Sie sind auf Seite 1von 22

HISTÓRIA – 6o ANO

PROF – PADRÃO – VOL III


Direção Executiva:
Fabio Benites

Gestão Editorial:
Maria Izadora Zarro

Diagramação, Ilustração Autores:


de capa e Projeto Gráfico:
Alan Gilles Mendes Ciências: Alba Alencar
Alex França D. Geométrico: Thiago Santos
Dominique Coutinho Espanhol: Mizael Souza
Erlon Pedro Pereira Geografia: João Paulo Prado
Estevão Cavalcante História: Michelle Trugilho
Paulo Henrique de Leão Inglês: Maria Izadora Zarro
Matemática: Ricardo Pereira
Estagiários: Português: Luiza Marçal
Amanda Silva Redação: Cláudia Pires
Fabio Rodrigues
Gustavo Macedo
Lucas Araújo

Irium Editora Ltda


Rua Desembargador Izidro,
no114 - Tijuca - RJ
CEP: 20521-160
Fone: (21) 2560-1349
www.irium.com.br

É proibida a reprodução total ou parcial, por qual-


quer meio ou processo, inclusive quanto às caracte-
rísticas gráficas e/ou editoriais. A violação de direitos
autorais constitui crime (Código Penal, art. 184 e §§, e
Lei nº 6.895, de 17/12/1980), sujeitando-se a busca e
apreensão e indenizações diversas (Lei nº 9.610/98).
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

ORIENTADOR METODOLÓGICO PADRÃO

ENSINO FUNDAMENTAL 2016/2017

O material didático da Irium Educação foi reformulado para o biênio 2016/2017 com o
intuito de estar atualizado com as demandas educacionais dos principais concursos do país e
alinhado com os pilares educacionais elementares defendidos pela editora.

Além de conter um projeto pedagógico inovador, o projeto gráfico é totalmente inovador.


O design de cada página foi projetado para ser agradável para a leitura e atrativo visualmente,
favorecendo a passagem das informações. Há uma identidade visual para cada disciplina e as
seções são marcadas para favorecer a aprendizagem.

Veja algumas páginas:

1
Didaticamente, há um projeto traçado que envolve fundamentos pedagógicos de
vanguarda. Além disso, o material impresso “conversa” com o site galeracult.com.br, além de
vídeos dispostos na videoteca do irium.com.br.

Confira os fundamentos pedagógicos do material e suas justificativas:

Fundamento 01:
Apresentar um conteúdo em termos de ementa e nível de acordo com os Parâmetros
Curriculares Nacionais (PCNs), refletidos pelos principais concursos do país do referido
segmento, assim como do segmento subsequente (Ensino Médio).

Descrição: O conteúdo de cada série segue as orientações dos PCNs, porém existe a
possibilidade de reordenação, pois o material é constituído de cadernos independentes, que
possibilitam a construção de acordo com a vontade da escola parceira. Para isso, basta a escola
utilizar o nosso cronograma – que está apresentado a seguir – e escolher a nova ordem dos
cadernos, inclusive trocando de séries, caso seja necessário. Fundamento 02: Alinhar desde o
princípio os objetivos pedagógicos de cada caderno (capítulo).

Fundamento 02:
Alinhar desde o princípio os objetivos pedagógicos de cada caderno (capítulo).

Descrição: Ainda na capa de cada caderno (capítulo), professores e alunos encontrarão


os objetivos a serem alcançados naquela unidade. Dessa forma, pretende-se que docentes e
discentes comecem “com o objetivo em mente”, ou seja, que tenham clareza desde o início dos
objetivos.

Como funciona na prática? Após a contextualização, sugerimos que o professor


apresente os objetivos pedagógicos do caderno, ou seja, o que o aluno deve assimilar e quais
competências ele deve desenvolver, quando o caderno estiver com a teoria vista e os exercícios
realizados.

Na capa do caderno de Sinais de Pontuação, ao lado, ao ler os


objetivos da unidade, junto com os alunos, o professor deixa
claro que visa ensinar para compreensão dos alunos dos erros
de comunicação gerados por má emprego da pontuação,
reconheçam e saibam empregar corretamente os sinais de
pontuação.

