Sie sind auf Seite 1von 56
Escola de Desenvolvimento de Líderes Módulo CULTURA DA LIDERANÇA Sebrae Paraná 2012 Unidade de Desenvolvimento
Escola de Desenvolvimento de Líderes
Módulo
CULTURA DA LIDERANÇA
Sebrae Paraná
2012
Unidade de Desenvolvimento de Soluções
APRESENTAÇÃO GERAL DO MÓDULO Encontro 1 O perfil do líder contemporâneo Encontro 2 A motivação
APRESENTAÇÃO GERAL DO MÓDULO
Encontro 1
O perfil do líder
contemporâneo
Encontro 2
A motivação na
liderança
empreendedora e
transformadora
Encontro 3
Construindo Novas
Lideranças
Encontro 4
Comunicação eficaz e seus
princípios éticos na
liderança
• Definindo e avaliando o
perfil do líder
contemporâneo
• Descobrindo as
necessidades do líder e de
seus liderados
• Percebendo as diferenças
individuais
• Comunicação Eficaz na
Liderança
• Cooperando e competindo
para vencer entre equipes
• A Liderança
Empreendedora
• Liderança colaborativa e
compartilhada
• Construindo castelos na
liderança
• A Liderança
Transformadora
Características
Técnicas e
comportamentais
que compõem o
novo líder
contemporâneo
Importância da liderança
Empreendedora para
promover mudanças e
da liderança
transformadora com
foco em resultados.
Modelos
colaborativos da
liderança e
importância do
respeito às diferenças
e da cooperação na
realização das tarefas.
Ética no exercício da
liderança e a
importância do papel
do líder na
comunicação do
grupo e tomada de
decisão.
2
OBJETIVO GERAL Desenvolver competências para a formação de líderes capazes de promover a transformação na
OBJETIVO GERAL
Desenvolver competências para a
formação de líderes capazes de
promover a transformação na
sociedade.
3
COMPETÊNCIAS GERAIS DO CURSO • Compreender a importância de se trabalhar a visão sistêmica de
COMPETÊNCIAS GERAIS DO CURSO
• Compreender a importância de se trabalhar a visão
sistêmica de uma liderança motivada e orientada
para melhores resultados na transformação da
sociedade.
•Adotar atitudes de uma liderança
empreendedora, ética, criativa, inovadora
e objetiva, para o fortalecimento dos talentos
do grupo.
• Aplicar no seu dia a dia as características
comportamentais de uma liderança compartilhada
e transformadora, com liderados mobilizados para
alcançar melhores resultados.
4
“Liderança é a arte de mobilizar os outros para que estes queiram lutar por aspirações
“Liderança é a arte de
mobilizar os outros para que
estes queiram lutar por
aspirações compartilhadas”.
Kouzes e Posner
5
MINHA BANDEIRA • Quem sou eu? • Qual é o meu maior sucesso? • O
MINHA BANDEIRA
• Quem sou eu?
• Qual é o meu maior sucesso?
• O que mais valorizo na Vida?
• Em que atividade eu me considero muito bom?
• Quais as dificuldades e facilidades de se trabalhar em um grupo?
6
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 1 • Compreender o papel do líder na transformação da sociedade. •
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 1
• Compreender o papel do líder na
transformação da sociedade.
• Saber as características comportamentais
e técnicas que compõem a liderança.
• Predispor-se a exercer atitudes de líder
com criatividade, inovação, objetividade e
assertividade.
• Aplicar no seu dia a dia as características
comportamentais que compõem a
liderança.
7
LÍDER DE ONTEM É aquele que: • Impõe a sua vontade aos subordinados. • Exerce
LÍDER DE ONTEM
É aquele que:
• Impõe a sua vontade aos
subordinados.
• Exerce o poder sobre os
subordinados.
• Procura manter os subordinados sob
dependência constante.
