You are on page 1of 6

PEDRO ROSSI

O que é inflação?
"A taxa de inflação é o aumento no nível de preços. Ou seja, é a média do crescimento dos
preços de um conjunto de bens e serviços em um determinado período."

Como se mede a inflação?


"Ela se mede com base em índices, como o IPCA, que ponderam os bens e serviços mais
importantes para a população e medem o crescimento desses preços.

Repare que a cesta de bens considerada pelo índice de inflação pode não ser aquela que
você costuma consumir, portanto a "sua" inflação pode ser maior ou menor do que aquela
medida pelos índices oficiais."

Quais os principais efeitos da inflação?


"Se todos os preços (bens, serviços, salários, lucros etc.) aumentassem uniformemente, não
haveria problemas. O problema é que a inflação mexe nos preços relativos, e assim, dá
ganhos para alguns e perdas para outros.

Quando a inflação é superior ao aumento de salários, por exemplo, há perda de poder de


compra da população assalariada."

Quais as causas da inflação?


"A inflação pode ter uma causa monetária (impressão de dinheiro pelo governo), pode ter
causas psicológicas (agentes ajustam o preço porque acham que outro também vai
ajustar) e pode ter uma causa real (um desajuste entre a oferta e a demanda por bens e
serviços)."

Como os governos controlam a inflação?


"São várias ferramentas, a taxa de juros é uma delas, mas não é a única. No longo prazo, o
melhor remédio para inflação é a expansão da capacidade produtiva, que aumenta a
oferta de produtos e reduz os preços dos mesmos."
HERON DO CARMO
O que é inflação?

"É o crescimento persistente e generalizado do nível de preços. A inflação é um


fenômeno de longo prazo."

Como se mede a inflação?

"A inflação é medida por métodos econométricos. De forma simplificada: é a média


aritmética ponderada das variações de preço ao longo de um período, em que cada
produto tem um peso a depender de sua importância econômica.

Quando o número de produtos de uma economia é enorme, trabalha-se com amostra – e


aí entra a parte estatística. Há inúmeras médias."

Quais os principais efeitos da inflação?


"Quando os preços sobem, seu poder de compra cai. Para um determinado agente
econômico, determinada empresa, ou consumidor, justamente o que ele compra
pode ter subido mais que a média, portanto, nem todo mundo sofre o mesmo
impacto.

A inflação também dificulta o cálculo econômico e cria ineficiência, pois prejudica


a tomada de decisão num ambiente de incerteza. Também afeta o comércio. Ou
seja, a inflação cria ineficiência na economia. É algo a mais que tem que levar em
consideração, é um fator de risco adicional."

Quais as causas da inflação?

"Ocorre quando há expansão da demanda em ritmo mais forte que a expansão da oferta.
Ou seja, a oferta agregada não acompanha a demanda e a demanda tem um componente
que é o lado monetário. O principal fator é oferta de moeda, quando é preciso injetar
mais moeda na economia que o necessário para o processo econômico. Esse aumento
pode ser motivado por uma série de fatores.

Um conflito distributivo – trabalhadores querem ganhar mais e empresários querem


manter lucro. Pode ter um problema ligado a choque de oferta, que acaba sendo
acomodado com oferta de moeda. Em nível macroeconômico, pode estar associada à
expansão dos gastos no setor público."

Como os governos controlam a inflaçaã o?

"Há uma série de políticas. O principal é controlar a demanda agregada de cima. Tem
como instrumentos principalmente a política monetária, ou seja, mais ou menos moedas,
que é como se fosse o “lubrificante” do sistema.
E gastos públicos: se reduz gasto público, reduz a demanda agregada. Há uma série de
outras medidas: regulatório, dificuldade de expansão da oferta de um ou outro item.
Mas tudo, no longo prazo, acaba tendo que ser sancionado pela moeda."

EMERSON MARÇAL
O que é inflação?

"Inflação é uma alta persistente e generalizada dos preços em uma determinada


economia."

Como se mede a inflação?

"A inflação pode ser medida através da coleta dos preços de diversos itens, tais como
bens finais ao consumidor."

Quais os principais efeitos da inflação?

"A inflação pode distorcer preços relativos, reduzir investimentos, atrapalhar o


planejamento de longo prazo, redistribuir renda, entre outros efeitos nocivos."

Quais as causas da inflação?

"A principal causa da inflação é a emissão excessiva de moeda por parte do governo.
Pressões generalizadas de custos podem explicar um aumento temporário da taxa
de inflação."

Como os governos controlam a inflação?

"O governo possui instrumentos monetários tais como juros, compulsórios e


instrumentos fiscais tais como gastos e tributação para controlar a demanda
agregada e logo o nível de inflação."
DAVI SIMAO SILBER
O que é inflação?
"É um fenômeno em que a maioria dos preços vai sendo reajustada com uma frequência
mensal. O último índice oficial de inflação que foi divulgado mostrou que o índice de
difusão do IPCA foi de 64%, o que significa que, dos preços pesquisados, 64% tiveram
algum tipo de reajuste para cima.

É uma remarcação de preço generalizada – que pode ser pequena ou pode ser grande, por
algum tipo de acidente, para algum tipo específico de produto."

Como se mede a inflação?


"A forma mais utilizada no mundo é preço no varejo, índice de preços ao consumidor (IPC)."

Quais os principais efeitos da inflação?


"Devastadores. O grande mal, de todos eles, é que a inflação é o “imposto dos pobres”.
Tecnicamente, piora muito a distribuição de renda, o pobre fica mais pobre. Em segundo
lugar, traz uma enorme incerteza para a economia. A pessoa não pode assumir crédito,
porque não sabe como será sua renda no futuro.

