Sie sind auf Seite 1von 6

2ª parte

Pensar o que a a estrutura do inconsciente é pensar na presença do recalque. Toda vez que
for falalr de como o inconsciente se estrutura é importante lembra que inicialmente o
inconsciente não estava lá, que a gente tinha uma indiferenciação, não podemos dizer por ex
se o o bebe tem um inconsciente, consciência, o que na verdade acontece com o bebe é está
a merca de receber os estímulos q vem do mundo esterno, não há um sistema psíquico
pronto. Lacan algumas vezes ele faz certo elogia ao Skinner, que mostra para gente a
importância do outro na nossa formação subjetiva, e isso começa desde bebe.

Não há incialmente para psicologia a ideia de um psiquismo q já vem pronto, há sempre um


trabalho de constituição, no nosso caso falar de inconsciente é falar de que algo não estava lá
desde do início. O que tinha de inicio era um corpo q recebia estímulos que memorizavam,
inscrições eram feitas, mas que em algum momento aquele próprio corpo, consegue uma
energia para contra investir, tirar de circulação aquilo que lhe causa desprazer, é nesse
momento que algo de uma estrutura cíclica subjetiva começa acontecer.

É sempre bom lembrar que toda vez que estamos falando de estrutura psíquica, a gente está
falando de subjetividade. Então inicialmente vai dizer: o que tem é o CONTRA INVESTIMENTO,
investindo em uma tentativa de prazer ao movimento no corpo do sujeito que impede que
tenta afastar esse investimento de um prazer que não tem uma divisão, que seria a pulsão. O
que é a pulsão? É uma energia que todos nós nascemos com ela que vai exigir, para que a
satisfação seja obtida, e isso vem inicialmente através da descarga, então a pulsão, o ID, ou
então isso que depois Freud chamou de ID, fica então reservatório da pulsão, mas a pulsão
incialmente não esta obedecendo ao inconsciente nem CS ela só quer descarga, mas quando
acontece esse contra investimento é como se de alguma maneira aquele corpo fizesse uma
primeira barreira para a pulsão.

A pulsão encontrando o outro que não atende toda demanda, tbm se percebe que é preciso
começar a desenvolver aquilo que Freud chama de PRINCIPIO DA REALIDADE. Temos o
principio do prazer: que faz para uma pressão para a satisfação que leve em conta qual é o
modo de se satisfazer, e temos isso que é o processo secundário. Nessa parte de Estrutura do
ICS faz a diferença.

Pré CS e Cs separados, ele ainda não tinha feito ainda o aparelho psíquico ID EU E SUPER EU,
ele esta ainda no campo dos processos CS e ICS. Então Freud não coloca os sistemas Pré CS e
Cs separados. Esquema do pente!!

Por que o sistema Pré CS E CS estão colocados sempre juntos? Que pra Freud o mais
importante para ele é poder compreender aquilo que funciona como a possibilidade guardar
as representações de coisas e outro modo de funcionamento que é guardar as representações
de palavras.

Pré Cs é uma memória, a consciência é fugas, ela não consegue gravar, pq? Os tipos de
neurônios que formam a CS são feitos para usar na percepção para poder perceber o Aqui e o
agora, perceber o que vem de dentro e o q vem de fora.
O pré cs tbm é uma memoria, mas no campo da psicanalise esta a cima do recalque, a CS pode
buscar essas representações ou os traços dessas memorias, com certo ato de vontade. Ele tbm
é inconsciente aqui, no sentido descritivo, pois no momento que esta aqui não esta ali.

As lembranças estão ali, eu não fico lembrando o tempo todo, quando eu quiser eu resgato.
De qualquer maneira, quando esta no inconsciente, está fora da CS, então podemos dizer que
não esta no consciente. Então tal qual como os estudos da cognição é justamente: o pré CS é
uma memória, o ics é tbm uma memória. Só que o modo, o que o pré CS grava são registro de
palavras, são as representações, todos os códigos, que eu posso nomear, estão registrados no
pré CS. Para Freud o ICS tbm é uma memoria só que é um registro que não se pode resgatar
com um ato de vontade.