2
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 03:
Transcender o conteúdo tradicional, através do diálogo entre este e outros saberes,
não previstos na Base Nacional Comum, mas considerados relevantes para a formação
do jovem, segundo a visão da Irium Educação.

Descrição: Além do conteúdo tradicional, o material do Ensino Fundamental II é focado


em novos saberes essenciais para a formação dos jovens hoje em dia. Saberes como Educação
Financeira, Noções de Nutrição, Noções de Direito, Empreendedorismo, entre outros, são
apresentados de forma dialógica com os conteúdos tradicionais. De forma prática, em cada
caderno há pelo menos uma inserção transdisciplinar em formato de observação. Essas inserções
surgem no material impresso em uma versão reduzida e o artigo na íntegra pode ser acessado
no site do projeto galeracult.com.br.

Como funciona na prática? As inserções são apresentadas em um quadro específico e


o conteúdo é exposto por um personagem ficcional criado pelo time da Irium Educação. Esses
personagens são jovens e possuem características e linguagem próprias da adolescência, o que
gera identificação com os alunos. Para os professores, fica a sugestão de utilizar esses artigos
transdisciplinares para apresentar como o conteúdo presente “dialoga” com outros, estendendo
a aprendizagem e mostrando outras áreas do conhecimento onde alguns alunos, com certeza,
irão se identificar. Esse fundamento do material didático é uma grande oportunidade para fazer
conexões entre os saberes, valorizando cada um e ainda mais a sinergia entre eles. Além do
artigo presente na apostila, os educadores podem incentivar os educandos a acessar o conteúdo
completo, no site, possibilitando a navegação por outros artigos e, consequentemente, o acesso
a mais informações de qualidade. Veja no recorte abaixo, como a música do Cazuza foi utilizada
para exemplificar uma Oração Subordinada Adverbial e, com isso, acaba sendo conectada a
história do próprio compositor, enriquecendo o conhecimento cultural do aluno.

3
Fundamento 04:
Sugerir contextos para apresentação dos conteúdos a fim de tornar o aprendizado
mais prático e concreto para o aluno.

Descrição: Um desafio para os educadores é não cair no “conteudismo” puro, distante


da aplicabilidade desses e da realidade dos alunos. Para isso não acontecer, o material traz
sugestões de contextualizações para o início do conteúdo, além de outras exemplificações
práticas ao longo da apresentação da teoria.

Como funciona na prática? Na capa de cada caderno, há uma charge, uma tirinha, uma
citação, um meme ou outra representação que o professor pode usar como “gancho” para iniciar
a sua aula de forma contextualizada, trazendo mais significado para o aprendizado desde o início
da aula. Repare que o texto abaixo (à esquerda) – entre a imagem principal e a seção “Objetivos”
– propõe uma reflexão sobre o conceito de História. Essa provocação cabe perfeitamente para o
início da exposição, considerando que se pretende desconstruir o conceito vulgar de História. No
outro exemplo (à direita), o autor inseriu uma tirinha para exemplificar uma oração subordinada
adverbial.

4
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 05:
Promover uma linguagem mais dialógica e sedutora para o aluno, a fim de
sensibilizá-lo para a importância do conteúdo, facilitando o processo de aprendizagem.

Descrição: A forma como as informações são apresentadas é essencial para criar


simpatia ou rejeição por parte dos alunos. Pensando nisso, reformulamos a linguagem do
material, especialmente no início de cada caderno – na primeira impressão, - para que ela fosse
mais atrativa para os jovens. Assim, o texto “conversa” com o leitor, favorecendo a apresentação
do conteúdo e evitando rejeições devido a forma como ele é apresentado.