8
LÍDER DE ONTEM É aquele que: • Comanda, ordena e manipula seus subordinados. • Julga
LÍDER DE ONTEM
É aquele que:
• Comanda, ordena e manipula
seus subordinados.
• Julga que uma aproximação
maior com os subordinados
diminui, de qualquer forma, a
autoridade.
9
LÍDER DE ONTEM É aquele que: • Evita discordar das pessoas, cedendo para obter aprovação.
LÍDER DE ONTEM
É aquele que:
• Evita discordar das pessoas, cedendo
para obter aprovação.
• Coloca a empresa à frente do bem-estar
dos seus membros, pois ele se interessa
apenas pelos resultados.
• Quando necessário pressionar, faz com
que os subordinados saibam que a
decisão foi tomada em nível superior e
que outras opções não são possíveis.
10
LÍDER DE ONTEM É aquele que: • Fica omisso no desenvolvimento das tarefas. • Não
LÍDER DE ONTEM
É aquele que:
• Fica omisso no desenvolvimento das
tarefas.
• Não fornece os recursos materiais e faz
raros comentários sobre as atividades
dos membros do grupo à medida em
que é interrogado.
11
LÍDER CONTEMPORÂNEO É a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasmadas visando atingir os objetivos
LÍDER CONTEMPORÂNEO
É a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem
entusiasmadas visando atingir os objetivos
identificados como sendo para o bem comum.
12
LÍDER CONTEMPORÂNEO É aquele que: • Sabe conquistar a confiança de cada um. • Recicla-se
LÍDER CONTEMPORÂNEO
É aquele que:
• Sabe conquistar a confiança de cada um.
• Recicla-se constantemente para obter
novos conhecimentos e habilidades
de liderança.
• Delega responsabilidades de acordo
com a competência de seus liderados.
• Tem controle sobre suas atitudes diante de problemas
inesperados.
13
LÍDER CONTEMPORÂNEO É aquele que: • Mostra com segurança o caminho que sua equipe precisa
LÍDER CONTEMPORÂNEO
É aquele que:
• Mostra com segurança o caminho
que sua equipe precisa seguir.
• Cria uma atmosfera de criatividade
e produtividade.
• Busca sempre novas ferramentas
para que o trabalho de sua equipe
possa ser mais produtivo
(resultados).
• Ousa em suas ações.
14
LÍDER CONTEMPORÂNEO É aquele que: • Tem paixão pelo que faz. • É efetivo na
LÍDER CONTEMPORÂNEO
É aquele que:
• Tem paixão pelo que faz.
• É efetivo na sua comunicação
com o grupo.
• É movido a desafios (resiliente).
• É focado nas pessoas.
• Tem os olhos no horizonte.
• Investe no desenvolvimento dos futuros líderes.
• Gerencia com paixão, sentimento e entusiasmo.
15
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 1 • Compreender o papel do líder na transformação da sociedade. •
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 1
• Compreender o papel do líder na
transformação da sociedade.
• Saber as características comportamentais e
técnicas que compõem a liderança.
• Predispor-se a exercer atitudes de líder com
criatividade, inovação, objetividade e
assertividade.
• Aplicar no seu dia a dia as características
comportamentais que compõem a liderança.
16
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 2 • Conhecer as necessidades de um líder e liderados em uma
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 2
• Conhecer as necessidades de um líder e
liderados em uma equipe de trabalho.
• Compreender o papel do líder na
transformação da sociedade.
• Conhecer as vantagens de um líder motivado
buscar mudanças para melhores resultados.
• Adotar uma liderança empreendedora e
transformadora.
• Mobilizar os liderados para as mudanças
necessárias na empresa e na comunidade,
com foco em resultados.
17
O QUE É MOTIVAÇÃO ? A motivação é um impulso à ação originado no interior
O QUE É MOTIVAÇÃO ?
A motivação é um impulso à ação originado no interior
do indivíduo que o leva a buscar no meio ambiente a
satisfação de suas necessidades.