O ICS da psicanalise, se divindade em duas possibilidades: 1 que é o ICS mesmo daquilo que
tava no pré CS e foi recalcado, e aquilo que el vai chamar de recalque primários(não lembra o
nome)

Então o ICS tem o material que foi recalcado, ideias q eu não aceito as defesas de certas
ideias.. O mecanismo de recalque leva para o ICS. Mas há tbm no ics aquelas inscrições
primeiras na época do recalque primário que são experiências, inscrições que eu não tinha
acesso à linguagem, então ficou como traços de experiências, traços de imagens.

EX da samambaia. O bebe não tem condições de dar sentido aquela imagem. Ele esta sendo
atacado por aquela imagem. Como essas imagens ficam escritas é de maneira que ficou mais
forte para elas, que assustaram que chamaram atenção.

Todas as imagens que ficam inscritas nesse recalque primeiro que são as representações de
coisas do bebe foram feitas antes que ele entrasse na linguagem, o que que q tenha sido
escrito nessas experiências, elas só terão significado, depois que ela adquirir a linguagem, mas
ela nunca terá uma ligação direta com o q aconteceu, pois esta perdido , a relação que a
criança vai ter ´´e uma relação de construção para dar o sentido a esses traços de memoria.
Então o ics seria uma memoria, que tal qual como os estudos da cognição não são resgatados
por atos de vontade, mas é uma memoria que guarda que a Freud vai mostrar q fica mais fácil,
é que guarda as representações de coisas.

Pq representações e coisas? Pq fala de traços de memorias que foi destituído de seu


significado. O mecanismo que a gente tem é de afastar a ideia da CS e colocar no ICS e isso faz
a gente pensar de como ocorre essa passagem, isso tem haver com a 4 pergunta! Como que
uma coisa que esta no cs força a passagem para ICS e vice-versa.

Então Freud traz duas hipóteses de como faz essas passagens e foi essa o motivo da 4
pergunta que é o que ele chama de dupla inscrição e da hipótese funcional.

Inicialmente se tinha uma explicação pro processo Cs e Ics um processo descritivo, ou seja, o
que tava na cs não estava no ics, então era inconsciente, aquelas representações não estavam
aqui e era Cs as que não estavam aqui. Isso era uma maneira descritiva inicial de Freud explicar
essas coisas. Mas com o tempo e com inclusive com os estudos sobre as pulsões que se da na
mesma época, ele percebeu que não da para ser algo estanque, tem que haver um dinamismo
entre esses dois sistemas, então ele veio trazer o que ele chama de hipótese funcional que é
muito mesos de que a mesma representação ta aqui e aqui, não é isso. Eu tenho uma
experiência que parte dela fica inscrita no pré cs e outra no ics e outra no inconsciente e algo
de uma dupla inscrição.

São duas hipóteses que ele traz e que uma gente se pergunta se na verdade, ele realmente
abandonou uma delas ou se de repente ele percebeu que só uma delas não dava conta de
explicar essa passagem: tem um coisa na Cs que eu recalque vai para o o ics, como se da essa
passagem? Como por ex a ideia do braço que é perdido como q ele continua por ex no sistema
cs e como é que com o tempo essa representação pode perder o valor e se tornar ics, freud
que responde isso.

Então ele tem duas hipóteses a primeira a da dupla inscrição. Inicialmente Freud pensava em
algum registro de memória que eram feitos nos dois lugares ao mesmo tempo, no pre cs e no
ics, e nesse momento ele percebe que desdizer que uma representação esta inscrita no ics e
no ics isso não explicaria muito a passagem de um sistema para o outro. O mecanismo de
defesa que chamamos de recalque, ele incidem justamente para afastar da cs aquilo que é
desagradável. Ora a dupla inscrição não conseguia responder para Freud o dinamismo dessa
passagem, pq q hora uma inscrição prescrita no cs e outra no ics. Pq era só da ordem de
registro do cs descritivo só tinha condição de descrever. Isso é ics pq não tinha condição de
chegas a cs.

