Sie sind auf Seite 1von 27

Curso Técnico em Enfermagem

CLASSIFICAÇÃO DE HIGIENE
NA SAÚDE
EMYLLE SANTOS
Nutricionista Especialista em Saúde da Mulher (Hospital
das Clínicas – UFPE)
Objetivos Gerais

Promover a
Prevenir
saúde (física, Prolongar a vida
doenças
mental e social)
Classificação de higiene na saúde

 Existem diversos tipos de higiene e é através dos bons hábitos


que poderemos ter uma saúde excelente.

 Porém, é necessário termos alguns cuidados com o corpo, a


mente, o trabalho e onde vivemos.

 Em um primeiro momento parece lógico e fácil a maneira de


como lidar com este assunto.

 Todavia, a higiene possui DUAS divisões com subdivisões e


inúmeras maneiras de como cuidar de alguém ou de si.
Classificação de higiene na saúde

Pessoal
• é um conjunto de hábitos de limpeza que cada pessoa exerce
no próprio corpo.

Coletiva
• é um conjunto de regras higiênicas estabelecidas pela
sociedade às pessoas.
Higiene mental

 Pensamentos positivos nos ajudam a: agirmos melhor, temos mais


saúde, somos mais felizes, os sentidos ficam mais apurados, a
memória fica mais aguçada, a tensão mental se desfaz e nossos
órgãos como o estômago, o fígado e o coração funcionam melhor.

 E ainda podemos dizer que a higiene pessoal é a chave do sucesso.


Para mantê-la basta: ler, praticar esporte, passear, viajar, acampar,
assistir bons filmes ou peças de teatro, descansar, brincar, etc.
Higiene física

 É os cuidados que temos com o corpo. Esse tipo de higiene além da


prevenção normal contra doenças tem a função de causarmos uma
boa impressão aos outros. Influenciando diretamente na
comunicação e no relacionamento interpessoal.

 Os cuidados que devemos ter são: necessidades básicas de higiene


física (banho, corte de unhas, escovar os dentes, etc., dormir à noite
por um período de uma média de 8 horas, fazer exercícios físicos e
praticar esportes.
Higiene ambiental

 Esta relacionada a nossa vida e a natureza.

 Devemos cultivar alguns hábitos como: não jogar lixo no chão e/ou
nos rios, colocando-os sempre nas lixeiras corretas; não deixar água
parada em vasos, garrafas e pneus velhos; abrir as janelas para gerar
uma circulação de ar, manter limpos os ambientes; não destruir a
natureza.
Higiene bucal

 Em prática é escovar os dentes pelo menos 3 vezes ao dia ou depois


de cada refeição, usar fio dental e anticéptico bucal. Após a refeição
teremos resíduos alimentares que se não forem escovados com
regularidade, atraem micróbios que se transformam em ácido.

 Esse ácido agride o esmalte dos dentes criando as cáries. Quando


aprofunda, provoca abcessos, dores de cabeça, a gengiva sangra,
problemas no funcionamento dos pulmões, sistema nervoso, coluna
vertebral, etc.
Higiene bucal

 Por isso, é essencial escovar e, claro, visitar regularmente o dentista.


Assim teremos um boa higiene bucal com um hálito agradável e
sorriso saudável.

 As crianças abaixo de 12 anos devem tomar água potável fluoretada


ou suplementos de flúor, se habitarem regiões onde não haja flúor
na água.
Higiene capilar

 A higiene dos cabelos é importante para mantê-los saudáveis. Os


xampus, são responsáveis por limpar os fios, retiram a oleosidade,
suor, descamação, traços de poluição e outros produtos capilares.

 Além disso, quando usado de forma correta, proporcionam brilho,


maciez, retiram a estática do cabelo e facilitam o pentear.
Higiene no trabalho

 É um conjunto de normas e procedimentos que protegem


integridade física e mental do trabalhador. Precavendo contra riscos
de saúde providos do cargo e/ou do ambiente físico onde é
executado.

 Essa higiene tem caráter preventivo, evitando que o trabalhador


adoeça e se ausente provisória ou definitivamente.
Higiene no trabalho

 Os objetivos são:

 Eliminação das causas das doenças profissionais; redução dos


efeitos prejudiciais provocados pelo trabalho em pessoas doentes
ou portadoras de defeitos físicos;
 Prevenção de agravamento de doenças e de lesões;
 Manutenção da saúde dos trabalhadores e aumento da
produtividade por meio de controle do ambiente de trabalho.
Higiene genital

 A higiene genital é fundamental a todos, porém principalmente para


as mulheres.

 Devem preferir os sabonetes neutros e os absorventes precisam ser


trocados regularmente; o uso de roupas íntimas apertadas deve ser
evitado e dando preferência às de algodão mais folgadas e
confortáveis; usar preservativos; deixar os pelos aparados; fazer
uma limpeza correta ao urinar.

 Visita ao ginecologista regularmente.


Higiene genital

 Já nos homens, quando ainda são crianças devem aprender a


realizar a limpeza da região o quanto antes.

 A falta ou precariedade de higiene no pênis pode causar infecções e


a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis, incluindo o
câncer de pênis.

 Além disso, assim como as mulheres deve-se aparar os pelos.


Higiene genital

 Além de eliminar odores, o asseio previne a proliferação de fungos,


sobretudo nas mulheres, que têm anatomia genital mais recolhida.