Dificulta o planejamento familiar, o planejamento financeiro. Atrapalha o crescimento do país,


porque traz muitos riscos. Os empresários ficam mais cautelosos, e isso não é bom para o
país. Quando tem inflação, seu custo está subindo e seu produto pode perder
atratividade."

Quais as causas da inflação?


"Vamos usar a medicina como referência. A inflação é parecida com uma pessoa que está com
febre. A inflação é a febre, ou seja, é o sintoma. Não pode colocar o doente no gelo, tem
que descobrir quais são as causas.
A causa da inflação é o excesso de demanda – quando tem muito gente querendo comprar e
não tem produção na mesma intensidade. Outra explicação é o choque de oferta. Isso vale
muito para produtos que dependem de São Pedro.
“Também têm inflações que podem acontecer por distúrbios políticos: se houver uma guerra
no Oriente Médio, o preço do petróleo vai disparar e vai ter inflação.”

Como os governos controlam a inflação?


"Um instrumento de curto prazo é a política monetária, a política de juros do Banco Central. Se
o Banco Central quiser rapidamente sinalizar para o mercado que não está gostando da
remarcação de preços ele sobe os juros, para o crédito ficar mais caro, para arrefecer a
demanda e, com isso, não dá para ficar remarcando preço, porque o consumidor não está
comprando.
Além disso, quando a inflação está mais alta o governo deve gastar menos e não expandir a
demanda. São os dois instrumentos. O mais usado no mundo e o mais rápido é a política de
juros.
O Banco Central tem um instrumento muito poderoso porque é o dono do dinheiro, então
pode “tabelar” o preço."
ALEXANDRE SCHWARTSMAN
O que é inflação?
"Inflação é o aumento geral e persistente dos preços. Estas duas características são cruciais. Se
apenas uns poucos preços aumentam, enquanto os demais permanecem estáveis, não há
como caracterizar um processo inflacionário, ainda que o índice de preços mostre valores
positivos. Da mesma forma, se há um aumento de todos os preços num dado mês, por
exemplo, por conta da imposição de algum tributo, mas estabilidade em seguida, também não
temos como caracterizar inflação; esta tem que ser generalizada e persistente."
Como se mede a inflação?
"Como é comum em economia, a medida de um conceito bem definido (como inflação, ou PIB)
é bem distante do ideal. No caso da inflação, a medimos como uma média dos aumentos (ou
quedas) de preços ao longo de um dado período, por exemplo, um mês.

Os institutos que calculam a inflação fazem uma pesquisa junto a certa classe de consumidores
(por exemplo, os que ganham até 6 salários mínimos) e descobrem o que eles consomem
(carne, arroz, feijão, passagem de ônibus, material escolar, médico, dentista, manicure, escola,
etc) e quanto do orçamento familiar é gasto em cada produto. Por exemplo, uma família pode
gastar 30% do seu orçamento em comida, 50% em escola e 20% em transporte.

A medida de inflação será então uma média da variação dos preços de comida, escola e
transporte, com pesos de 30, 50 e 20% respectivamente. É possível que, em determinado mês,
só a mensalidade escolar tenha subido, digamos 10%. O índice vai mostrar inflação de 5%
naquele mês, embora, conceitualmente o aumento não tenha sido generalizado, nem
persistente.

Isto significa que, na vida real, o economista deve analisar com cuidados índices de preços,
separando aumentos pontuais daqueles persistentes (usando uma técnica chamada "núcleo de
inflação"), assim como observando o grau de disseminação de elevações de preços."

Quais os principais efeitos da inflação?


"A inflação gera vários efeitos negativos, em particular quando atinge patamares mais
elevados. Se os preços de um produto qualquer sobem, há incentivo para famílias reduzirem o
seu consumo e para fabricantes aumentarem sua produção, corrigindo eventuais
desequilíbrios.

A inflação distorce a mensagem do sistema de preços, levando a respostas ineficientes de


produtores e consumidores. Afora isto, a inflação tem efeitos distributivos.

Salários, por exemplo, são tipicamente fixados por um ano, de acordo com a inflação esperada
neste período. Caso a inflação seja mais alta que a esperada, o salário compra menos, isto é,
trabalhadores perdem. Na prática, trabalhadores sempre têm mecanismos mais fracos de
proteção e sofrem perdas em momentos de inflação alta ou em elevação."
Quais as causas da inflação?
"Tipicamente se trata de um problema de excesso de moeda relativamente aos níveis que as
pessoas desejam manter. Elas tentam usar a moeda excedente para comprar bens e serviços,
elevando seus preços, de forma generalizada e persistente."

Como os governos controlam a inflação?

"Em geral o governo estabelece um Banco Central independente com um mandato de


estabilidade de preços, isto é, inflação baixa, por exemplo, determinando um nível particular
de inflação (uma meta). Aí cabe ao BC manejar a política monetária (o oferta de moeda) com
objetivo de manter a medida de inflação (o índice de preços) o mais próximo possível da meta.

A independência do BC é importante porque é comum que o governo pressione os diretores do


BC para afrouxar a luta contra inflação de modo a buscar, mesmo temporariamente,
crescimento mais alto (ou desemprego mais baixo).

Este comportamento tende a gerar nos agentes econômicos a percepção de leniência com
inflação, levando a comportamentos defensivos, como subir preços e salários
antecipadamente, antes que a inflação mais alta os corroa.
BCs independentes, que têm condição de resistir a pressões políticas, minimizam o risco deste
processo."