor (não é a sensação da dor, é a
sensação desagradável); Tem a interferência do sis. Límbico;

Trato Espinoreticular (saí da FR e vai p/ córtex)
Obs.: Cruzamento de fibras DENTRO da ME

PROPRIOCEPÇÃO CONSCIENTE
TATO DISCRIMINATIVO (EPICRÍTICO)
- Esteregnosia,discriminação entre 2 pontos,...
Aula 01/M3 – Fisiologia 27/10/2017
Referência: Guyton
-Receptor → Neurônio de 1ª ordem → emite ramo que sobe e outro que desce, que vai entratr no Trato de Lissauer->
 entra pelo corno posterior da medula → NÃO FAZ SINAPSE PARA A FORMAÇÃO DO 2º NEURÔNIO → F. posterior →
Ascende → Tronco Encefálico (bulbo) → no Bulbo encontra o núcleo grácil (+ medial) e cuneiforme → Faz sinapse →
Decussação das fibras (se cruzam) → tálamo (somestesia geral do corpo: região posterolateral ) → Faz sinapse→ ventre
posterolateral faz sinapse → cápsula interna → córtex → giro pós central;
Obs.: Núcleos na região posterior do bulbo = núcleos grácil e cuneiforme.
Obs.: Não há cruzamento de fibras dentro da ME, cruzamento de fibras dentro do BULBO
Obs.: Quando as fibras do cuneiforme e grácil juntam-se, é chamado de Lemnisco Medial.

PROPRIOCEPÇÃO (dá capacidade de posição, distensão muscular,.... pessoa consegue entender movimento que está
acontecendo)
Receptores que captam: Fusos musculares, Receptores articulares e Orgãos Tendinosos de Golgi → acontece pela
mesma via do discriminativo;

PROPRIOCEPÇÃO INCONSCIENTE
Obs.: Neurônio periférico da propriocepção consciente e inconsciente é o mesmo: são ligados à um gânglio.
São carregadas pelos mesmos receptores da propriocepção consciente, mas não é decifrada pela área somestesica/não
vai p/ córtex cerebral, ela vai rumo ao cerebelo = manter a postura equilíbrio (vai saber quanto o Mm está distendendo
ou encurtando);
Receptor → entra pelo corno posterior → formação de 2 vias: espinocerebelar anterior e espinocerebelar posterior;
 Espinocerebelar anterior: CRUZA para o lado oposto na medula → sobe pelo tronco encefálico → alcança o
pedúnculo cerebelar superior (mesencéfalo) → cruza para o lado oposto → faz sinapse no cerebelo → desce para
realizar a movimentação;
Obs.: Se tenho problema no lado direito,lado acometido é o mesmo lado (cruzou e depois descruzou; em relação ao
cerebelo; já na ME, é o lado contralateral)e afetar um lado, vai acontecer do mesmo lado;
 Espinocerebelar posterior: sobe pela medula até passar pelo tronco encefálico → alcança o pedúnculo cerebelar
inferior (bulbo) → entra no cerebelo → núcleos cerebelares (fastigial, globoso,..) → faz sinapse nessa região →estímulo
vai p/ córtex do cerebelo → encontra células granulares e de purkinje → céls de purkinje faz sinapse → sai do cerebelo
pelo pedúnculo → volta para a formação reticular → formando o trato reticuloespinhal (tem fibras do cerebelo) → volta
pelo corno anterior da ME (provocando contração ou não = equilíbrio e postura) → promove contração;
Esse tratos carregam a sensibilidade do tronco para os MMII;
NÃO cruza
Obs.: Esses tratos carregam propriocepção inconsciente do tronco p/ MMII
Obs.: Quem carrega do tronco p/ MMSS = trato cuneocerebelar

TRATO CUNEOCEREBELAR
É o responsável pela propriocepção inconsciente dos membros superiores, parte alta do tronco e pescoço;
Acontece da mesma forma a parte inicial → entra no F. arquerada externa → sobe pelo pedúnculo cerebelar superior 
cerebelo → volta para realizar a ação;