Então ele percebe que essa hipótese da dupla inscrição ela não dá recurso cs para dar conta de
um funcionamento que é o funcionamento que tbm tem haver com a pulsão de que hora a
mesmo traço de memoria ele pode ser ics e hora ele pode forcar a passagem para a cs, ou ao
inverso algo de uma representação na cs que por alguma defesa ela é afastada da cs.

Eu penso que a hipótese funcional lembra aquela banda mebos, que ai sim a hipótese
funcional é que ele vai usar então os conceitos de investimento e desinvestimentos. para
explicar alguma coisa em algum momento pode ser cs outras vezes não. E ai vamos pensar
assim cs e ics como dois sistemas que tem leis e funcionamentos próprio, mas eles pertencem
a um sistema que é chamado de aparelho psíquico, ele faz parte de uma aparelhagem psíquica
e por isso mesmo as relações mantidas a distancias elas não podem ser desconsideradas.

Nessa hipótese da dupla inscrição ele explica que isso fica mais claro com a representação de
coisas e representação de palavras, é que quando.. vamos pensar na pulsaõ? O que o
investimento seria a carga de afeto em uma representação, então para pensar em
investimento a gente não pode esquecer dos dois elementos do sistema psíquico que são a
ideia e o afeto. O desinvestimento seria quando o afeto se separa da ideia e essa ideia que é a
representação. Temos vários traças de memoria, eles tão lá, mas para que aquele traço se
transforme , uma percepção cs daquilo ficou registrado na minha memoria é importante que
ima energia invista naquele traço, o que acontece nos sonhos por ex, já q eu não invisto a
minha energia no que esta acontecendo ao meu redor a energia pulsional volta para dentro e
vai investir aqueles traços de memoria, que quando eu estou acordado eu não estou
lembrando.

Para entender investimento e desinvestimento, nós temos que entender que: qualquer
representação, qualquer ideia que tenhamos a respeito do que quer se já, , nisso que da
sentido para a nossa vida, isso que nomeia as coisas, ela só passa a ser percebida por mim se
ela tiver investida com esse quantum de energia, então é preciso que haja um traço da
representação e a energia aligada a ele para fazer com q ela fique vida na minha cs que seja
possível de perceber na cs.

Quando.. Por isso que a ideia de recalque é importante, a ideia é separada do afeto, acontece
um desinvestimento, é como se aquela ideia meio q deixasse de existir, ficasse só com o traço
como representação de coisa. Então ele fica lá marcado na minha memoria, mas inacessível
para mim.

O recalque separa a ideia do afeto, então a hipótese funcional consegue ser entendida se o
processo de recalque e entendermos que toda ideia para ser percebida pela minha cs ela
precisa estar investida, com a energia correspondente.

A ideia do braço que é perdido, embora não exista o suporte material anatômico para que a
ideia possa continuar existindo, o problema q é preciso resolver, é como com o tempo
desinvestir, ou seja, tirar o afeto, a energia, a ideia de eu tenho um braço e transformar essa
ideia em algo que junto com o afeto possa fazer para mim algum tipo de ressonância cs. Que
dizer que eu posso abandonar a ideia de ter um braço. Por isso q o tempo psíquico é diferente,
pq tirar o afeto da ideia de eu tenho um braço e pode substituir pela ideia de eu não tenho
mais, não é um desinvestimento fácil. Se esse desinvestimento não é fácil pq o meu desejo ics
é continuar tendo o braço a única possibilidade que eu tenho de isso não me afetar mais é
fazendo o desinvestimento da ideia: eu tenho um braço. Então é por isso que é possível a
gente pensar por essa hipótese funcional que algumas ideias hora podem ser cs para mim hora
as mesmas ideias elas saem da minha cs, elas não são acessíveis a minha cs pq vai depender da
incidência do recalque em como ele vai separar a ideia do afeto.