Como funciona na prática? Os textos do material não possuem linguagem coloquial,


eles são técnicos. Porém, não são puramente técnicos no sentido tradicional. Eles buscam
uma aproximação do leitor, como se o autor estivesse “conversando” com o leitor. Esse tipo de
construção favorece a compreensão e os professores podem usar isso em exercícios como:
reescreva determinado texto com suas palavras, deixando claro o que você entendeu. Nos textos
tradicionais, normalmente, os alunos tem dificuldade de entenderem sozinhos. Veja os textos
abaixo como são convidativos.

5
Fundamento 06:
Articular conteúdo e exercícios de forma planejada, a fim de tirar o melhor do
proveito desses últimos, funcionando como validação dos conceitos básicos trabalhados
ou espelhando a realidade dos mais diversos concursos.

Descrição: Há três seções de exercícios “tradicionais”. Os Praticando possuem o


aspecto de validação da aprendizagem, os Aprofundando refletem a clássica abordagem dos
concursos e os Desafiando são os mais difíceis, até mesmo para os principais concursos do
país. Existem também, em todas as seções, questões resolvidas em vídeo. Elas estão sinalizadas
com um ícone de uma câmera, que indica que há solução gravada, e podem ser localizadas pelo
código justaposto. Através desse código, o aluno-usuário deverá acessar a área da Videoteca,
localizada em irium.com.br.

Como funciona na prática? Os exercícios Praticando, por serem validações da


aprendizagem, permeiam a teoria, ou seja, teoria 1 → praticando 1 → teoria 2 → praticando 2
→ ... Os Aprofundando servem como mini simulados de concursos e são recomendados “para
casa” para serem corrigidos na aula seguinte. Os Desafiando, por serem os mais difíceis, podem
valer pontos extras em atividades a parte.

Fundamento 07:
Incentivar o aluno a estender sua aprendizagem além da sala de aula, seja com links
com sites e aplicativos ou através de atividades complementares de pesquisa e reflexão.

Descrição: O material possui também exercícios não ortodoxos. As questões “tradicionais”


são testes para verificar se o aluno consegue reproduzir aquilo que deveria ser aprendido. Na
seção Pesquisando, o material propõe exercícios novos, que incentivam a pesquisa on-line
e off-line, reflexões sobre escolhas e comportamentos e servem também, para possibilitar a
atuação dos responsáveis na educação formal do filho, pois podem ajuda-los nas pesquisas e
reflexões sugeridas pela atividade.

Como funciona na prática? A seção Pesquisando é constituída


de exercícios “fora da caixinha”, isto é, aqueles que exigem
pesquisas e/ou reflexões. Há algumas utilizações pedagógicas
interessantes para essa seção. Exemplos: 1) O professor poderia
pedir um caderno separado para registro desses exercícios. Ao
final ele teria um verdadeiro portfólio da produção dos alunos ao
longo de determinado tempo; 2) Os pais poderiam ser convidados
a participar da educação formal do filho, ajudando-o ou
simplesmente perguntando sobre os temas abordados nesses
exercícios, pois são mais fáceis para esse intuito do que os
exercícios tradicionais; 3) O aluno poderia exercitar sua oratória
apresentando atividades propostas nessa seção; 4) Alguns
Pesquisando podem ser usados como temas para debates em
sala, desenvolvendo as habilidades de ouvir e compreender o
outro, além, obviamente, da capacidade de argumentação.

6
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

Fundamento 08:
Oferecer informações sintetizadas, a fim de atender momentos de revisão do
conteúdo.

Descrição: No final de todo caderno, apresentamos uma seção denominada Resumindo,


onde é apresentado uma síntese do conteúdo do caderno. O intuito é possibilitar que o aluno
tenha um resumo bem construído para uma revisão rápida, quando necessária.