18
LIDER LIDERADO 19
LIDER
LIDERADO
19
NECESSIDADES PARCIALMENTE SATISFEITAS LEVAM A: 20
NECESSIDADES PARCIALMENTE
SATISFEITAS LEVAM A:
20
NECESSIDADES NÃO SATISFEITAS LEVAM A: 21
NECESSIDADES NÃO SATISFEITAS LEVAM A:
21
Teoria atribucional As pessoas desenvolvem expectativas gerais/crenças a respeito da causalidade entre suas ações no
Teoria atribucional
As pessoas desenvolvem expectativas gerais/crenças a respeito
da causalidade entre suas ações no ambiente e o reforço que
recebem deste.
As experiências individuais influenciam a maneira como se
percebe o mundo. A partir desta constatação, há quem
entenda que as responsabilidades pelas ações cabem a si (lócus
interno) ou cabem ao mundo (lócus externo).
22
Lócus de controle externo Pessoas que acreditam que o resultado será independente de suas ações;
Lócus de controle externo
Pessoas que acreditam que o resultado será independente de
suas ações; decisivos são o destino, as circunstâncias, a sorte,
terceiros poderosos.
Refere-se àqueles que crêem que seus reforços não estão
sujeitos a um controle pessoal.
23
Lócus de controle interno Pessoas que acreditam poder intervir e impactar nos resultados graças ao
Lócus de controle interno
Pessoas que acreditam poder intervir e impactar nos resultados
graças ao seu comportamento, às suas habilidades, ao seu
trabalho, ao seu esforço, ou às usas disposições internas.
Refere-se à disposição de atribuir a si mesmo controle sobre os
próprios reforços.
24
LÍDER EMPREENDEDOR • É focado em resultados, transforma-se em agente de mudanças que lança seus
LÍDER EMPREENDEDOR
• É focado em resultados, transforma-se em agente de
mudanças que lança seus liderados à ação.
• É aquele que converte seguidores em líderes de seus
processos, em um ciclo contínuo e evolutivo.
25
LIDERANÇA TRASNFORMADORA Quando a liderança apresenta traços de empreendedorismo, torna-se possível a ocorrência de
LIDERANÇA TRASNFORMADORA
Quando a liderança apresenta traços de
empreendedorismo, torna-se possível a ocorrência de uma
liderança transformadora.
26
LIDERANÇA TRANSFORMADORA Resgate dos Mineiros no Chile
LIDERANÇA TRANSFORMADORA
Resgate dos Mineiros no Chile
http://ultimosegundo.ig.com.br/mineiroschile/chile+conclui+com+sucesso+o
peracao+de+resgate+de+mineiros/n1237798023294.html#46
27
LIDERANÇA TRANSFORMADORA Resgate dos Mineiros no Chile 28
LIDERANÇA TRANSFORMADORA
Resgate dos Mineiros no Chile
28
LIDERANÇA TRANSFORMADORA Resgate dos Mineiros no Chile 29
LIDERANÇA TRANSFORMADORA
Resgate dos Mineiros no Chile
29
LIDERANÇA TRANSFORMADORA • Luis Urzúa, topógrafo chileno, último minerador resgatado do mais longo período de
LIDERANÇA TRANSFORMADORA
• Luis Urzúa, topógrafo chileno, último minerador
resgatado do mais longo período de cativeiro que um
ser humano tenha suportado sob terra.
• Passou 70 dias soterrado com outros 32 operários na
jazida San José, em pleno Deserto do Atacama.
• Trabalha há 31 anos como minerador e era o chefe do
turno no momento do acidente.
• Urzúa é um dos mais experientes do grupo.
30
http://unila.edu.br/revistapeabiru/?q=pt-br/node/126 http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/conteudo.phtml?id=1179838 31
http://unila.edu.br/revistapeabiru/?q=pt-br/node/126
http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/conteudo.phtml?id=1179838
31
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 3 • Conhecer os modelos colaborativos da liderança. • Reconhecer a importância
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 3
• Conhecer os modelos colaborativos da liderança.