Então toda vez que a afeto é separada da ideia, e essa tem os seus destinos, pode ser ate
suprimido, aquela ideia original ai ser recalcada, isso quer dizer que quando ela é afastada, ela
é recalcada, ela deixa de existir pra mim cs então.. Investir ou desinvestir a ideia é que vai
torna-la ics ou cs essa é a hipótese funcional da Freud, as ideias estão lá, mas elas podem ou
não estar relacionadas e investidas por essa energia, é isso que vai fazer com que elas possam
ser perceptíveis, ou seja, cs para mim ou não.

Há um parelho psíquico que sofre o recalque que quando é retirada da ideia a energia ela
deixa de ser possível de ser percebida pelo cs.

Presença do ics nos fenômenos lacunares. Mostra a ausência de algo que existe e não é só um
defeito da cs. Quando vc ver a cadeira vazia pra além da aparência de que ela esta vazia vc diz
não, ela está guardada para alguém.

O que é um fenômeno lacunar para Freud, não é alguma coisa que a cs tropeça, erra, é uma
franja da cs.. O fenômeno lacunar é aquilo que ele diz assim: é inadmissível pensar que a
lacuna é aquilo q presentifica aquilo de uma outra ordem de coisas q é justamente ics.

A lacuna é para mostrar alguma coisa que não existe na cs e não para mostrar que é um
tropeço da cs .. Essa é a importância dos fenômenos lacunares. Pq é justamente nessas
lacunas, q depois Lacan vai dizer que o ics se mostra..
Explicamos os fenômenos lacunares não com as brechas do ics, mas como a presença de uma
ordem de coisas que é o ics. As brechas da cs o que aparece nelas, não é um fenômeno
qualquer, mas o que aparece é o funcionamento, presença do ics, ultrapassa, quando acontece
um sonho um chiste eu não tenho controle nenhum, é como se alguma coisa agisse em mim e
não se tem o controle cs possível, essa é a ideia do ultrapasse.

Esses não são uns dos conceitos mais fáceis devido a grande modificação q foi tendo ao longo
na obra de Freud.

O mais importante é pensar que a hipótese do ics, pq [e uma hipótese, na verdade ela não
passa pela a prova da ciência do que é observável diretamente, tanto quanto a pulsão, o ics a
gente só sabe seus efeitos. Lacan e outras pessoas que vieram depois de Freud, vieram
construindo certo modo de pensar o ics menos hipotético e mais centrado em uma ciência
mais ou menos, quando Lacan fala do ics estruturado como linguagem é para dizer que não
tem um ics anatômico, o ics só aparece no momento que falo, é isso que ele quer dizer,
quando eu cometo os meus atos falhos os chistes, é nesse momento que o ics aparece. Seria
um pouco do que a gente daria continuando a estudar esse texto.

A hipótese do ics de Freud ela só é verificável quando a gente se conecta coma clinica, a
hipótese do ics talvez não sirva para gente fazer muitas outras coisas além daquelas que seria
atender alguém na clinica ou fazer circular a ideia de uma subjetividade que é dividida por
essas duas instancias por estes dois modos de funcionamento.

Entender que um dia Freud fez uma investigação e cunhou para nós da civilização moderna a
ideia de uma subjetividade que se constitui por dois sujeitos o sujeito do enunciado da cs e o
sujeito da enunciação do sujeito que tem dois modos diferentes de funcionamento que um
ultrapassa o outro muitas vezes e quando essa divisão é causa de sofrimento o conhecimento
de como funciona o ics a pulsão e o recalque faz sentido na clinica. Não são conceitos fáceis,
pois não são passiveis de observação cientifica.