7
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
6º ANO – 2016 / 2017

HISTÓRIA

1º bimestre

EF2HIS601: Introdução ao estudo da História


• O que é história e para que serve
• Os sujeitos da história
• Fontes e fatos históricos
• Diversidade cultural
• Tempo e espaço
• Marcando o tempo no nosso calendário

EF2HIS602: Pré-História
• Pré-história: um termo preconceituoso
• Divisões da Pré-história
• Transição da Pré-história para a História

EF2HIS603: Civilização Egípcia


• A importância do rio Nilo: o rio da vida
• A hierarquia social no Egito Antigo
• A religião egípcia: viver para sempre
• O ritual da mumificação e as pirâmides

2º bimestre

EF2HIS604: Povos Mesopotâmicos


• Sumérios
• Babilônios
• Assírios
• Caldeus

EF2HIS605: Fenícios, Persas e Hebreus

8
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

• Fenícios: navegadores e comerciantes


• O grandioso Império Persa
• Hebreus: em busca da terra prometida

EF2HIS606: Civilização Grega


• O desenvolvimento das cidades-Estados gregas
• Principais características de Atenas e de Esparta
• Guerras: união e declínio das cidades-Estados gregas
• Cultura na Grécia antiga

3º bimestre

EF2HIS607: Civilização Romana


• Da monarquia à república: a lenda sobre a origem de Roma, a monarquia romana, organização
política no período republicano, o expansionismo romano
• O declínio da república romana: os conflitos entre patrícios e plebeus, o triunvirato e o fim da
república
• Império Romano: principais aspectos do período imperial
• O surgimento do Cristianismo
• Crise do Império Romano: principais razões que levaram à crise

EF2HIS608: Impérios do Oriente


• O Império Bizantino;
• Surgimento e fortalecimento do islamismo;
• Formação, apogeu e declínio do Império Árabe.

4º bimestre

EF2HIS609: Sociedade Feudal


• A sociedade feudal: principais aspectos
• O poder da Igreja na Idade Média: o poder ideológico, econômico e cultural da Igreja na Idade
Média, contestações ao poder da Igreja
• As cruzadas: significado e objetivo das cruzadas, o desenvolvimento das cruzadas, consequências
das cruzadas

EF2HIS610: O declínio do Feudalismo


• Renascimento comercial e urbano: o período de paz e o aumento demográfico, o avanço
tecnológico e o fortalecimento do comércio, o renascimento urbano e a formação da burguesia
• A crise do século XIV: a peste negra, as revoltas camponesas, a formação dos Estados nacionais

9
10
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 2017

ORIENTADOR METODOLÓGICO PADRÃO

ENSINO FUNDAMENTAL 2016/2017


6º ano
HISTÓRIA

3o bimestre:

Aula: 21
Tópico: Civilização Romana
Objetivos: Da monarquia à república: a lenda sobre a origem de Roma, a monarquia romana, organização
política no período republicano, o expansionismo romano; O declínio da república romana: os conflitos
entre patrícios e plebeus, o triunvirato e o fim da república
Subtópicos: A lenda sobre a origem de Roma; A monarquia romana; Organização política no período
republican; O expansionismo romano; O declínio da REpública romana;
Exercícios: x
Para casa: Praticando 1 ao 5

Aula: 22
Tópico: Civilização Romana
Objetivos: Império Romano: principais aspectos do período imperia
Subtópicos: O triunvirato e o fim da República; Principais aspectos do período imperial; ;
Exercícios: x
Para casa: Praticando 6 ao 7

Aula: 23
Tópico: Civilização Romana
Objetivos: O surgimento do Cristianismo; Crise do Império Romano: principais razões que levaram à crise
Subtópicos: O surgimento do Cristianismo; A crise do Império Romano
Exercícios: Praticando 8 ao 10
Para casa: Aprofundando e Desafiando

Aula: 24
Tópico: Civilização Romana
Objetivos: Revisão
Subtópicos: x
Exercícios: Aprofundando e Desafiando
Para casa: Pesquisando

9
Aula: 25
Tópico: Impérios do Oriente
Objetivos: O Império Bizantino
Subtópicos: O Império Bizantino;
Exercícios: x
Para casa: Praticando 1 ao 5

Aula: 26
Tópico: Impérios do Oriente
Objetivos: Surgimento e fortalecimento do islamismo; Formação, apogeu e declínio do Império Árabe
Subtópicos: O islamismo e o Império Árabe;
Exercícios: Praticando 6 ao 7
Para casa: Aprofundando e Desafiando