• Reconhecer a importância dos objetivos comuns em equipe.
• Predispor-se a valorizar os talentos e as diferenças individuais
na equipe para o fortalecimento de lideranças.
• Exercitar a liderança cooperativa e compartilhada para
alcançar resultados.
32
Escola de Desenvolvimento de Líderes Módulo CULTURA DA LIDERANÇA 33
Escola de Desenvolvimento de Líderes
Módulo
CULTURA DA LIDERANÇA
33
APRESENTAÇÃO GERAL DO MÓDULO Encontro 1 O perfil do líder contemporâneo Encontro 2 A motivação
APRESENTAÇÃO GERAL DO MÓDULO
Encontro 1
O perfil do líder
contemporâneo
Encontro 2
A motivação na
liderança
empreendedora e
transformadora
Encontro 3
Construindo Novas
Lideranças
Encontro 4
Comunicação eficaz e seus
princípios éticos na
liderança
• Definindo e avaliando o
perfil do líder
contemporâneo
• Descobrindo as
necessidades do líder e de
seus liderados
• Percebendo as diferenças
individuais
• Comunicação Eficaz na
Liderança
• Cooperando e competindo
para vencer entre equipes
• A Liderança
Empreendedora
• Liderança colaborativa e
compartilhada
• Construindo castelos na
liderança
• A Liderança
Transformadora
Características
Técnicas e
comportamentais
que compõem o
novo líder
contemporâneo
Importância da liderança
Empreendedora para
promover mudanças e
da liderança
transformadora com
foco em resultados.
Modelos
colaborativos da
liderança e
importância do
respeito às diferenças
e da cooperação na
realização das tarefas.
Ética no exercício da
liderança e a
importância do papel
do líder na
comunicação do
grupo e tomada de
decisão.
34
CRONOLOGIA DE UMA ODISSÉIA HISTÓRICA 05/12/1914 O navio “Endurance” parte da Geórgia do Sul rumo
CRONOLOGIA DE UMA ODISSÉIA HISTÓRICA
05/12/1914
O navio “Endurance” parte da
Geórgia do Sul rumo à Antártida.
18/01/1915
O “Endurance” fica preso num
banco de gelo a um dia de viagem
do ponto planejado para o
desembarque.
35
27/10/1915 Após nove meses preso no gelo o navio naufragou. Os homens abandonam o “Endurance”
27/10/1915
Após nove meses preso no gelo o navio
naufragou.
Os homens abandonam o “Endurance”
depois que a embarcação foi esmagada
pelo gelo.
36
09/04/1916 Depois de cinco meses vivendo em tendas nas banquisas, os homens partem a bordo
09/04/1916
Depois de cinco meses vivendo
em tendas nas banquisas, os
homens partem a bordo de três
pequenos botes salva-vidas pelo
mar turbulento.
Destino: Ilha Elephant
37
23/04/1916 O James Caird é lançado ao mar. Shackleton e cinco companheiros partem para uma
23/04/1916
O James Caird é lançado ao mar. Shackleton e cinco
companheiros partem para uma viagem de aproximadamente
1300 km em um barco de 22 pés a fim de buscar ajuda para os
homens deixados na ilha.
O James Caird aportou na Geórgia do Sul no dia 10/05/1916.
38
A expedição não alcançou seus objetivos, mas TODOS os homens embarcados na Geórgia do Sul,
A expedição não alcançou seus objetivos, mas TODOS os
homens embarcados na Geórgia do Sul, 18 meses antes,
foram trazidos de volta vivos.
39
Uns 60 anos após o resgate, um entrevistador perguntou ao primeiro oficial de náutica Lionel
Uns 60 anos após o resgate, um entrevistador
perguntou ao primeiro oficial de náutica Lionel
Greestreet: “Como vocês sobreviveram quando
tantos membros de outras expedições pereceram?”
