You are on page 1of 5

Analista MPU – Contabilidade Geral – Aula 02 sócios devem subscrever (assumir o compromisso

de realizar) todas as ações ou cotas em que se


1. Conta Capital Social divide o capital social, ainda que seja realizada
apenas uma parte do capital subscrito.
A conta Capital Social Subscrito representa os
recursos a serem aportados pelos sócios na Capital Nominal ou Capital Declarado: é o capital
empresa. social fixado no estatuto ou contrato social.
Segundo a Lei 6.404/76, o capital social deve ser
Também é conhecido como capital social ou capital
desdobrado de forma a indicar a parcela subscrita
social subscrito.
e, por dedução, a parcela ainda não realizada.
Portanto, no balanço patrimonial, o capital social Subscrição: ato pelo qual os sócios assumem o
será representado pelas contas ‘Capital Social’, que compromisso de realizar determinado valor a título
representa o capital social subscrito, e ‘Capital a de capital social. A subscrição pode ser relativa a
Realizar’ (retificadora do patrimônio líquido),que compromisso de realização do capital social inicial
indica a parcela do capital social subscrito que resta ou a aumento do capital.
integralizar.
Portanto, no patrimônio líquido, o capital social Capital a Realizar: é a parte do capital social
será apresentado da seguinte forma: subscrito que os sócios ainda não realizaram.
Capital Subscrito – Capital Realizado = Capital a
Capital Social
Realizar.
(Capital a Realizar)
Capital Realizado
Capital Realizado: é a parte do capital social
Conforme determina o artigo 7º da Lei 6.404/76, o subscrito que os sócios já realizaram, em dinheiro,
capital social poderá ser formado com outros bens ou créditos. Consiste na diferença
contribuições em dinheiro ou em qualquer espécie entre o capital social subscrito e o capital social a
de bens suscetíveis de avaliação em dinheiro. realizar. Capital Subscrito – Capital a Realizar =
Capital Realizado.
Exemplos:
Capital Próprio: o mesmo que recursos próprios. É
a) Subscrição de capital social no valor de $ representado pelo Patrimônio Líquido.
170.000,00
Capital de Terceiros ou Capital Alheio: o mesmo
b) Integralização do capital social em dinheiro, que recursos de terceiros. É o passivo exigível. No
no valor de $ 50.000,00. balanço patrimonial de uma empresa, corresponde
à soma do passivo circulante (dívidas de curto
c) Integralização do capital social em terreno prazo) com o passivo não circulante (dívidas de
avaliado no valor de $ 120.000,00 longo prazo).

Conceitos de Capital – Terminologia Contábil Capital Total à Disposição: é a soma do capital


próprio com o capital de terceiros.
Capital Autorizado: no caso de sociedades
anônimas, é um limite previsto no estatuto para Capital Aplicado: é o ativo total.
novas subscrições de capital sem a necessidade de Capital Imobilizado: é a soma do ativo imobilizado
alteração estatutária. É uma autorização prévia no com o ativo intangível, quer dizer, são os bens de
estatuto para aumento de capital por meio de uso com valor relevante e vida útil superior a 1 ano.
subscrição dentro de certo limite.
Capital Fixo: é o ativo não circulante (excluído o
Capital Social ou Capital Social Subscrito: é o capital realizável a longo prazo). Para alguns autores, o
social fixado no estatuto ou contrato social. Os
capital fixo é formado apenas pela soma do ativo independem da vontade da administração da
imobilizado com o intangível. entidade.

Classificação dos Fatos Contábeis


2. Regime de caixa e Regime de competência.
Os fatos contábeis podem ser classificados,
Regime de Caixa: a receita e a despesa somente conforme o reflexo que causarem no patrimônio
são reconhecidas quando ocorre a saída ou a líquido, em:
entrada efetiva de recursos financeiros, ou seja,
fatos que alterem as contas caixa e bancos conta - permutativos;
movimento.
- modificativos, aumentativos ou diminutivos; e
Regime de competência: a receita e a despesa são
reconhecidas quando ocorre o fato gerador, ainda - mistos, aumentativos ou diminutivos
que não haja recebimento ou pagamento.
Fatos Contábeis Permutativos
Exemplo: a partir dos fatos abaixo relacionados,
São os fatos contábeis que não alteram o
apurar os resultados pelos regimes de caixa e
patrimônio líquido. Representam apenas permutas
competência.
entre itens do patrimônio.
- Reconhecimento da despesa de salários, no valor
de $ 36.000,00 para pagamento no dia 10 do mês Exemplo: compra de mercadorias, à vista, em
seguinte; dinheiro, no valor de $ 40.000.