Aula: 27
Tópico: Impérios do Oriente
Objetivos: Revisão
Subtópicos: x
Exercícios: Aprofundando e Desafiando
Para casa: Pesquisando

Aula: 28
Tópico: Revisão
Objetivos:
Subtópicos: Revisão
Exercícios: Revisão bimestral
Para casa: Revisão bimestral

10
CIVILIZAÇÃO ROMANA

ORIENTADOR METODOLÓGICO
Civilização romana

Conteúdo:
• A Monarquia Romana;
• A organização política no Período Republicano;
• O expansionismo romano;
• O Triunvirato e o fim da República;
• Principais aspectos do Império Romano;
• O surgimento do Cristianismo;
• A crise do Império Romano.

Objetivos de aprendizagem:
• Conhecer a organização e a participação política na civilização romana nos diferentes
períodos da sua história e verificar a importância da atuação dos plebeus para que fossem al-
cançadas significativas transformações políticas e sociais na civilização romana;
• Discutir a questão da Reforma Agrária, buscando fazer uma comparação com o Brasil
contemporâneo e compreender a finalidade da Política do Pão e Circo, comparando-a com
as estratégias utilizadas pelo governo do Brasil na atualidade;
• Contextualizar o surgimento do Cristianismo, o seu fortalecimento no Império Ro-
mano e discutir a denominação “bárbaros”, atribuída pelos romanos aos povos invasores.

Sugestão Didática:
• Utilizar as questões das sessões Desafiando e Pesquisando pra promover um debate em
sala de aula.

Praticando:
1) De acordo com a lenda, a cidade de Roma teria sido fundada pelos irmãos Rômulo e
Remo.

2) A sociedade romana estava dividida, basicamente, em três grupos: patrícios, plebeus e


escravos. Os patrícios eram homens ricos que dominavam a política e exerciam o poder em
Roma, enquanto os plebeus eram homens pobres, que formavam a maioria da população
e praticamente não possuíam direitos políticos. Os escravos, por fim, eram pessoas que ha-
viam perdido sua liberdade por causa de dívidas ou por terem sido aprisionados durante as
guerras travadas pelos romanos contra outros povos.

3) Os patrícios conseguiram manter o seu domínio durante a maior parte do período re-
publicano pelo fato de ocuparem a maioria dos cargos políticos, sendo eles, portanto, os
responsáveis pela elaboração e execução das leis.
EF2HIS6-07

1
CIVILIZAÇÃO ROMANA

4) O principal objetivo do expansionismo romano era conquistar novas terras e riquezas,


especialmente escravos.

5) A pressão realizada pelos plebeus no período republicano resultou em conquistas impor-


tantes, como, por exemplo, o direito de se casarem com patrícios, a aprovação da Lei Fru-
mentária e a ampliação da sua participação política, através da criação do cargo de Tribuno
da Plebe.

6) Triunvirato é um governo formado a partir da aliança entre três indivíduos, denominados


triúnviros.

7) Romanização foi a difusão dos costumes romanos por todo o vasto império.

8) Paz Romana foi o período vivenciado pela civilização romana, entre os séculos I e III (Alto
Império), em que as guerras de conquista diminuíram e a paz foi imposta nas fronteiras do
império.

9) O Edito de Milão determinava que os cristãos teriam liberdade para seguir sua religião,
não podendo mais, portanto, ser perseguidos por causa da sua crença.

10) O colonato era um sistema de trabalho por meio do qual os camponeses arrendavam
um pedaço de terra onde poderiam plantar para o próprio consumo. Entretanto,tinham que
trabalhar alguns dias por semana de graça nas terras do proprietário e entregar-lhe parte
do que havia sido produzido no território arrendado.

Aprofundando:
1) Porque esse sistema político beneficiava apenas uma pequena parcela da população (os
patrícios) e, portanto, não garantia o bem comum, como sugere o nome “república”, que
significa “coisa pública”.