O velho marujo, então com oitenta e oito anos,
respondeu com uma única palavra:
“SHACKLETON!”
Sir Ernest Shackleton
40
15/02/1874 – 05/01/1922
“Shackleton tinha uma inteligência rápida, conseguia visualizar as coisas à frente, tanto quanto era possível,
“Shackleton tinha uma inteligência
rápida, conseguia visualizar as coisas
à frente, tanto quanto era possível, se
precavia contra qualquer
eventualidade que pudesse vir a
ocorrer.”
Lionel Greenstreet,
Primeiro Imediato - Endurance
“Ele tinha um espírito tão jovem que parecia ser
mais moço do que todos nós.”
James McIlroy
Médico do Endurance
41
“Seus métodos de disciplina eram muito justos. Não acreditava em disciplina desnecessária.” Willian Bakewell
“Seus métodos de disciplina eram muito
justos. Não acreditava em disciplina
desnecessária.”
Willian Bakewell
Marinheiro do Endurance
“Sempre o via dar o melhor de si e inspirar
confiança quando as coisas chegavam ao pior
ponto possível.”
Frank Hurley
Fotógrafo - Endurance
42
“…devemos nossas vidas à sua liderança e à sua capacidade de formar um grupo leal
“…devemos nossas vidas à sua liderança e à sua
capacidade de formar um grupo leal e coeso com
elementos tão diversos.”
Reginald W. James
Físico - Endurance
“Não importa o que aconteça, ele está sempre
pronto para alterar seus planos, e, nesse meio
tempo, dá risadas, faz piadas e se diverte com
qualquer brincadeira dos outros, dessa maneira
mantendo todos animados.”
Frank Worsley
Comandante- Endurance
43
Algumas virtudes de Shackleton: • Tendo feito uma opção, levava seus compromissos até o fim;
Algumas virtudes de Shackleton:
• Tendo feito uma opção, levava seus compromissos até o fim;
• Sempre contribuiu para levantar o moral da tripulação;
• Lia bastante afim de encontrar sabedoria e orientação para todas as
jornadas da vida;
• Mantinha os olhos abertos para novos horizontes, pronto a não
deixar escapar as oportunidades;
• Audacioso nos planos, mas cauteloso na execução, dando grande
atenção aos detalhes;
• Aprendeu, por seus próprios erros, que tipo de líder não queria ser;
• Sempre colocou o bem-estar da sua tripulação em primeiro lugar.
44
Como Shackleton formava sua tripulação: • Mantinha um núcleo de profissionais experientes; • Escolheu um
Como Shackleton formava sua tripulação:
• Mantinha um núcleo de profissionais experientes;
• Escolheu um substituto confiável, que partilhava de suas noções de
liderança e, acima de tudo, era leal;
• Buscava pessoas que compartilhassem sua visão e seu entusiasmo
pela exploração;
• Gostava de pessoas otimistas. Achava que tinham mais propensão
para o espírito de equipe;
• Procurava homens que realmente quisessem o emprego;
• Buscava gente para trabalhar duro, mas que não se esquivasse de
realizar tarefas menores;
• Contratava aqueles que tinham os conhecimentos especializados que
lhe faltavam;
• Certificava-se de que todos sabiam exatamente o que se esperava
deles.
45
Como Shackleton se relacionava com sua tripulação: • Fazia-se acessível, escutava as preocupações de seus
Como Shackleton se relacionava com
sua tripulação:
• Fazia-se acessível, escutava as preocupações de seus homens e
mantinha-os informados sobre os assuntos do navio;
• Tratava a todos como seres humanos, não apenas trabalhadores;
• Tolerava as pecualiaridades e fraquezas. Não exitava em mimar alguém,
se necessário;
• Era escrupulosamente imparcial com a tripulação, sempre;
• Liderava pelo exemplo;
• Descanso e distração eram partes fundamentais do programa;
• Dava feedback constante, elogiando esforços e corrigindo erros; e
• Certificava-se de que o trabalho de cada homem fosse significativo e
desafiante.