- Pagamento de despesas antecipadas de seguros


no valor de $ 1.200,00; Fatos Contábeis Modificativos

- Pagamento de conta de energia elétrica no valor São os fatos contábeis que alteram o patrimônio
de $ 600,00; líquido da entidade, seja para mais (aumentativos),
seja para menos (diminutivos).
- Prestação de serviços para recebimento em 30
dias, no valor de $ 12.000,00; Exemplos:

- Recebimento antecipado de juros relativos a Receita de prestação de serviços no valor de $


empréstimos concedidos no valor de $ 300,00; 30.000 – Fato modificativo aumentativo.

Perda de mercadorias, no valor de $ 20.000, em


3. Fatos Contábeis incêndio – Fato modificativo diminutivo
(insubsistência do ativo).
A Contabilidade Geral tem o patrimônio das
entidades por objeto de estudo. Portanto, os Fatos Contábeis Mistos
registros contábeis, na grande maioria das vezes,
apenas serão realizados quando ocorrerem Correspondem aos fatos que apresentam,
alterações qualitativas ou quantitativas no simultaneamente, permutações entre itens
patrimônio. patrimoniais e acarretam aumento ou diminuição
A essas alterações denominamos fatos contábeis, do patrimônio Líquido.
que podem decorrer de fatos administrativos, ou
seja, ações da administração que visam a alterar o
patrimônio, ou de eventos imprevistos, tais como Exemplos:
incêndios, inundações e outras situações que
Venda de veículo de uso da empresa por valor contabilidade bancária também há a utilização de
superior ao registrado pela contabilidade – fato contas de compensação para o controle de atos
misto aumentativo. que potencialmente possam afetar o patrimônio.

Venda de veículo de uso da empresa por valor 7. Escrituração


inferior ao registrado pela contabilidade – fato
misto diminutivo. Lei 6.404/76

“Art. 177. A escrituração da companhia será


4. Plano de contas
mantida em registros permanentes, com
obediência aos preceitos da legislação comercial e
Consiste numa relação padronizada das contas que desta Lei e aos princípios de contabilidade
serão utilizadas no registro contábil das operações geralmente aceitos, devendo observar métodos ou
da entidade. O estabelecimento de um plano de critérios contábeis uniformes no tempo e registrar
contas visa à uniformidade da escrituração dos as mutações patrimoniais segundo o regime de
fatos contábeis. competência.”
O plano de contas também deve prever normas de
Livros Contábeis e suas formalidades
procedimentos, indicando a função e o
funcionamento de cada conta. Além disso, deve Formalidades extrínsecas. Relacionam-se à
prever modelos de documentos contábeis. apresentação ou aparência dos livros de
O plano de contas deve ser flexível, ou seja, deve escrituração que:
ser permitida a inclusão ou exclusão de contas.  Devem ser encadernados;
 Ter suas folhas numeradas
5. Classificação das contas tipograficamente;
5.1 Quanto ao elemento a ser registrado  Possuir termo de abertura e encerramento,
5.1.1 Patrimonial em que conste, entre outras informações, a
5.1.2 Resultado assinatura do responsável, a identificação da
5.1.3 Compensação empresa e do livro.
5.2 Quanto à natureza do saldo
5.2.1 Devedora Formalidades intrínsecas. São as formalidades
5.2.2 Credora relacionadas à escrituração contábil e determinam
5.3 Variação na natureza do saldo que a escrituração deve:
5.3.1 Estável
 Obedecer a um método uniforme, em
5.3.2 Instável
língua e moeda nacionais, com individuação e
5.4 Desdobramento
clareza;
5.4.1 Analítica
 Ser realizada em rigorosa ordem
5.4.2 Sintética cronológica;
5.5 Permanência do saldo  evitar rasuras, emendas, entrelinhas,
5.5.1 Permanente borrões ou raspaduras, espaços em branco,
5.5.2 Transitória observações ou escritas à margem.
5.6 Quanto aos lançamentos
5.6.1 Unilaterais 8. Livros comerciais e fiscais
5.6.2 Bilaterais
Livros comerciais ou empresariais