2) Porque através do expansionismo romano, as terras se concentravam cada vez mais nas
mãos dos patrícios, e os plebeus, que já eram pobres, eram obrigados a abandonar suas ter-
-ras quando convocados para as guerras, passando a enfrentar uma situação de miséria ain-
da maior. Porém, o crescimento da desigualdade social a partir do expansionismo romano
é explicado, sobretudo, pelo aumento significativo do número de escravos, cujo preço apre-
sentou uma queda expressiva, de modo que os patrícios compravam cada vez mais cativos,
aumentando sua riqueza, e os plebeus, por sua vez, acabavam perdendo seus trabalhos, já
que aos poucos a mão de obra escrava se tornava a base da economia romana.

3) A Lei das 12 Tábuas é considerada de grande importância por ter sido o primeiro código
jurídico da civilização romana. A partir do seu estabelecimento, as leis passaram a ser escri-
tas ao invés de apenas transmitidas oralmente. Além disso, ela exerceu grande influência
sobre o Direito em muitas sociedades ocidentais, incluindo o Brasil.
EF2HIS6-07

2
CIVILIZAÇÃO ROMANA

4) Tibério Graco propôs a limitação das propriedades rurais e a distribuição das terras exce-
dentes entre os pobres. Sua proposta não foi aceita pelo Senado pelo fato desse órgão ser
dominado por latifundiários que, portanto, não queriam abrir mão de suas terras.

5) Ter um cargo vitalício significa que o imperador governaria até a morte.

6) Ambos eram politeístas e suas divindades eram antropomórficas, além de terem as mes-
mas atribuições.

7) O objetivo principal da Política do Pão e Circo era agradar a população, para que ela
apoiasse o governo e não reclamasse dos problemas sociais. Ela recebeu esse nome porque
o pão representava o trigo e o circo simbolizava os espetáculos de diversão, ambos ofereci-
dos pelo governo gratuitamente ou a preços baixos.

8) Porque com essa medida ele ajudou a manter a estabilidade do império, além de conse-
guir muitos admiradores, já que o número de cristãos estava crescendo consideravelmente.

9) Dentre as principais causas da crise do Império Romano, podemos citar: a falta de mão
de obra escrava, a diminuição significativa da produção, o esvaziamento das cidades (rurali-
zação), a desordem política e militar e, por fim, as invasões bárbaras.

10) Eles eram chamados de bárbaros porque possuíam costumes diferentes dos romanos,
incluindo idiomas e crenças, além de estarem invadindo o território deles.

11) C

12) A

Desafiando:
1) Êxodo rural é a saída de pessoas, em grande quantidade, do campo em direção às cida-
des. Este movimento é muito comum no Brasil atual devido, basicamente, ao descaso dos
governos em relação ao meio rural e à concentração de investimentos nos centros urbanos,
para onde as pessoas migram em busca de emprego e melhores condições de vida.

2) Muitas pessoas criticam o fato do governo no Brasil praticar uma política considerada
assistencialista, que através, por exemplo, do Programa Bolsa Família, oferece ajuda a po-
pulação mais pobre e é vista como uma forma de “comprar o voto” desses indivíduos, con-
seguindo, em troca da assistência oferecida, o apoio nas eleições.

Pesquisando:
O INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) é o órgão responsável
pela realização da Reforma Agrária no Brasil. Sua principal função é distribuir para famílias
necessitadas as terras que foram compradas pelo governo ou desapropriadas pelo fato de
serem consideradas improdutivas. O mais importante movimento político-social em favor
da Reforma Agrária é o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). Sua principal
forma de atuação é a ocupação/conquista de terras públicas ou privadas, consideradas, pelo
movimento, griladas ou improdutivas.
EF2HIS6-07

3
CIVILIZAÇÃO ROMANA
EF2HIS6-07

4
IMPÉRIOS DO ORIENTE

ORIENTADOR METODOLÓGICO
Impérios do Oriente

Conteúdo:
• Origem do Império Bizantino;
• Cultura e religião no Império Bizantino;
• O governo de Justiniano;
• O fim do Império Bizantino;
• Surgimento e fortalecimento do Islamismo;
• Formação, apogeu e declínio do Império Árabe.