46
O QUE É PERCEPÇÃO ? • É a interpretação de informações que chegam por meio
O QUE É PERCEPÇÃO ?
• É a interpretação de informações que chegam por meio dos
sentidos (visão, audição, tato, olfato, paladar).
• É a atribuição de um sentido construído pelas experiências
pessoais (passadas) e expectativas do futuro.
47
FATORES QUE INFLUENCIAM A PERCEPÇÃO • Memória • Experiências passadas • Interesse • Diferenças
FATORES QUE INFLUENCIAM A PERCEPÇÃO
• Memória
• Experiências passadas
• Interesse
• Diferenças individuais
• Estado emocional
• Preconceitos
• Valores
48
DIFERENÇAS INDIVIDUAIS QUAL O IMPACTO DAS MESMAS NO DESEMPENHO DA EQUIPE? COMO CAPITALIZAR SOBRE ELAS?
DIFERENÇAS INDIVIDUAIS
QUAL O IMPACTO DAS MESMAS NO DESEMPENHO DA EQUIPE?
COMO CAPITALIZAR SOBRE ELAS?
COMO PODEM ALAVANCAR OS RESULTADOS?
QUAL É O PAPEL DO LÍDER EM RELAÇÃO ÀS DIFERENÇAS?
49
MONTANDO QUADRADOS DIRETRIZES • Cada quadrado deve ter 3 peças; • Cada grupo deve formar
MONTANDO QUADRADOS
DIRETRIZES
• Cada quadrado deve ter 3 peças;
• Cada grupo deve formar 5 quadrados, todos do mesmo tamanho;
• Não pode haver comunicação oral ou escrita;
• Ninguém pode pedir qualquer coisa aos outros.
• Ninguém pode tirar qualquer coisa dos outros.
50
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 4 • Compreender a importância de trabalhar a comunicação utilizando a visão
COMPETÊNCIAS DO ENCONTRO 4
• Compreender a importância de
trabalhar a comunicação utilizando
a visão sistêmica na liderança
orientada para resultados.
• Posicionar-se com ética no exercício
da liderança.
• Utilizar uma comunicação efetiva
com as equipes para alcançar
melhores resultados.
51
O QUE É COMUNICAÇÃO ? • É um processo dinâmico e contínuo de transmitir e
O QUE É COMUNICAÇÃO ?
• É um processo dinâmico e contínuo de
transmitir e receber mensagens com o
objetivo de afetar/alterar/modificar o
comportamento do(s) outro(os).
• É a transmissão de ideias, sob as mais
diversas formas, visando integrar uma
equipe na compreensão e execução de
atividades, chegando a objetivos bem
mais atingidos.
52
ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO • Transmissor • Receptor • Canal • Mensagem 53
ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO
• Transmissor
• Receptor
• Canal
• Mensagem
53
FATORES QUE INFLUENCIAM NA COMUNICAÇÃO EFICAZ • Adequação de linguagem • Estado emocional • Preconceito
FATORES QUE INFLUENCIAM NA
COMUNICAÇÃO EFICAZ
• Adequação de linguagem
• Estado emocional
• Preconceito
• Valores
• Conhecimentos técnicos
• Prolixidade
• Ruídos
54
O QUE É FEEDBACK ? É um processo de ajuda mútua para mudanças de comportamento,
O QUE É FEEDBACK ?
É um processo de ajuda mútua para mudanças de comportamento,
por meio da comunicação verbalizada ou não entre duas pessoas
ou entre pessoa e grupo, no sentido de passar informações, sem
julgamento de valor, sobre como sua atuação afeta ou é percebida
pelo outro e vice-versa.
55
56
56