Sie sind auf Seite 1von 2

UNIFICAÇÃO

 DATA EFETIVA:

O que tiver ocorrido por último:

- Última prisão em flagrante


- Última falta grave homologada
- Último recolhimento após fuga (já homologada)
- Último crime cometido no curso da execução

 Especificar na minuta, ao lado da data efetiva, a que ela se refere e a folha do processo, se
for o caso.

Ex.1: Fixo como data efetiva para o cálculo da benesse progressiva o dia xx/xx/xxxx (Prisão em
flagrante referente à Execução n. xxxxxxx-xx.xxxx.xxx.xxxx)

Ex.2: Fixo como data efetiva para o cálculo da benesse progressiva o dia xx/xx/xxxx (Falta grave
homologada, fl. xx)

Ex.3: Fixo como data efetiva para o cálculo da benesse progressiva o dia xx/xx/xxxx (Último
recolhimento após a fuga, fl. xx)

Ex.3: Fixo como data efetiva para o cálculo da benesse progressiva o dia xx/xx/xxxx (Data do
crime referente à Execução n. xxxxxxx-xx.xxxx.xxx.xxxx)

 Se a nova Execução for Provisória, unificar provisoriamente. Se for definitiva, unificar


definitivamente.

 Registrar a decisão de unificação nos autos principais e nos processos que estiverem sendo
unificados.

 Preencher a minuta com o número dos IP’s referentes a todas as novas Execuções.

1) Cumprindo pena no FECHADO. Nova Execução em qualquer regime:


Unificar no FECHADO, independente do quantum da pena ou do regime da nova execução, com
efeitos retroativos à última Data Efetiva.

2) Cumprindo pena inicialmente no SEMIABERTO. Nova Execução no FECHADO:


Unificar no FECHADO, independente do quantum da pena, com efeitos retroativos à última Data
Efetiva.

3) Cumprindo pena no SEMIABERTO após progressão. Nova Execução no FECHADO:


Unificar no FECHADO, independente do quantum da pena, com efeitos retroativos à última Data
Efetiva.
Se o crime referente à nova Execução tiver sido cometido antes da progressão de regime, verificar
se, considerando a nova Execução, o requisito para a progressão para o SEMIABERTO já foi
preenchido.

- Se não tiver sido preenchido, vai permanecer o fechado.


- Se o requisito tiver sido preenchido até a data da progressão, manter o SEMIABERTO e os
benefícios externos, estendendo os efeitos da decisão de progressão e manter o mesmo marco.
- Se o requisito tiver sido preenchido após a progressão, manter o SEMIABERTO e os benefícios
externos, estendendo os efeitos da decisão de progressão, mas fixar como marco a data do
preenchimento.

4) Cumprindo pena no SEMIABERTO. Nova Execução no ABERTO ou SEMIABERTO:


Verificar se a pena remanescente na data do apensamento da nova Execução é maior que 8 anos.

- Se for maior que 8, unificar no FECHADO, com efeitos retroativos à última Data Efetiva.
- Se for menor que 8, unificar no SEMIABERTO, com efeitos retroativos à última Data Efetiva.

5) Cumprindo pena no ABERTO. Nova Execução no FECHADO:


Unificar no FECHADO, independente do quantum da pena, com efeitos retroativos à última Data
Efetiva.

6) Cumprindo pena inicialmente no ABERTO. Nova Execução no SEMIABERTO:


Verificar se a pena remanescente na data do apensamento da nova Execução é maior que 8 anos.

- Se for maior que 8, unificar no FECHADO, com efeitos retroativos à última Data Efetiva.
- Se for menor que 8, unificar no SEMIABERTO, com efeitos retroativos à última Data Efetiva.

7) Cumprindo pena no ABERTO após progressão. Nova Execução no SEMIABERTO:


Verificar se a pena remanescente na data do apensamento da nova Execução é maior que 8 anos.

- Se for maior que 8, unificar no FECHADO, com efeitos retroativos à última Data Efetiva.
- Se for menor que 8, unificar no SEMIABERTO, com efeitos retroativos à última Data Efetiva.

Quando unificar no SEMIABERTO, verificar se, considerando a nova Execução, o requisito para a
progressão para o ABERTO já foi preenchido na data da análise.

- Se não tiver sido preenchido, permanece o SEMIABERTO.


- Se tiver sido preenchido, manter o ABERTO e redistribuir para a VEPERA.