Objetivos de aprendizagem:
• Conhecer as principais características do Império Bizantino;
• Destacar a importância do Islamismo para a unificação das tribos árabes e para a for-
mação do império e desassociar Islamismo e terrorismo;
• Analisar a ascensão e o declínio do Império Árabe.

Sugestão Didática:
• Confecção de mosaicos, utilizando cartolina, cola, além de pequenos pedaços de papel
coloridos ou grãos de alimentos;
• Aproveitar as pesquisas feitas pelos alunos pra discutir o Estatuto da Criança e do Ado-
lescente, mostrando que tal documento é importante não só pra defender os direitos dos me-
nores, mas para lembra-los dos seus deveres e responsabilidades.

Praticando:
1) Em homenagem ao próprio imperador que a rebatizou, cujo nome era Constantino.

2) A principal característica da arte bizantina é a religiosidade, de maneira que as obras ar-


tísticas do período trazem, geralmente, temas associados ao Cristianismo.

3) O papa é a autoridade máxima dentro da Igreja Católica Apostólica Romana. Já na Igreja


Ortodoxa a autoridade papal não é reconhecida.

4) A principal característica do cesaropapismo é o domínio do Estado sobre a Igreja.

5) A tomada da cidade de Constantinopla pelos turcos-otomanos, em 1453, e, consequente-


mente, a queda do Império Bizantino.

6) O Corão ou Alcorão é o livro sagrado dos muçulmanos, cujo conteúdo teria sido revelado
por Alá a Maomé.
EF2HIS6-08

5
IMPÉRIOS DO ORIENTE

7) A Jihad é a Guerra Santa para os muçulmanos, sendo os conflitos armados e as conquistas


legitimadas se o objetivo maior for espalhar a fé islâmica.

Aprofundando:
1) Porque ela ficava localizada no estreito de Bósforo, que unia o Ocidente ao Oriente, facili-
tando o comércio entre as duas regiões.

2) A principal motivação para o Movimento Iconoclasta foi a discordância com relação à pre-
sença de imagens de Jesus Cristo ou dos santos no interior das igrejas.

3) O aluno pode citar e explicar duas das diferenças apontadas na tabela comparativa, a
exemplo do voto de castidade, reconhecimento da autoridade do papa, duração da quares-
ma, celebração do natal, aceitação das imagens, representação da cruz e reconhecimento
da existência do purgatório.

4) A origem do nome se encontra na forma como era chamada a capital do Império, Bizân-
cio, antes de ser rebatizada como Constantinopla. Os historiadores resolveram classifica-lo
dessa forma a fim de diferenciar o Império Romano do Oriente, existente na Antiguidade, e
o império existente ao longo da Idade Média.

5) O objetivo de Constantino era transferir a capital do império para uma região mais prós-
pera e segura, já que o Ocidente dava sinais cada vez maiores de crise e vinha sofrendo
tentativas constantes de invasão.

6) Foi a separação da Igreja em Católica Apostólica Romana e Ortodoxa, no ano de 1054,


após anos de divergências entre cristãos do Ocidente e o do Oriente.

7) O imperador Justiniano pretendia recuperar os territórios do antigo Império Romano do


Ocidente que haviam sido invadidos e dominados pelos “povos bárbaros”.

8) A principal herança deixada pelos bizantinos foi o Código Justiniano, que serviu de base
para a formulação dos códigos civis de diversas sociedades atuais, incluindo a brasileira.

9) Um movimento popular ocorrido no governo de Justiniano contra a corrupção, os altos


impostos e os volumosos gastos com as guerras, mas que acabou derrotado pelo governo
em cerca de oito dias.

10) Porque o imperador centralizou os poderes em suas mãos, criou um código de leis vá-
lido para todo o império e impôs aos seus súditos a religião cristã, combatendo as demais
religiões e crenças.