São previstos na legislação comercial e são


classificados em:
6. Sistema de contas
Obrigatórios e Facultativos
Agrupamento de contas com características
comuns. Na Contabilidade Pública, por exemplo, há Livros obrigatórios são aqueles exigidos por lei. Os
livros facultativos não são exigidos por lei e,
os subsistemas patrimonial, financeiro,
portanto, podem ou não ser adotados, a critério da
orçamentário, de compensação e de custo. Na empresa.
Comuns e especiais  Registro de compras
 De apuração do lucro real (LALUR)
Livros comuns são exigidos das empresas em  Registro permanente de estoque, no caso
geral, independentes de seu tipo societário ou de pessoas jurídicas que exerçam
atividade. Os livros especiais são os exigidos atividades de compra, venda e
exclusivamente de determinadas sociedades, em incorporação e construção de imóveis,
razão de sua forma jurídica ou atividade. loteamento ou desmembramento de
terrenos para venda
Principais e auxiliares  De movimentação de combustíveis, a ser
escriturado diariamente pelo posto
Livros principais registram todos os fatos, como o
revendedor.
Diário e Razão. Livros auxiliares são os que se
destinam ao controle de um determinado 9. Elementos do Lançamento Contábil
componente patrimonial, como o Livro Caixa.  Local e data;
 Conta(s) debitada(s);
Cronológicos e sistemáticos  Conta(s) creditada(s);
 Histórico;
Livros cronológicos são os que obedecem à
 Valor;
rigorosa de dia, mês e ano em sua escrituração,
como é o caso do Livro Diário. Livros Sistemáticos 10. Fórmulas de Lançamento
são aqueles que levam em consideração a
organização das informações, como o Livro Razão. Os lançamentos referentes ao registro dos fatos
contábeis serão classificados em fórmulas, de
Livro Diário acordo com o número de contas debitadas e
creditadas, conforme mostra a tabela:
É obrigatório para todas as sociedades, segundo o
Código Civil. A legislação do Imposto de Renda não
obriga a escrituração do Livro Diário para os Fórmula Nº Débitos Nº Créditos
contribuintes com base no lucro presumido.
Entretanto, deve manter sua escrituração em razão PRIMEIRA (11) 1 1
da legislação comercial.
SEGUNDA (12) 1 2 OU +
Livro Razão TERCEIRA (21) 2 OU + 1
É livro facultativo segundo a legislação comercial, QUARTA (22) 2 OU + 2 OU +
mas é obrigatório para os contribuintes do imposto
de renda com base no lucro real.

Livros obrigatórios para as Sociedades 11. Métodos de correção de erros nos


Anônimas (Lei 6.404/76, art. 100) Lançamentos

 Registro de ações nominativas  Estorno: total e parcial


 Transferência de ações nominativas  Transferência
 Registro de partes beneficiárias  Complementação
nominativas
 Transferência de partes beneficiárias Exemplos:
nominativas
a) A empresa registrou a compra de mercadorias a
 Atas das assembléias gerais
prazo, no valor de $ 12.000,00. Posteriormente,
 Presença de acionistas
 Atas das reuniões do Conselho de a compra foi cancelada integralmente.
Administração, se houver, e Atas das b) A empresa registrou a compra de mercadorias a
Reuniões da Diretoria prazo, no valor de $ 12.000,00. Posteriormente,
 Atas e Pareceres do Conselho Fiscal
a compra foi cancelada parcialmente em 20%.
Livros obrigatórios para o contribuinte do
c) Uma compra de mercadorias no valor
imposto de renda com base no lucro real
$ 10.000,00 foi efetuada em cheque, à vista,
porém o lançamento foi efetuado como se o
 Registro de inventário
pagamento tivesse ocorrido em dinheiro.
d) Uma compra de veículo foi efetuada por meio de
um pagamento à vista no valor de $ 5.000,00 e
a assunção de 10 parcelas iguais no valor de $
500. Entretanto, o registro contábil evidenciou
pagamento total a vista em cheque.

e) O pagamento de despesa de energia elétrica


em dinheiro foi lançado pelo valor de $ 400,00,
quando, na verdade, a despesa correspondeu a
$ 750,00.

12. Balancete de verificação

Instrumento utilizado para verificação da exatidão


dos lançamentos contábeis feitos no Livro Diário e
os saldos das contas do Livro Razão. Não se trata
de uma demonstração contábil. O balancete reúne
contas patrimoniais e de resultado. Após a
elaboração do balancete de verificação são
elaboradas as demonstrações contábeis. O
fechamento do balancete consiste na verificação de
que a soma dos saldos devedores é igual à soma
dos saldos credores.

Exemplo:

Conta Saldo devedor Saldo credor

Caixa 2.000

Títulos a pagar 5.000

Duplicatas
8.000
emitidas

Capital social 20.000

Receita de
4.000
vendas

Imóveis 19.000

TOTAIS 29.000 29.000