 Recomenda-se que a higiene deve ser feita três vezes ao dia com
água, sabonete especial e usando somente os dedos. Então,
esponjas, cotonetes ou qualquer outro apetrecho devem ser
descartados, principalmente nas crianças.

 Nos casos em que a rotina não permite a limpeza constante,


aconselha-se usar lenços umedecidos sem perfume.
Higiene doméstica

 A maioria das doenças infecciosas é contraída dentro de casa, por


falta de higiene domiciliar correta. Germes e bactérias são
transmitidos por meio de alimentos, água, fezes, superfícies e pelas
mãos.

 A maior concentração de bactérias encontra-se no banheiro de casa.


Se a higiene não estiver em dia, uma bactéria pode se multiplicar
chegando a milhões em poucas horas.

 Passamos muito tempo no trabalho e deixamos a higiene doméstica


para segundo plano, o que torna a limpeza mais superficial.
Higiene doméstica

 Idosos, crianças, pacientes que receberam recentemente alta do hospital e


pessoas imunodeprimidas fazem parte do grupo de risco. A melhor forma
de prevenção é lavar muito bem as mãos após utilizar ou tocar o vaso
sanitário.

 A descarga deve ser acionada apenas com a tampa do vaso fechada.


Recomenda-se a limpeza diária de pisos e azulejos e higiene das mãos, o
que pode evitar 80% de contaminação.

 As bactérias fecais permanecem por até 2 horas no ambiente. E podem


parar no botão da descarga, na torneira, na maçaneta, na pia, banheira e
escovas de dente.
Higiene doméstica
Sobre o box

 O chuveiro, se não for devidamente limpos, pode ser fonte de bactérias,


especialmente se a água ficar acumulada dentro.

 As paredes ou a cortina do box também fornecem condições ideais para os


fungos que, ainda que não sejam infecciosos, podem liberar esporos ou
substâncias que desencadeiem alergias respiratórias, como asma.

 Recomenda-se que para retirar a umidade das paredes e pisos do box dilua
duas tampas de cloro em 1 litro de água e esfregue com uma esponja. Use
uma escova de dentes para limpar os cantinhos.
Higiene Hospitalar

 Através da higienização, daremos aos pacientes um ambiente limpo e


esteticamente organizado, livre de mau odor, visando conforto e
segurança. Reduzindo assim a carga contaminante das superfícies,
evitando a disseminação de microrganismos entrando na categoria de
tipos de higiene.

 Através desta adoção de medidas de controle, preservamos a saúde


ocupacional e o meio ambiente. Há três tipos de limpezas hospitalares:

Concorrente Terminal Manutenção


Higiene Hospitalar

Limpeza concorrente

 É aquela realizada enquanto o paciente encontra-se nas


dependências da instituição.

 Retirada do lixo e os resíduos, recolhimento da roupa suja e outros


materiais, como jornais e revistas.
Higiene Hospitalar

Limpeza Terminal

 É realizada após a saída do paciente, seja por alta, óbito ou


transferência.

 Esta compreende a limpeza das superfícies, sejam elas verticais ou


horizontais, e a desinfecção do mobiliário.
Higiene Hospitalar

Limpeza de manutenção

 tem o objetivo de manter a limpeza nos intervalos entre as limpezas


concorrentes ou terminais.

 Neste caso, deve-se estar atento à reposição de materiais,


recolhimento de resíduos, manutenção das superfícies limpas e
secas etc.
Higiene Hospitalar

 Esta atividade está inserida em tipos de higiene e tem uma


importância na recuperação do paciente para prevenir doenças.

 Na higiene oral do paciente deve-se manter a boca, bochechas,


língua e gengivas limpas, para prevenir cáries, gengivite,
periodontite, halitose, etc.

 É necessário explicar ao paciente o procedimento que será


realizado, colocando-o em uma posição confortável, elevando a
cabeceira.
Higiene Hospitalar

 Caso o paciente for inconsciente deve ser colocado em


decúbito lateral, abrir a boca com o auxílio de uma espátula.

 Qualquer alteração na cavidade bucal deve ser relatada. Na


realização deste procedimento deve ser utilizado pelo
profissional luvas de procedimento e máscara facial.
Higiene Hospitalar

 Na higiene corporal o banho assegura ao paciente o bem estar, auto


estima e estimula a circulação sanguínea.

 A água deve estar em temperatura agradável e após o banho o


profissional deve retirar todo o sabão enxaguando-o. Secar
completamente o corpo, principalmente nas regiões genitais,
proporcionando a maior privacidade possível ao paciente.
Higiene Hospitalar

 Existem alguns tipos de banhos:

Banho de aspersão banho de imersão


(banho de chuveiro) (banho na banheira)

banho no leito (usado


banho de ablução
para pacientes
(jogando águas sobre
acamados ou em
o corpo)
repouso absoluto)
Como regras básicas para a higiene podemos definir que:

 Não espirrar, tossir, falar ou soprar sobre as matérias-primas, produtos ou


material utilizado é enquadrado como tipos de higiene;
 Não mexer na cabeça, nariz, orelhas ou boca enquanto se manipulam
alimentos;
 Manter os locais de trabalho sempre limpos e arrumados;
 Não tocar com os dedos no interior dos pratos onde vão ser servidos os
alimentos;
 Não limpar as mãos à roupa;
 Não deve provar os alimentos com o dedo;
 Não roer as unhas;
 Manter as unhas curtas, limpas.