11) O Islamismo ajudou a unificar a civilização árabe por ter criado entre eles algo em co-
mum, uma espécie de identidade, já que antes disso, os árabes estavam divididos em cente-
nas de tribos que adoravam deuses diferentes.
EF2HIS6-08

6
IMPÉRIOS DO ORIENTE

12) A Caaba é o templo em que Maomé destruiu as imagens dos deuses e dedicou exclusi-
vamente à adoração de Alá. Medina é a cidade para onde ele teria fugido durante a Hégira,
quando ele e seus seguidores foram perseguidos e expulsos pelos comerciantes do lugar.
Além disso, é nessa cidade que se encontra o túmulo do profeta. Jerusalém, por sua vez, é o
local de onde Maomé teria ascendido aos céus e dialogado com Alá.

13) Significa que ele era, ao mesmo tempo, líder político e religioso, e governava em nome
de Deus (Alá).

14) Não. Existem grupos radicais dentro do Islamismo que praticam o terrorismo em nome
de Alá, mas eles representam apenas uma pequena parcela dentro da imensa comunidade
muçulmana.

15) O fato que marca o início do calendário muçulmano é a Hégira, ou seja, a fuga de Maomé
e seus seguidores de Meca para Medina, no ano 622 do calendário cristão.

16) A divergência entre esses dois grupos começou com a questão da sucessão do comando
da civilização árabe. Os xiitas achavam que os califas (sucessores do profeta) deveriam ser
sempre pessoas ligadas a Maomé por laços de parentesco, enquanto os sunitas considera-
vam que o líder político e religioso dos muçulmanos poderia ser qualquer fiel, desde que
fosse aceito pela comunidade.

17) Foi durante a dinastia dos Omíadas (661-750) que o Império Árabe alcançou sua maior
extensão territorial, conquistando terras que iam da Índia à Península Ibérica.

18) As principais razões para a queda do Império Árabe foram: as divergências e disputas
crescentes entre xiitas e sunitas, a fragmentação do império a partir da dinastia Abássida,
além das invasões realizadas pelos mongóis e pelos turcos.

Desafiando:
Obs.: Por se tratar de atividades bastante complexas para alunos do 6º Ano, recomenda-
-se que as atividades desta sessão sejam realizadas em grupo e com auxílio do professor.
1) a) Ambas as legislações protegiam a liberdade do indivíduo afirmando que ninguém teria
que fazer algo contrário a sua vontade. A legislação brasileira, porém, coloca uma exceção ao
acrescentar a frase “se não em virtude de lei”, ou seja, a menos que seja determinado por lei.
b) Nas duas legislações é assegurada a liberdade de pensamento. A segunda, porém, que
a pessoa não fique no anonimato, para que possa ser identificada e penalizada caso ofenda
ou calunie alguém.
c) As duas legislações garantem liberdade de direito e tratamento tanto para o acusado,
como para o acusador.
d) Ambas as legislações defendem a imparcialidade das testemunhas para que a emoção
não interfira no julgamento e a justiça seja assegurada. Na legislação brasileira, porém, o im-
EF2HIS6-08

7
IMPÉRIOS DO ORIENTE

pedimento de testemunhar não fica reduzido à relação entre pais e filhos, sendo estendido
às relações de parentesco até o terceiro grau.

2) O aluno pode destacar a falta de liberdade nos países islâmicos como também a falta de
tolerância e diálogo nas relações entre os governantes desses países e os líderes ocidentais.

Pesquisando:
A legislação especial a qual o código se refere é o Estatuto da Criança e do Adolescente, o
qual determina que sejam aplicadas aos menores infratores penas – ou medidas sócio-edu-
cativas – mais leves, como, por exemplo: advertência, obrigação de reparar o dano, presta-
ção de serviços à comunidade, liberdade assistida, inserção em regime de semiliberdade
e internação em estabelecimento educacional. Todavia, a medida aplicada ao adolescente
deverá levar em conta a sua capacidade de cumpri-la, as circunstâncias e a gravidade da
infração. Além disso, o estatuto determina que em hipótese alguma e sob pretexto algum,
seja admitida a prestação de trabalho forçado.
EF2HIS6-08