Ex da cinco:

Ato falho: ato que Lacan diz que esses atos são muito bem sucedidos,, pq? Justamento eles
vem trazer um investimento de uma ideia que estav recalcada e aproveita a lacuna da cs, as
sensura e de alguma maneira se faz aparecer, no lugar de escuta de alguém o ato falho é
esclarecedor pq? Pq ele mostra pro sujeito q estava fazendo funcionar o seu recalque ele
mostra pro sujeito que tem desejos que aparecem no ato falo que ele mesmo não tinha
conhecimento. Pq escolho amentes com o mesom nome da minha mulhar?? Isso mostra algo
de uma certa escolha do medo da mulhar descobrir, o que el não quer, esse é um desejo dele,
é que ele não quer q a mulher descubra.. e o dejo ics dele é manter as relações extraconjugais,
então de alguma maneira quando ele por ex tem um ato falho e fala o nome da amante perto
da mulher, esse ato tem consequências.. Ele sabe que isso pode acontecer, então qual foi a
maneira a q ele encontrou?? Escolher pessoas com o mesmo nome. Quando o ato falho
aparece ele mostra um desejo do ics , um desejo do sujeito que esta desinvestindo que esta
escondido pelo próprio sujeito, pq de alguma maneira o sujeito se defende de alguma
maneira.
Pensar nessa violação no ics na prática, todos nós conseguimos viver isso uma vez.. Esse rapaz
da internet, que se trata de um neurótico obsessivo bastante forte..

Qual a questão da obsessão? Isso é alguma coisa que é resultado do recalque a uma ruptura
entre a ideia e o afeto que a ideia vai para um destino diferente do afeto e no caso do
obsessivo para onde as ideias vão? Para onde a ideia deslocada desse afeto vai? No caso desse
rapaz.. Ele tem pretextos religiosos muito fortes.. Muito da inibição da civilização tem haver
com os mandamentos.. Quando acontece essa incidência do recalque e a ideia original é
recalcada e ela vai se ligar a outras ideias isso estrutura uma obsessão.. Eu penso muito nisso
fazer assim não fazer assim.. E a palavra pensamento é que vem muito.. Ele só pensa.. Qual é a
característica do neurótico obsessivo? É justamente a inibição do ato. Ele não permite o ato..
Ficar na internet procurando pessoas.. É uma maneira justamente não realizar o ato.. Ele faz
tudo para que o ato do encontro com uma mulher não aconteça apesar de ser o que mais ele
diz o que ele quer.. Mas todas as ações dizem ao contrario..

Se eu disser para ele que o desejo ics é não encontrar com a mulher.. Ele não vai acreditar.. O
que tem no desejo ics é justamente a evitação da mulher, quando que na cs o que aparece
deformado no caso é que a coisa que ele mais quer é encontra a mulher.. Mas o medo é bem
relativo ao desejo.

Ex de uma leitura de como o próprio sujeito encontra duas modalidades desejosas diferentes
no caso do obsessivo é muito claro e o problema do obsessivo é q se vc interpreta alguma
coisa para ele, ele toma a sua palavra, como: já tinha pensado nisso.. E que toda sua
intervenção cai em lugar nenhum.. e no caso dele a questão é que ele fica em casa o dia
inteiro.. Estuda para fazer concurso.. Entrevista para trabalho não passa.. E a coisa q ele mais
quer q ele diz é um emprego melhor uma namorada.. O q agente vê aqui é duas ordens de
coisas que funcionam lado a lado so que aquilo que é ics o sujeito não tem ainda
representação de palavras. O que está ics não tem acesso.. E a nossa aposta é que ao falar ele
possa de alguma maneira fazer que essas representações de coisas encontre representações
de palavras que de para ele um tipo de sentido as ações que ele faz. O problema é que ele não
compreende suas próprias ações.